16 novembro 2017

Pensar o Ceará -- por Pedro Henrique Chaves Antero (*)

   Quando a suposta democracia não se torna o regime real da organização política e social de um povo, a luta entre as facções que disputam o poder político torna-se um embate enfadonho que só interessa a meia dúzia de espertos. Isso não significa dizer que todos os atores da cena não mereçam a nossa consideração. Porém poucos são os que trabalham dentro dos postulados da ética, sabendo distinguir os interesses públicos das vantagens pessoais e familiares.
    O recente conflito ocorrido entre os Ferreira Gomes e o grupo do senador Tasso Jereissati poderia significar que os assuntos primordiais do Estado estariam sendo postos em segundo plano, dando lugar a bate-boca sem maior interesse. Esse fato, entretanto, não é necessariamente verdadeiro, muito embora alguns dos atores da nossa política sejam fruto do oportunismo.
    No momento, cabe afirmar, o quadro político cearense é por demais repetitivo, a ponto de se dizer que o período da oligarquia de Accioly, no início do século XX, está sendo reproduzido. O nepotismo, à época, foi a grande chaga da política estadual, causando graves prejuízos ao Estado. E, como disse Capistrano de Abreu, “a mim preocupa o povo, há três séculos capado e recapado, sangrado e ressangrado”.
   Graves problemas nos cercam atualmente, sendo a falta de água o mais crônico do semiárido nordestino. Hoje, por sinal, é um assunto que assusta a humanidade inteira. O recente livro do americano Seth M. Siegel, intitulado “Faça-se a água”, descreve o caminho percorrido por Israel para a solução desse problema.
    O eleitor cearense espera que suas lideranças se debrucem sobre esse e outros assuntos, para evitar que medidas insensatas sejam adotadas por politiqueiros despreparados. Em 1903, por exemplo, segundo o historiador Airton de Farias, 90 escolas primárias no Interior foram fechadas, de modo a permitir recursos para a abertura da Academia Livre de Direito do Ceará.

(*) Pedro Henrique Chaves Antero. Professor de Ciências Políticas
e-mail: phantero@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.