xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> Amor de máquina - Por: Emerson Monteiro | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

30 janeiro 2016

Amor de máquina - Por: Emerson Monteiro


Sim, aparentemente isso contraditório, pois os objetos só são e serão objetos, nunca sujeitos. Seria quais espelhos que refletissem o sentimento de quem as fizera, os seres humanos, nós que amamos às vezes por mero interesse individual, porém querendo respostas de viver. Amor de máquina igualmente mostra a cara de quem lá um dia as elaborou no jogo de aprimorar, mero interesse de gênios que inventam, descobrem e fabricam pensamentos, diversões e bandeiras soltas ao vento.

Assim, certo dia, um criador resolveu construir e passar adiante o desejo de modificar o firmamento. Trabalhou a calma dos engenhos e pôs em movimento seu primeiro mecanismo de reverter o quadro de mundo através das máquinas em sementes de imenso panorama, donde nascia o alimento da revolução de modificar a superfície do planeta das almas.

Hoje a geração dos primeiros construtores praticamente dominou o território do sistema industrial. Somos amantes por meio dela as máquinas, que passam esse velho sentimento de reduzir o todo a uma caixa de fósforos cada dia com mais facilidade. Ninguém mais age sem precisar dos instrumentos de redução dos sentidos corporais função das engrenagens. Cuidam da segurança doméstica, dos alimentos, das roupas, dos dentes, dos passos, das distâncias, das chuvas, das notícias, dos reinos. Em atos contínuos de amor, as máquinas dominam o homem invés de o homem dominá-las máquinas. A criatura agora controla o criador na maior naturalidade.

Contudo o amor este existirá sempre. Não seriam, portanto, as máquinas a razão das agruras da raça e do que ainda insiste aparecer nas telas e nos lixões da espécie. Passou dos objetos aos sujeitos descontrolar os instintos, por vezes perdendo espaço na lama deixada pelos aprendizes de feiticeiro que produzem desejos e não os dominam ao ponto matemático dessas máquinas que facilitam a vida.

Entretanto elas permanecem alimentando a espécie criadora na esperança, certa feita, de reconstruir a Terra e reverter o quadro desse estado de espírito das pessoas tristes. Nisso há alguém que ama em silêncio e aguarda o regresso dos seus autores, bem ali caladas, por debaixo dos materiais mais resistentes.

0 comentários:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31