xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> Um Rei para o Brasil: será essa a solução para a crise? | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

30 junho 2017

Um Rei para o Brasil: será essa a solução para a crise?


Em períodos de crise política, surgem campanhas de todo o tipo defendendo mudanças na forma de    governo. Nesta terça-feira, a Sputnik conversou com o médico Rodrigo Siqueira Rocha Dias, autor da proposta de restauração da monarquia no país, que está em tramitação na Comissão de Direitos  Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal (CDH).
De acordo com o​ ​projeto popular​ apresentado por Rodrigo, por ser o presidencialismo brasileiro corrupto  e corruptor, "a implantação da monarquia tiraria o viés partidário das decisões de Estado, garantindo a    isonomia do mesmo, ao mesmo tempo em que as funções de governo permaneceriam com os   representantes eleitos pelo povo, com um menor custo ao erário público". Foi com base nesse  pensamento que quase 30 mil pessoas manifestaram apoio à ideia, que, se for aprovada pela CDH,   passará a tramitar no Senado.
Mas seria mesmo essa a melhor solução para os problemas políticos do  Brasil? Em entrevista à Sputnik, Rodrigo Siqueira Rocha Dias, também conhecido como Rodrigo Brasileiro,   disse que o país vive em crise "desde o golpe republicano", há 128 anos. Segundo ele, os problemas  políticos vividos durante todo esse período mostram que o modelo adotado, do presidencialismo, não  deu certo no país e, por esse motivo, precisa ser mudado.
Dados da Transparência Internacional indicam que dos dez países menos corruptos no mundo, sete   são monarquias: Dinamarca, NovaZelândia, Suécia, Noruega, Holanda, Luxemburgo e Canadá. Para   autor da proposta de implantar esse sistema no Brasil, a mudança poderia até não acabar com a  corrupção, mas tornaria a prática bem mais difícil.  der, muita coisa mudou de lá pra cá. Segundo ele, na época da consulta, o país tinha   acabado de sair de uma cláusula pétrea que censurava as monarquias e não permitia a organização do   movimento monarquista, ao mesmo tempo em que o povo acabava de passar por um longo período de    ditadura.
Para Rodrigo, havia grande esperança de que o modelo republicano ainda pudesse dar certo,    entre outros fatores.  "Hoje, a gente já tem outro cenário. A gente já tem a rede social, a internet, que é uma forma de divulgar   informação. Tanto que é na ​rede social​ ​que o movimento monarquista está se estruturando", disse ele,    destacando que isso ocorre mesmo sem capital, sem patrocínio.
"Como é uma forma mais democrática e que admite mais expressão e participação popular, isso   nibe os atos de corrupção, que, na nossa República, são extremamente endêmicos", opinou.   Além da questão da corrupção, Rodrigo Brasileiro também acredita que os valores gastos com a    manutenção de um monarca o poder seria bem inferiores aos que são gastos atualmente com a presidência.
Por exemplo, a preside​nte ​Dilma Rousseff ​custou o dobro da rainha da Inglaterra. E, além de a gente   ter esse gasto extremamente elevado com a chefia de Estado, muito mais caro do que na Inglaterra, a   ente sustenta ex-presidentes. O Brasil gasta por ano R$ 3,3 milhões, em média, para sustentar  ex-presidentes. Só a presidente Dilma Rousseff, que nem chegou a completar seu segundo mandato, foi   aposentada com gasto anual de R$ 1 milhão. Na verdade, o que é caro é a República. A monarquia é   muito mais barata." 
Em 1993, o Brasil realizou um plebiscito no qual a população preferiu manter a República em vez de   retornar à monarquia. Mas, para o defensor da proposta que tem como objetivo levar um monarca de   volta ao poder, muita coisa mudou de lá pra cá. Segundo ele, na época da consulta, o país tinha acabado de sair de uma cláusula pétrea que censurava as monarquias e não permitia a organização do movimento monarquista, ao mesmo tempo em que o povo acabava de passar por um longo período de  ditadura.
Para Rodrigo, havia grande esperança de que o modelo republicano ainda pudesse dar certo,  entre outros fatores.  "Hoje, a gente já tem outro cenário. A gente já tem a rede social, a internet, que é uma forma de divulgar   informação. Tanto que é na ​rede social​ ​que o movimento monarquista está se estruturando", disse ele,  destacando que isso ocorre mesmo sem capital, sem patrocínio. "Mesmo assim, a gente está conseguindo uma penetração dentro da sociedade".

Fonte: https://br.sputniknews.com/brasil/201706278744142-volta-monarquia-brasil/ 
Postado por Armando Lopes Rafael

0 comentários:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30