xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 20/08/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

20 agosto 2014

Água deu, água levou - Por: Emerson Monteiro

Dentre as histórias que minha mãe contava, do tempo quando aprendia com sua avó o jeito de viver que aplicaria no decorrer de sua própria história, existem diversos provérbios os quais, à medida em recordava, pedia para os anotar e contar aos outros, ou escrevia, como quero fazer nesta oportunidade.

São brocardos populares cheios da sabedoria decantada dos tempos, alguns leves, engraçados; outros, no entanto, dotados de extremo rigor, como este que alerta sobre a malandragem dos varões para com as mulheres, num aviso de causar dó aos marmanjos irresponsáveis no trato com o sentimento alheio: Não confie em homem nem quando ele está dormindo. Os olhos estão fechados e as pestanas estão bulindo.

Nos cuidados financeiros necessários ao bem-viver social, há observações por demais pertinentes no que tange à relação com o dia de amanhã, tornada previdência útil a ordem capitalista de poupar a riqueza, sempre importante e válida: Cada qual faça por ter na bolsa quatro vinténs; no céu só entra que Deus quer, na Terra só vale quem tem. Ditado logo seguido de outro também versado nesse teor financeiro: Economize para ter e, quando tiver, economize se quiser.

Em filosofia prática e boa de exercitar, a memória acesa de minha mãe, em sua carga de experiências, trazia à boca palavras gravadas que servem de lição. E recordava dizeres do uso de seu pai, Antônio Bezerra Monteiro, exímio tocador de banjo nos festejos de Crato e nos brejos do pé da Serra. Dele me pediu que anotasse um dos chistes que gostava de dizer: Sou da lei da raposa, quando o Sol se põe ainda faço muita coisa. Ao contrário de outros, da lei da cotia, a quem, quando o Sol se põe, acabou-se o dia.

Vez por outra, ao deparar situações ocasionais, me vêm ao pensamento esses aforismos tradicionais, soltos na cabeça e preenchendo vazios de reflexão, a servir de alternativa no agir com o mínimo de senso. Nessas ocasiões, a voz de minha mãe parece dizer, ali perto, essas falas tiradas do baú das eras: Boa romaria faz quem na sua casa está em paz. De grão em grão a galinha enche o papo. Pelos santos se beijam os altares. Devagar se vai ao longe. Nem tudo o que reluz é ouro. Quem quer vai, quem não quer manda. Deus ajuda quem cedo madruga.

Nisso, as expressões matemáticas da vida surgem na forma de histórias pitorescas e moralistas, do tipo da que agora transcrevo em palavras textuais que dela ouvi.

Um português veio ao Brasil e aqui montou uma vacaria, passando a vender o leite que produzia misturado com a metade água. Algum tempo depois, retornava a Portugal, levando um macaquinho para mostrar ao povo de lá que ainda não conhecia o animal. Entre seus pertences, no navio em que viajava, transportava um saco cheio das moedas, fruto do apurado com a venda do leite. No decorrer da viagem, sem que notasse, o macaquinho deu de mão do saco e passou a jogar uma moeda no mar e devolver outra para o saco, até deixar só a metade das moedas. ‘Água deu, água levou’, assim pensou o homem quando viu o que sobrou da traquinagem do justiceiro simão.

Assim, de modo espontâneo, na didática da verdade, vem à tona o discurso informal das pessoas, restando aos que escutam usufruir o que a oralidade tão bem demonstra aos que querem ver.

Rir ainda é o melhor remédio! - Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Nestes últimos dias, em que nossas emoções foram postas à prova de resistência e bem exploradas a quem interesse nelas tinham, nada melhor do que seguir o que recomendava nos anos pós-guerra a revista norte-americana Seleções do Reader's Digest. Então vamos lá...
**
Um bêbado que vagava sem destino pelas ruas da cidade, entrou numa casa na qual verificou um "entre e sai" de pessoas. Aproveitou-se disso e também entrou indo até a sala de visita, no centro da qual repousava um defunto em requintada urna funerária. O bêbado acomodou-se numa cadeira e ficou observando aquela triste cena. Chegava um e exclamava: "Meus Deus, ele morreu feito um passarinho"! A outro visitante alguém que assistira aos últimos suspiros daquele morto repetia o refrão: "morreu como um passarinho". Numa determinada hora em que a sala se encontrava vazia, somente o bêbado a velar o morto, entrou uma senhora e perguntou a ele:
- "De que foi que ele morreu?" - E o "bebum" na maior naturalidade respondeu:
-"Não sei se foi por falta de alpiste, tiro de espingarda ou de uma pedrada certeira da baladeira de algum menino..."(1)
***
 Um desses coronéis do sertão, semianalfabeto e ex-prefeito de uma cidade do interior do Piauí, foi conduzido a Chefe de Polícia do Estado. Todas as segundas-feiras os repórteres dos jornais vinham lhe perguntar: "Quantas pessoas foram assassinadas nesse final de semana?"
-"Que diabo é que vocês querem saber para darem notícias incompletas? Passem antes nas maternidades e procurem saber quantos meninos nasceram! Então vocês vão ver que é muito mais meninos nascendo do que gente morrendo!" (2)
****
Em outro governo, esse "coronelzão" foi nomeado diretor de uma espécie de "Codagro" de lá. Um dos programas do órgão era a venda de arame farpado a preços subsidiados. Certo dia o coronel escutou pelo rádio um inflamado discurso de um deputado, a dizer que seria assassinado dentro de poucos dias  na sua cidade, onde tinha seu colégio eleitoral. "Estou certo que serei assassinado pelo ódio dos pessedistas da minha terra!"  Ao se retirar da Assembléia, procurou o coronel para solicitar arame farpado para sua fazenda. Munido da autorização, estranhou ter recebido apenas um rolo de arame. Então voltou ao "coronel" para se queixar:
- "Como é que você autorizou somente um rolo de arame?"
- "Ora você acabou de dizer que vai morrer. Um rolo dá para cercar o seu túmulo e ainda sobra!"(2)

