27 outubro 2017

CIA tentou contratar mafioso para matar Fidel Castro, dizem documentos sobre Kennedy



O então procurador-geral dos EUA Robert Kennedy, irmão de John Kennedy, disse que a CIA contratou intermediário para propor US$ 150 mil a mafioso para matar Castro.


Entre algumas das informações presentes nos documentos confidenciais sobre a morte o presidente John F. Kennedy, divulgados na quarta-feira (25) pelos Estados Unidos, estão a de que o FBI tentou contratar a máfia para assassinar o então presidente de Cuba, Fidel Castro. As informações são da rede de televisão CNN.
Um documento de 1975, que detalha o papel da CIA em assassinatos estrangeiros, revela o plano para assassinar Castro logo nos primeiros dias do governo Kennedy, que foi de 1961 a 1963, ano de sua morte.
O relatório informa que Robert Kennedy, então procurador-geral dos EUA e irmão do presidente americano, disse ao FBI que a CIA contratou um intermediário "para se aproximar de Sam Giancana com uma proposta de pagar US$ 150 mil para contratar um atirador para entrar em Cuba e matar Castro".
Robert Kennedy afirmou ainda que esse plano dificultou a tarefa de processar Giancana, um famoso mafioso siciliano. "O procurador-geral Kennedy declarou que a CIA não deve fazer uso de mafiosos novamente sem primeiro consultar o Departamento de Justiça", diz o documento.
A rede CNN também informa que os documentos revelam que uma pessoa ligou para o FBI ameaçando matar Lee Harvey Oswald (apontado como o assassino de Kennedy) um dia antes de sua morte e que os EUA estudaram sabotar peças de um avião que seriam enviadas a Cuba.
O presidente dos EUA John F. Kennedy acena de seu carro em 22 de novembro de 1963, ao lado da primeira-dama Jacqueline Kennedy, pouco antes de ser assassinado (Foto: AP Photo/Jim Altgens) O presidente dos EUA John F. Kennedy acena de seu carro em 22 de novembro de 1963, ao lado da primeira-dama Jacqueline Kennedy, pouco antes de ser assassinado (Foto: AP Photo/Jim Altgens)
O presidente dos EUA John F. Kennedy acena de seu carro em 22 de novembro de 1963, ao lado da primeira-dama Jacqueline Kennedy, pouco antes de ser assassinado (Foto: AP Photo/Jim Altgens)

Um documento datado de 24 de novembro de 1963 mostra o então diretor do FBI, J. Edgar Hoover, falando sobre a morte de Oswald. Hoover afirma que o escritório do FBI em Dallas recebeu um chamado "de um homem falando em voz calma" dizendo que era membro de um comitê para matar o assassino do presidente.
Outro relatório, sobre o conselho de segurança nacional de 1962 --antes do assassinato de Kennedy--, fala sobre a "Operação Mongoose", uma tentativa secreta do governo americano de derrubar o comunismo em Cuba.
O General Marshall Carter disse, em uma reunião secreta em 14 de setembro de 1962, "que a CIA examinaria as possibilidades de sabotar partes de avião que estão programadas para serem enviadas do Canadá para Cuba".

Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.