xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 27/10/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

27 outubro 2016

Eleições municipais no Cariri Central - Por: Emerson Monteiro

As características eleitorais do corrente ano mostraram feições diferenciadas com relação a resultados anteriores. Ainda que surgissem alternativas empresariais postulando o cargo majoritário, a escolha recaiu em segmentos tradicionais e meios políticos vigentes, com o predomínio em Crato da influência do governador Camilo Santana a obter maioria expressiva através do candidato José Ailton Brasil. Em Juazeiro do Norte, regressa ao poder a família Bezerra de Menezes, com o candidato eleito José Arnon. Em Barbalha, porém, no que pesasse o governo petista de José Leite em dois mandatos, coube ao candidato do PMDB, Argemiro Sampaio, superar Fernando Santana e reverter o quadro partidário local.

Dessa forma, as cartas foram postas e o destino caririense destaca, na presença de um conterrâneo à frente do Executivo estadual, frutos somente obtidos nos idos do governador Adauto Bezerra, que propiciou meios a recebermos benesses e atenções de importância política e econômica, agora restabelecidos diante da bem sucedida administração de Camilo Santana, um caririense no Poder cearense. Serão tempos de expectativa favorável à abertura de novos ganhos e vislumbres positivos.

Com isso, face aos planejamentos da interiorização do progresso, dias melhores virão na forma de políticas públicas e maior acompanhamento do litoral quanto ao interior do Estado. Porquanto o excessivo crescimento populacional da Capital, mais do que nunca exige métodos inovadores de redistribuição da riqueza e dos cuidados administrativos em voga ao polo do Sertão.

A população da Zona Metropolitana do Cariri aguarda, pois, a revivescência que permitirá haustos de crescimento e oportunidades de realizações.

A maledicência -- por Dom Fernando Arêas Rifan (*)

  Uma reflexão sobre os vídeos montados que circulam pela Internet
            Nesse tempo de internet, em que se pode anonimamente falar mal à vontade de todo o mundo, em que se compartilham notícias sem preocupação com a verdade delas, em que se pode postar boatos que denigrem o bom nome das pessoas, em que se pode dizer meias verdades que impressionam e destroem a fama alheia, vale a pena recordar o que dizem os santos a respeito desse vício, que leva o nome de maledicência. O exagero, a caricatura, a meia-verdade, a reticência, a suspeita lançada ao ar, são tipos de maledicência que se assemelham à mentira, e até piores do que ela, por serem mais sedutoras.O Catecismo da Igreja Católica ensina: “Toda pessoa goza de um direito natural à honra do próprio nome, à sua reputação e ao seu respeito. Dessa forma, a maledicência e a calúnia ferem as virtudes da justiça e da caridade” (C.I.C. 2479).
            “Não procures fazer figura pondo-te a criticar os outros e aprende a tornar mais perfeita a tua vida antes que denegrir a dos outros. São verdadeiramente poucos os que sabem afastar-se deste defeito, e é bem raro encontrar alguém que queira mostrar-se tão irrepreensível, na sua vida, que não critique com satisfação a vida alheia. Não há outra coisa, de fato, que ponha a alma em tanto barulho e que torne o espírito tão volúvel e leviano quanto o prestar fé com facilidade a tudo, e dar ouvido temerariamente às palavras dos críticos. E daí que surgem discórdias sobre discórdias e sentimentos de ódio que não têm motivo de ser. É justamente este defeito que frequentemente torna inimigas pessoas que, antes, eram amigas do peito. Se este mal está universalmente difuso, se este vício está vivo e forte em muitos, é justamente porque encontra, quase em todos, ouvidos complacentes” (São Jerônimo, Carta IV, 148, 16).
          “Quem tira injustamente a boa fama ao seu próximo, além do pecado que comete, está obrigado à restituição inteira e proporcionada à natureza, qualidade e circunstância da maledicência, porque ninguém pode entrar no céu com os bens alheios, e entre os bens exteriores a fama e a honra são os mais preciosos e os mais caros... A maledicência, afinal, proferida a modo de gracejo, é a mais cruel de todas... Nunca digas: fulano é um bêbado ou ladrão, mesmo que o vejas uma vez embriagar-se ou roubar; seria uma inverdade, porque uma só ação não dá nome às coisas... Noé e Ló embriagaram-se uma vez e nem por isso foi bêbado nenhum dos dois. Nem tão pouco foi São Pedro um blasfemador e sanguinário, porque blasfemou um dia e feriu um homem uma vez. O nome de vicioso ou virtuoso supõe um hábito contraído por muitos atos repetidos do vício ou duma virtude... Todas as coisas aparecem amarelas aos olhos dos achacados de icterícia... A malícia do juízo temerário, dum modo semelhante a esta doença, faz aparecer tudo mau aos olhos dos que a apanharam... Eis aí como devemos julgar do próximo: o melhor possível; e, se uma ação tivesse cem aspectos diferentes, deveríamos encara-la unicamente pelo lado mais belo” (São Francisco de Sales, Filoteia).
        “Se alguém não peca pela língua, esse é perfeito” (Tg 3, 2).
(*) Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney
      
 

Fundação Padre Ibiapina 60 Anos: Dom Fernando é homenageado com diploma de honra – por Patrícia Mirelly


