xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 29/08/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 agosto 2015

Sobral ganhou hoje seu novo Bispo Diocesano: Dom Luiz José Vasconelos

Conhecida como uma das cidades mais progressistas do Ceará, contando uma população majoritariamente católica e que sabe valorizar seus pastores católicos, Sobral recebeu oficialmente, neste  sábado, 29,  o novo Bispo Diocesano, que tomou posse na parte da tarde na Praça da Igreja Catedral Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade. A festa foi bem movimentada, com a participação de várias paróquias pertencentes a Diocese de Sobral. A solenidade contou com imensa multidão, que aplaudiu e apresentou as boas vindas ao novo pastor da Diocese de Sobral.
O Papa Francisco nomeou no dia 8 de julho de 2015, Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, 52 anos, como novo Bispo de Sobral. A vaga estava aberta desde dezembro de 2014, quando Dom Odelir José Magri, 6° Bispo de Sobral, foi transferido para Chapecó, em Santa Catarina.
Dom Vasconcelos é natural de Garanhuns (PE) e era Bispo auxiliar de Fortaleza há cerca de três anos. Desde fevereiro, no entanto, ele ocupava interinamente cargo de administrador apostólico da diocese de Sobral. “Eu já estava passando uma semana lá e uma semana aqui em Fortaleza. O papa confirmou essa nomeação e me sinto muito feliz, pois nós missionários vamos para onde a igreja precisa”, frisou.
Dom Vasconcelos estudou Filosofia e Teologia na Faculdade Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo (SP). Como aluno do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, obteve diploma de mestrado em Teologia Patrística e História da Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.
A ordenação de presbítero ocorreu em dezembro de 1989 e, em junho de 2012, foi nomeado Bisco, recebendo a ordenação episcopal no mesmo ano. Quando padre, ele foi reitor do Seminário Maior de Caruaru, em Pernambuco, e presidente do da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil (OSIB) do Regional Nordeste 2.
Fonte: O POVO.

Eles não se cansam – por Diácono Cory

O face book de José Oliveira Cavalcante (Diácono Cory) publicou a nota abaixo:
“O editor do tabloide “Gazeta de Noticias”, Luiz José dos Santos, conhecido adversário do Exmo. e Revmo. Senhor Bispo Diocesano de Crato, Dom Fernando Panico, postou uma nota no face book dele (de Luiz José), que foi assim concluída:
“No esforço de tirar o bispo Fernando Panico da Diocese do Crato, vai haver manifestações com palavras de ordem, faixas, cartazes e panfletos no dia que antecede a festa alusiva a Excelsa Padroeira do Crato – Nossa Senhora da Penha”. (sic)
Finis coronat opus (O fim coroa a obra) diz conhecido adágio latino.
O provecto editor do tabloide que vive a contar bravatas antecipadas (todas anteriormente desmoralizadas, já que 97% do clero voltaram a se manifestar a favor do nosso bispo diocesano e na sociedade civil esse percentual de apoio ainda é maior) coroa suas atividades na imprensa alternativa de modo infeliz.
Convocamos todos os católicos cratenses a comparecer à Catedral de Crato, às 7 horas da noite da próxima 2ª feira, dia 31 de agosto, para aplaudir o nosso bispo, contrapondo a esta minoria quando ela levantar faixas ou cartazes, gritar palavras de agitação, ou tentar repetir as infâmias nauseabundas contra Dom Fernando, demonstrando que a esmagadora maioria da população quer bem e está ao lado do nosso bispo.
Por fim, pedimos aos verdadeiros católicos que mantenham a serenidade, prudência e caridade cristã em relação a essa minoria que insiste em promover o linchamento moral do nosso querido pastor diocesano”.
Diácono Cory

