xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 24/08/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

24 agosto 2015

Cenário de crise desafia empreas a investir em inovação, diz presidente da Anpei

TecnologiaeInovacao

A fim de compartilhar experiências bem-sucedidas de inovação e de aproximar empresas inovadoras e instituições científicas e tecnológicas, teve início hoje (24) a 15ª Conferência de Inovação Tecnológica. Organizado pela Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), o evento ocorre até o dia 26 em Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco.

A conferência reúne 142 cases inscritos, número recorde, segundo a própria Anpei. “Discutiremos temas como Big Data [crescimento, disponibilidade e uso exponencial de informações estruturadas ou não], Internet das Coisas [situação em que a internet passa a conectar, além de pessoas, itens usados no dia a dia], cloud computing [armazenamento de dados nas nuvens, em uma infraestrutura externa à empresa], indústria do futuro e competitividade e cooperação entre startups e grandes empresas”, disse o presidente da Anpei, Gerson Valença Pinto.

O cenário atual do país, de diminuição da atividade econômica, é, na opinião do presidente da Anpei, “desafiador” e leva muitas empresas a repensar seus investimentos. Por isso, segundo ele, é necessário evitar que os cortes de recursos comprometam a atividade das empresas e o investimento em inovação. Apesar dessa dificuldade, Valença Pinto acha que essa situação pode trazer oportunidades. "O momento que passamos hoje se traduz em grande oportunidade, na busca por vantagens competitivas para que o Brasil exerça ao máximo seu protagonismo”.

Inovação

A Agência Brasil ouviu durante o evento vários especialistas para falar sobre a importância da inovação no dia a dia da sociedade. Fundador de uma das empresas pioneiras de internet no Brasil – a Isat, que atua na área de tecnologia e educação – Dórian Lacerda Guimarães disse que a relação entre inovação e a evolução da internet trouxe mudanças importantes para o meio social.

“No começo, a gente conectava pessoas. Depois, colocava coisas – no caso, imagens e informações. A gente tinha substantivos na internet. Depois, viemos para a linha de inovação, onde trocamos o substantivo pelo verbo: fazer, comprar, curtir; pedir comida, chamar um táxi. É a inovação da ação. Em seguida, veio a inovação do propósito com o que você faz com o seu verbo e com o seu substantivo”, disse Dórian.

Para o professor Silvio Meira, responsável por inovação e empreendedorismo da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas, inovação não envolve necessariamente tecnologia. Inovar passa também por uma mudança de comportamento no mercado, explicou.  “A gente tem de mudar o que faz, e as pessoas têm de mudar o que elas fazem. E de repente acontece uma mágica de mudança de comportamento global de fornecedores e consumidores."

Para Meira, a maior inovação de todos os tempos são as máquinas programáveis: os computadores. Segundo ele, o computador começou com uma tese, em 1936, e chegou ao formato de hoje. São celulares, smartphones, tablets, PCs, computadores embutidos em carros, portas e televisores. “Essas máquinas programadas, com seu propósito definido por softwares que qualquer um pode escrever, são a invenção mais inovadora de todos os tempos, levada ao mercado em múltiplas formas, e servindo de vetor de uma mudança de comportamento.”

Professor da PUC do Paraná e da UC Berkeley na Califórnia, Marcos Mueller Schlemm disse que é preciso diferenciar inovação, invenção e criatividade. “Para inovar, é preciso criatividade. Significa fazer algo novo; um processo; uma forma de fazer algo novo, ou usar um novo material ou produto e serviço”.
Ele citou como exemplo de algo inovador a invenção de uma dentista, preocupada em diminuir a incidência de bactérias na boca das pessoas. “Ela pediu que cortassem a base de uma colher de sopa para ver se podia raspar a língua. Isso resultou em um aparelho moldado em plástico. É inovação porque não existia. Ela teve uma ideia, criou uma solução, inventou um produto e conseguiu viabilizar usando os materiais adequados. No momento em que é aceito e comprado até em farmácia, tornou-se uma inovação”, afirmou.

Presidente do Conselho de Inovação e Competitividade da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Rodrigo Costa da Rocha Lourdes disse que inovação “é aquilo que proporciona melhoria na vida das pessoas, estando presente na história da humanidade desde o seu início”. De acordo com Rocha, foi por meio dela que a civilização chegou ao atual patamar de progresso, o que resultou também em problemas em questões relativas à sustentabilidade.

“Por isso, precisamos de um novo entendimento do que venha a ser um novo tipo de inovação." Para ele, isso seria a inovação sustentável: "iniciativas e empreendimentos que são lucrativos ao mesmo tempo que melhoram a vida das pessoas, o ambiente, e que concorrem para o bem estar geral".

Agência Brasil

Manifestação na Petrobras pede retomada de refinaria e indústria naval

protestobr

Prefeitos e trabalhadores pedem retomada das obras do Comperj Fernando Frazão/Agência Brasil

Um ato em frente à sede da Petrobras reuniu centenas de pessoas, nesta segunda-feira (24), para reivindicar a conclusão das obras de uma refinaria da estatal, onde originalmente havia sido projetado o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Os manifestantes também pediram a volta de encomendas da companhia a estaleiros do Rio e de Niterói. Tanto as obras do Comperj quanto a paralisação de encomendas de navios e plataformas ocorreram após o prejuízo financeiro da companhia no último ano e as denúncias da Operação Lava Jato.
Participaram da manifestação prefeitos e representantes de 15 municípios que estão sendo atingidos diretamente pela paralisação das encomendas e da decisão de não prosseguir com o Comperj. Uma comissão formada pelos prefeitos de Itaboraí, Helil Cardoso, e de Niterói, Rodrigo Neves, além de deputados e líderes sindicais, foi recebida por funcionários da área técnica da estatal, embora o objetivo fosse uma audiência com o presidente da companhia, Aldemir Bendine.

À saída, o prefeito de Itaboraí protestou pela ausência de Bendine na reuinião. “Nós não estamos satisfeitos, porque não fomos recebidos por quem decide. O Bendine não nos atendeu. Simplesmente botou uma comissão para nos atender”, disse Helil, à saída do prédio. Segundo Helil, existe a expectativa da participação de dois grupos internacionais para terminar de construir o restante da refinaria, estimado em 18%.:“Hoje o que falta é vontade da presidência da Petrobras para que se concluam as obras.”

