xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> A porta - Por: Emerson Monteiro | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 setembro 2016

A porta - Por: Emerson Monteiro

Era uma vez um mestre carpina de nome Pedro que vivia com sua família em pequena povoação do interior sertanejo. Tirava o sustento das artes da madeira, fabricando peças primorosas, admiradas por quem as conhecesse, fama que propiciava constantes trabalhos.

Além de dedicar-se com carinho ao trabalho, mestre Pedro demonstrava profundo interesse pelas coisas religiosas, praticando o bem, zelando pelos semelhantes, orientando, servindo e dando exemplos daquilo no que acreditava.

Certa feita, recebeu em sua morada ilustre caravana de pessoas ligadas ao governo querendo que ele fizesse a porta de templo em construção numa cidade distante. Essa peça deveria merecer cuidados especiais, porquanto a tal igreja representaria agradecimentos ao santo padroeiro pela cura de uma das filhas de homem poderoso.

O artífice aceitou o pedido a ser feito em madeira de lei, a cumprir com folga o projeto da porta bem trabalhada.

Alguns meses se passaram até localizar na floresta um tronco adequado à encomenda. Movimentou pessoas e trouxe para a oficina mogno linheiro e maciço. Outro tempo demorou serrando e planando as tábuas, quando, belo dia, iniciou a montagem, juntando e colando as peças em lastro precioso.

Medidas exatas, acabamento esmerado, polimento e acabamento... Restava cumprir o desenho que imaginara fixar no rosto da madeira, fruto dos detalhes de um sonho do qual acordara no meio da noite cheio de júbilo, com o que só enriqueceria a beleza do artefato encomendado.

A porta do céu deteria características de semelhante perfeição, imaginavam extasiadas as pessoas, querendo ver de perto o efeito magistral conseguido pelo mestre na superfície da madeira.

A essa altura dos desdobramentos, haviam transcorrido três anos. O profissional ultimava os apuros do trabalho, pousado sobre os joelhos e cotovelos, suado, afilando formas milimétricas, quase invisíveis, com estilete afiado a sulcar nas riscas das tábuas, daí resolveu erguer a peça de lado para, pela primeira vez, observa-la na posição vertical.

Ao levantar a porta do chão, no lugar onde ela ficara tanto tempo abriu-se fenda de proporções iguais ao seu tamanho, cratera de fundura ilimitada.

Diante daquilo e face ao impacto do inesperado, mestre Pedro caiu no espaço aberto, sumindo cavidade adentro, sem que ninguém presenciasse o acontecimento.

Fim da tarde e só então os familiares notaram-lhe a ausência. Vieram à oficina procurar por ele. Nada encontraram além da porta confeccionada com esmero e as ferramentas deixadas pelo chão e o mais completo silêncio em volta. Nenhum sinal que fosse do artista, apesar de examinarem toda a redondeza e espalharem a notícia do misterioso desaparecimento.

Alguns contemporâneos do mestre Pedro quiseram admitir, no entanto, que depois daquele dia, sempre nos inícios de noite, sobre a humilde oficina brilhava estrela de cintilações intensas, a clarear por bons momentos os céus da redondeza.

0 comentários:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30