xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 26/01/2016 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

26 janeiro 2016

Fique por Dentro ! - Por Maria Otilia

Hoje foi veiculado nas redes sociais e na televisão, a notícia do fechamento de várias escolas da rede municipal situadas na zona rural do Crato. Daí a necessidade de colocarmos em pauta, o que é realmente a nucleação das escolas, ou melhor, o que seja o planejamento estratégico e reordenamento de redes educativas municipais.
Vale ressaltar que um dos objetivos do PAIC é apoiar os sistemas municipais no planejamento de sua rede de ensino, utilizando como estratégia a nucleação de escolas, visando a otimização dos ambientes de aprendizagem e a melhoria dos processos gerenciais de educação. Infelizmente algumas pessoas responsáveis pela ação, a nível de município desconhecem esta meta ou ainda não compreenderam a seriedade com que deve ser realizado este reordenamento.
Acreditamos que a indignação dos pais e comunidade em geral, no que se refere ao fechamento de algumas escolas, é a falta de diálogo, de informações e até mesmo de pesquisa de opinião a cerca do assunto. É lamentável ouvir  a fala de quem está responsável pela educação municipal de que  faz-se necessário esta intervenção para  redução de gastos. Pelo contrário, reduzir matrículas, reduzir acesso de crianças, principalmente da educação infantil e fundamental I, que é de obrigatoriedade do município, vem contrariar o que está na Constituição  Federal e LDB. 
Percebe-se, na fala dos pais e de alguns educadores , que  este  reordenamento de rede não foi amplamente divulgado, nem discutido  com estas comunidades. Do contrário não estaria sendo tão polêmica esta intervenção da Secretaria Municipal do Crato. Somos sabedores da necessidade de uma nucleação, de reorganização, até porque muitas escolas não tem  as condições básicas mínimas de funcionamento. Mas para que aconteça esta reorganização, faz-se necessário  que uma equipe de educadores competentes, sensíveis  e de bom senso  discutam e elaborem uma proposta para junto as comunidades fazerem as intervenções necessárias,  respeitando os direitos dos educandos, que é o público alvo destas ações.
Neste ano de eleições, nós educadores precisamos rever todas as possibilidades da implantação  urgente no tocante ao desenho de políticas públicas para a educação  da rede municipal do Crato. Precisamos entender que rede de educação pública não é exclusiva do gestor. Pelo contrário, nos pertence até porque os recursos do FUNDEB são oriundos da maioria dos impostos que pagamos. E deve ser de interesse de qualquer cidadão cratense, seja funcionário público ou não. Aqui não está  sendo avaliado o papel de quem gerencia  esta rede, mas de como estão os nossos indicadores de desempenho acadêmico em relação ao SPAECE ( Sistema de Avaliação Permanente), Provinha Brasil, PAIC, etc. Qual  o grau de satisfação dos pais ou responsáveis pelos estudantes no que se refere ao serviço prestado pelas escolas municipais. Bem como a qualidade do transporte escolar e  o nível de padrões básicos de funcionamento destas  escolas.
O Crato precisa sair deste retrocesso  em que se encontra nas diversas áreas, seja da educação, saúde, infraestrutura,cultura,etc.A população precisa se manifestar, mostrar  “a cara”, reivindicar, exigir dos que se dizem nos representar na câmara de vereadores, políticas públicas eficientes e eficazes que venham melhorar a qualidade de vida de todos os munícipes, nas diversas áreas. Ainda  não conseguimos sinalizar nenhuma ação legislativa a nosso favor. A cada dia que passa vivenciamos apenas uma incerteza da concretização de propostas colocadas em pauta  na época das campanhas eleitorais. Acorda Crato !

Outro ano típico - Por: Emerson Monteiro

Olhar o que passou no decorrer deste período anual deixa margem a muitas conclusões de preocupação. Isso tanto na vida nacional quanto no cenário mundial, ambos cheios de contradições e desprezo pela condição humana. Foram dias de investigar as contas das máquinas e somar indiciados com delações premiadas, queda de homens poderosos e suspeita acima de status no decorrer de todo o ano. A política deixa de ser mera máquina de manobras e passa a chão pegajoso, sujeito a revelar crimes inconfessáveis de grandes nomes que até hoje haviam mandado no palco das negociações milionárias com o erário público. O Brasil viveu fase atípica. De uma hora a outra tudo pode acontecer. Quem nunca vive as grades de uma prisão agora pode por de molho a barba, pois próceres importantes se veem detrás das sete chaves da Lei, a somar tentos de um Judiciário efetivo nas suas atitudes, esperança de milhões de brasileiros nesta fase da nossa história.

Já no panorama internacional, os titulares insistiram em domar pela força os mercados de capitais e prevaleceram da hegemonia nesse instante sob o risco de graves transformações na geopolítica mundial. O terrorismo de novo mostra a face cruel e ameaça a tranquilidade de ricas populações em países antes seguros e sólidos. O conflito de árabes e judeus, de preocupante memória, persiste a fazer vítimas e gerar pendências também fora das fronteiras da Ásia Menor.

O clima, depois da corrupção, volta à tona qual fator de sobrevivência das espécies, dentre elas a dos seres humanos. Os estudiosos chegaram a cogitar de que a mão humana jamais abalaria a ordem do Planeta. Porém, na face das mudanças climáticas que avassalam temperaturas, o volume dos oceanos e o regime pluviométrico, ao que tudo indica, exigem providências urgentes e inevitáveis dos donos da riqueza. A utilização dos territórios e a produção de alimentos, além do uso monumental dos combustíveis fósseis, ocasionam conferências e tratados, longe no entanto da sinceridade das práticas corretas nas interpretações razoáveis.

Ainda que seja assim o quadro visto de mais um término das contagens anuais há que se sonhar diferente, menos cinza, mais cores vivas e sadias, porquanto as novas gerações carecem da coerência das sociedades, retrato da civilização que chegou ao novo milênio prenhe da vontade lúcida de cultura de verdades justas e sobranceiras.

Sob o signo do amor maior de Jesus, sempre é momento de lucidez na necessidade de sermos um só rebanho e um só pastor, quando todos viveremos em Paz e construiremos mundo novo e feliz.


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30