xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 18/08/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

18 agosto 2015

Governo propõe mecanismo para compensar hidrelétricas por déficit de energia

hidroeletricaitaipu

 

A MP estabelece que a conta acumulada em 2015 será assumida pela geradores de energiaDivulgação/Usina Hidrelétrica de Mauá

O governo federal publicou hoje (18) medida provisória (MP) com o objetivo de compensar o déficit na geração das usinas hidrelétricas em função da escassez de chuvas dos últimos anos. Segundo a MP 688, para que não haja repasse de custos ao consumidor, a conta acumulada em 2015 será assumida pelas geradoras de energia, que serão compensadas com prazo adicional de concessão, pelo tempo necessário para amortizar o montante.

Para o futuro, a MP estabelece um mecanismo pelo qual os geradores assumem um risco de 12% da energia contratada. Desse percentual, 7% serão cobertos por um prêmio de risco pago pelos geradores. Segundo o Ministério de Minas e Energia, trata-se de uma espécie de seguro, mediante redução nas tarifas de energia, por meio das contas das bandeiras tarifárias. Outros 5% serão pagos com uma reserva de energia, a ser contratada ou construída pelo gerador. Atualmente, os geradores reconhecem como valor máximo um limite de 5% de risco.

De acordo com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, em entrevista à imprensa para explicar a medida provisória, o mecanismo é optativo. Um dos requisitos para as empresas que decidirem aderir, segundo ele, é abrir mão de ações na Justiça contestando os valores de ajuste do mecanismo de realocação de energia (GSF, na sigla em inglês). Braga informou ainda que o modelo foi discutido ao longo de meses com o setor elétrico. “Estamos dando mais segurança jurídica ao setor, que terá um ambiente com maior previsibilidade”, disse o ministro, que garantiu que o consumidor não será onerado.

A MP 688 prevê, ainda, a realização de leilões para novas hidrelétricas com cobrança de bônus de outorga para a licitação de empreendimentos cujos contratos não foram prorrogados. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) ficará responsável por propor à Presidência da República os parâmetros técnicos e econômicos das licitações dessas concessões. Segundo previsão de Eduardo Braga, a cobrança de bônus deve proporcionar arrecadação de R$ 17 bilhões.

Agência Brasil

Lewandowski diz que aumento de 41,47% para Judiciário foi o acordo possível

 

Lewandowski

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, disse hoje (18) que a proposta de aumento de até 41,47% para os servidores do Judiciário foi o acordo possível com o Ministério do Planejamento.

Na semana passada, durante sessão administrativa, o Supremo definiu em 41,47% a proposta de reajuste para os servidores que será enviada ao Congresso, por meio de projeto de lei. Os ministros também definiram a proposta de aumento de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil para os integrantes da Corte.

Segundo o presidente, o novo projeto foi discutido com os sindicatos e é uma alternativa ao reajuste de até 78,56%, vetado pela presidenta Dilma Rousseff.

“Esse foi o acordo possível dentro desse momento econômico que vivemos. Foi muito estudado pelos técnicos do Planejamento e do Supremo. Conversamos informalmente com várias lideranças sindicais e vários sindicatos. Embora haja vozes contrárias, tenho a sensação, a convicção de que há uma grande maioria de servidores satisfeita com o que foi apresentado alternativamente ao primeiro projeto enviado ao Congresso”, disse o ministro.

Sobre a proposta que aumenta os salários dos ministros para R$ 39,2 mil, Lewandowski afirmou que o reajuste objetiva recompor as perdas inflacionárias. Ao contrário do aumento dos servidores, o reajuste dos ministros não foi discutido com o Ministério do Plenejamento.

"Com relação aos magistrados, apresentamos aos poderes Executivo e Legislativo as perdas salariais que sofremos ao longo dos últimos cinco anos. Claro que eles é que definirão, tendo em conta não só as forças do Orçamento, mas também a conjuntura político-econômica, porque isso é que se faz normalmente.”

A nova proposta para os servidores foi rejeitada pelo sindicato da categoria. Por isso, os servidores querem derrubar o veto da presidenta Dilma Rousseff. No mês passado, a presidenta vetou o projeto de lei aprovado pelo Senado que reajustava os salários dos servidores em até 78,56%. A Presidência da República alegou inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público.

Em busca da derrubada do veto da presidenta, servidores do Judiciário fizeram hoje (18) manifestações em frente ao Congresso Nacional e do Supremo.

Agência Brasil

Cunha anuncia votação final da PEC da maioridade penal para esta quarta-feira

cunha

A votação, em segundo turno, da proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos no caso de crimes hediondos, como estupro e latrocínio, e quando houver homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte, ocorrerá nesta quarta-feira (19), disse hoje (18) o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Para que a matéria pudesse ser discutida hoje, Cunha convocou uma sessão extraordinária, que está sendo realizada neste momento, de modo a esgotar o assunto, já que não houve acordo para reduzir o número de inscritos.  Assim, para amanhã,  a sessão será apenas destinada à votação da PEC.

A proposta, aprovada após votação polêmica no início de julho, é criticada por movimentos sociais e organizações da sociedade civil. O vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e pesquisador da Fundação Getulio Vargas, Renato Sérgio de Lima considera o texto “um erro”. “O problema da segurança pública é muito maior que a maioridade penal. Existe todo um desenho institucional que o Congresso não discute por interesses corporativos e institucionais. Estamos em um momento muito complexo em termos da produção da Câmara. Tenho percebido pressa em votar questões que não estão devidamente maduras. Não é porque demoraram a ser votadas que quer dizer que estão maduras”, disse ele.

