22 novembro 2017

Choque de realidade - Por: Emerson Monteiro

Ontem inventei de caminhar pela cidade dos homens. Eu de todos os sonhos reunidos, e isso que está ali fora, milhares de automóveis invadindo o chão que antes só pertencia às árvores e aos pássaros, à natureza. Carros, bólides, meteoritos, asteroides apressados nos mais diversos destinos e formatos, a velha indústria do ferro temperado que tomaria de conta do universo. Ruas dos seres esquisitos que vezes trafegam indiferentes, velocidades barulhentas, exóticas, quais solos estridentes das guitarras amarelas dos anos 60. Focos perdidos pelas distâncias do impossível suspenso no ar; quadros surreais doutras cinzentas galáxias. Casais alucinados em cenas eróticas. Ruídos raspados de animais desconhecidos, que arrastam no pescoço os sinais dos tempos. Revistas largadas no chão dos corredores sujos. Clima de festas que chegaram ao fim, nas torpes madrugadas suarentas.

No entanto ela corre nua de olhos acesos e deixa vontade imensa que exista nalgum lugar, logo adiante, os encontros fortuitos. As marcas deixadas no coração pelas inesquecíveis paixões. Outros que insistem buscar saídas na esperança das preces. A certeza dessa vitória a caminho da luz, pois forças vivas jamais nos deixarão abandonados. Certeza. Certezas.

Conquanto limitado ao território de nós mesmos, há indícios claros dos dias melhores que vêm vindo pela resistência, alimento do desejo. Religiosos sinceros, invés de comerciantes da fé. Os eleitos da alma, que mantêm a consciência ligada nos amores puros. Eles, que existem no silêncio das multidões. Numa conspiração de virtudes, circulam calados, porém firmes nos seus propósitos.


Em clima de término de missão, desse modo perene a vida continua entre as minas da civilização, nos equívocos egoístas das gentes de cara assustada e faminta. Zumbis entregues aos afazeres dos instintos criam motivos artificiais nas salas vazias. Cenas de filmes mudos ainda lembram esses povos que imaginavam salvar o mundo e, depois, perderiam o trilho da história. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.