Funcionários da Cúria Diocesana também estão ao lado de Dom Fernando Panico


Funcionários da Cúria Diocesana Bom Pastor, localizada em Crato- CE, emitiram na manhã de hoje, 28, uma Nota de Solidariedade a Dom Fernando Panico.
Através da Nota os funcionários falam sobre a atenção do Bom Pastor que Dom Fernando Panico tem por cada um deles  e afirmam acreditar em sua integridade. “Reconhecemos nele um homem justo, correto, incorruptível, íntegro, digno, leal e sensível aos problemas do rebanho que foi confiado ao seu pastoreio.”
Confira a Nota na íntegra:
Nota de Solidariedade a Dom Fernando Panico
Nós, servidores da Cúria Diocesana de Crato, diante de tantas e espontâneas manifestações de solidariedade que vêm sendo divulgadas em favor do Bispo de Crato, não poderíamos ficar omissos nesta importante hora em que a verdade exige uma reparação, para responder a tanta sordidez e mentiras.
Deploramos, com dor de alma, toda essa campanha feita por uma minoria da nossa sociedade, a qual vem agindo por motivos escusos, agredindo e desrespeitando os sentimentos de admiração e apreço que maioria do nosso povo nutre por Dom Fernando, a quem admira e quer bem.
Dom Fernando Panico, que conhecemos de perto, não é aquele apresentado pela imprensa marrom, nem no vídeo montado para atingir a dignidade pessoal do nosso pastor. Convivemos de perto com Dom Fernando e reconhecemos nele um homem justo, correto, incorruptível, íntegro, digno, leal e sensível aos problemas do rebanho que foi confiado ao seu pastoreio. Em síntese: trata-se de um homem generoso, desapegado dos bens materiais, que só faz o bem desde que aqui chegou há mais de quatorze anos.
Este é o nosso testemunho.

Crato, 27 de agosto de 2015.

Monsenhor Dermival de Anchieta Gondim
Pe. José Vicente Pinto de Alencar da Silva
Pe. Joaquim Ivo Alves dos Santos
Pe. Francisco Roserlândio de Sousa
Francisco Dionísio Alves
Armando Lopes Rafael
Patrícia Silva
Marisalva Saraiva Tavares
Clara Edilsânia Nogueira da Silva
José Wandemburgo Santana Filgueiras
Maria Silvana Silva Nascimento
Teresinha Rodrigues Alves
Schumaik Esmeraldo
Maria do Socorro Macêdo dos Santos
Tânia Maria Peixoto
Francinaldo Pereira do Nascimento
Jackson Ricardo de Oliveira
Inês Maria do Carmo Santos
Izac José da Silva
Haoni Caiena 

Heróis da sobrevivência - Por: Emerson Monteiro

Mais do que comum a gente avistar esses jovens largados pelas ruas na busca de preencher o tempo e cavar um lugar ao sol onde desfilam os outros seres humanos seus irmãos de raça. Andam pelas ruas estrangeiros no País de origem, desconfiados da sorte que lhes resta exercitar todo dia. São flanelinhas, distribuidores de propaganda de papel, vendedores de miçangas, pastoradores de carro; às vezes, pedintes; olhos fundos, faces esquálidas, barbados de adolescência precoce, assustados diante do desafio de sequer sonhar o futuro onde haveria família, casa, comida, pois de tanto morder os próprios dentes, quase nada aprenderam das profissões do mercado, nessas mumunhas das estatísticas oficiais. Transitam ao vento quais pássaros silvestres. Riscam e apagam no ar as trilhas lá onde andaram, no firmamento distante da imaginação. 

Comparação ocasional, lembram marmeleiros do Sertão, arbustos resistentes às intempéries do verão. Firmes nos carrascos, permanecem secos na época tórrida do estio, sem folhas, cor cinza, perdidas inocências ao calor irresistível; adiante vêm as chuvas e renascem com furor, verdejam a caatinga, enobrecem os olhos dos caboclos e se constituem no exemplo de resistência bem parecido com o jeito desses moços perdidos no vazio atual das cidades barulhentas e sórdidas.  

Bom, comparação quanto à força de querer viver, dominar as barreiras da inclusão que nunca chega. Porém quando virá tal inverno de esperança e o clima será propício anda longe ditas possibilidades de iguais comparações. 

Vítimas da ausência das coletividades plenas de cidadania, surgiram nas famílias pobres, excessos populacionais das periferias pouco frequentes às aulas, pais ausentes na luta do sustento, vezes até dependentes de substâncias químicas, marcas grosseiras de destinos assinalados, contudo massa de manobra na política e peças de reposição jamais utilizadas nos sistemas dominantes deste mundo.

