xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 31/10/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

31 outubro 2016

Dom Fernando completa hoje 45 anos de ordenação sacerdotal

Nesta segunda-feira, 31 de dezembro, às 17 horas, na Catedral de Nossa Senhora da Penha, será celebrada a missa comemorativa aos 45 anos de ordenação sacerdotal de Dom Fernando Panico, fato ocorrido em 1971, em Roma, Itália.  

Dom Fernando Panico, pertence à Congregação dos Missionários do Sagrado Coração–MSC, nasceu na cidade de Tricase, sul da Itália, em  1º de janeiro de 1946. Desde 29 de junho de 2001 – há 15 anos e 6 meses – Dom Fernando é quinto bispo da Diocese de Crato. Ele foi o responsável maior pelo início do processo que culminou com a reconciliação da memória do Padre Cícero Romão Batista com a Igreja Católica. Este talvez seja o fato mais relevante acontecido na história da Diocese de Crato.
Um pouco da vida de Dom Fernando
   Aos doze anos de idade, em 1958, o menino Fernando Panico ingressou no Pontifício Seminário Romano Menor, ali permanecendo até 1962. Entre 1966 e 1967 estudou Filosofia na Pontifícia Universidade Gregoriana. O curso de Teologia foi feito no Pontifício Ateneo Santo Anselmo, em Roma, e o mestrado em Liturgia foi feito de 1972 a 1974 no Pontifício Instituto Litúrgico, da capital italiana. Logo em seguida, mais precisamente em 1974,  o padre Fernando Panico transferiu-se para o Brasil, para a cidade de Pinheiro no Maranhão. Desde aquela data nunca mais deixou o Brasil, nem o Nordeste.
   No Maranhão o padre Fernando Panico foi vigário e reitor do Seminário Diocesano da cidade de Pinheiro. Transferido em 1982 para São Luís, a capital do estado, exerceu relevantes cargos dentre os quais: vigário paroquial, reitor do Seminário Maior, Juiz Auditor no Tribunal Arquidiocesano e Superior da Região da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração. Em 1993 o padre Fernando Panico foi nomeado pelo Papa João Paulo II como bispo da Diocese de Oeiras-Floriano, no Piauí. Ali recebeu sua Ordenação Episcopal no dia 14 de agosto daquele ano. E lá permaneceu até 28 de junho de 2001, pois no dia seguinte assumiria a diocese do Crato.
Realizações de Dom  Fernando na Diocese de Crato
    Dom Fernando Panico foi o i o responsável pela instalação de  4 (quatro) instituições para recuperação de alcoólatras e dependentes de drogas que funcionam hoje no Cariri. Além das duas casas existentes em Crato, temos outra em Barbalha (no sítio Riacho do Meio) e a Fazenda da Esperança, em Mauriti, trabalhando na cura desses vícios. Deve-se, ainda, a Dom Fernando a construção dos dois grandes blocos que compõe a atual Cúria Diocesana de Crato, bem como a construção do prédio do novo Seminário Propedêutico Dom Fernando Panico, localizado no bairro Grangeiro.
      Quando chegou a Crato, em 2001, Dom Fernando encontrou a Diocese com 42 paróquias. Criou mais 13 e outras 02 duas paróquias serão criadas no no próximo mês de novembro, o que significa um crescimento de 31,7% no número de paróquias que passarão a ser 67. Ordenou ele os primeiros Diáconos Permanentes da Diocese, cujo número hoje somam 38 diáconos. Criou o Curso Superior de Teologia no Seminário São José de Crato, que hoje forma sacerdotes para cinco dioceses: Crato e Iguatu, no Ceará; Salgueiro e Petrolina, em Pernambuco, e Cajazeiras, na Paraíba. Dom Fernando ordenou 68 novos sacerdotes para a Diocese de Crato. O clero cratense é hoje formado, na maioria, por novos padres o que não aconteceu com outras dioceses brasileiras que tem a maioria na faixa etária da terceira idade.
        Ao assumir a Diocese de Crato, Dom Fernando encontrou o Hospital São Francisco de Assis, pertencente à Fundação Padre Ibiapina, em meio a várias crises, pois atuava com métodos e equipamentos ultrapassados. Entregou aquele hospital – em forma de comodato – à Ordem dos Camilianos, e aquele nosocômio vem experimentando sucessivas melhorias no seu funcionamento e é considerado hoje um “hospital-polo” no sul do Ceará. Quando vemos, diariamente – através dos noticiários da televisão – a falência da assistência médica no Brasil e comparamos com a assistência prestada pelo Hospital São Francisco, chegamos à conclusão do acerto da decisão do atual Bispo de Crato.
         Hoje, todos os 32 municípios que foram a Diocese possuem suas paróquias. Além disso, Dom Fernando criou quatro Santuários Diocesanos: o da Igreja-Matriz de Nossa Senhora das Dores de Juazeiro do Norte (posteriormente elevado pela Santa Sé à condição de Basílica Menor); o Santuário Eucarístico que funciona na igreja de São Vicente Férrer em Crato; o Santuário da Divina Misericórdia, na Igreja-Matriz de Santo Antônio, na cidade de Barro e o Santuário da Mãe do Belo Amor, localizado no planalto do sítio Páscoa, zona rural de Crato.
           Haveria muitas e muitas outras ações a falar sobre o fecundo episcopado deste admirável e generoso Pastor Diocesano, nascido na Itália. O espaço é curto.  No entanto, para ser grato é preciso ter um coração sempre aberto, ter sensibilidade, humildade, estar ao lado do bem... Parabéns Dom Fernando Panico! e obrigado por todo o bem que fez na Diocese de Crato.

(Texto de Armando Lopes Rafael)

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30