Rodrigo Neves disse que o movimento deve continuar, para que a economia dos municípios e do estado não sofram mais com a interrupção dos investimentos. Niterói é o principal polo naval do país, abrigando diversos estaleiros, boa parte deles voltada para a construção de plataformas, navios de apoio e petroleiros encomendados pela Petrobras. Segundo Neves, dos 40 mil trabalhadores que esses estaleiros tinham, até dois anos atrás, hoje restam cerca de 20 mil.

“Os dirigentes que nos receberam sinalizaram que, no tocante ao Comperj, haverá a contratação, na próxima semana, de alguns projetos. Quanto à construção naval, ficamos de marcar uma nova reunião, para que possamos ter uma resposta mais conclusiva. [O Bendine não nos atendeu] com a justificativa de que não estava no prédio da Petrobras”, afirmou o prefeito de Niterói.

A Petrobras divulgou nota dizendo que o presidente Bendine havia recebido os prefeitos da região na última quinta-feira (20) e que hoje estiveram na reunião dois representantes da Petrobras ligados aos empreendimentos. Sobre o Comperj, a companhia informou que as obras da unidade de processamento de gás natural estão em andamento, incluindo tubovias, central de água e vapor e sistemas de distribuição de energia, com previsão de entrada em operação em outubro de 2017.

“Quanto ao projeto da Refinaria Trem 1, a Petrobras está estruturando um modelo de negócios, que inclui parcerias para a conclusão do empreendimento. As obras, que não estão paralisadas, seguirão a estratégia definida pelo PGN [Plano de Negócios e Gestão] 2015-2019 e já estão com 85% de avanço físico. Atualmente, encontram-se em atividade cerca de 11.500 trabalhadores, em 21 grandes contratos de construção e montagem”, informou a estatal.

Em sua página na internet, a Petrobras informa que a capacidade de processamento do primeiro trem de refino será 165 mil barris de petróleo por dia. Os principais produtos da refinaria serão óleo diesel, nafta petroquímica, querosene de aviação, coque, GLP (gás de cozinha) e óleo combustível. O projeto original do Comperj previa duas refinarias e unidades petroquímicas, mas o investimento foi suspenso, após o prejuízo registrado pela companhia e por conta das investigações da Operação Lava Jato.

Agência Brasil

Projeto que altera Simples Nacional terá impacto de R$ 11,4 bilhões por ano

dinheiromuito

O projeto de lei que amplia os limites de enquadramento e inclui setores da economia no Simples Nacional deverá ter impacto de R$ 11,43 bilhões por ano para União, estados e municípios, segundo a Receita Federal. Em estudo divulgado hoje (24), o órgão informou que o projeto é incompatível com a Lei de Responsabilidade Fiscal ao não especificar a fonte de recursos que cobrirá a perda de arrecadação.

“Não há a menor possibilidade de concordância com a aprovação do substitutivo ao PLP 25/2007 [projeto que instituiu o Simples Nacional], ressaltando-se que as alterações no Simples Nacional têm trazido reflexos negativos na arrecadação tributária da União, de estados, do Distrito Federal e  de municípios em seu conjunto”, diz o estudo da Receita.

Segundo o Fisco, o governo não pode abrir mão de recursos tributários num ano de ajuste fiscal e de queda na arrecadação. “Deve-se observar a magnitude deste impacto, principalmente, considerando os resultados apresentados na arrecadação nos últimos meses, ou seja, com quedas sistemáticas. Assim, entende-se não ser o momento adequado para propor ajuste que resulte em perda de arrecadação desta ordem”, acrescentou a Receita.

Aprovado há quase dois meses na comissão especial criada para tratar dos novos limites de enquadramento do Simples Nacional, o Projeto de Lei (PL) 25/07 deve ser votado esta semana na Câmara dos Deputados. O texto, que tem quase 30 outras propostas apensadas, aumenta de R$ 360 mil para R$ 900 mil o teto da receita bruta anual para microempresas e amplia de R$ 3,6 milhões para R$ 14,4 milhões o limite para enquadramento de negócios como pequenas empresas. Segundo o Fisco, o novo limite permitiria o enquadramento de 95% das empresas do país ao regime simplificado.

A mudança no Estatuto da Micro e Pequena Empresa inclui ainda os fabricantes artesanais de cervejas especiais e pequenos produtores de cachaças, licores e vinhos no Simples Nacional, também chamado de Supersimples. O regime unifica tributos a partir de uma alíquota diferenciada e menor do que a cobrada das grandes empresas, caracterizando-se como um atrativo para a legalização de pequenos negócios.

Nos moldes atuais, informou a Receita, o Simples Nacional deverá fazer o governo deixar de arrecadar R$ 72,44 bilhões em 2015. O valor foi calculado com base na diferença entre o que a empresa pagaria no regime de lucro presumido e no regime simplificado de tributação.

Em relação aos limites de enquadramento no Simples Nacional, a Receita informou que o Brasil aplica o segundo limite mais alto entre quatro países em desenvolvimento (México, Chile, África do Sul, Argentina) e maior que três países desenvolvidos (Japão, Canadá, Itália). De acordo com o estudo, o limite de R$ 3,6 milhões de faturamento anual equivale a mais que o dobro do limite aplicado ao México e a quase o triplo do praticado no Chile.

Agência Brasil

Greve nas universidades federais vai completar três meses nesta semana

greveuniversidade

Em greve desde o dia 28 de maio, professores e trabalhadores técnico-administrativos de instituições federais de ensino superior aguardam resposta do governo sobre as reivindicações aprensentadas, mas, segundo os sindicatos da categoria, o movimento grevista continua, mesmo com a decisão dos professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) de encerrar a greve na instituição.

A paralisação completará três meses nesta semana. "Estamos em um momento importante de definições", diz o presidente do Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), Paulo Rizzo. Segundo balanço da  entidade, a greve atinge 37 universidades federais e 3 institutos federais.  Rizzo diz que a UFRJ foi a primeira a decidir pelo fim da greve e que isso tem impacto, dado o tamanho da instituição. Mesmo assim, o presidente acredita que a greve será mantida.

Os trabalhadores pedem melhores condições de trabalho e são contra os cortes orçamentários feitos em educação. No total, o contingenciamento feito pelo governo federal chega a aproximadamente R$ 10,6 bilhões no setor. Pedem também a reestruturação da carreira e a valorização de ativos e aposentados.

