xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 20/06/2015 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

20 junho 2015

Diocese de Crato sedia as comemorações pelos 10 da Pastoral da Sobriedade no Ceará – por Patrícia Silva

Em comemoração aos 10 anos da Pastoral da Sobriedade no Ceará, o Regional Nordeste I da CNBB está realizando o I Seminário para as Famílias, que acontece dias 19, 20 e 21 no Centro de Expansão Dom Vicente de Araújo Matos, em Crato- CE.
A escolha da Diocese de Crato para sediar o Seminário, segundo o coordenador regional, Rogério Melo, aconteceu devido o crescimento que ela vem dando neste aspecto, possuindo 20 grupos de auto- ajuda da Pastoral da Sobriedade, onde três deles foram inaugurados no mês de junho nas cidade de Crato, Missão Velha, e Juazeiro do Norte. “Temos o grande apoio de Dom Fernando Panico. Ele é um pastor muito corajoso e nós louvamos a Deus quando encontramos um pai espiritual que realmente caminha conosco, pois as drogas são realmente uma grande chaga social”, afirmou.
As famílias participantes estão recebendo formações voltadas para a espiritualidade, perdão, reconciliamento entre o dependente químico e a família. A dependência química enquanto patologia, alcoolismo e seus efeitos, prevenção ao uso de drogas lícitas e ilícitas também são temas que estão sendo discutidos.
“Para mim é importante estar com toda minha família aqui, pois percebemos que é desde pequeno que temos que começar a nos prevenir contra o mundo das drogas. O seminário está contribuindo para que nos unamos cada vez mais enquanto família. Aprendemos a como lidar com a adolescência, com os vícios, temas importantes para a atualidade”, afirmou Elvia Bruna que participou do encontro junto com seu esposo, os três filhos e a sogra.
Rogério Melo, sua esposa e filha participando do Seminário para as Famílias. (Foto: Patrícia Silva)
No Ceará A Pastoral da Sobriedade foi instalada em 2005 e no decorrer destes 10 anos cerca de 100 mil pessoas foram assistidas. Hoje ela bbconta com 65 grupos de autoajuda em mais de 40 cidades do Estado, realizando cerca de três mil atendimentos nas diversas paróquias das dioceses de Crato, Sobral, Iguatu, Quixadá, Tianguá, Limoeiro do Norte e Arquidiocese de Fortaleza.
                                                           

João Batista e o adultério - Por: Emerson Monteiro

O zelo entre os casais significa uma reverência ao amor que uniu dois corações através da nobreza do sentimento. A sinceridade e o gosto de estar juntos demonstra a força do sagrado que em tudo existe no seio da mãe Natureza, daí o valor de preservar o bom andamento dessa ordem universal que ruma ao progresso da Perfeição. Com isso, preservar os laços da unidade conjugal impõe normas por vezes até difíceis de equilibrar diante dos chamamentos do caos das individualidades entregues aos desejos simplórios da carne, outras palavras a dizer aos impulsos da paixão. 

Enquanto olha um no outro, livres de instintos só de licenciosidade, os que se amam usufruem da pureza original do amor verdadeiro. Porém entregues aos espasmos do apego apenas físico estão sujeitos aos acidentes de ordem bruta, isto é, acontecimentos imprevisíveis do percurso dos objetos em choque, e não de seres inteligentes vivendo na Criação. 

O segredo que rege tais laços exige, por isso, disciplina austera, no fim de oferecer resultados ansiados da felicidade. Houvesse unicamente o instinto, a calma dos corações representaria visões ilusórias, invés de crescimento espiritual. 

Nisso João Batista desenvolveu a missão de convocar as criaturas humanas ao sentido puro que lhes espera depois da aplicação dos valores eternos face dos relacionamentos da matéria, do apego entre os sexos sob o prisma do amor eterno. Dedicou a firmeza que acompanhou seus passos a chamar as pessoas no objetivo de erguer a visão aos níveis superiores, ainda que vulneráveis aos acidentes do percurso no crescimento das gerações, nos leitos da sexualidade. Deu tanto de si o santo que clamou no deserto, a ponto de perecer vitimado pelos conceitos que pregou, quando feriu os interesses do Rei que ordenou o executassem, deixando aqui o ensino da fidelidade qual verdade principal dos que se amam e conduzem a família na história das raças.

