xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 29/09/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 setembro 2016

A porta - Por: Emerson Monteiro

Era uma vez um mestre carpina de nome Pedro que vivia com sua família em pequena povoação do interior sertanejo. Tirava o sustento das artes da madeira, fabricando peças primorosas, admiradas por quem as conhecesse, fama que propiciava constantes trabalhos.

Além de dedicar-se com carinho ao trabalho, mestre Pedro demonstrava profundo interesse pelas coisas religiosas, praticando o bem, zelando pelos semelhantes, orientando, servindo e dando exemplos daquilo no que acreditava.

Certa feita, recebeu em sua morada ilustre caravana de pessoas ligadas ao governo querendo que ele fizesse a porta de templo em construção numa cidade distante. Essa peça deveria merecer cuidados especiais, porquanto a tal igreja representaria agradecimentos ao santo padroeiro pela cura de uma das filhas de homem poderoso.

O artífice aceitou o pedido a ser feito em madeira de lei, a cumprir com folga o projeto da porta bem trabalhada.

Alguns meses se passaram até localizar na floresta um tronco adequado à encomenda. Movimentou pessoas e trouxe para a oficina mogno linheiro e maciço. Outro tempo demorou serrando e planando as tábuas, quando, belo dia, iniciou a montagem, juntando e colando as peças em lastro precioso.

Medidas exatas, acabamento esmerado, polimento e acabamento... Restava cumprir o desenho que imaginara fixar no rosto da madeira, fruto dos detalhes de um sonho do qual acordara no meio da noite cheio de júbilo, com o que só enriqueceria a beleza do artefato encomendado.

A porta do céu deteria características de semelhante perfeição, imaginavam extasiadas as pessoas, querendo ver de perto o efeito magistral conseguido pelo mestre na superfície da madeira.

A essa altura dos desdobramentos, haviam transcorrido três anos. O profissional ultimava os apuros do trabalho, pousado sobre os joelhos e cotovelos, suado, afilando formas milimétricas, quase invisíveis, com estilete afiado a sulcar nas riscas das tábuas, daí resolveu erguer a peça de lado para, pela primeira vez, observa-la na posição vertical.

Ao levantar a porta do chão, no lugar onde ela ficara tanto tempo abriu-se fenda de proporções iguais ao seu tamanho, cratera de fundura ilimitada.

Diante daquilo e face ao impacto do inesperado, mestre Pedro caiu no espaço aberto, sumindo cavidade adentro, sem que ninguém presenciasse o acontecimento.

Fim da tarde e só então os familiares notaram-lhe a ausência. Vieram à oficina procurar por ele. Nada encontraram além da porta confeccionada com esmero e as ferramentas deixadas pelo chão e o mais completo silêncio em volta. Nenhum sinal que fosse do artista, apesar de examinarem toda a redondeza e espalharem a notícia do misterioso desaparecimento.

Alguns contemporâneos do mestre Pedro quiseram admitir, no entanto, que depois daquele dia, sempre nos inícios de noite, sobre a humilde oficina brilhava estrela de cintilações intensas, a clarear por bons momentos os céus da redondeza.

Padre Raimundo Elias lançará livro em Crato

Na próxima 5ª feira, 6 de outubro, padre Raimundo Elias Filho lançará no auditório do Colégio Objetivo o seu livro “Anedotas e suas lições”. A solenidade está marcada para as 19:30 h. Toda a comunidade cratense está convidada para este lançamento.








O direito de nascer – por Dom Fernando Arêas Rifan (*)