"Podemos até discutir uma flexibilização da nossa proposta, mas se é uma negociação, demanda que o governo responda a nossa pauta", diz o coordenador-geral da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), Rogério Marzola.

"Têm sido recorrentes os cortes de energia elétrica. As instituições não estão conseguindo sequer bancar as contas mais básicas", diz. Os técnicos estão parados, segundo a Fasubra, em 62 instituições.

O Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) aderiu à greve há 43 dias. A entidade representa tanto os professores quanto os trabalhadores técnico administrativos dos institutos federais. Segundo o sindicato, a paralisação atinge 240 escolas em 25 estados.
"O plano de expansão do governo está parado e a precarização está avançando. Os institutos, assim como as universidades estão fazendo sorteio de que conta vão pagar no fim do mês", diz o coordenador geral do Sinasefe, Carlos Magno.

Os trabalhadores negociam benefícios e a questão salarial com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, junto dos demais servidores do Executivo. As reuniões ocorrem desde março. No final de junho, o governo apresentou uma proposta de reajuste aquém da demandada pelos servidores, que foi rejeitada por unamidade. Sobre a previsão de apresentação de uma nova proposta, a pasta diz que ainda não há definição sobre o assunto. 

As entidades também se reúnem com o Ministério da Educação (MEC). Em nota divulgada na última sexta-feira (21), o MEC diz que o esforço do governo federal tem sido "incansável para garantir o diálogo contínuo e a solução para a greve". Diz ainda que a greve dos servidores federais preocupa muito, principalmente por conta dos alunos que estão sem aulas. "O MEC e o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão têm trabalhado em conjunto para reestabelecer a atividade acadêmica", diz a nota.

Agência Brasil|

Dólar ultrapassa R$ 3,55 e fecha no maior valor em mais de 12 anos

dolar1

“Em um dia de turbulência nos mercados internacionais, a moeda norte-americana ultrapassou R$ 3,55 e fechou no maior valor em mais de 12 anos. O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (24) vendido a R$ 3,553, com alta de R$ 0,056 (1,61%). A cotação fechou no maior valor desde 5 de março de 2003 (R$ 3,555).

Durante toda a sessão, a divisa operou em alta. Na máxima do dia, por volta das 10h40, o dólar chegou a ser vendido a R$ 3,57, mas o ritmo de aumento diminuiu nas horas seguintes. A moeda norte-americana acumula alta de 3,7% em agosto e de 33,62% em 2015.

O mercado financeiro mundial passou por grande inquietação relacionada às incertezas em relação à robustez da economia chinesa e às perspetivas de crescimento da economia mundial. A bolsa de Xangai encerrou a sessão de hoje com perda de 8,49%, a maior queda em oito anos. A bolsa de Shenzhen, segunda praça financeira da China, caiu mais de 7%.

As bolsas europeias, dos Estados Unidos e da América Latina acabaram por ser arrastadas e sofreram também perdas acentuadas, atingindo valores mínimos dos últimos anos. No Brasil, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, atingiu a menor pontuação desde abril de 2009.

A cotação de matérias-primas, principalmente o preço do petróleo, está em queda acentuada. Segundo analistas, a incerteza em torno da China pode levar o Federal Reserve, Banco Central norte-americano, a adiar uma subida das taxas de juros nos Estados Unidos, que poderia ocorrer em setembro.”

(Agência Brasil)

TCU dá mais 15 dias para explicações do governo federal

tcu-tribunal-contas-uniao

“O governou federal pediu um novo prazo de 15 dias para explicar os dois pontos adicionais questionados pelo Ministério Público de Contas junto ao Tribunal de Contas da União (TCU). A informação foi dada pelo ministro relator do processo, Augusto Nardes, em entrevista na tarde desta segunda-feira. “O fato novo é que o governo pediu um prazo de mais 15 dias. Tomei conhecimento disso agora e devo tomar a decisão entre hoje e amanhã”, disse Nardes, antes de dar uma palestra na Associação Comercial de São Paulo.
No dia 17 de junho, o TCU havia dado um prazo de 30 dias para o governo explicar as 13 irregularidades encontradas pelos técnicos do tribunal nas contas do governo de 2014. As explicações foram entregues em 22 de julho. Com isso, o julgamento do processo passaria para o final de agosto. Contudo, em 12 de agosto, depois de uma articulação do governo com o presidente do Senado, Renan Calheiros, um novo prazo foi conseguido.

O movimento inicial foi a aliança com o presidente do Senado, selada com um ‘pacto anticrise’ sugerido pelo próprio Renan e acatado pelo Executivo a toque de caixa. O autor do requerimento que pede explicações sobre os pontos adicionais foi o senador Otto Alencar (PSD-BA), um dos poucos remanescentes da base aliada e ex-vice-governador da Bahia na gestão de Jaques Wagner (PT).

O que parecia comportamento diligente por parte do parlamentar era, na verdade, uma forma de viabilizar um prazo maior para o julgamento. O governo temia que se as contas fossem julgadas no furor das semanas próximas às manifestações de 16 de agosto, a pressão por impeachment inviabilizaria a tentativa de reconquistar ao menos parte da base aliada.

O TCU aceitou o pedido do senador de rever novas irregularidades e deu novo prazo de 15 dias para que o governo se explicasse. Isso significa que um novo documento deveria ser entregue na sexta-feira. Se o pedido de adiamento for acatado pelo ministro, o novo prazo de entrega passa para 14 de setembro.

As duas novas questões levantadas pelo Ministério Público de Contas são a edição de decretos presidenciais de aberta de crédito suplementar pelo Ministério do Trabalho e as omissões sobre financiamentos concedidos a grandes empresas. No total, segundo Nardes, essas irregularidades somariam 26 bilhões de reais em decretos que foram feitos sem autorização do Congresso. No total, as irregularidades das contas do governo Dilma no ano de 2014 teriam somado 104 bilhões de reais, segundo estimativas do próprio TCU.
Em entrevista coletiva, o ministro sinalizou que pode não aceitar novo adiamento, ainda que a decisão seja feita em colegiado. Segundo Nardes, o prazo dado até agora, de 45 dias, é “bastante elástico”.

(Veja Online)

Seminário +TICeará debate programa unificado de ações de Tecnologia da Informação

TI_Ceara

"É necessária uma ação conjugada entre governo, empresas e universidades com vistas ao alcance de um modelo que desenvolva, de forma plena, o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ceará". O pronunciamento é do secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará, Inácio Arruda, e foi feito durante a abertura do Seminário +TICeará – Conhecimento, Oportunidades e Desenvolvimento, na manhã desta segunda-feira (24), na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará.