Ao decidir entregar o sentimento ao que considera eleito do coração o indivíduo dá um passo principal no caminho da seriedade, ainda que passível de erro da condição humana. Contudo o mínimo senso de respeito a quem merecer a escolha requer atenção e grandeza, porquanto a força maior a tudo determina e torna sagrado.

Antônio José de Figueiredo Albuquerque e a Cooperativa do Sítio Malhada, em Crato – por Renato Casimiro

Aí pelo começo dos anos 70, eu era um estudante universitário, li e ensaiei pequena discussão em seminário em sala de aula, com o então projeto de instalação de uma usina de pasteurização de leite no Cariri que fora concretizado pelo funcionamento da CILCA-Companhia de Laticínios do Cariri, em anos anteriores, aqui em Juazeiro do Norte.
Desde aquela época eu nutria uma expectativa de que a região do Cariri viesse a resolver satisfatoriamente a questão da comercialização e do consumo de leite cru, ainda sem pasteurização, e bem assim oferecesse oportunidades de industrialização para os seus derivados. E, realmente, por muitos anos, esta unidade funcionou entre nós aqui no Triângulo Crajubar, hoje inativa e deixando a região quase que totalmente refém das alternativas de consumo de leite longa vida, vindo de várias partes do país, da tradição dos leites em pó e os derivados vindos de fora.
No ano passado eu tive a oportunidade de conhecer de perto a unidade industrial da Cooperativa Agroindustrial dos Pequenos Produtores do Sítio Malhada (CAIPEMA), no distrito de Ponta da Serra, em Crato. Essa Cooperativa montou uma planta de processamento de leite graças a mobilização da Associação dos Pequenos Produtores de Leite do Sítio Malhada, que havia sido fundada em 3 de março de 2007, e que em dezembro de 2008 passou à condição de Cooperativa Agroindustrial.
Ao cumprimenta-lo, Antônio José, quero inicialmente manifestar-lhe o meu sincero agradecimento pela atenção com que tenho sido recebido, e aos meus alunos, ao visita-los algumas vezes, desde o ano passado, incluindo suas instalações no roteiro obrigatório de uma visão minuciosa por sobre a tecnologia de alimentos na região do Cariri.
Anteriormente eu havia lido uma substanciosa notícia das atividades e da vida da CAIPEMA, através de um trabalho de professores da UFC e da URCA com o qual se fazia uma avaliação socioeconômica e tratava da viabilidade desta Cooperativa. Mais de perto, tem sido extremamente prazeroso, Antônio José, verificar como esta iniciativa, com o apoio de 22 cooperativados atualmente, firma um exemplar compromisso de crença e serviço em torno de pequena parcela do volume diário desta nossa bacia leiteira. Infelizmente, Antônio José, o Cariri pouco conhece do excelente trabalho que esta Cooperativa vem realizando, chegando ao mercado ainda timidamente, particularmente só em Crato, com diversos tipos de produtos derivados, como leite fluido pasteurizado, iogurte e bebida lática, queijos diversos, manteiga e creme.
Esta é uma realidade bem administrada pela pequena disponibilidade de matéria prima entre os cooperativados, do entorno de poucos sítios como Palmeirinha dos Brito, Sítio Juá, Palmeirinha dos Vilar, Sítio Patos, Umburana, Malhada, Sítio Cipó e Sítio Macapá, dentre outros. Ninguém, em sã consciência, pode ignorar a grande relevância da produção leiteira para a economia local, fato que se amplia a mais que a simples visão econômica do negócio, para contribuir valiosamente para as questões da alimentação básica e para os índices de nutrição de seu povo. Lamentável, Antônio José, é verificar que em nosso meio a oferta de leite para a população carente ainda se faz sem a proteção mínima de tratamento técnico adequado, minimizando ao máximo as ocorrências de veiculação de doenças potencialmente transmissíveis pelo leite mal cuidado e frequentemente adulterado.
Como a única instalação em operação com leite no Cariri, recai sobre esta unidade fabril uma grande responsabilidade social que reclama mais apoio financeiro e de incentivo e proteção técnica para a sua expansão e a dinamização de suas atividades, especialmente governamental.
Desejo parabenizar-lhes, Antônio José, e a sua equipe pela excelência daquilo que não cansamos de admirar nestas visitas, particularmente pela qualidade de seus produtos e pela renitente resistência que esta Associação manifesta, acreditando no sucesso crescente de seus empreendimentos. Sem dúvida alguma, este é um exemplo magnífico que homens de visão dão ao setor produtivo, desde esta célula básica da agricultura familiar, e que impacta socialmente para a grandeza do pais. Vocês estão de parabéns pelo sucesso da CAIPEMA, porque vocês fazem esta diferença.

