xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 26/07/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

26 julho 2015

Notícias do domingo

Cariri vai promover Seminário sobre o Padre Ibiapina
O Departamento de História da Universidade Regional do Cariri, a Diocese de Crato e a Fundação Padre Ibiapina promoverão, entre 5 e 8 de agosto próximo, o II Seminário Nacional sobre a vida e obra do Padre-Mestre José Antônio de Maria Ibiapina. No dia 6 de agosto acontecerá a palestra a ser proferida por Dom Fernando Panico, bispo diocesano de Crato, sobre o legado deixado por este grande sacerdote, o qual, antes de ser padre, foi professor, advogado, Delegado de Polícia, Deputado Geral do Império (mandato hoje correspondente a deputado federal) dentre outras importantes funções que ele exerceu ao longo de sua vida.
Um evento importante
O II Seminário Nacional sobre a vida e obra do Padre Ibiapina, dentre outras finalidades, relembrará e discorrerá a partir de apresentações e compartilhamento de pesquisas científicas e religiosas, rememorando os 150 anos das missões deste sacerdote, bem como acerca de sua influência na interior do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.  Na abertura, no dia 06 de agosto, além da conferência de Dom Fernando Panico, o auditório da Rádio Educadora do Cariri será palco da palestra de Madre Feitosa, Presidente de Honra do Seminário, bem como da conferência a ser proferida pela professora Luitgarde Oliveira Cavalcanti Barros, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Como debatedores desta data teremos o Arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes e a Irmã Annette Dumoullin. O facilitador será o Pe. Rocildo Alves Lima Filho, da Universidade Regional do Cariri.

Diocese de Crato ganhará novo Seminário Propedêutico
Prossegue a construção – em amplo e aprazível terreno localizado na Av. Pedro Felício, no bairro Grangeiro, em Crato – dos módulos que abrigarão o novo Seminário Propedêutico da Diocese de Crato. Trata-se de mais um empreendimento do bispo Dom Fernando Panico, visando abrigar os jovens vocacionados, que aspiram receber a formação para o sacerdócio, nos estudos iniciais, ou seja, antes da matrícula no Seminário São José.  O novo Seminário Propedêutico da Diocese de Crato tem por finalidade oferecer uma melhor preparação intelectual aos adolescentes que aspiram ser padres católicos, os quais terão capacidade de responder às necessidades do homem moderno. Para tanto, esses vocacionados poderão – a partir do próximo ano – frequentar o curso introdutório à Filosofia, ou seja, o curso propedêutico, que terá sede na cidade de Crato.
Dia dos avós
Alguém lembrou?  Neste domingo comemora-se o Dia dos Avós. No Brasil e em Portugal festeja-se esta efeméride em 26 de julho porque esta data foi escolhida em razão da comemoração do dia de Senhora Santana e São Joaquim, pais da Virgem Maria e avós de Jesus Cristo. O papel dos avós na família vai muito além dos mimos dados aos netos, e muitas vezes eles são o suporte afetivo e financeiro de pais e filhos. Por isso, se diz que os avós são pais duas vezes. Embora sem os apelos comerciais tão comuns nesta sociedade de consumo, o Dia dos Avós tem um significado espiritual: significa celebrar a experiência de vida, reconhecer o valor da sabedoria adquirida, não apenas nos livros, nem nas escolas, mas, e principalmente, o convívio com as pessoas e com a própria natureza.

 Vem aí a terceira manifestação contra Dilma no Cariri
Em Juazeiro do Norte já está sendo planejada a 3ª passeata que o Brasil fará contra o (des)governo de dona Dilma Rousseff. Será no dia 16 de agosto. Mais uma vez as grandes cidades brasileiras protestarão contra os “malfeitos” dos governos do PT. Um fato interessante: ao invés de acolher, na Terra do Padre Cícero,  os cratenses na marcha contra Dilma, as lideranças juazeirenses estão incentivando o povo de Crato  a fazer sua própria manifestação nesta Cidade de Frei Carlos. E aí? Os cratenses vão encarar desta vez ou vão deixar Juazeiro monopolizar também este momento cívico no Cariri?

Por Armando Lopes Rafael


A impaciência dos revolucionários - Por: Emerson Monteiro

Isso é o que lhes leva às ações precipitadas, por vezes violentas, cruéis, no sentido de coibir injustiças e atrasos de mentalidade na massa humana, chegando às raias da temeridade. Um grau de animosidade alimenta, por isso, os revolucionários. Conspiram e trabalham acreditando possuírem o melhor a oferecer no âmbito dos grupos sociais quais Sócrates aceitou de caso pensado as consequências imediatas dos seus princípios e retratou fiel o desejo intenso de mudar o panorama da sociedade, isto sem, contudo, o amparo regular na ordem natural do tempo, fator por demais preponderante dos rumos a tomar os acontecimentos, independente da vontade extrema de quem vê mais longe, lá adiante. 