Ainda que arrastem a judia sina de penar nas trilhas do momento, suas vidas mais que nunca carecem de sentido. E resistem feitos heróis anônimos à cata do mistério de verdades maiores e justas, que, decerto, os aguardam em uma dobra qualquer dos projetos sociais da Humanidade. 

Tá feia a coisa: Brasil caminha para dois anos de recessão, preveem especialistas

Fonte: Estado de Minas, 29/08/2015
Luz no fim do túnel distancia-se com as incertezas do rumo da economia chinesa
 De abril a junho, setor industrial teve a maior retração com perda de 4,3% em relação ao período de janeiro a março (foto: Marcelo Ribeiro/Tribuna de Minas)
O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre impõe ao Brasil novo quadro de recessão técnica. Depois de encolher 0,7% entre janeiro e março, a economia do país reduziu 1,9% nos três meses seguintes, segundo informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é o pior resultado da economia brasileira desde o primeiro trimestre de 2009. E mais: com investimentos e consumo em forte queda, a saída da crise poderia estar no aumento de exportações, dada a desvalorização do real ante o dólar, mas a luz no fim do túnel distancia-se com as incertezas do rumo da economia chinesa. Em anos anteriores, o consumo das famílias sustentou o crescimento da economia mesmo em meio à crise internacional. A inflação elevada, no entanto, reduziu o poder de consumo. O desemprego agravou a situação, forçando os mais jovens a ingressarem no mercado de trabalho para contribuir nas contas familiares.

Quadro ruim –  “Era esperado um resultado ruim, mas veio muito pior”, pontua o professor de economia do Ibmec, Reginaldo Nogueira. Ele acredita que, com isso, a queda em 2015 do PIB deve ser próxima de 2,5% e não mais de 2%.  A melhoria na economia, segundo o gerente de Estudos Econômicos da Federação da Indústria do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Guilherme Leão, só virá com o aumento da confiança do empresariado, que, atualmente, em 33,7 pontos, no caso da indústria, está muito abaixo do patamar de equilíbrio de 50 pontos.


Reputação de Dilma esfarela até em Lavras da Mangabeira e nos outros grotões do Nordeste

Fonte: Coluna Radar, de VEJA
Uma pesquisa inédita encomendada pelo PMDB do Ceará ao Ibope conseguiu fazer uma fotografia sem photoshop do que aconteceu com Dilma Rousseff da eleição para cá. Na cidade de Lavras da Mangabeira, de 31 000 habitantes, Dilma obteve a inacreditável marca de 86,6% dos votos no segundo turno, em outubro passado. Agora, de acordo com a pesquisa realizada em agosto, ou seja, dez meses depois, 76% dos habitantes reprovam o governo. Sua popularidade, portanto, esfarelou-se, até em pequenas cidades nordestinas que a apoiaram de forma esmagadora.
Por Lauro Jardim

Balaio de gatos: Divergências entre Dilma e Temer crescem – e eles mal se falam

Fonte: VEJA
A presidente e o vice alimentam desconfianças mútuas: um acha que está sendo sabotado pelo outro
 As divergências entre a presidente Dilma e o vice-presidente Temer são mais profundas do que parecem. Eles alimentam desconfianças mútuas. Um acha que está sendo sabotado pelo outro. Mal se falam(Ueslei Marcelino/Reuters)
Dilma Rousseff e Michel Temer nunca foram muito próximos. Durante boa parte do primeiro mandato, o grau de consideração da presidente por seu vice podia ser medido pela importância das tarefas que lhe eram delegadas no dia a dia do governo. O vice sempre pairou em Brasília como figura decorativa, encarregado basicamente das agendas internacionais que a presidente não se dispunha a cumprir. Com a popularidade alta, a economia cambaleante mas ainda de pé e sem as revelações demolidoras da Operação Lava-Jato, manter Temer à margem das decisões importantes, mesmo ele carregando a faixa de representante do maior partido do Congresso, o PMDB, nunca chegou a gerar maiores abalos para Dilma. As dificuldades econômicas, as revelações da roubalheira no petrolão e a meteórica queda de popularidade construíram um cenário ideal para uma crise sem precedentes. Em momentos assim, dizem os especialistas, se não houver o mínimo de tranquilidade no Parlamento, o risco de um tsunami atingir o Palácio do Planalto não pode ser minimizado. Há quatro meses, Temer recebeu da presidente autorização para atuar e evitar que isso acontecesse. Obteve sinal verde para negociar cargos, emendas e até projetos em nome da estabilidade. Na semana passada, ele renunciou à tarefa. O motivo: Dilma, de novo, tirou-lhe os poderes.