Depoimento de piloto da Avianca sobre Padre Cícero repercute nas redes sociais

O depoimento de um piloto da Avianca sobre uma graça alcançada por interseção do Padre Cícero publicada no Facebook teve grande repercussão, sendo comentada e compartilhada por centenas de internautas. Eis a nota publicada no Face pelo editor do Portal de Juazeiro.
Em minha recente viagem de Fortaleza a Juazeiro (sábado passado, no vôo noturno da Avianca) dentro do avião aconteceu um fato inusitado que deixou todos os passageiros (a aeronave estava lotada) surpresos. Quando o avião estava se aproximando do aeroporto o comandante (Edson) pediu a atenção e permissão dos passageiros para fazer um comunicado que era ao mesmo tempo um agradecimento ao Padre Cicero por uma graça alcançada. Ele disse que tempo atrás quando pousou em Juazeiro estava fazendo na verdade sua última viagem, pois a tripulação toda estava demitida devido ao processo de reestruturação da empresa. Ao pousar nesta cidade recebeu uma talha de madeira com uma imagem do Padre Cicero estampada. Ele, então, fez um pedido ao Santo de Juazeiro para encontrar um novo emprego. E depois de algum tempo foi atendido, voltando inclusive para a mesma empresa. Quando o avião sobrevoava o Monumento do Patriarca o comandante informou que ao lado esquerdo da aeronave dava para ver o Monumento e disse que toda vez que sobrevoa o local sente uma forte emoção. E finalizou seu comunicado expressando sua gratidão ao Padre Cicero e amor a Juazeiro do Norte. Ao terminar, foi entusiasticamente aplaudido pelos passageiros, muitos dos quais nem moram aqui.
(Postagem original: Blog Portal de Juazeiro)

O penúltimo degrau da Lava Jato

Fonte:VEJA
A Polícia Federal prende os donos e executivos de mais duas empreiteiras, atinge o topo da cadeia de comando do esquema de corrupção da Petrobras e está a um passo do ex-presidente Lula