O texto aprovado em primeiro turno foi uma emenda apresentada pelos deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e André Moura (PSC-SE), que excluiu da proposta inicialmente rejeitada os crimes de tráfico de drogas, tortura, terrorismo, lesão corporal grave e roubo qualificado.

Pela proposta os jovens de 16 e 17 anos deverão cumprir a pena em estabelecimento separado dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e dos maiores de 18 anos.

Para a aprovação de uma PEC é exigido um quórum mínimo de 3/5 de votos favoráveis do total de membros da Casa, ou seja, o equivalente a 308 votos.

Agência Brasil

Caixa e Banco do Brasil vão socorrer indústria

 

mirianbelchiorveja-550x309

“O governo orientou os bancos públicos a criar alternativas para impedir o aprofundamento da crise na indústria. A saída encontrada pelo Planalto é liberar financiamentos a juros mais baixos e prazos mais longos para socorrer as empresas. A estratégia foi revelada nesta terça-feira pela presidente da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, ao assinar o acordo de empréstimos com “condições especiais” às companhias da cadeia do setor automotivo.

Segundo ela, Caixa e Banco do Brasil vão criar novas linhas para outros setores, seguindo a orientação da presidente Dilma Rousseff de dar condições para estimular a produção no momento de crise. Serão criadas linhas de capital de giro e investimento para os seguintes setores, além do automotivo: alimentos, papel e celulose, química, fármacos, eletroeletrônicos, energia elétrica, telecomunicações, petróleo e gás.

“Os bancos públicos estão trabalhando para dar melhores condições para todas as cadeias produtivas. Vamos reproduzir o modelo do setor automotivo com outros setores. Queremos dar um pouco mais de tranquilidade para este momento de travessia pelo qual o país passa”, disse Miriam.

De acordo com Miriam, as linhas de capital de giro para o setor da construção civil estão “um pouquinho mais adiantadas” devido às discussões para o lançamento da terceira etapa do Minha Casa Minha Vida. A presidente da Caixa disse que se reuniria nesta terça-feira com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) para discutir o tema. Também está agendado um encontro com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Miriam disse que a orientação foi dada pela presidente Dilma Rousseff e o grupo de trabalho que discute as novas linhas é formado por representantes de diversos ministérios, incluindo o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ao ser questionada se Levy concordou com liberação de crédito nesse cenário de juros e inflação elevados, Miriam disse que não houve objeção por parte dele.

Segundo Miriam Belchior, o banco liberará em torno de 5 bilhões de reais até o fim de 2015, em “condições especiais”, às 591 empresas do setor automotivo. A fonte de recursos é própria do banco, do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

O convênio entre o banco estatal e a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) e a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) foi assinado nesta terça-feira, em evento no edifício-sede da Caixa, em Brasília.

Uma das novas linhas permite antecipação de contratos firmados entre o fornecedor e a montadora. O fornecedor pode suprir a necessidade de capital de giro, antecipando os recebíveis. Como tem como garantia o contrato que já firmou com as montadores, os juros são mais baixos. De acordo com o banco, a taxa inicial é de 1,41% ao mês e o prazo varia de acordo com o contrato.

Outro produto disponível aos fornecedores é uma linha para capital de giro com taxas de juros de 0,83% ao mês para as empresas que se comprometerem a se “esforçar” para demitir o menor número de funcionários neste momento de crise. Essa linha serve para as empresas conseguiram cumprir as despesas típicas dos últimos meses do ano, como o pagamento do 13º salário de empregos. O prazo de pagamento é de 60 meses. A Caixa não tem como obrigar as empresas a não dispensarem os funcionários, mas vai condicionar a taxa mais baixa ao “esforço” para que mantenham as vagas”.

(Estadão Conteúdo)

Dia da Fotografia tem comemoração especial no Museu da Imagem e do Som

MIS

O Museu da Imagem e do Som do Ceará (MIS), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, em parceria com o Instituto da Fotografia IFOTO, realiza nesta quarta-feira (19), Dia Mundial da Fotografia, das 18h às 20h, a exibição dos vídeos "Retrato Pintado" e "Câmera Viajante", de Joe Pimentel. A atividade será mediada pelo fotógrafo, professor e pesquisador Silas de Paula e abrirá uma roda de debate sobre a fotografia.

Também nesta data será homenageado o fotógrafo Maurício Albano, falecido em março de 2015, aos 69. A homenagem conta com a exibição do vídeo "Cenas da Vida", que apresenta um pouco deste artista que retratava tão bem as belezas naturais de nossa terra. O momento será mediado pelo também fotógrafo Zé Albano, irmão do homenageado.

O Museu da Imagem e do Som do Ceará é dirigido pelo sociólogo e professor Dilmar Miranda  e possui um acervo de mais de 150 mil objetos, entre livros, vídeos, CDs, DVDs, negativos, entre tantos outros importantes itens que compõem a imagem e o som narrando histórias do Ceará. O acervo é aberto à visitação e pode ser conferido de segunda a sexta-feira, de 9h às 19h, com entrada franca.