***
Na época da ditadura, aí pela metade da década de setenta, havia um senador cearense tão "voador",  que bem poderia integrar a lista da família do "Stanislaw Ponte Preta," personagem do jornalista e humorista Sérgio Porto, como  "Rosamundo, o distraído".  Ao visitar uma cidade do interior do Ceará, encontrou um ex-auxiliar, pessoa que gozou de toda sua confiança. Sem lembrar de onde o conhecia, emendou:
- "Mestre, como vai"? - Ao perceber que não fora reconhecido, o rapaz respondeu:
- "Senador, parece que o senhor não está me reconhecendo! É que estive na capital, passei uns quinze dias na praia e agora tou mais queimado"  - Ao que o senador emendou:
- "Ora Tomaz Queimado, como vai o teu velho pai, o meu grande amigo Júlio Queimado?" (2)
*****
De outra feita, nosso ilustre senador viajou de carro para Crateús em pleno mês de outubro. Foi acolhido na residência de um correligionário. Em dado momento, querendo puxar conversa, perguntou a uma rapaz que sentara-se ao seu lado:
- "E as chuvas? Tem chovido por aqui? - A essa pergunta o rapaz respondeu:
- Não posso responder Senador, porque fui eu que trouxe o carro que o senhor veio de Fortaleza até aqui. Sou o seu motorista. (2)

Por Carlos Eduardo Esmeraldo
(1) Conto de origem popular
(2) Extraídas e adaptadas de crônicas do jornalista Lustosa da Costa no jornal Diário do Nordeste 

A presidente no sufoco -- (Editorial de “O Estado de S.Paulo” – 20 de agosto de 2014)