A partir das primeiras delações premiadas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, e do doleiro Alberto Yousseff, os responsáveis pela Operação Lava-Jato se deram conta de que estavam lidando com um caso que só ocorre uma vez na vida de um policial, de um promotor ou de um juiz.
À medida que os depoimentos se sucediam e mais provas iam sendo encontradas, o esquema foi tomando a forma de uma gigantesca operação político-partidária e empresarial destinada a levantar fundos com contratos espúrios de empresas com a Petrobras. As raízes do esquema começaram a ficar cada vez mais profundas, enquanto sua copa passava a abranger políticos postados em galhos cada vez mais altos. Em abril, Carlos Fernandes de Lima, um dos procuradores da Lava-Jato, disse em uma entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo que a investigação se tornara tão ampla que chegaria a "mares nunca dantes navegados".
Na sexta-feira passada, a Lava-Jato aproou para praias que pareciam inatingíveis, prendendo os presidentes das duas maiores empreiteiras do Brasil - Marcelo Odebrecht, presidente e herdeiro da empresa que leva seu sobrenome, e Otávio Azevedo, o principal executivo da Andrade Gutierrez. O nome da operação da Polícia Federal que fez as prisões não podia ser mais ilustrativo das pretensões dos investigadores: "Erga Omnes", a expressão latina que significa "para todos" e nos tratados jurídicos é usada para proclamar um dos pilares do sistema democrático que diz que ninguém está acima da lei.
A Lava-Jato chegou ao topo? Não existe mais ninguém acima da lei em seu radar investigativo? A resposta é não. A operação chegou aos mais altos suspeitos do braço empresarial do esquema que desviou cerca de 6 bilhões de reais dos cofres da Petrobras. O braço político, acreditam os investigadores, pode subir mais um degrau além do ocupado, por exemplo, por João Vaccari, tesoureiro do PT, preso em Curitiba. Os presos da semana passada podem fornecer as informações que ainda faltam para que a lei identifique e alcance quem comandava o braço político do esquema criminoso. Quem permitia o funcionamento de uma engrenagem que abastecia PT, PMDB e PP com dinheiro sujo. Disse o delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula: "A ideia é dar um recado claro de que a lei vale para todos, não importa o tamanho da empresa, seu destaque na sociedade, sua capacidade de influência e seu poder econômico".
O juiz Sérgio Moro determinou a prisão de Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo, os presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, por considerar que os dois capitaneavam o cartel de empresas que ganhava contratos da Petrobras em troca do pagamento de propina a funcionários da estatal e a políticos. Em seu despacho, Moro registrou que delatores do petrolão haviam dito que a Odebrecht pagara subornos no exterior por meio da construtora Del Sur, sediada no Panamá. A Odebrecht vinha negando ter relação com a Del Sur. Moro também anotou a existência de um depósito feito pela Odebrecht numa conta no exterior controlada por Pedro Barusco, o delator que servia ao PT e prometeu devolver aos cofres públicos 100 milhões de dólares. Moro determinou a prisão de outros cinco executivos, três da Odebrecht e dois da Andrade Gutierrez, e expediu 38 mandados de busca e apreensão.
Resta apenas pegar a estrela principal no firmamento governista. Os procuradores e os delegados estão convictos de que a estrela dava expediente no Palácio do Planalto.
                                                           
                                                      

Nova fase da Lava Jato mostra lobby de empreiteiras ajudadas por Lula no exterior