A solenidade de abertura contou com nomes de grande representatividade para o setor, além de autoridades, empresários e comunidade acadêmica, em um auditório com cerca de 500 pessoas. O deputado estadual Carlos Felipe, presidente da Comissão de C&T da Assembleia, enfatizou que é preciso mais que o avanço da TIC: é necessário torná-la acessível a todos os cearenses. O parlamentar reconheceu ainda a grande contribuição que o Governo do Estado tem dado para o desenvolvimento deste setor.

Já o presidente da Comissão de C&T da Prefeitura de Fortaleza, vereador Evaldo Lima, destacou a importância do “debate qualificado” que marcará a realização do evento, colocando a Câmara à disposição para colocar em práticas as propostas advindas do Seminário.

O secretário adjunto da SDE, Cláudio Lima, destacou a necessidade de um trabalho conjunto entre diversos atores da cadeia de TIC. “Estamos no estágio em que a Ciência e a Tecnologia são dominantes no processo de desenvolvimento. Por isso, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior vão trabalhar cada vez mais juntas, porque é esse é o caminho para alcançarmos o desenvolvimento econômico e social”.

O secretário Inácio Arruda enfatizou que o Ceará já possui uma base para o setor, mas que ainda precisa ser melhorado. "A TIC está agarrada com o desenvolvimento. Queremos criar o melhor ambiente para a TIC e quem ajuda nisso são as empresas, o governo e as universidades. Vamos tratar bem as nossas empresas e também acolher bem as que vêm de fora. Não há nenhuma grande empresa que não esteja olhando para o Ceará!", frisou.

Há no Estado cerca de mil empresas dedicadas exclusivamente à TIC com bom rendimento. Destas, 10 já faturam mais de R$ 500 milhões. Mesmo assim, há muitos entraves que barram o desenvolvimento da área no Estado e que serão discutidos no evento. A ideia é formalizar um programa unificado e integrado de ações e políticas públicas de TIC para o Ceará.

Estiveram presentes na abertura do Seminário +TICeará o reitor da Universidade Estadual do Ceará, Jackson Sampaio, representando no ato os reitores das universidades cearenses; Robson Castro, secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Fortaleza; Adalberto de Paula Pessoa, Presidente da Empresa de Tecnologia de Informação do Ceará (Etice), Tarcísio Pequeno, Presidente da Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação da Prefeitura de Fortaleza (Citinova); Francisco Magalhães, presidente da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará; Márcio Braga, presidente da Câmara Setorial de TIC da Agência de Desenvolvimento do Ceará; e Maurício Brito, presidente da Assespro/Seitac. O Coral e a Camerata da Escola Estadual de Educação Profissional Presidente Roosevelt reproduziram diversos clássicos da música nacional e internacional durante o início do evento.

Painel apresenta incentivos

Os incentivos e os impactos das políticas públicas em Tecnologia da Informação e Comunicação foram debatidos durante o Seminário +TICeará: Conhecimento, Oportunidades e Desenvolvimento. O assunto fez parte do primeiro painel realizado na manhã desta segunda-feira (24), na Assembleia Legislativa do Ceará.

O painel, moderado pelo secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda, contou com a participação do diretor do CTI Renato Archer, Victor Mammanna; do diretor da Angola Cables, Antonio Nunes; do presidente da Etice, Adalberto de Paula Pessoa; do presidente da Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova), Tarcísio Pequeno; do presidente da Câmara Setorial de TIC da Adece, Márcio Braga.

Um dos aspectos abordados no Painel foi a infraestrutura do Estado para o desenvolvimento da TI. O diretor da Angola Cables, Antonio Nunes, empresa líder em circuitos de voz e dados por cabos submarinos de fibra óptica, cuja chegada ao Ceará foi anunciada recentemente, disse que a "escolha de Fortaleza como uma das bases da empresa deve-se não só aos fatores geográficos privilegiados, mas pelo potencial humano para a criação de sistemas de informação".

A empresa investe R$ 92 milhões para a construção da infraestrutura técnica de telecomunicações que ligará Fortaleza e Angola criando um polo intercontinental de transmissão de ligações submarinas, com 6.165 km de fibras óticas.

Fortaleza também receberá um data center através de parceria firmada em julho entre a empresa e a Prefeitura Municipal de Fortaleza que cedeu terreno na Praia do Futuro para construção do empreendimento.

Autonomia e segurança nas ligações, abertura de nova via de exportação dos conteúdos digitais produzidos no Ceará para os mercados Africano, Asiático e Europeu e tornar Fortaleza uma das alternativas na América do Sul para o armazenamento de conteúdos digitais, incluindo a capital cearense em um mercado em franco crescimento internacional, são alguns dos benefícios apontados por Antonio Nunes.

O novo polo tecnológico, que será o quinto do Nordeste, e também terá impactos na melhoria da produtividade e da competitividade, na geração de empregos, na criação de novas políticas de desenvolvimento e atração de novas empresas.

Do ponto de vista estrutural, o Cinturão Digital do Ceará também deixa o Ceará em uma posição privilegiada com seus 3.087 km de cabos ópticos, possibilitando o acesso à Internet de qualidade na capital e interior.

O presidente da Etice, Adalberto Pessoa, lembrou ainda que hoje existe uma diversidade maior de serviços e uma necessidade cada vez maior de interação entre o governo e a população. "Hoje, desde a hora que acordamos estamos ligados à TI. O despertador é o próprio celular e já saímos para o dia conectados a vários aplicativos. Estamos mergulhados em um mundo de bits e bytes. Nesse cenário, a TI com certeza é um instrumento de governança e cidadania e desenvolvimento de soluções como o e-Gov, Portal da Transparência, pregões eletrônicos, sistemas de certificação digital, votação eletrônica, dentre outros".

Do ponto de vista da qualificação profissional, o presidente da Citinova, Tarcísio Pequeno, afirmou que mesmo com todo o potencial do Ceará produzimos abaixo da nossa capacidade, embora haja grande interlocução com as grandes empresas internacionais. "Muitas dessas empresas vem porque temos a possibilidade de com a competência do nosso pessoal contribuir com o sucesso delas", avalia.