A Fundação Padre Ibiapina, da qual pertencem importantes instituições como a Rádio Educadora do Cariri e o Hospital São Francisco de Assis, ambos localizados na cidade de Crato, chega neste momento ao patamar de sessenta anos, exemplarmente fiel à lição suprema da Sagrada Escritura de trabalhar pela manifestação do Reino de Deus.
O bispo diocesano Dom Fernando Panico, na condição de presidente da referida fundação, foi um dos homenageados na solene cerimônia comemorativa, realizada na noite desta terça-feira, dia 25, no auditório do Colégio Pequeno Príncipe. Uma missa em ação de graças também celebrou a passagem do aniversário da entidade.
O pastor, mostrando grande humildade, rendeu graças pelos seus quinze anos à frente da Diocese de Crato que corresponderam, também, à presidência da fundação. Premiado com diploma de honra ao mérito pelos relevantes serviços prestados, sobretudo, à humanidade sofrida do Cariri, e um quadro do padre Ibiapina, pintado por um artista local, ofereceu a homenagem aos seus colaboradores. “Eu vou recebê-la, mas os destinatários verdadeiros são todas as pessoas que, durante esses sessenta anos, trabalharam e continuam trabalhando pela manifestação do Reino de Deus. Daqui eu levo, antes de tudo, uma sensibilidade humana. Tudo isso é motivo para agradecer. Aqui é uma escola de humanidade”, considerou o bispo.
Dom Fernando presidiu a solene missa em ação de graça pela passagem dos 60 anos da Fundação Padre Ibiapina. Foto: Patrícia Silva)

A noite de homenagens também fez menção ao bispo coadjutor, Dom Gilberto Pastana, a quem Dom Fernando transmitiu confiança e comunhão fraterna, que ele tem sabido aprimorar com sua competência de bom pastor. Dom Newton Holanda Gurgel, bispo emérito, foi, de igual modo, homenageado. Personalidades como a Madre Carmelita Feitosa [responsável pela criação do Colégio Pequeno Príncipe] e o radialista Humberto Cabral [grande voz da Rádio Educadora] também foram lembradas, assim como a Irmã Carmélia [professora do Seminário São José e ilustre colaboradora da Cáritas Diocesana], falecida há pouco mais de um mês. Representando-a, recebeu o diploma a superiora-geral da congregação da qual fazia parte, Irmã Vera Lúcia Alves de Andrade, das Filhas de Santa Teresa de Jesus. Ex-funcionários, bem feitores e colaboradores compartilharam das mesmas honras.
Outro momento comovente deu-se na apresentação musical protagonizada pelas crianças do projeto “Tocando em Frente”, atendido pela Fundação Padre Ibiapina. Os pequenos interpretaram, de forma muito harmoniosa, com a puerilidade que lhes é peculiar, canções como o “Último Pau de Arara”, do saudoso rei do baião, Luiz Gonzaga.
Participaram da cerimônia, na mesa de honra, o gerente executivo da fundação, padre Edimilson Neves, o diretor Armando Lopes Rafael, padre Wesley Barros e o vice-prefeito eleito da cidade de Crato, André Barreto. Após as homenagens, os convidados foram recepcionados nas dependências do Colégio Pequeno Príncipe, onde aconteceu o corte do bolo.
(Dom Gilberto Pastana, bispo coadjutor, também recebeu homenagens. Foto: Patrícia Silva)

Trabalho social
Inspirados no Padre Ibiapina, que, à sua época, soube responder aos apelos da sociedade sofrida, o padre Edimilson Neves, gerente executivo da Fundação, considerou ser difícil pensar a Diocese de Crato sem este ramo social. A Igreja, disse o sacerdote, não pode esquecer que o anúncio do Evangelho consiste no desejo de ajudar as pessoas a ter um futuro melhor, quer no campo da saúde, educação ou social. E eu creio que o grande desafio que a fundação traz é, exatamente, perpetuar os ideias do padre Ibiapina e Dom Vicente [Araújo Matos, instituidor da obra].
Um dos pilares da entidade consiste em promover o intercâmbio social, entre as diversas comunidades, despertando o espírito de ajuda mútua, desenvolver e manter programas de educação ambiental com ênfase na auto-sustentabilidade e desenvolvimento local, além de programas de conscientização e assistenciais aos necessitados das áreas urbanas e rural, principalmente, crianças, adolescentes e idosos.

História
Criada na intenção de contribuir para a região do Cariri e a Diocese de Crato como exemplo e modelo de ação e promoção social, inicialmente com o nome de Casa de Caridade do Crato, a Fundação Padre Ibiapina [sacerdote, cujo trabalho missionário transformou costumes e conceitos, marcando definitivamente a vida dos povos nordestinos na segunda metade do século XIX] é uma entidade de caráter filantrópico registrada no Conselho Nacional de Assistência Social, no Conselho Estadual de Obras Sociais e nos Conselhos Municipais de Assistência Social e da Criança e do Adolescente. Dentre as instituições que a integram, estão a Cáritas Diocesana, a Rádio Educadora do Cariri, os colégios Pequeno Príncipe e Diocesano do Crato, o Hospital São Francisco de Assis e o Centro de Expansão Dom Vicente Araújo Matos.
(Crianças seguram quadros e bandeiras das instituições pertencentes à Fundação. Foto: Patrícia Silva)



Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30