SERVIÇO

Dia Mundial da Fotografia

Das 18h às 20h

Exibição dos vídeos: "Retrato Pintado" e "Câmera Viajante", de Joe Pimentel

e "Cenas da Vida"

Participação: Silas de Paula e Zé Albano

Aberto ao público.
MIS - CE: (Av. Barão de Studart, 410 - Meireles).
Entrada franca

Chesf condenada em R$ 2,5 milhões

eletricidade2

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) terá de pagar uma multa de R$ 2,5 milhões pela devastação de 13 sítios arqueológicos no Ceará, por conta da instalação de linhas de transmissão de energia. A decisão da Justiça Federal afirma que os sítios atingidos contém informações importantes sobre a dispersão do grupo indígena Tupi pelo Brasil.

A ação que resultou na sentença foi ajuizada pelo procurador da República Celso Leal, do MPF em Juazeiro do Norte. De acordo com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Chesf não realizou o devido monitoramento arqueológico da obra.

Essa questão foi denunciada pelo Ministério Público Federal desde 2007, início das primeiras tentativas, sem êxito, de acordo entre Iphan e Chesf sobre o valor da indenização.

Danos morais

Além da multa, a Chesf também terá de pagar indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 250 mil. Os recurso da ação devem ser aplicados na ampliação e restauração do Museu dos Inhamuns (R$ 1,4 milhão), R$ 580 mil para a construção do museu em Mauriti e R$ 475 mil para investimentos em pesquisas arqueológicas nas áreas atingidas pela construção da linha.

De acordo com o Iphan, a descoberta da presença de vestígios dos Tupis, portanto do período pré-histórico, atualiza a informação que se tinha de que só os índios cariris haviam ocupado aquela região.

"É necessário compreender que a preservação do patrimônio histórico cultural brasileiro constitui um dever intergeracional, uma vez que o conjunto desses bens traduz nossas raízes, nosso passado, sem qualquer perspectiva meramente estática, pois o conhecimento tradicional agrega elementos para a construção de novos rumos", afirmou o Juiz federal Moisés da Silva.

Ele recomenda a preservação da memória, por meio de estudos prévios para garantir a compreensão da atualidade: "devemos ter ciência de que quando construímos 'algo novo' ou formamos nova compreensão do saber estamos sobre os ombros dos nossos antepassados, que contribuíram a seu modo para o estágio atual do conhecimento, de modo que a memória deve ser preservada como condição para que possamos ter um futuro".

Recursos hídricos

De acordo com relatório do Iphan, seja na forma de acampamentos sazonais ou de assentamentos permanentes, os grupos Tupi adentraram a porção leste da Bacia Sedimentar do Araripe, o vale do Cariri e áreas adjacentes, ocupando terrenos com disponibilidade significativa de recursos hídricos.

Embora tenham sido descobertos indícios destas ocupações também em áreas de semi-aridez acentuada, este ecossistema de semi-aridez branda configura-se, pelo menos até o presente momento, como um dos territórios prediletos nas disputas por melhores sítios de caça.

Diario do Nordeste - Regional

Índices de violência preocupam toda a Região do Cariri

violenciacariri

Juazeiro do Norte. Tarde de domingo. Era para ser apenas mais um momento de descontração e lazer entre os frequentadores de um bar nas proximidades do Estádio Romeirão, quando dois homens se aproximaram em uma motocicleta e abriram fogo contra todos. Na ação, que durou menos de um minuto, um homem morreu e outro ficou ferido. A vítima portava um revólver na cintura. Os atiradores fugiram sem serem identificados.

O primo da vítima, de 33 anos, que ficou ferido relata o momento de tensão vivido no interior daquele estabelecimento comercial. "Todo mundo conversava tranquilamente quando, do nada, começaram os disparos. Cada um correu e se escondeu como pôde. Perdi um amigo e quase meu primo era morto também", lamenta o jovem que pediu para não se identificar temendo represálias.

Na casa de Fernando Damião Coelho, localizada no bairro João Cabral, um dos mais violentos da cidade, dor e silêncio. O jovem, morto com vários tiros, tinha completado 23 anos no último dia 06. Com ele, a Polícia encontrou um revólver. No entanto, familiares não quiserem falar sobre a arma. "Ele já tinha sido preso mas não merecia isso. A dor da gente é grande", limitou-se em dizer a tia do jovem, com passagens por roubo e tráfico de droga.

Na sexta-feira (14/8), outras duas pessoas foram executadas. Ambos os crimes cometidos por homens que trafegavam em motocicletas. As vítimas, de 19 e 29 anos, possuíam passagens pela Polícia. O relato destes três homicídios em apenas três dias, reflete a crescente violência no Município. Em duas semanas, foram 11 crimes, média de quase uma morte por dia (0,78%). O número de casos já supera todo o mês de julho, quando a Polícia registrou sete homicídios em Juazeiro do Norte.

Cariri

Os crimes não estão restritos à maior cidade da região. A insegurança invadiu até cidades menos populosas, outrora consideradas seguras e com baixos índices de violência. Neste fim de semana, as cidades de Jardim e Araripe tiveram homicídios. Ontem, um homem foi morto da cidade de Barro. No entanto, um dos casos de maior repercussão foi a morte do Policial Cícero Soares da Silva, de 34 anos, assassinado durante uma tentativa de assalto em um estabelecimento comercial na cidade de Barbalha.

Cícero foi baleado em 4 de agosto em uma tentativa de assalto a um supermercado localizado na Avenida Coronel João Coelho, Centro de Barbalha. O circuito de segurança do local gravou a ação criminosa. Cícero morreu após ficar dez dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Vicente de Paula (Barbalha).