Encerrando o painel, o presidente da CSTIC, Márcio Braga lembrou que além das quase mil empresas de TI, há uma rede complexa que se movimenta diariamente nas mais diversas instituições e organizações. "A TI não para de evoluir e temos muitos nós a desatar. Sempre podemos avançar e melhorar. Queríamos ter mais demandas para as empresas - e com mais trabalhos, mais empregos; questões tributárias a serem resolvidas, como o ISS cobrado sobre software e a substituição tributária e a evolução de leis", relata.

Para ele, também é preciso trazer mais gente para a Computação. "Falta mão de obra, apesar de termos muitas vagas, salários altos, faltam talentos. Porque? Há alguma coisa errada nisso. Precisamos melhorar a relação universidade-empresa, ter empresas mais inovadoras. Como melhorar esse ecossistema - governo, mercado, profissionais, conhecimento, cidadão?", questiona.

Empresas apresentam potenciais, desafios e demandas

A programação da tarde do Seminário + TICeará, foi aberta pelo painel "Inovação e Desenvolvimento" reuniu representantes de algumas das principais empresas fornecedoras e consumidoras de TI no Ceará.

Participaram do painel, o diretor de sistemas e logística do Grupo Pague Menos, Pedro Praxedes; do gerente de Negócios e TI do Grupo M. Dias Branco, Ricardo Pena Branca; do presidente do Grupo Secrel, Ricardo Liebmann, do diretor da 85 Labs, Igor Ary Juaçaba e do diretor executivo da Secretaria de TI da Unifor, Joaquim Bento Cavalcante Neto.

O moderador da mesa, prof. Antônio Serra, que coordena o Laboratório de Desenvolvimento de Softwares do Instituto Federal do Ceará, disse que o objetivo é discutir como academia, universidades, empresas e startups podem interagir para, de forma conjunta, cooperada e integrada desenvolver mais ainda a TIC no Ceará.

"Além da vocação, o Ceará tem uma série de atrativos que dá uma condição privilegiada para desenvolver essa área. Precisamos saber quais os caminhos para darmos esse salto, de aproveitar esse potencial e fazer diferença no âmbito nacional", frisou.

Cada painelista apresentou um pouco do histórico de sua empresa, os desafios e oportunidades do mercado a partir do ponto de vista dos gestores. Ao final, foi aberto espaço para perguntas e respostas com a plateia.

 

Assessoria de Comunicação da SDE

Primeira-dama do Estado lança Programa Mais Infância Ceará nesta terça-feira

maisinfancia

Estudos comprovam que promover o desenvolvimento infantil é um dos melhores investimentos que a sociedade pode fazer. Com o intuito de proporcionar uma atenção especial voltada para infância, a primeira-dama do Estado e presidente do Comitê Consultivo Intersetorial das Políticas de Desenvolvimento Infantil do Ceará (CPDI), Onélia Maria Leite de Santana, lançará na próxima terça-feira (25), às 15 horas, no Pavilhão de Eventos da Residência Oficial, o Programa Mais Infância Ceará, voltado para desenvolvimento infantil e que beneficiará os 184 municípios cearenses. O evento contará com a presença do governador Camilo Santana, de representantes de entidades ligadas à infância e de autoridades como prefeitos, primeiras-damas, deputados, entre outros.

O Mais Infância Ceará visa fortalecer o diálogo intersetorial, através do CPDI, e do Estado com os municípios; promover a rede de fortalecimento de vínculos familiares; construir e revitalizar espaços públicos adequados ao desenvolvimento infantil e Centros de Educação Infantil; formar profissionais, pais e cuidadores para atuarem e promoverem o desenvolvimento infantil e o fortalecimento de vínculo, além de instalar o Espaço de Desenvolvimento Infantil.

“Trabalhar para as crianças desde a gestação é uma estratégia capaz de interromper o ciclo de pobreza, diminuir a violência, prevenir problemas de saúde e promover o desempenho escolar, ou seja, desenvolver a criança é contribuir para uma sociedade mais justa”, ressaltou Onélia. Idealizado pela primeira-dama, o Programa Mais Infância Ceará foi estruturado a partir de um diagnóstico da situação do Estado na área da infância. Para tomar conhecimento da realidade do Estado, Onélia participou de vários encontros com gestores estaduais e municipais, representantes de entidades que atuam diretamente com a infância, além de visitar instituições governamentais e da sociedade civil com o intuito de traçar estratégias de trabalho.

Serviço

Lançamento do Programa Mais Infância Ceará
Data: 25/08/2015
Horário: 15 horas
Local: Pavilhão de Eventos da Residência Oficial - Rua Deputado Moreira da Rocha, 1221, Meireles

 

Déborah Vanessa
Assessora de Imprensa do Gabinete da Primeira-Dama

Número de fiscalizações em saneamento básico da Arce cresce 12% em comparação a 2014

x-default

A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce) realizou, até o mês de julho de 2015, 56 fiscalizações, abrangendo um total de 37 sedes municipais e 19 distritos cearenses. O número representa acréscimo de 12% no número de fiscalizações em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2014, de janeiro a julho, foram 50 ações fiscalizatórias, assim divididas: 34 cidades e 16 distritos.

Em geral, a metodologia utilizada para o desenvolvimento dos trabalhos compreende inspeções de campo, levantamento e avaliações documentais, obtenção e análise de informações de dados gerais da área técnica e, ainda, identificação e referência de ocorrências operacionais. Feitas as avaliações, a Arce expede relatório sobre o grau de cumprimento dos aspectos que envolvem as atividades, destacando as constatações, recomendações e/ou determinações, em conformidade com as prescrições contantes nas leis, normas e regulamentos específicos.

Os parâmetros de controle e a qualidade da água são definidos pelo Ministério da Saúde, por meio de portaria que especifica os padrões mínimos de potabilidade, além da quantidade e frequência de amostragem para análise. Nesse ponto, são levados em conta a apresentação de turbidez, coliformes totais e cloro residual livre. Segundo os analistas de regulação do setor, “fiscalização técnica é o conjunto de etapas e procedimentos, mediante os quais a Arce verifica o cumprimento de itens relativos ao atendimento comercial da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), aos usuários; produção; tratamento; adução; reservação; distribuição; controle e qualidade da água, assim como coleta; tratamento; disposição final e qualidade do esgoto tratado”. Sempre respeitando os rigores técnicos a que estão submetidos, os técnicos focam as condições operacionais e a qualidade do atendimento, inclusive na área comercial, além de ser observado o aspecto da adequação à gestão ambiental.