No entanto há revolucionários persistentes nos mesmos propósitos, a ponto de baixar a cabeça e receber o castigo da coragem de afrontar a mediocridade com antecipação, semelhantes a Nelson Mandela, Sri Aurobindo, Mahatma Gandhi, afeitos que foram ao exercício heroico de permanecer fincados nos ideais ainda que punidos do sistema e dos estados reacionários. 

Quantas e tantas vezes, no silêncio das noites, mulheres e homens mergulham de corpo e alma nessa função de ampliar a possibilidade dos que dormem a sono solto vítimas de questões mal cozinhadas e esquecidas, quiçá alienados pela rotina estafante dos dias da sobrevivência. Enquanto que os revolucionários aspiram de olhos abertos os desejos de transformar o mundo.

Movimentos de resistência nas guerras de ocupação, as famílias comprometidas no afã do martírio dos seus, na ânsia do inconformismo perante os gestos de dominação e terror, falam dessas considerações da impaciência dos revolucionários. 

Quem sabe disso, das chances de reverter o drama das nações na forma da participação efetiva através das atitudes, bem compreende a importância da política e das instituições que comandam a vida comunitária, conquistas milenares de outros revolucionários. Trabalham as aspirações da honestidade, do bom senso e da igualdade nos gestos do crescimento coletivo. Acordam cedo na aspiração de ampliar fronteiras e realizações neste mundo prenhe de todas as maiores possibilidades. 

Grande peso do Estado na economia explica a corrupção

(Editorial deste domingo do jornal "O Globo")
As estatais, por atuarem em mercados, fecharem operações comerciais e financeiras, oferecem amplas oportunidades de falcatruas com o dinheiro público
 Quando a Polícia Federal começou a fazer operações, algumas espetaculosas, no início da Era Lula, contra criminosos de colarinho branco, surgiu a pergunta de por que aquela multiplicação de casos neste ramo mais fino da criminalidade, nem por isso menos pernicioso para a sociedade. O governo aproveitou para capitalizar o fato: seria por- que, afinal, assumira no Planalto quem combatia a corrupção para valer. Mas nunca foi possível testar uma hipótese mais simples — que surgiam mais escândalos nesta área porque a criminalidade aumentara.
Não demorou muito, o próprio PT se viu apanhado no escândalo do mensalão, em que, entre outros golpes, um sindicalista petista de carteirinha, Henrique Pizzolato, alçado por essas credenciais à diretoria de marketing do Banco do Brasil, desviara dinheiro da instituição para abastecer a lavanderia financeira de Marcos Valério, da qual saía numerário para comprar apoio parlamentar ao governo Lula.
Mais recentemente, estourou o petrolão, este de magníficas proporções: na contabilidade da Petrobras já estão registrados R$ 6,2 bilhões roubados para o PT, PP, PMDB, políticos específicos e bolsos de diretores da estatal, entre outros.
Não é coincidência que os dois escândalos tenham, no epicentro, empresas estatais. A pergunta sobre as razões da multiplicação de casos de corrupção precisa ser substituída por outra: por que há tantos desses crimes no Brasil? A resposta está na grande participação do Estado na economia, sendo, como fica provado neste ciclo petista, as estatais eficazes gazuas de arrombamento de cofres públicos.
Não que inexista corrupção na administração direta. Mas as estatais, por fecharem operações comerciais e financeiras, oferecem múltiplas oportunidades de falcatruas. Se há um grupo no poder que atua no ramo, é uma festa.
O assalto praticado na Petrobras pelo esquema lulopetista, em associação com PP e PMDB, e alianças com as maiores empreiteiras do país, é a prova concreta de que há uma relação direta entre estatização e corrupção.
Apenas na plano federal, há pouco mais de 140 empresas públicas. No período FH houve importantes privatizações. Na Era PT, voltou-se a criar estatais, coerente com a ideologia de petistas e aliados.
Nestes quase 13 anos de poder lulopetista em Brasília, um grupo político voraz, ágil em aparelhar a máquina pública, incluindo estatais, encontrou nessas empresas amplas oportunidades de financiar, com caixa dois, seu projeto político e eleitoral, sem deixar de sustentar alto padrão de vida de capos e ainda permitir enriquecimentos alhures.
O raciocínio e a conclusão são simples: sem esta grande participação do Estado em setores que movimentam muito dinheiro, não haveria como o PT e aliados se financiar com propinas. Só existe caixa dois quando há caixa um.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31