Dos 26 municípios que compõe ma Área Integrada de Segurança 11 (Região do Cariri), em 14 deles houve, pelo menos, um homicídio no mês passado. Dos 261 assassinatos cometidos em todo o Estado em julho, 22 deles foram no Cariri cearense, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social.

Vítimas

Dos 11 homicídios de agosto, nove vítimas respondiam a algum crime policial. A maioria deles encontrava-se em situação de vulnerabilidade social, com baixa escolaridade e residentes em bairros considerados "violentos". Segundo o psicólogo social e professor universitário Bryan Andrade, "há uma grande fragilidade nos vínculos sociais e, em muitos casos, o Estado falha quanto a medidas protetivas para estes grupos, o que os deixam ainda mais expostos e suscetíveis a crimes".

"Vários fatores empurram o cidadão a essa fragilidade de vínculos, pondo-os em situações vulneráveis, Portanto, não por coincidência, os crimes de homicídios de modo geral são cometidos por pessoas e contra pessoas com alguma ligação já com outros crimes. O Estado falha desde o princípio, em não fornecer educação de qualidade, empregos e etc, e falha também em não conseguir ressocializar o detento de forma eficaz, deixando esses grupos, muitas vezes, em círculos criminosos", explica o psicólogo.

Polícia Militar

Apostando em ações preventivas para diminuir o número de crimes na região, a Polícia Militar tem realizado blitz e rondas ostensivas em locais estratégicos. Somente neste fim de semana, sete armas foram apreendidas, nas cidades de Juazeiro do Norte e Campos Sales. O major Clauber avalia que "o número de crimes é proporcional à quantidade de armas nas ruas".

De acordo com o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, major Paulo Hermann Fernandes, diretrizes operacionais têm sido desenvolvidas no combate à criminalidade na AIS 11 e, em especial, na cidade de Juazeiro do Norte.

"O emprego de diversos tipos de policiamento em locais com maior incidência de delitos tem sido fundamental para a redução dos crimes contra a vida", avalia.

Hermann ressalta a importância "na parceria firmada com os demais órgãos de segurança que atuam na região" e lembra que "nos quatro últimos meses, a AIS 11 reduziu o número de homicídios", muito embora, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, 167 pessoas já foram assassinadas este ano no Cariri.

André Costa
Colaborador

Diario do Nordeste - Regional

Detran de Juazeiro realizará leilão de automóveis apreendidos nesta quinta e sexta-feira

O quarto leilão de veículos apreendidos pelo Detran será realizado nesta quinta-feira (20) e sexta-feira (21), das 10h às 14h, no auditório do Centro de Convenções do Cariri (CE 292 - Avenida Padre Cícero, 4.400 – Bairro Mauriti, Juazeiro do Norte). Os 528 lotes ofertados são de veículos apreendidos na Região do Cariri.
Os lotes são integrados por motocicletas e carros, além de sucata de ambos (somente as peças são aproveitadas, pois não podem mais circular na via pública). Esta é a segunda vez que o Detran realiza leilão de veículos no Cariri, nos últimos 8 anos. O primeiro foi em agosto de 2013. Os interessados poderão visitar os veículos oferecidos na área de exames do Detran, no Distrito Industrial do Cariri até o dia anterior ao leilão: das 9h às 12h e das 14h às 16h30m. Os três leilões anteriores aconteceram em Fortaleza, no pátio da Montenegro Leilões (Rua Ademar Paula, 1000, bairro Esplanada do Castelão).
Os lances podem ser feitos presencialmente ou pela Internet (nesse caso, veja os procedimentos ao acessar a página www.montenegroleiloes.com.br, da empresa vencedora da licitação).

flavio pinto

Izolda Cela comanda reunião do Ceará Pacífico

 

isalda

A reunião ocorreu no Palácio da Abolição.

A governadora do Ceará em exercício, Izolda Cela, comandou nesta terlça-feira (18), uma reunião de trabalho da equipe da coordenação técnica do "Pacto Por Um Ceará Pacífico" com o especialista que vai prestar consultoria para o programa, o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), José Luiz Ratton. Ele foi responsável por implantar o "Pacto pela Vida", que retirou no estado vizinho dos 3 primeiros lugares do ranking da violência no país. O encontro foi acompanhado pelo chefe de gabinete do governador Élcio Batista; o coordenador técnico do Ceará Pacífico e chefe de gabinete da vice-governadora Fernando Oliveira; o coordenador do Laboratório de Estudos da Violência da UFC professor César Barreira, além da equipe da vice-governadoria e da Secretaria de Justiça que desenvolve o programa. "A presença do professor Ratton passando sua experiência para a nossa equipe é fundamental para nortear o trabalho. A meta deste Governo, minha e do governador Camilo, é fazer com os índices de violência no Ceará diminuam e, além disso, garantir ao povo cearense um acesso maior à condição plena de cidadãos", afirmou Izolda.
Na sala de reuniões do Palácio da Abolição, o especialista contou para o grupo como foi feito o planejamento, a definição de metas, a elaboração das ações e o primeiro passo para executar o programa "Pacto Pela Vida" em Pernambuco. "Algumas coisas foram muito importantes para o plano dar certo. A presença constante do governador no acompanhamento de todo o processo, o apoio político da Assembleia Legislativa, o diálogo com a sociedade civil, uma forte interlocução com o Judiciário e o Ministério Público e o entendimento com as forças policiais foram fatores bastante decisivos para o sucesso do trabalho. E eu enxergo que o Ceará está seguindo nesse caminho, o que pode garantir o resultado que tanto esperamos para o Ceará Pacífico", afirmou José Luiz Ratton. Novas reuniões do grupo já estão agendadas para acompanhar o trabalho de implantação da primeira etapa do programa, no bairro Vicente Pinzón, em Fortaleza.
(Governo do Ceará)