Convênio com a PGJ

A Arce assinou, ainda em 2014, convênio de cooperação técnica com a Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) que tem como premissa a viabilização da troca de informações e parceria em ações desenvolvidas pelos setores de regulação da Arce, tanto na Capital quanto nos demais municípios cearenses. No caso, há uma integração das ações de fiscalização dos serviços prestados nas áreas de energia, saneamento básico e transporte intermunicipal de passageiros.

Sobre a iniciativa, os procuradores de justiça Ricardo Machado e Sheila Pitombeira destacam “a importância do papel do Ministério Público em prol da cidadania e suas várias áreas de atuação, como saúde, direito do consumidor e meio ambiente”. Já o conselheiro Fábio Timbó, cita a relevância social do referido convênio de cooperação para unificar as informações e conseguir um resultado mais eficiente para as demandas da população cearense. “A Arce vem procurando realizar um trabalho cada vez melhor e mais integrado com os órgãos públicos, isso somado à transparência nas suas atividades e à busca constante em interagir com o público cearense, socializando as informações”, afirma Timbó.

Respaldada pelo convênio, a Arce já atendeu a duas solicitações do Ministério Público (MP). A primeira, no mês de maio, os fiscais estiveram na cidade de Campos Sales, verificando as condições dos sistemas de água e esgotamento sanitário. Na ocasião, o promotor de Justiça Gleydson Leandro Carneiro Pereira justificou o pedido citando o Artigo 129, II, da Constituição Federal, que diz sobre a necessidade de “zelar pelo efetivo respeito dos poderes públicos e dos serviços de relevância publica”. O Ofício de número 37/2015 requisitava que fosse “realizada visita de técnicos a fim de verificar as condições de abastecimento de água potável e do serviço de esgoto, elaborando ao final o laudo circunstanciado dando conta do atendimento à legislação pertinente”.

O promotor requereu, também, que fosse “procedida uma avaliação técnica da qualidade da água (nos aspectos físicos e odor) distribuída pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), avaliando desde o armazenamento ate o processo de filtragem e distribuição da água”. Já no mês de junho, a Promotoria de Justiça de Barbalha também encaminhou ofício à Agência, solicitando fiscalização nos sistemas de água e esgoto do referido município. A promotora de Justiça Alessandra Magda Ribeiro Monteiro fundamentou o pedido citando a Lei Federal 11.445/07 que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico – como o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações de abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais urbanas.

A Arce

A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará é uma autarquia especial, dotada de autonomia orçamentária, financeira, funcional e administrativa. Foi criada em 30 de dezembro de 1997, por meio da Lei 12.786/97. É missão da Arce “servir à sociedade com transparência, mediando os interesses dos usuários, do Poder Concedente e dos prestadores de serviços públicos delegados, a fim de garantir a excelência desses serviços no Estado do Ceará”. No ambiente em que exerce suas atividades, a Agência está disposta a contribuir, quando necessário, com a formulação de políticas públicas, sempre em sintonia com os reais interesses da população e em harmonia com os elementos da boa governança regulatória.

Os principais objetivos da Agência são promover a estabilidade nas relações entre o Poder Concedente, entidades reguladas e usuários; zelar pela eficiência econômica e técnica dos serviços públicos delegados submetidos à sua competência regulatória; estimular a expansão e a modernização dos serviços delegados, de modo a buscar sua universalização e a melhoria dos padrões de qualidade; trabalhar a livre, ampla e justa competição entre as entidades reguladas, além de corrigir os efeitos da competição imperfeita; e, ainda, fixar regras procedimentais claras, inclusive em relação ao estabelecimento, revisão, reajuste e aprovação de tarifas, que permitam a manutenção do equilíbrio econômico e ­financeiro dos contratos de concessões e termos de permissão de serviços públicos.

Três resoluções dão suporte às atividades da Agência no que se refere ao setor de Saneamento Básico. Resolução no 126/2010, que trata dos procedimentos gerais a serem adotados com relação às reclamações dos usuários dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário; Resolução no 130/2010, que se refere às condições gerais na prestação e utilização desses serviços; e a Resolução 147/2010 que especifica as sanções administrativas e penalidades aplicáveis à Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), em razão de infrações aos direitos dos usuários.

 

Assessoria de Imprensa da ARCE

Uece recebe pedidos de Isenção da Taxa do Vestibular 2016.1

 

ueceA Universidade Estadual do Ceará (Uece) está recebendo até sexta-feira, 28, os pedidos de isenção da taxa do Vestibular 2016.1 para ingresso nos cursos de graduação da Uece, no 1º semestre de 2016. O formulário eletrônico para solicitação da isenção da taxa deverá ser preenchido somente pela internet, no site da Comissão Executiva do Vestibular (CEV).

Após o preenchimento e impressão do formulário, o requerente deverá entregá-lo, juntamente com a documentação correspondente à categoria na qual se enquadra, na sede CEV, no Campus do Itaperi, para os candidatos de Fortaleza, ou nas sedes das Unidades de Ensino da Uece no Interior do Estado até o dia 31 de agosto.

Edital e inscrições no site da CEV.

Assessoria de Comunicação da Universidade Estadual do Ceará - Uece

85 3101-9605 / 3101-9606

 

Fátima Serpa
Assessora de Imprensa da Universidade Estadual do Ceará (Uece)

Festa da Diversidade Sexual reúne 10 mil pessoas no Crato

diversidade

 

Alegria e descontração marcaram a festa da 12ª Edição da Parada da Diversidade Sexual do Crato. A festa contou a participação de artistas, transformistas e pessoas defensoras aos direitos dos LGBT. Antecedendo a abertura do desfile, o deputado Zé Aílton Brasil (PP), presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Ceará, comandou uma Audiência Pública  que discutiu o tema como "Tratar da luta contra a Homofobia". A Parada da Diversidade Sexual do Crato também fez parte do Programa Ceará Contra a Homofobia", do Governo do Estado, através da Casa Civil e a Coordenadoria da Diversidade LGBT.
A concentração começou às 17 horas em frente ao Detran do Crato. Cerca de uma hora e meia depois, o desfile teve início pelas ruas e avenida do bairro São Miguel em direção à Praça da Reffsa, no Centro da cidade. Segundo a organização do evento, cerca de 10 mil pessoas participaram da festa.

