xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> Os enigmas da dor - Por: Emerson Monteiro | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

02 agosto 2016

Os enigmas da dor - Por: Emerson Monteiro

Nem sempre é o que se quer ver, mas o que a verdade quer mostrar. Perante tais pressupostos, ele saiu a caminho da Luz, o emissário da dor. Levava consigo poucos instrumentos, porquanto pesava na bagagem o cilindro de aço bem lacrado onde mantinha a dor acondicionada, seu principal sentido de andar. Acordou cedo e fez estrada. Sempre de olhos fixos nas surpresas das estradas, entrou passo a passo no pavilhão imenso das ruas daquela gente. Sabia, no entanto, que aquela dose de dor que transportava tinha um destinatário certo. E buscou, quase ao estilo dos relojoeiros, dos mergulhadores de pérolas, o dono dela. Jamais erraria contar com isso, achar a pessoa. Perlustrou multidões, atencioso e longe dos outros que pudessem não ser a quem o cilindro destinava.

Até que, então, feito os caçadores das histórias de florestas medievais, lá avista o homem certo bem no lugar certo. O herói da mensagem ali à sua frente. Figura espectral, forte, desenhada nas dobras do pensamento clínico do emissário. Chegou leve, assim ingênuo, indiferente ao que viesse. O protagonista dele se aproximou, costado a descoberto, e fez a pausa suficiente de receber o prêmio. Naquele instante, rápido qual soldado das estrelas, acertou o alvo à frente. Correto semelhante ao voo das aves dos finais de tarde, ferira com precisão o herói da jornada.

Cumprira com justeza a missão destinada só aos eleitos. Realizara o desejo do destino feito máquina inevitável. O destinatário do objeto que transportara com tamanha matemática enfim lhe arquejava aos pés, imagem perfeita da solidão iluminada pelas primeiras réstias do Sol. Um gigante atordoado de lágrimas, olhos esbugalhados e gritos na garganta. Guerreiro fendido pela navalha de todos os metais, sangrou até quase o fim, sem, todavia, rejeitar que devesse haver de viver aquilo. De bom grado abraçou o os estilhaços que ainda vagavam soltos no espaço do coração arrebatado. Reuniu as forças imagináveis e desfrutou o benefício da dor em vórtice de absoluta felicidade.

0 comentários:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31