IBGE aponta crescimento de 6,2% no setor de serviços

graficos-crescimento-positivo-seta

 

O setor de serviços do Estado do Ceará alcançou crescimento de 6,2% na receita bruta de junho deste ano em relação a igual mês do ano passado, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta terça-feira (18). O resultado mostra um desempenho bem acima da média nacional, que registrou elevação de 2,1% na comparação entre junho de 2015 e 2014.
Para o economista Flávio Ataliba, diretor-presidente do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), o resultado coloca o Estado numa posição bastante vantajosa, principalmente em relação a vizinhos com economia semelhante como Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte, que apresentaram retração na área.
Vale destacar que o setor de serviço tem grande importância na economia cearense, com mais de 73% no PIB total. “A divulgação do PIB do segundo trimestre deste ano, referente aos meses de abril, maio e junho, vai incorporar esses resultados e provavelmente teremos um desempenho importante para o Estado”, enfatizou o diretor do Ipece.
Em sua análise, Flávio Ataliba salientou ainda que com o resultado divulgado pelo IBGE, “percebemos que, principalmente, serviços prestados às famílias e serviços profissionais, tiveram aumento acima de 9%. Claro que na composição existem outros serviços, mas na média, a gente chega a 6,2%”. Para ele, esses dois setores, que cresceram mais de 9%, representam um impacto importante. “Podemos atribuir em grande parte a vocação do Estado a esse segmento e também ao impulso dado nos últimos anos nos investimentos ligados ao turismo, o que provoca impacto em diversos setores correlatos da cadeia produtiva. O rebatimento de todos esses segmentos provocou esse crescimento bastante substancial”, pontuou Flávio.
O presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Ferruccio Feitosa, reforça a análise de que os números positivos têm ligação com a consolidação do Ceará como destino turístico. “Vivemos, hoje, um momento bem diferente no turismo, principalmente depois do sucesso da Copa do Mundo, quando tivemos a oportunidade de divulgar bem todas as potencialidades do Ceará”, aponta Ferruccio.
Ele destaca que o Estado e a capital Fortaleza praticamente “extinguiram” a época de baixa estação turística. “Se fizermos um retrato da ocupação hoteleira percebemos que estamos vivendo o turismo familiar e o turismo de negócios, que deixam, sem sombra de dúvidas, uma série de dividendos para o Estado”.
Cenário Nacional
A média nacional do índice de serviços também foi positiva com crescimento de 2,1%, em comparação com o mês de junho de 2014. Os números superam as taxas dos meses de maio (1,1%) e abril (1,7%). Regionalmente, na comparação de junho com igual mês do ano anterior, as maiores variações positivas foram registradas em Rondônia (15,9%), Alagoas (8,0%) e Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina (todas com 7,4%). As menores variações positivas ocorreram em Pernambuco (0,5%), Goiás (0,7%) e Acre (0,8%). Alguns estados apresentaram retração como; Rio de Janeiro (-5,7%), Paraíba (-4,6%), Amapá (-4,3%), Maranhão (-2,9%), Rio Grande do Norte (-1,5%), Amazonas (-0,6%), Distrito Federal (-0,5%) e Bahia (-0,2%).
(Assessoria de Imprensa da Secretaria do Planejamento e Gestão)

Samuel Araripe confirma informações postadas com exclusividade pelo blog: será candidato em 2016

 

samuel-araripe-prefeito-crato

Como esse blog divulgou em primeira mão ontem (17), o ex-prefeito do Crato, Samuel Araripe deve mesmo ser candidato a prefeito em 2016. "Se meu nome for colocado e escolhido por um grupo, inclusive o grupo de oposição a atual gestão, aceitarei ser lançado", disse Samuel Araripe, em entrevista a uma emissora de rádio de Juazeiro do Norte, nesta terça-feira (18).
O ex-prefeito do Crato tem o apoio dos senadores Tasso Jereissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB). Este último, deve indicar o nome do vice-prefeito para compor a chapa majoritária.
Samuel chegou hoje (18) ao Crato e reafirmou as informações postada pelo blog, que davam conta de que o PSDB vai realizar no dia 10 de setembro, uma grande reunião para filiações e discutir nomes para disputar várias prefeituras no Cariri, em 2016.
Samuel Araripe fez críticas a atual gestor ao afirma que faltou despreparo e administração. "Salários atrasados, secretário de finanças afastado, 52 mandados de busca e apreensão. Nunca o Crato viu tanto erros e desmandos. Os prefeitos que passaram por essa cidade devem estar estarrecidos", criticou.

flavio pinto

Arrecadação cai em julho e tem pior desempenho para o mês em 5 anos

dinheiropilha

No mês passado, arrecadação somou R$ 104,8 bilhões, diz Receita.
Até julho, valor arrecadado totalizou R$ 712 bilhões, queda real de 2,91%.