 

A Prefeitura do Crato apoiou a festa distribuindo kits e preservativo, além de ações educativas e de saúde, por meio das secretaria de de Cultura e Saúde.

flavio pinto

Mais de 200 mil crianças sem aula por greve de professores em Gaza

200milUma greve de professores e funcionários em Gaza impediu que mais de 200 mil crianças retornassem à escola nesta segunda-feira para primeiro dia de aula.

A Agência das Nações Unidas para Refugiados Palestinos (UNRWS), que emprega grande parte dos professores e pessoal da educação na Faixa de Gaza e depende financeiramente de doações estrangeiras, está sofrendo com a falta de recursos.

O sindicato dos funcionários da UNRWA na Faixa de Gaza, território palestino que atingido fortemente por três guerras em seis anos, um bloqueio israelense e crises econômicas, organizou o protesto diante da sede da agência porque alguns funcionários correm o risco de perder seus empregos devido à falta de financiamento.

Da população de 1,8 milhões em Gaza, cerca de 1,26 milhão é de refugiados, de acordo com dados da ONU. A UNRWA proporciona educação para maior parte das crianças - cerca de 225 mil em 245 escolas.

Dezenas de escolas foram danificadas devido à guerra entre militantes palestinos e Israel no último verão.

A UNRWA, financiada principalmente por Estados membros das Nações Unidas, vem sofrendo corte de gastos por anos.

A agência levantou a possibilidade de atrasar o início do ano letivo e despedir alguns funcionários por um ano devido a falta de contribuições por parte de doadores internacionais.

Novos financiamentos permitiram que a UNRWA congelasse esses planos, mas seus funcionários exigem que a possibilidade seja completamente descartada.

Na Cisjordânia, o outro território palestino, crianças voltaram a estudar em meio a homenagens ao bebê de 18 meses de idade, morto no mês passado junto com seu pai quando sua casa foi bombardeada por supostos judeus extremistas.

AFP

Impostômetro mostra que brasileiro já pagou R$ 1,3 trilhão em tributos em 2015

dinheiropilhaOs brasileiros já pagaram em 2015 um total de R$ 1,3 trilhão em tributos, estima o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). O montante será atingido às 16 horas desta terça-feira, 25, 16 dias antes do que em 2014, quando a mesma arrecadação foi registrada em 10 de setembro.

Segundo cálculos da ACSP, com esse valor é possível construir 27 milhões postos policiais equipados, contratar 97,5 milhões de professores do ensino fundamental por ano, fornecer cestas básicas para toda a população brasileira por 21 meses ou comprar 16 milhões de ambulâncias equipadas.

"O mais preocupante é que, juntamente com essa elevação da carga tributária, poderão vir novos aumentos de impostos, o que pode agravar a situação financeira das empresas e dos consumidores", alerta o presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), Alencar Burti.

O Impostômetro fica localizado na sede da ACSP, no centro da capital paulista, e tem o objetivo de conscientizar e alertar a população sobre o alto valor pago em tributos federais, estaduais e municipais. Pelo portal www.impostometro.com.br é possível levantar os valores que as populações de cada Estado e município brasileiro pagam em tributos e também visualizar o que dá para os governos fazerem com todo o dinheiro arrecadado.

Por André Ítalo Rocha | Estadão Conteúdo

Ibovespa recua 3,03% e fecha na menor cotação desde 2009

ibovespa

Onda de aversão a risco domina mercado global por temores ligados à economia chinesa

Giro financeiro totalizava R$ 8,2 bilhões, acima da média diária do ano de R$ 6,7 bilhões

SÃO PAULO - A Bovespa fechou a segunda-feira com o seu principal índice em queda de 3 por cento e no menor patamar em mais de seis anos, afetado pela onda de aversão a risco nos mercados globais, devido a temores crescentes com a economia chinesa.

O Ibovespa caiu 3,03 por cento, a 44.336 pontos, menor nível desde 8 de abril de 2009. O giro financeiro totalizou 8,2 bilhões de reais, acima da média diária do ano de 6,7 bilhões de reais.

No pior momento, logo após a abertura, o índice de referência do mercado acionário brasileiro desabou 6,50 por cento, caindo abaixo de 43 mil pontos.

A reação na bolsa brasileira acompanhou a redução das perdas nas praças acionárias no exterior, que voltaram a perder fôlego no final do pregão, mas ainda assim fecharam acima das mínimas do dia.

Nos Estados Unidos, o S&P fechou em queda de 3,94 por cento, após recuar mais de 5 por cento no pior momento do dia. Na Europa, o FTSEurofirst 300 recuou 5,44 por cento.

A liquidação de ativos de risco como ações e commodities foi deflagrada por nova queda acentuada nas bolsas chinesas, visto que as medidas do governo para frear a desaceleração da atividade da segunda maior economia do mundo não têm surtido efeito.

O índice da bolsa de Xangai caiu 8,5 por cento.

"Passado o 'modo pânico', a bolsa tende a reagir um pouco conforme os investidores começam a fazer contas", disse o chefe da mesa de renda variável da corretora de um banco estrangeiro em São Paulo, que pediu para não ser identificado.

O quadro político doméstico também esteve no radar, com anúncio de que o governo federal fará uma reforma administrativa que deve incluir a redução de 10 dos 39 ministérios existentes, entre outras medidas.

Também repercutiu a saída do vice-presidente Michel Temer da articulação política do governo, segundo disse à Reuters uma fonte próxima ao setor de articulação do Planalto.

DESTAQUES

Vale - fechou com queda de 7,96 por cento nas preferenciais de classe A, em meio a temores sobre a China, uma vez que uma desaceleração mais forte naquele país tende a impactar negativamente os preços de commodities. Os preços do minério de ferro na China recuaram nesta segunda-feira, com os contratos futuros atingindo limite diário de queda. Na mínima, Vale PNA caiu 11,6 por cento.

Usiminas - caiu mais de 10 por cento, figurando entre as maiores quedas do Ibovespa, também afetada pelas apreensões ligadas à economia chinesa, com relatórios do Itaú BBA e do Credit Suisse negativos sobre o setor siderúrgico. No caso do Itaú BBA, o analista abre sua análise afirmando que boas notícias para as siderúrgicas e mineradoras brasileiras são improváveis por ora. CSN perdeu 7,21 por cento e Gerdau cedeu 7,38 por cento.

