30 março 2015

2015 -- 30 de março: 115 anos da morte de São Leonardo Murialdo


São Leonardo de Murialdo foi o fundador da Congregação de São José – Josefinos de Murialdo
   Leonardo de Murialdo nasceu Turim, Itália, no dia 26 de outubro de 1826. Sua família era social e economicamente bem situada. O pai chamava-se Franchino e a mãe, Tereza Rho. Ainda menino ficou órfão de pai. Seja pela saúde do filho, seja para lhe garantir uma educação aprimorada, a mãe mandou-o para o colégio dos Padres Escolópios em Gênova, juntamente com seu irmão Ernesto.
    Neste educandário, Leonardo sofreu, em plena adolescência, uma forte crise existencial que o marcou por toda a vida. Por sua iniciativa e decisão de sua mãe, deixou o colégio, superou a crise e optou pelo sacerdócio, cuja ordenação aconteceu em 20 de dezembro de 1851. Sua espiritualidade tem por base o amor misericordioso de Deus, capaz de perdoar, reerguer e sustentar o caminho do cristão e do religioso e sacerdote, principalmente diante da fraqueza e do pecado.
   Sensível e aberto aos temas sociais, atuou primordialmente na atenção às crianças, aos adolescentes e jovens, nos oratórios e depois no colégio Artigianelli (1866–1900), fundado pelo Pe. Giovanni Cocchi. Para garantir a presença religiosa e educativa no colégio Artigianelli, estimulado pelo Pe. Eugênio Reffo, no dia 19 de março de 1873, Murialdo fundou a Congregação de São José, conhecida depois como Josefinos de Murialdo, da qual foi Padre Geral até sua morte.
   A situação política e social da Itália no tempo de Murialdo foi muito conturbada. Atento a estas questões, Pe. Murialdo teve forte atuação em campo social no mundo do Operariado Católico, com as Obras dos Congressos, Centros de Estudos Sociais, defesa e implementação da Boa Imprensa e na formulação de leis sobre o trabalho das crianças, dos jovens e das mulheres.
    Murialdo morreu no dia 30 de março de 1900; foi declarado Beato em 3 de novembro de 1962 e proclamado Santo em 3 de maio de 1970. Dele assim falou o Papa Paulo VI, depois de beatificá-lo: “Leonardo Murialdo sua história é singela, não tem mistérios, não tem aventuras extraordinárias, desenvolve-se relativamente tranquila, no meio de lugares e acontecimentos bem conhecidos. Este novo Beato não é um santo estranho à nossa conversação, é um irmão nosso, é um sacerdote nosso, é um nosso companheiro de viagem”.
Fonte: Álbum 100 anos dos Josefinos de Murialdo no Brasil. Caxias do Sul (RS) fevereiro de 2015

PS –Recentemente esteve em Crato, hóspede de Dom Fernando Panico, o Revmo. Pe. Antônio Lauri de Sousa, atual Superior da Província dos Josefinos–Murialdo no Brasil, que tem sede em Caxias do Sul–RS. Pe. Lauri ficou encantado com a Diocese de Crato e com a Região do Cariri.

Postado por Armando Lopes Rafael



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.