                   
        Por determinação da 43ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em 2005, celebra-se, em todo o Brasil, de 1 a 7 de outubro, a Semana Nacional da Vida e no dia 8 de outubro o Dia do Nascituro, ou seja, o Dia pelo direito de nascer. “A Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro são ocasiões para que toda a Igreja continue afirmando sua posição favorável à vida desde o seio materno até o seu fim natural, bem como a dignidade da mulher e a proteção das crianças” (Dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário geral da CNBB). Uma data esquecida, mas que vale a pena recordar. Nascituro, o que está para nascer, é o que todos fomos um dia, no útero de nossa mãe, onde teve início nossa existência, graças a Deus.
        Foi escolhido o dia 8 de outubro, por ser próximo ao dia em que se celebra a Padroeira do Brasil (12 de outubro), cujo título, ao evocar a concepção, lembra o fruto correspondente: Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Mãe de Deus que se fez homem, Jesus Cristo, nascituro em seu seio, que faz João Batista exultar de alegria no ventre de Isabel (Lc 1,39-45).
        A propósito, diante da atual banalização da vida e de opiniões favoráveis ao aborto, defendido por inúmeras pessoas influentes, é importante lembrar que a Igreja compreende as situações difíceis que levam mães a abortar, mas, por uma questão de princípios, defende com firmeza a vida do nascituro, como bem nos ensina S. João Paulo II na Carta Encíclica "Evangelium Vitae" (Sobre Valor e a Inviolabilidade da Vida Humana): “É verdade que, muitas vezes, a opção de abortar reveste para a mãe um caráter dramático e doloroso: a decisão de se desfazer do fruto concebido não é tomada por razões puramente egoístas ou de comodidade, mas porque se quereriam salvaguardar alguns bens importantes como a própria saúde ou um nível de vida digno para os outros membros da família. Às vezes, temem-se para o nascituro condições de existência tais que levam a pensar que seria melhor para ele não nascer. Mas essas e outras razões semelhantes, por mais graves e dramáticas que sejam, nunca podem justificar a supressão deliberada de um ser humano inocente” (n. 58). E, usando da prerrogativa da infalibilidade, o Papa define: “Com a autoridade que Cristo conferiu a Pedro e aos seus sucessores, em comunhão com os Bispos – que de várias e repetidas formas condenaram o aborto e que... apesar de dispersos pelo mundo, afirmaram unânime consenso sobre esta doutrina - declaro que o aborto direto, isto é, querido como fim ou como meio, constitui sempre uma desordem moral grave, enquanto morte deliberada de um ser humano inocente. Tal doutrina está fundada sobre a lei natural e sobre a Palavra de Deus escrita, é transmitida pela tradição da Igreja e ensinada pelo Magistério ordinário e universal” (n. 62).
        Agradeçamos ao Criador pelo dom da vida que nos deu, e renovemos o nosso compromisso de lutar pela vida daqueles que, como nós fomos também, ainda não têm voz, mas que são chamados a um dia agradecerem a Deus por tão grande dom. Lutemos pela vida, contra o aborto.

(*) Bispo da Administração Apostólica São João Maria Vianney de Campos de Goytacazes (RJ)


                                                                                                        

Em Crato, dom Gilberto visita mais duas paróquias da Cidade de Frei Carlos – por Patrícia Silva