A arrecadação de impostos e contribuições continuou sofrendo, em julho, os efeitos da crise econômica e do baixo nível de atividade e teve desempenho ruim para o mês - apesar do aumento de vários tributos autorizado no começo deste ano - segundo dados da Secretaria da Receita Federal divulgados nesta terça-feira (18).

Arrecadação em meses de julho

Em R$ bilhões (valores corrigidos pelo IPCA)

<?XML:NAMESPACE PREFIX = "[default] http://www.w3.org/2000/svg" NS = "http://www.w3.org/2000/svg" />97,04117,72109,05110,02108,26104,86Ano 2010Ano 2011Ano 2012Ano 2013Ano 2014Ano 2015050100150

No mês passado, a arrecadação federal somou R$ 104,8 bilhões e, com isso, teve queda real de 3,13% sobre o mesmo mês de 2014. Este foi o pior desempenho, para meses de julho, desde 2010, ou seja, dos últimos cinco anos. O fraco resultado aconteceu apesar do ingresso, no mês passado, do pagamento de R$ 2,3 bilhões pelas empresas relativo ao pagamento de impostos atrasados.

"O comportamento da arrecadação decorre de uma conjugação de fatores, todos eles vinculados à atividade econômica. A forte desaceleração da atividade econômica impactou muito fortemente a arrecadação tributária", declarou o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias.

Segundo ele, alguns tributos têm comportamento muito "aderente" (ligado) ao desempenho do consumo e do comércio varejista, enquanto outros têm comportamento muito próximo ao desempenho da indústria. "E outros à perspectiva de resultados positivos, como o IR e a CSLL. Em um momento de incertezas, isso gera impacto forte sobre o IR e a CSLL", acrescentou o representante do Fisco.

Queda de 2,91% no ano
Já no acumulado dos sete primeiros meses deste ano, informou o Fisco, a arrecadação totalizou R$ 712,07 bilhões – com queda real de 2,91% frente ao mesmo período do ano passado. Este foi o pior resultado, para este período, desde 2010, informou a Receita Federal.

O desempenho ruim da arrecadação, neste ano, foi registrado mesmo com a entrada de R$ 10 bilhões em receitas extraordinárias (débitos em atraso, transferência de ativos entre as empresas e remessas ao exterior em razão da alienação de ativos).

Atividade fraca e desonerações
De acordo com dados da Receita, a arrecadação ainda refletiu, nos sete primeiros meses deste ano, o baixo nível de atividade econômica. Neste período, produção industrial recuou 5,82%, as vendas de bens e serviços caíram 5,67% e o valor em dólar das importações recuou 22,50%, apesar do aumento de 5,44% na massa salarial.

Ao mesmo tempo, o governo também informou que as desonerações de tributos feitas nos últimos anos – parcialmente revertidas no início de 2015, em alguns casos – também geraram queda da arrecadação de janeiro a julho deste ano.

De acordo com a Receita Federal, as reduções de tributos realizadas nos últimos anos tiveram impacto de queda na arrecadação de R$ 62,63 bilhões nos sete primeiros meses de 2015.

Alta de impostos
Apesar das reduções de tributos feitas nos últimos anos, o governo começou a aumentar impostos em 2015. Logo no início deste ano, o governo elevou o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis, que retornou para as chamadas "alíquotas cheias". O carro 1.0, por exemplo, passou a ser tributado em 7% pelo IPI, contra a tributação anterior de 3%. A expectativa do governo é de arrecadar até R$ 5 bilhões a mais neste ano com a medida.

Em 21 de janeiro, a nova equipe econômica subiu o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide nas operações de crédito para o consumidor. A alíquota passou de 1,5% para 3% ao ano (o equivalente à alta de 0,0041% para 0,0082% por dia). Esse valor está sendo cobrado além dos 0,38% que incidem na abertura das operações de crédito. Com essa medida, o governo espera arrecadar R$ 7,38 bilhões neste ano.

Além disso, também já foi elevada, no início de fevereiro, a tributação incidente sobre a gasolina e o diesel. Segundo o Fisco, o impacto do aumento da tributação será de R$ 0,22 para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel. A expectativa do governo é arrecadar R$ 12,18 bilhões com esta medida em 2015.

Desde o início de maio, também está valendo o aumento de tributos sobre cosméticos. Além disso, também já está valendo a alta da tributação sobre produtos importados.

No começo de maio (com impacto na arrecadação somente em junho), o governo adotou um novo modelo de tributação sobre o setor de bebidas frias – que engloba cervejas, refrigerantes, águas, energéticos e isotônicos. De acordo com a Receita Federal, está havendo um aumento médio da tributação dos produtos em cerca de 10%.

Arrecadação por tributos
A Receita Federal informou que o Imposto de Renda arrecadou R$ 202 bilhões com o Imposto de Renda de janeiro a julho deste ano, com queda real de 0,77% sobre o mesmo período do ano passado (R$ 203 bilhões). Os números foram corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

No caso do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), a arrecadação somou R$ 77,95 bilhões de janeiro a julho, com queda real de 9,93% sobre o mesmo período ano anterior.

Sobre o IR das pessoas físicas, o valor arrecadado totalizou R$ 19,27 bilhões na parcial de 2015, com recuo real de 2,18%. Já o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) arrecadou R$ 104,79 bilhões nos primeiros sete meses do ano, com alta real de 7,66% sobre igual período de 2014.

Com relação ao Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), os números do Fisco mostram que o valor arrecadado somou R$ 23,53 bilhões nos sete primeiros meses deste ano, com queda real de 0,41% sobre o mesmo período do ano passado.

