xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> Verdadeiro Motivo da Queda Canavieira – por Pedro Esmeraldo | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

02 julho 2016

Verdadeiro Motivo da Queda Canavieira – por Pedro Esmeraldo

    Constantemente, sentimos o capricho de estimular com paciência e força propulsora do trabalho honesto que pode se elevar ao plano superior de todo conjunto de ideias, conduzindo ao bom caminho. Portanto, devemos alcançar o segmento estrutural com uma posição de equilíbrio moral.
    Contudo, devemos lembrar que o desenvolvimento deve estar bem preparado a fim de obter com segurança e lutas para alcançar o futuro promissor. Com trabalho, eficiente e forças aguerridas, promovendo o bom combate.
    Para isto é necessário que haja compreensão mútua e atividades fecundas.  Não devemos acomodar-se no tempo e no espaço e nem usar o mau caminho. Caso contrário, não haverá posição estável e o trabalho cairá na bancarrota. O processo de equilíbrio não prosperará se não entrara com evidencia. Com o intuito de alcançar a posição social não se elevará, não sobressairá no inter-relacionamento das circunstancias no controle moderado da distribuição da renda.
    Lembrarmos que a nossa posição canavieira do passado foi o expoente da nossa, economia, mas dava emprego mixuruca ao pessoal do campo. Trazia o desenvolvimento lento das cidades do Cariri. Hoje, essas cidades se encontram na impassividade, sem acompanhar o ritmo progressista, devido à falta de influência das autoridades locais que prejudicavam a modernização da agricultura.
    Infelizmente, fomos esquecidos. Isto causou frigidez ao agricultor caririense que não soube prosperar no avanço tecnológico.
    Muitas e muitas vezes, os agricultores conquistavam empréstimos bancários, “a juros módicos”, pois, se o homem agricultor tivesse conhecimento técnico formaria um melhoramento de qualidade, com a presença de trabalhadores qualificados que se alimentavam com a grandeza do desenvolvimento que traria medidas sóbrias para prosperar o desenvolvimento ético.
    Ficamos alheios aos ensinamentos modernos. Não nos relacionávamos com a presença de pessoas qualificadas e com o desejo de expressar métodos agrícolas que utilizariam as palavras no uso de boas formações aos companheiros. Não tinham especialização em nenhum tipo de serviço agrícola.
    Devemos lembrar que não havia interesse dos agricultores em praticar a melhoria de produtividade e não levava efeito às aplicações das forças produtivas.
    Por isso, ficamos metidos no atraso continuo, causado por pessoas apáticas que não desejavam seguir na marcha para consegui o caminho reto, em direção ao adiantamento, composta por uma agricultura rasteira, sem direção para marchar na rota do desenvolvimento tecnológico.
    Ocorre assim, sem orientação não houve modernização no exercício do bom procedimento e da boa maneira de agir. Permanecemos estagnados no tempo e no espaço.
        Não foi por falta de recursos. Esse atraso foi proveniente da ignorância dos homens do campo, pois não recebiam orientação técnica e nem sabiam manejar o plano elevado do trabalho agrícola. Partiam sempre para o egoísmo. Não havia habilidade alguma para executar planos que favorecessem o bom desempenho na orientação do manejo de trabalho. Não acompanhavam o crescimento acelerado. Por isso o lucro era irrisório, mal dava para pagar com eficiência o trabalhador rural que era sempre ludibriado porque não tinha condição satisfatória, e consideravam-nos de uma maneira geral, um cidadão turrão, porque não sabia controlar as suas ideias e era tratado como um cidadão esquecido na sociedade.
    Não tinham competência para formar uma sociedade cooperativista que seria o sistema econômico social que abrasava a moralidade na base sobre a qual se construía novas atividades formadas por grupo solido.
    Não havia interesse praticar a melhoria de qualidade e levar a efeito as forças produtivas, lutando por uma causa melhor. Não sabiam agir com eficiência e abundancia do sistema econômico de integração do comportamento, sem se elevar na perfeição que seria necessário para o crescimento do desenvolvimento agrícola. Eis ai o motivo do atraso de nossa agricultura moderna.
             

0 comentários:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31