Padre Edimilson falando sobre o local onde provavelmente o padre Cícero foi batizado. (Foto: Patrícia Silva)
Hoje, dia 28 de setembro, dom Gilberto continuou seu calendário de visitas aos padres da diocese de Crato. Pela manhã esteve com o pároco da Paróquia Sagrada Família, padre José Josias Gomes Araújo, e a tarde com o pároco da Catedral Nossa Senhora da Penha, padre Francisco Edimilson Neves Ferreira, ambos na cidade de Crato.
Chegando a Paróquia Sagrada Família o bispo foi acolhido por alguns membros da comunidade que elogiaram a dinâmica de visitas de dom Gilberto. “Gostei desse bispo. Achei ele simples no contato com o povo e moderno em sua dinâmica de trabalho”, afirmou Fabiana Eulina Correia, que estava indo trabalhar, mas parou na paróquia para conhecer o bispo coadjutor.
Logo após o padre Josias apresentou a Igreja Matriz, levou o bispo até o túmulo do padre José Adauto de Alencar que foi pároco desta paróquia por vinte e dois anos e faleceu dia vinte e sete de fevereiro de 2016. Como forma de homenageá-lo, padre Adauto foi sepultado dentro da Igreja Sagrada Família. Dom Gilberto ainda conheceu o salão paroquial e a secretaria, sendo em seguida encaminhado para a Capela Nossa Senhora dos Pobres, onde funcionou por muito tempo a Matriz da paróquia.
Dom Gilberto com o padre Josias e alguns membros da comunidade que o acolheram na chegada a paróquia. (Foto: Patrícia Silva)
Já na Igreja Mãe da diocese, a Catedral Nossa Senhora da Penha, a visita foi iniciada com a apresentação dos funcionários e voluntários. Na verdade esta Igreja para o bispo já lhe era familiar, pois foi nela em que ele foi apresentado aos diocesano de Crato como bispo coadjutor de dom Fernando Panico, em 17 de julho. Dom Gilberto também presidiu algumas celebrações na Catedral, mas ainda não havia tido a conversa de aprofundamento sobre a vida do pároco.
Após a apresentação dos funcionários, o Padre Edimilson mostrou ao bispo os detalhes da Catedral, explicando sua importância histórica a começar pela a cadeira episcopal, que segundo ele é a mesma desde o primeiro bispo da diocese, dom Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva. “A Madre Feitosa fala pra gente que esta cadeira era da Capela de Santa Teresa, localizada em frente ao Palácio Episcopal, e o dom Quintino trouxe ela para cá onde está até hoje” disse o padre. O bispo elogiou o formato do móvel em especial os detalhes que tem os apóstolos Pedro e Paulo, baluartes da Igreja Católica, um de cada lado.
Dom Gilberto ainda foi até a pia batismal onde provavelmente o padre Cícero Romão Batista recebeu o sacramento do batismo, passeou pelos altares que arrodeiam a Catedral e fez a experiência que todo romeiro faz ao chegar na Igreja da Sé, que é tirar o papel com um número para verificar na coluna, logo acima de onde fica os papéis, qual a sua frase do dia. A frase do dom Gilberto foi: “Se Deus é por nós quem será contra nós”.

Dom Gilberto passando pela Porta Santa com o padre Edimilson. (Foto: Patrícia Silva)
O bispo conheceu também as capelas do Santíssimo Sacramento e da Ressurreição. Passou pela porta Santa da Misericórdia e conheceu a lojinha da Sé e a secretaria. O momento foi concluído com a conversa particular com o padre Edimilson e a celebração da Santa Missa.


A bênção do otimismo - Por: Emerson Monteiro

Força de largas proporções, o gosto de viver supera todo obstáculo. Vencer as limitações significa ajustar os sentimentos e os pensamentos, e ser feliz acima de tudo. Animar a si e as outras pessoas diante das crises, que são oportunidades de criar novas alternativas. Ponderar o quanto de ânimo existe debaixo das sete capas de viver. Assistir feliz a justiça natural exercendo o seu papel de imperar nos acontecimentos diários. Viver e vencer, norma essencial da existência. Trabalhar o gosto de sorrir e fazer sorrir quem nos observar. Semear o bem, o amor, em todos os quadrantes desse chão dadivoso. Ver tão só o que representar de promissor e correto em temos dos valores mais equilibrados. Esquecer injúrias e limpar a estrada de continuar. Saber o quanto de útil as nossas ações podem ocasionar em nossa história e na história dos semelhantes que andam junto de nós. Amar acima dos apetites da carne. Amar de verdade, com sabedoria, ciência, harmonia. Ser inteligente no real sentido desse termo. Plantar as sementes boas no solo fértil das consciências. Fugir dos vícios qual quem conhecer as normas do bom viver. Pensar positivo, agir positivo, sonhar positivo. Escolher o melhor de ganhar o pão de cada um dos dias. Ser honesto pelo prazer de ser. Elaborar um plano de revelar em si o desejo sadio da felicidade plena. Exercer o exemplo das pessoas melhores, mais agradáveis e amigas. Chegar junto dos que necessitam de testemunho de liderança e falar da fidelidade aos princípios da boa política. Aceitar o  inevitável, porém desenvolver confiança no que há de verdadeiro e simples, cordial e necessário, a modificar os quadros da solidão. Caminhar no tempo quais pessoas vencedoras e dedicadas aos ensinos dos mestres espirituais que indicam o brilho do Sol, clarear as visões de que precisa de luz. Querer amor nos corações, desde hoje e sempre.

Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30