No caso do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), houve uma alta real de 10,22%, para R$ 20,32 bilhões, de janeiro a julho deste ano. Neste caso, a arrecadação foi influenciada pela alta do tributo, que já foi recomposto no início deste ano.

A Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins), por sua vez, arrecadou R$ 118,88 bilhões nos sete primeiros meses deste ano, com queda real de 3,18%, enquanto a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) registrou arrecadação de R$ 41,78 bilhões no acumulado de 2015, com recuo real de 8,71%.

Meta fiscal
O fraco comportamento da arrecadação neste ano, apesar do aumento de tributos autorizado pelo governo no começo de 2015, não facilita o cumprimento da meta de superávit primário (a economia para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda) em 2015.

Inicialmente, a meta foi fixada pela equipe econômica em R$ 66,3 bilhões para todo o setor público (governo, estados, municípios e empresas estatais) em 2015. No mês passado, porém, o governo anunciou que a meta foi reduzida para 0,15% do PIB, ou R$ 8,74 bilhões.

Além de aumentar tributos, o governo também atuou na limitação de benefícios sociais, como o seguro-desemprego, o auxílio-doença, o abono salarial e a pensão por morte, medidas já aprovadas pelo Congresso Nacional e sancionadas pela presidente da República. Além disso, também quer elevar tributos sobre a folha de pagamentos - revertendo parcialmente a desoneração autorizada nos últimos anos.

O governo também está atuando do lado da contenção de gastos, principalmente de investimentos. Em maio, foi anunciado um bloqueio de R$ 69,9 bilhões em recursos do orçamento de 2015 e, em julho, a equipe econômica informou que foi autorizado um bloqueio adicional de R$ 8,6 bilhões nos gastos dos ministérios.

Alexandro MartelloDo G1, em Brasília

Câmara aprova projeto que muda correção do FGTS

FGTS-carteira-de-trabalho

Texto prevê reajuste gradual em 4 anos até alcançar rendimento da poupança.
Proposta desagrada governo devido ao impacto nas contas públicas.

 

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (18), em votação simbólica, o projeto de lei que aumenta a correção do saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), equiparando-a ao rendimento da poupança. A proposta é considerada mais um item da “pauta-bomba”, criticada pelo Planalto porque tem impacto nos cofres públicos. A matéria segue agora para o Senado.
Atualmente, o rendimento do FGTS é de 3% mais a Taxa Referencial (TR), que, normalmente, fica perto de 0%. O texto aprovado estabelece que a remuneração do fundo aumente de forma gradual até chegar a cerca de 6%. Na prática, a proposta permite que o dinheiro do trabalhador renda mais.
Pelo texto, no primeiro ano, o FGTS será corrigido em 4% mais TR; no segundo ano, 4,75% mais TR; no terceiro ano, 5,5% mais TR; e no quarto ano, terá as mesmas regras da poupança. A nova taxa, que ainda precisará ser aprovada no Senado, valerá para os depósitos feitos a partir de 2016.
A votação foi concluída minutos após a aprovação do texto-base. Diversas sugestões de mudança no texto principal chegaram a ser apresentadas, mas acabaram retiradas pelos seus autores. Um único destaque, que impedia que fosse realizada qualquer operação que caracterizasse empréstimo ao BNDES, acabou rejeitado.

O Executivo é contrário à proposta por entender que ela pode comprometer os programas habitacionais custeados pelo fundo, como o Minha Casa, Minha Vida. O argumento do governo é que o aumento do rendimento das contas do FGTS obrigará a elevar também os juros nas parcelas cobradas dos beneficiados pelo programa.
Segundo o líder do governo, José Guimarães (PT-CE), a proposta do Palácio do Planalto é que o escalonamento fosse aplicado em oito anos, e não em quatro, para minimizar o impacto dessa correção. Diante disso, ele já adiantou que o governo poderá vetar partes do projeto.
O texto aprovado também fixa que nos próximos quatro anos até 60% do lucro do FGTS seja destinado ao Minha Casa, Minha Vida. O relator do projeto, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que esse percentual irá garantir a manutenção do programa.

Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília

Melbourne eleita a melhor cidade do Mundo para viver

melbourne

A cidade de Melbourne, na Austrália, voltou a ganhar o título de melhor cidade para viver em 2015, noranking da Unidade de Inteligência do The Economist (EIU), que anualmente seleciona os melhores e os piores locais no Mundo.
A lista, que incorpora a estabilidade, serviço de saúde, cultura, ambiente, educação e infraestruturas em 140 cidades, destacou também a cidade de Viena, na Áustria, no segundo lugar e, em terceiro, a cidade de Vancouver, no Canadá.
Em quarto está Toronto, seguida de outra cidade canadiana, Calgary, que teve um empate técnico com a cidade australiana de Adelaide.
Em sentido inverso, a cidade de Damasco, na Síria, foi eleita a pior cidade para se viver. Em penúltimo está Dhaka, no Bangladesh, seguida de Port Moresby, na Nova Guiné. Lagos, na Nigéria, e Tripoli, na Líbia, encerram a lista das piores cidades.

A Bola

Alemanha lucrou cerca de 100 bilhões de euros com crise grega, diz estudo

alemanhapresidente

A chanceler alemã, Angela Merkel. (Foto: AFP)A Alemanha “se beneficiou claramente” em mais de 100 bilhões de euros devido à crise na Grécia, segundo estudo do Instituto de Investigação Econômica Leibniz, divulgado pela agência France Presse na última semana.