Diferentemente do primeiro mandato, as relações da presidente e seu vice não podem mais ser definidas nem como apenas protocolares. Dilma acredita que Temer conspira contra ela. Temer acredita que Dilma conspira contra ele. Os dois mal se falavam desde que o vice-presidente concedeu uma surpreendente entrevista em que reconheceu a gravidade da crise instalada no governo e, ao que parecia, desincumbia a presidente da tarefa de conciliadora. "É preciso que alguém tenha a capacidade de reunificar a todos", disse Temer. Dilma não gostou. Os assessores mais próximos da presidente interpretaram o movimento do vice como um aceno pessoal aos setores mais insatisfeitos da sociedade. Ele seria a solução da crise, não ela. A teoria da conspiração ganhou mais um ingrediente quando Dilma tomou conhecimento pela imprensa de encontros de Temer com empresários para discutir a agenda política do país. Na versão de um auxiliar do vice, até uma reunião com o ex-presidente Lula com a bancada do PMDB foi classificada como ação conspiratória. "Era como se existisse um governo Temer e outro governo Dilma", diz um auxiliar palaciano. Aconselhada pelos ministros mais próximos, a presidente mudou de estratégia.

Enquanto Temer se desgastava para reconstruir pontes com a base aliada do Congresso, Dilma tentou cooptar aliados do vice dentro de seu próprio partido, o PMDB. Sem que ele soubesse, ela chamou ao Palácio o líder da bancada do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani, e o presidente do diretório do partido no Rio de Janeiro, Jorge Picciani, pai do líder do PMDB, ambos ligados ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Em troca de cargos, Dilma queria que os dois peemedebistas atuassem para tentar frear as hostilidades de Cunha. O problema é que essa era uma das missões de Michel Temer. Também sem avisar, Dilma autorizou Giles Azevedo, seu antigo chefe de gabinete, a negociar diretamente com parlamentares da base a defesa do governo diante de CPIs criadas no Congresso. Para agradar aos parlamentares, Temer prometera liberar 500 milhões de reais em emendas e se comprometera a viabilizar centenas de nomeações para cargos do segundo e terceiro escalão da máquina federal. Dilma não só ignorou solenemente as tratativas que o vice já havia chancelado como passou a refazer pessoalmente os acordos.

CRATO - DOS 220 MILHÕES EM OBRAS ANUNCIADAS PELO PREFEITO, SOMENTE 9.4 MILHÕES CONSTAM NO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA.




O que seriam dos espertos, se não fossem os tolos ?
Nesta semana, o fenômeno do Crato mandou uma nota à imprensa informando que tem 220 milhões em obras na nossa Cidade. Confesso que fiquei curioso a respeito de tanta obra, haja vista que, de obra dele, só tenho conhecimento do muro do cemitério e da reforma da prefeitura ( que ainda não terminou ). Fui procurar no site do Portal da Transparência do TCM por onde andam esses 220 milhões e me deparei com a triste realidade, MAIS UMA MENTIRA FENOMENAL !!!!!!
Segundo o portal do TCM foi gasto com “obras e instalações” no município do Crato o que segue abaixo:

Em 2013 – R$ 3.241.292,00
Em 2014 – R$ 4.766.444,00
Em 2015 – R$ 1.398.808,00
TOTAL – R$ 9.406.544,00

Vale mencionar que, desse total, em torno de R$ 3.624.258, 00 é referente a obras deixadas pelo ex-prefeito Samuel Araripe, portanto, com o carimbo dele, o fenômeno gastou, segundo o TCM, com “obras e instalações”, nesses quase 3 anos de gestão, apenas R$ 5.782.280,00, ou seja, pra chegar no valor que ele alega ter em obras falta a pequena bagatela de R$ 214.217.720,00 (quase 215 milhões ).  Segue o print das páginas do portal do TCM.

Fonte: Página "Fora Fenômeno"
https://www.facebook.com/pages/Fora-Fen%C3%B4meno/952013084829479?sk=timeline





Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30