xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 02/02/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

02 fevereiro 2016

Coisas da República: Produção industrial brasileira fecha 2015 na maior queda desde 2003, segundo IBGE

Fonte: Estado de Minas
Levantamento mostra que 78,3% dos 805 produtos pesquisados pelo instituto tiveram queda de produção entre janeiro e dezembro do ano passado
Autor: Pedro Rocha Franco
A produção industrial brasileira encerrou 2015 com o maior tombo em 12 anos. O recuo de 8,3% é o maior da série histórica iniciada em 2003, segundo o IBGE. Com o recuo registrado em dezembro, o indicador apresentou queda por 22 meses consecutivos no comparativo com igual período do ano anterior.
Por setor, o maior recuo no ano passado foi registrado na indústria de bens de capital (-25,5% entre janeiro e dezembro). Em seguida, está o setor de bens de consumo duráveis (-18,7%). Nenhum dos cinco setores apresentou alta. Segundo o IBGE, 25 dos 26 ramos, 71 dos 79 grupos e 78,3% dos 805 produtos pesquisados apontaram recuo na produção.
Ao se comparar dezembro com novembro, a queda é de 0,7% na séria com ajuste sazonal. É a sétima queda nesse tipo de comparação, a maior sequência de quedas da série histórica. Treze dos vinte e quatro ramos pesquisados tiveram quedas. Os cortes mais significativos foram percebidos nos setores de máquinas e equipamentos (-8,3%), bebidas (-8,4%), metalurgia (-5%) e perfumaria, sabões, produtos de limpeza e higiene pessoal (-3,5%).
Com isso, a indústria está 19,5% abaixo do nível recorde alcançado em junho de 2013.


O Turismo será nossa meta? -- por Pedro Esmeraldo

  
                                                                                                                           Foto: Dihelson Mendonça
Estamos passando por uma fase critica. Tudo é causado por momento de complexidade daqueles que ocupam cargo de direção na gestão pública.
    Durante algum tempo, apareceram políticos desnaturados, querendo assumir o barco da descompostura administrativa. Deixaram o Crato cair na bancarrota que sorrateiramente afligiu toda população.
    Enganaram o povo com palavras inócuas e atoleimadas. Não o conduziram o uso da palavra para praticar o bom desempenho, a fim de realizar a representação da grandeza e dos atributos que determinam à essência de algo que seja útil a humanidade. Por isso, temos de atribuir as boas qualidades dos produtos.
    Se folhearmos as páginas da economia do Crato, nada disso é enfrentado com dinamismo.
    Muitos dos executivos não souberam aproveitar o rebote e não acompanharam o serviço com autenticidade, vez que praticaram o péssimo desempenho, talvez movidos pela incompetência. Não puderam acompanhar com bons olhos o desenvolvimento. Não tiveram a prática de boas ações e só lutavam para si, e muitos tomavam a decisão: toma lá da cá.
    As grandes falhas aconteceram. Não desejavam estimular o progresso.
    Nesse caso, não devemos admitir a presença de certas pessoas que não dominam a acidez de uma administração com seriedade, com dimensão que causa indignidade, e não favoreciam a ampliação do crescimento e a melhoria de produção no campo agrícola.
    Não souberam embarcar com utilidade no veículo da administração. Só trabalhavam utilizando a vantagem e se elevam com satisfação em torno deles. Não lutavam com afinco para conseguir melhorar as boas qualidades de serviço e não conseguiam almejar boas perspectivas.
    Por essa maneira, estamos sofrendo há muito tempo, caído no declínio politico, perdendo as oportunidades e o desejo de crescer. Não temos tecnologia, não fomos favorecidos pelas benesses governamentais para que tenhamos ânsia de realçar os méritos para adquirir bens à custa de nossas forças de trabalho, infraestrutura que nos tornarão dignos de merecimentos para acompanhar o desenvolvimento moderno e tecnológico.
    Com fé, subiremos as montanhas, mostrando que somos fortes e que possuiremos alegria de progredir, mesmo com sacrifício e com dignidade.
    Por isso, levantemos as mãos para o céu, pedindo a Deus força, vigor e coragem de agir, tentando movimentar o trabalho sério para implantar aqui uma indústria de turismo que faria o bem a toda população com a criação de empregos e rendas.
    Enfim, esses políticos não observam o bom comportamento. Não sabem enfrentar outra coisa senão praticar o clientelismo.
    Afirmamos que há jeito para tudo, pois temos de agir com efeito positivo. Portanto, precisamos alcançar o poderio de domínio de nossas ações para conseguir com ansiedade e boa aparência um desenvolvimento turístico nesta cidade.
    Há caprichar tudo, pois temos de produzir com palavras positivas, vociferando solicitando às autoridades do estado: olhem para o turismo do Crato. Tentem aproveitar a beleza panorâmica do pé de serra. Vamos movimentar essa atividade, pois seria de melhor valia transformar esse polo da serra do Araripe em obras alvissareiras que serão presenteando o Crato, oferecendo grande extensão de desenvolvimento turístico deste município.
    A ideia é boa, basta querer. Haja boa vontade...


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30