De acordo com a pesquisa, o valor representa o montante garantido pela Alemanha em função das baixas taxas de juros, resultado da atração de seu cenário econômico em relação ao grego. Assim, o país germânico foi beneficiado por sua posição estável, em um momento que atuava como pivô das negociações de pacotes de resgate para a Grécia, ao lado do Banco Central Europeu, do Fundo Monetário Internacional e da União Europeia.

“Nos anos recentes, cada vez que os mercados financeiros souberam de notícias negativas sobre a Grécia, as taxas de juros sobre as obrigações do governo alemão caíram, e cada vez que as notícias foram boas, elas subiram”, defende o documento, que conclui que a economia alemã “se beneficiou desproporcionalmente” de sua posição, enquanto suas poupanças “excederam o custo da crise, mesmo se a Grécia não pagasse todas as suas dívidas”.

A Alemanha exigiu um acordo com a Grécia e que o primeiro-ministro Alexis Tsipras realizasse duras reformas econômicas em seu país, sob a justificativa do ministro das finanças alemão, Wolfgang Schäuble, de que o orçamento dos germânicos era equilibrado e seguro. Porém, ainda de acordo com o Instituto Leibniz, esse equilíbro só foi possível devido às poupanças de taxas de juros em função da dívida grega.

O montante de 100 bilhões de euros estimados pelo relatório são provenientes de 3% do PIB alemão poupado desde 2010 – países como Estados Unidos e Holanda também se beneficiaram desse cenário, mas com menos intensidade –, enquanto o valor gasto pela Alemanha em pacotes de resgate internacionais chegou a 90 bilhões de euros.

Yahoo Notícias

Empresa de Lula recebeu R$ 10 milhões de empreiteiras investigadas na Lava-Jato, diz revista


Segundo a ‘Veja’, relatório do Coaf aponta movimentação total de R$ 27 milhões

SÃO PAULO - Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Fazenda, que teria sido entregue à força-tarefa da Operação Lava-Jato e a que a revista “Veja” teve acesso, mostra que a empresa que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva abriu para gerenciar suas palestras, a Lils, recebeu R$ 27 milhões de abril de 2011 a maio deste ano, sendo R$ 10 milhões de empreiteiras envolvidas no escândalo de corrupção da Petrobras.

De acordo com o documento obtido pela revista, a Odebrecht pagou R$ 2,8 milhões. A Andrade Gutierrez fez dois pagamentos que totalizaram R$ 1,9 milhão para Lils, iniciais de Luiz Inácio Lula da Silva. A OAS repassou R$ 1,4 milhão, a Camargo Corrêa, R$ 1,1 milhão e a Queiroz Galvão, R$ 1,2 milhão (em dois pagamentos).

Segundo a “Veja”, o Coaf classificou a movimentação financeira da Lils como incompatível com o faturamento. O relatório está em poder dos investigadores da Lava-Jato. Os técnicos do Coaf destacam no documento que “aproximadamente 30%” dos valores recebidos pela empresa de palestras do ex-presidente foram provenientes das empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobras.

Ainda de acordo com a “Veja”, dos R$ 27 milhões faturados, o ex-presidente investiu R$ 13 milhões em aplicações financeiras e depositou outros R$ 5 milhões em um plano de previdência privada. Também foram feitos depósitos nas contas dos filhos do ex-presidente e na de Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula e sócio-administrador da empresa de palestras.

Entre créditos e débitos, diz a revista, a Lils teve uma movimentação de R$ 52 milhões. A assessoria de imprensa do Instituto Lula disse que não iria comentar as informações divulgadas pela “Veja”.

Fonte: O Globo




Astronauta americano confirma 'encobrimento' da existência de extraterrestres pela NASA



Edgar Mitchell participou da missão Apollo 14 diz que os alienígenas já ajudaram até a evitar um cataclismo nuclear.

Talvez você não conheça o astronauta americano Edgar Mitchell, mas ele foi o sexto homem a pisar a Lua, fazendo parte da missão Apollo 14, da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa). Em entrevista ao jornal inglês The Mirror, ele fez uma polêmica declaração de que extraterrestres já estiveram na Terra e ajudaram até a evitar uma guerra nuclear.

Segundo o astronauta, que está aposentado e com 84 anos, a Nasa sempre encobriu as informações de contato alienígena. Edgar Mitchel diz que chegou a contatar funcionários do exército americno que confirmaram ter testemunhado naves desconhecidas sobrevoando bases de mísseis e a zona de teste nuclear chamada de White Sands. 

"White Sands era uma área específica para testes de armas atômicas. E era justamente nisso que os extraterrestres estavam interessados. Eles estavam analisando nossa capacidade militar. Pela minha experiência, em conversas com especialistas, ficou claro que os alienígenas estavam tentando impedir uma possível guerra, e queriam a manutenção da paz na Terra", conta Edgar Mitchell ao jornal The Mirror.

Em 2008, o astronauta aposentado fez declarações semelhantes numa entrevista, mas a NASA desmentiu qualquer programa de monitoramento de extraterrestres ou que haja encobrimento de avistamentos e contatos com seres de outros planetas. "Mitchell é um grande americano, mas não partilhamos das suas opiniões sobre esse assunto", diz a Nasa, em comunicado emitido à imprensa.

Fonte: Yahoo Notícias





Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30