xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> Palavras e apetites - Por: Emerson Monteiro | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

28 março 2016

Palavras e apetites - Por: Emerson Monteiro

O domínio das palavras bem vale arte e sabedoria, a sabedoria clássica, sem ser essa dos conversadores inveterados que levam outros na conversa, demagogos interesseiros da política vulgar dos dias humanos. Controlar o instinto de falar para aproveitar o fôlego, preguiça de agir na coerência abandona o valor das palavras de uso certo na hora própria. Enquanto isto, o silêncio acalma e fortalece. Mas quão difícil preservar a compostura e dizer o verbo justo e crescer com ele.

Nos inícios, a humanidade vivia de imagens e sons guturais, espécie de animais aprendizes do que se seguiria. Imagens visuais, desenhos das presenças do contexto das matas, e repetições dos desejos através de gestos sonoros. Palavras, que é bom, nem de longe, nas quebradas e montanhas.

Depois, esse animal virou gente e passou a utilizar as fragrâncias nos livros e discursos, então nascia o ser sofisticado de projetos, negócios e calendários eleitorais.

Perpassados corredores, vieram de brinde os apetites gozosos da matéria falando mais alto no íntimo bloco do desejo. Instrumento de apego ao chão, o apetite fornece as justificativas de permanecer ligado ao corpo de matéria e requentar o real instante da separação definitiva de tudo que conhece através nas imagens e sons iniciais.

Fanáticos ainda dos afagos da carne viva que transportam, os antropóides deslizam pela pista do tempo esquecidos de levar em conta o que de essencial existe durante a história que constrói.  O tão sonhado princípio da felicidade larga¬, pois, fora do processo de existir, porquanto o tempo não passa, e nós é que passamos. Até criamos o relógio, o calendário, os almanaques, a fim de enganar a nós mesmos.

Diante, destarte, da velocidade do ar que preenche pulmões e do sangue que alimenta o coração, palavras e apetites dominam a teatro das operações, roendo feito lixas amoladas o intervalo estreito de viver entre os dois mundos, o de dentro e de fora, o de fora e de dentro.

0 comentários:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30