Petrobras - encerrou com recuo de 6,51 por cento nas preferenciais em meio ao declínio acentuado dos preços do petróleo no exterior. Na mínima da sessão, a Petrobras PN chegou a recuar mais de 9 por cento.

Itaú Unibanco - também devolveu parte das perdas e fechou o dia em baixa de 1,97 por cento, enquanto o Bradesco encerrou em queda de 1,76 por cento.

TIM Participações - recuou 6,33 por cento, também afetada pela notícia de que a Telefônica Brasil não está mais disposta a fatiar a companhia controlada pela Telecom Italia e mira a Sky, do grupo AT&T, segundo reportagem publicada pelo jornal Valor Econômico nesta segunda-feira.

OI - caiu 9,67 por cento, com o Credit Suisse avaliando, em nota a clientes, que a notícia sobre a Telfônica Brasil também é negativa para a operadora, pois uma potencial compra da empresa não é mencionada. Além disso, o Goldman Sachs cortou previsões e o preço-alvo do ADR (recibo de ação negociado nos EUA) da empresa de 1,60 para 0,60 dólar, citando que a estratégia da empresa de preservar a lucratividade e o caixa no curto prazo vai gerar impacto negativo nos resultados do médio e longo prazos.

Natura - avançou 2,18 por cento e CIA Hering ganhou 1,17 por cento, as únicas ações a fecharem no azul. Ambas estão na lista de papéis difíceis de encontrar para alugar, o que pode amparar a alta das mesmas. No caso da Cia Hering, há também o efeito da notícia recente de que a gestora Gávea Investimentos ampliou para 5,32 por cento sua participação nas ações da varejista.

Reuters

Para você refletir ! -Por Maria Otilia

Os últimos acontecimentos ocorridos na cidade do Crato,  vem requerer de todos nós cratenses, um repensar sobre  alguns assuntos inerentes a política. Não somente uma política partidária, mas  a ausência de políticas públicas  voltadas para  o crescimento  e melhoria nas  diversas  áreas.
Por outro lado é preocupante a posição de alguns  dos que se dizem nos representar, mais especificamente  alguns dos nobres vereadores,  pelo que vem sendo veiculado nas redes sociais, desconhecem o verdadeiro papel de um  político fiel ao seu partido.E que  deveria ter como objetivo  trabalhar pelo  bem da coletividade.
Veja o que diz Karolini Tokaseki sobre fidelidade partidária: “A fidelidade partidária prevê um mecanismo eficaz para sanção de parlamentar que troca de legenda. Destaque-se, ainda, que a questão da fidelidade partidária está intrinsecamente ligada à moralidade dos partidos políticos. Assim, quanto menos infidelidade partidária houver, mais os partidos políticos ficarão fortalecidos, uma vez que sua estrutura permanecerá consolidada e estabilizada, tornando-se a uma democracia mais sólida e amadurecida.
Infelizmente, aqui em nosso município, grande parte dos que foram eleitos desconhecem a verdadeira  filosofia do que é ser  fiel ao seu partido. Pelo contrário, mudam de lado como se estivesse trocando de roupa. Em determinados momentos se dizem pertencer a base aliada. Em outros simplesmente  se posicionam  como oposição. Tornando público que o objetivo realmente não é efetivar as  promessas  de campanha, mas  cada vez fortalecer a aquisição do “poder”. Seja esse poder através de vantagens financeiras, ou de  favorecimentos nas mais diversas dimensões.
Lembramos aqui, o que seja infidelidade partidária: A infidelidade partidária constitui-se no mais serio ato indisciplinar, a perda do mandato pelo parlamentar decorre de ato de infidelidade, José Afonso da Silva (2004, p.405) cita que o ato de indisciplina, ou seja, da infidelidade partidária, se manifesta de dois modos: oposição, por atitude ou pelo voto, a diretrizes legitimamente estabelecidas pelo partido; apoio ostensivo ou disfarçado a candidato de outra agremiação.
É bom ficar de olho bem aberto,todas as pessoas  que tem  a pretensão de concorrer a cargos eletivos.Principalmente ao cargo de gestor municipal. Não confiem nestes  políticos tipo “camaleão” que mudam de lado  de acordo com as suas conveniências.Com certeza não serão bons aliados.Como forma de ilustrar esta temática, posto a fábula sobre Paradópolis. Boa Leitura!



                          FÁBULA
Era uma vez em Paradópolis... Um povo cansado de esperar o cumprimento das promessas feitas pelo seu rei que prometeu melhorar as Vilas do reino, realizando obras que atendessem as necessidades da população. Vendo o ‘tempo’ do monarca se encurtar, o povo ainda mantém a esperança, que seu rei vai abrir a ‘guaiaca’ e gastar a ‘bofunfa’ com seu povo, afinal ele pretende continuar rei, e para isto tem de fazer algo. Foi aí que ele teve uma idéia. Vamos colocar algumas velas nas vilas mais movimentadas, e ladrilhar as vias principais do reino.
Neste momento entra os conselheiros. Mas meu rei, é muito dinheiro, quase não sobra nada.
Diz o rei: Aí que vocês se enganam, pois sobra sim, e ainda garantimos mais um tempo no poder, pois o povo tem memória curta, e vale o que é feito no final e mais algumas moedas no dia define a vitória.
Para a população a idéia foi valida, pois pelo menos serão beneficiados por algumas obras que embelezarão o reino, sem contar que o rei nomeou um obreiro comprometido em trabalhar.
Conselheiros: Mas rei, o senhor sabe que tem alguns mercenários que cobram caro para ajudar o senhor por baixo dos panos e depois ainda agem como se tivessem feito um favor.
Rei: Liga não, do uns ‘carguinhos’ na administração do reino e ficam quietos, senão eu puxo o tapete e cai tudo.
Após a reunião de conselho o rei decide colocar as idéias em prática, tendo o cuidado de realizar as obras bem no final para que ninguém se esqueça.
Já na corte, a maioria dos grão vizirs que fiscalizavam o rei buscavam de toda a forma uma maneira de apoiá-lo, mas alguns queriam mais do que o oferecido devido a ganância, e começaram a ameaçar o rei. Cansado o monarca decide corta a cabeça destes vizirs que sem ter o que fazer começam a exercer o direito supremo de espernear e falar bobeiras, a exemplo do Bobo da corte, que esta sempre na frente sem, porém saber o que fazer.
E assim prossegue a vida em Paradópolis, entra ano, sai ano, e tudo fica na mesma.
Autor desconhecido.

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30