Fonte: revista VEJA
Ex-presidente teria sugerido que OAS o levasse ao Chile para palestras logo após a eleição de Michele Bachelet
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva propunha viagens à OAS(Paulo Whitaker/Reuters)
Mensagens interceptadas pela Polícia Federal entre executivos da construtora OAS, e que constam do processo contra a Odebrecht e a Andrade Gutierrez, descrevem com detalhes o esquema de lobby e indício de tráfico de influência do ex-presidente Lula em países da África e da América Latina. A 14ª fase da Operação Lava Jato foi deflagrada nesta sexta-feira, resultando na prisão dos executivos Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo.
A troca de mensagens ocorreu em 2013 entre Léo Pinheiro e Cezar Uzeda, presidente e diretor da área internacional da OAS, respectivamente. Nos textos, Lula leva o apelido "carinhoso" de Brahma e é citado nos termos de uma aproximação com o embaixador de Moçambique no Brasil, Murade Isaac Miguigy Murargy. O facilitador do encontro, segundo as mensagens, é o ex-ministro Franklin Martins. Diz Pinheiro: "Tem o Brahma no meio. Quem marcou (o encontro) foi a Mônica, mulher de Franklin (Martins). Segundo ela, seria uma aproximação para 2014. Ele deve coordenar. Disse-me também que os dois (Odebrecht e AG) estão em pé de guerra. Vou confirmar sua ida. Nesse mesmo horário vou estar com Aécio (Neves)", escreveu o ex-presidente da empreiteira, preso em novembro do ano passado, e que foi liberado após um pedido de habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
A esposa de Franklin Martins, Monica, também enviou mensagem a Pinheiro detalhando o perfil do embaixador. "Diz ao Cesar (Uzeda) que estarei com ele. Me encontre na porta da Embaixada. Ele vai falar sobre campanha política e novos projetos. Ele que colocou a Suzano e a Andrade lá no governo. Era o chefe de gabinete do presidente (de Moçambique)", explica.
A troca de mensagens mostra que uma viagem ao Chile, onde Lula palestrou em novembro de 2013, bancada pela OAS, foi ideia do próprio ex-presidente. Na tarde do dia 12 de novembro, Léo Pinheiro questiona Cezar Uzeda sobre as obras da OAS no Chile, afirmando que "o Brahma está procurando saber". Quando o executivo responde listando as obras, a réplica de Pinheiro, às 22h do mesmo dia, detalha a ideia do ex-presidente. "O Brahma quer fazer a Palestra dia 24/25 ou 26/11 em Santiago. Seria uma mesa redonda com 20 a 30 pessoas. Quem poderíamos convidar e onde?", diz Pinheiro.
Segundo o diretor da área internacional, os convites estavam condicionados às eleições presidenciais, em que a vencedora terminou sendo a socialista Michele Bachelet. "Os convidados dependerão do resultado das eleições de domingo próximo. O Chile é um país mais sofisticado. Talvez um almoço com participação de empresários, políticos com orientação mais à esquerda e intelectuais. Submeteríamos os convidados à crítica prévia dele (Lula)", diz Uzeda.
Em outra conversa, os empresários definem que a OAS bancará a viagem de avião, mas temem se é conveniente que a viagem seja na mesma aeronave que a do ex-presidente. "Leo, colocamos o avião à disposição de Lula pra sair amanhã ao meio dia. Seria bom você checar com Paulo Okamoto se é conveniente irmos no mesmo avião. Caso contrário, vamos na quarta feira", afirma o diretor da área internacional.
Em relação ao mesmo evento, os executivos conversam sobre as diferenças entre Dilma e Lula em relação à agenda internacional. "A agenda nem de longe produz os efeitos das anteriores do governo Brahma. No entanto, acho que ajuda a lubrificar as relações. A senhora não leva jeito, discurso fraco, confuso e desarticulado, falta carisma"
O mesmo modelo de visita, patrocinada pela OAS, ocorreu em janeiro de 2014, no Uruguai. Diz Uzeda: "Leo, o formato segue o modelo exato do que foi feito no Chile: pela manhã, grupo seleto de empresários uruguaios ou que atuam por lá. O tema passará sempre por alguma derivada da integração regional. Importante saber se ele gostaria de algum retoque ou mudança na organização. Quanto aos nossos interesses no Uruguai, na pauta está o porto de águas profundas em La Paloma (Odebrecht propôs uma PPP) e um gasoduto para levar gás ao Brasil".
Os executivos também citam contato do então ministro Fernando Pimentel para ajudar nas negociações na Argentina, sobre a construção de uma usina hidrelétrica. "(Julio) De Vido (ministro do Planejamento da Argentina) nos ligou preocupado porque o tema das UHE NK não estaria na pauta da reuniao da Camex (Câmara de Comércio Exterior ligada ao Ministério do Desenvolvimento, pilotado por Pimentel) da próxima terça e a data limite para apresentação pelas empresas brasileiras da carta do BNDES é dia 21/02 , data em que ele abrirá os envelopes de preço. Se não apresentamos a carta em 21/02 , seremos desclassificados e ficaremos mal na Argentina. A Odebrecht não está muito preocupada com isso. Ou acha que perde para nós no preço, ou ja está satisfeita por que ganhou do BNDES um financiamento para outra obra de 1,5 bilhão de dólares na Argentina", diz, Léo Pinheiro.
No mesmo diálogo, o executivo da OAS relata gestões de Pimentel para interceder pela Vale na Argentina. "FP vai para Argentina amanhã, domingo, resolver problema da Vale com o ministro De Vido. O governo da Argentina ameaçou a Vale: 'ou investe no país ou libera a mina de potássio do rio Colorado para a China explorar e sai do país'. Mais uma rateada de Murilinho (Murilo Ferreira, presidente da Vale), e o governo brasileiro se move em peso pra resolver", diz Pinheiro.

Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30