xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> Presidencialismo da Nova República fracassou e enquista o Brasil no atraso -- por Matias Spector (*) | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

13 julho 2017

Presidencialismo da Nova República fracassou e enquista o Brasil no atraso -- por Matias Spector (*)


A condenação de Lula à prisão apenas ilustra o ponto. Nestes 30 anos, todos os presidentes eleitos terminaram às voltas com a Justiça. Os únicos que podem dormir em paz agora são FHC e Sarney, salvos de um julgamento por causa da avançada idade e por terem tido a sorte de governar o país quando os "engavetadores da República" de plantão ainda tinham capacidade de oferecer proteção.
A podridão engendrada pelo sistema político nestes anos não para por aí. Também estão encalacrados todos os políticos que, sem alcançar a Presidência, chegaram ao segundo turno (Serra, Alckmin e Aécio). Ainda pertencem a esse grupo vários governadores e quase um terço dos parlamentares no Congresso Nacional.
Isso ocorre porque a Nova República inventou uma fórmula perversa para gerir a relação entre os Poderes Executivo e Legislativo. Em nosso sistema, o presidente não possui maioria parlamentar. Para governar, ele precisa montar uma "base aliada" de deputados e senadores. Estes, por sua vez, apoiam o presidente em troca de nacos do orçamento e de indicações para cargos públicos por onde passam licitações polpudas.
Nada nesse sistema garante que a relação entre Executivo e Legislativo produza bens públicos para a maioria do eleitorado (hospitais decentes, boas escolas e transporte público eficiente, por exemplo). Ao contrário, as regras do jogo de nosso presidencialismo fazem com que a sociedade inteira fique rendida diante de um conjunto de grupos de interesse fortes o suficiente para tirar vantagem da necessidade que o presidente tem de garantir apoio da base.
Quem ganha com isso? O cartel das empreiteiras como a Odebrecht, o grupo de empresários como Joesley Batista, os sindicalistas que cobram pedágio para parar greves e o lobby dos seguros de saúde.
Nesse sistema, o Palácio do Planalto é o QG dos interesses particularistas. Ali são distribuídos cargos de confiança a peso de ouro. Dali arma-se a arapuca para influenciar a cúpula do Judiciário e limitar os danos provocados pelas instituições de controle.
Dono da caneta que autoriza o troca-troca, o presidente vira arrecadador-chefe para as campanhas de seus aliados. O contato com grandes empresários é dele, seja à luz do dia ou na calada da noite.
Como o jogo é sujo, o próprio presidente se encharca na lama: nesses 30 anos, nossos mandatários alopraram com jatinhos, apartamentos, chácaras, reformas da casa da sogra, empregos para os filhos, mesadas para irmãos, malas de dinheiro e cabeleireiros de renome.
São as nossas instituições que enquistam o Brasil no atraso.

(*) Matias Specktor é doutor pela Universidade de Oxford e ensina relações internacionais na FGV. Escreve para  a"Folha de S.Paulo" às quintas-feiras.

1 comentários:

Armando Rafael disse...

Não foi somente o sistema Presidencialista que faliu. Faliu também a forma de governo republicana. Fracasso completo. Irreversível.
O regime representativo brasileiro faliu, o presidencialismo de coalizão está esgotado e as instituições da República não estão à altura dos desafios do país de hoje, desafios que ficaram mais nítidos com a Operação Lava Jato. Claro que os políticos tentarão implantar nova “meia sola” para trazer inúteis ilusões à desiludida população brasileira.
Considere-se, ainda, que o Brasil possui hoje a mais atrasada (merecidamente chamada de “troglodita”) esquerda da América Latina, esquerda mumificada que tenta ressuscitar a estatização já banida nas democracias que deram certo. A proliferação desmedida e irresponsável de partidos --36 é o número de hoje-- resultou ainda mais na desmoralização das siglas. Só “partidos comunistas”e afins temos 04 (quatro):PCB, PCdoB, PSTU e POR. Um recorde mundial!
Jogando tudo isso no liquidificador deverá sair algo que vai dar para gerar novas ilusões para as eleições de 2018. Depois virá o esgotamento total. E o que surgirá depois disso só Deus sabe.

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30