Nunca antes nos 3 anos, 7 meses e 18 dias de Dilma Rousseff no Planalto o público tinha tido a oportunidade de ver o que subordinados da "gerentona" conhecem por humilhante experiência própria: a chefe à beira de um ataque de nervos. Com a diferença de que, no seu gabinete, ela se sente literalmente em casa para descarregar a ira com as presumíveis dificuldades da equipe em captar o seu pensamento - o que, tendo em vista as peculiares circunvoluções de sua forma de expressão, se explica plenamente.
"Não há no inferno", escreveu Shakespeare, "fúria comparável à de uma mulher rejeitada." Ou de uma Dilma Rousseff contrariada - e sem poder pôr no devido lugar o responsável real ou imaginário pela afronta. Foi o que a audiência do Jornal Nacional (JN) da segunda-feira descobriu ao acompanhar a entrevista dos apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta com a candidata à reeleição. Ela foi a terceira a ser arguida na série de sabatinas de 15 minutos com os principais aspirantes à Presidência, iniciada com o tucano Aécio Neves, a quem se seguiu o ex-governador Eduardo Campos, na véspera de sua trágica morte. (Quando a sua candidatura tiver sido formalizada, também Marina Silva será convidada.)
Por ser presidente, Dilma teve o privilégio de receber os jornalistas na residência oficial do Alvorada, à frente de estantes de livros encadernados e cuidadosamente dispostos, sem sinal de manuseio, um cenário escolhido para denotar solenidade, elevação e a nobreza da função presidencial. Nada que ver com o ambiente do JN, nos estúdios da Rede Globo, no Rio de Janeiro, em que os donos da situação, como Aécio e Campos sentiram na pele, são os âncoras do principal noticioso da TV brasileira, infundindo, nas suas perguntas, contundência e conhecimento de causa à altura dos seus implacáveis colegas britânicos - a referência mundial no gênero.
Mas logo na resposta ao primeiro disparo de Bonner sobre uma das duvidosas distinções do governo - as denúncias de casos de corrupção em sete ministérios - ficou claro o desamparo da presidente. Faltava-lhe o ponto no ouvido pelo qual o seu marqueteiro João Santana poderia conduzi-la, se não a terra firme, ao menos para longe do vórtice. Pior ainda, faltava-lhe o conforto das gravações irrepreensivelmente produzidas que confeccionam uma imaginária Dilma estadista. Com o misto de irritação e impaciência que denotaria durante toda a entrevista, ela desandou a juntar frases e mais frases que tinham em comum a extensão, a desconexão e a pretensão.
Para mostrar superioridade ética, por exemplo, disse que os governos petistas não têm um "engavetador-geral da República", como, segundo a oposição, teria sido o titular do Ministério Público Federal nos anos Fernando Henrique. E reivindicou, para "nós", a criação da Controladoria-Geral da União. Na realidade, Lula pouco mais fez do que mudar o nome do órgão fiscalizador do Executivo (Corregedoria-Geral da União) instituído pelo tucano em 2001 e fortalecido no ano seguinte com a absorção da Secretaria Federal de Controle, antes vinculada ao Ministério da Fazenda. Em dado momento, tentando cortar o interminável palavrório da candidata, o entrevistador recebeu uma dose de Dilma em estado puro: "Então, continuando o que eu estava dizendo…".
Fez-se de desentendida quando Bonner lhe perguntou o que achava de o PT tratar como vítimas os companheiros condenados pelo Supremo Tribunal Federal no processo do mensalão. Pelo menos três vezes ela repetiu que, como presidente, "não julgo ações do Supremo", por mais que o jornalista reiterasse que o objeto da pergunta era a conduta de seu partido, não o veredicto do Tribunal. A esta altura, Dilma parecia prestes a explodir. Quando o assunto passou a ser a economia, diante dos números amargos, de conhecimento público, sobre a inflação e o PIB, saiu-se com um "não sei da onde que estão (sic) seus dados". O tempo do programa estourou depois de quatro perguntas apenas e Dilma precisou ser interrompida quando pedia "o voto dos telespectadores".
Terminado o sufoco, a presidente tomou uma decisão prudente, embora apequenadora: cancelou a entrevista que daria em seguida à Globo News.

Igreja-matriz de Nossa Senhora de Fátima terá oratório com a réplica da imagem histórica da Virgem da Penha

O pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima de Crato, Pe. José Vicente Pinto Alencar da Silva, acatou sugestões dos seus paroquianos e vai instalar a réplica da imagem da Padroeira do Crato, num oratório existente no interior da igrejinha do bairro Pimenta. Uma réplica da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha (foto à esquerda) será entregue às oito paróquias da cidade de Crato. Serão também contempladas com a bela e artística imagem as três regiões pastorais (distritos de Dom Quintino e Santa Fé e bairro Alto da Penha), além da capela do Seminário São José e o Santuário Eucarístico de Crato (igreja de São Vicente Ferrer).

A solenidade de entrega dessas réplicas acontecerá na noite da próxima 6ª feira, dia 22, por ocasião da abertura dos festejos a Nossa Senhora da Penha, Padroeira de Crato e da Diocese.

Cardeal Dom João Braz de Aviz chegará a Crato no próximo dia 31

 O Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, do Vaticano -- -- cardeal Dom João Braz de Aviz -- -- (foto à direita), chegará a Crato no próximo dia 31 de agosto, desembarcando no Aeroporto Regional do Cariri às 14:30h. Ele permanecerá em Crato até o dia 3 de setembro, hóspede de Dom Fernando Panico. Na tarde-noite do dia 1º de setembro, o cardeal Braz Aviz preside a solenidade litúrgica de coroação da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha, na qualidade de enviado especial do Papa Francisco para esta finalidade.
(Fonte: Diocese de Crato)




Centenário da Diocese de Crato: será sexta-feira, 22, o início da construção da Fazenda da Esperança, localizada em Mauriti

A previsão para a conclusão da primeira etapa da Fazenda da Esperança Pe. Cícero é de noventa dias, com término em 22 de novembro vindouro.
Foto dolançamento da pedra fundamental da Fazenda da Esperança Padre Cícero

O início das obras da Fazenda da Esperança Padre Cícero, localizada em Mauriti,  está marcado para o dia 22 de agosto, data da assinatura do contrato e ordem de serviço, seguida de missa de Ação de Graças, na Igreja-Matriz da Imaculada Conceição e  bênção do escritório da Fazenda Esperança, localizado na Rua Major José Francisco, 60. Deverá presidir esses atos, o bispo diocesano de Crato, Dom Fernando Panico, idealizador da Fazenda da Esperança de Mauriti, que regressa nesta 5ª feira, 21, de viagem à Roma, aonde foi tratar de assuntos relacionados com a festa da Padroeira de Crato, Nossa Senhora da Penha.
Como se sabe, no dia 1º de setembro, a imagem histórica de Nossa Senhora da Penha será coroada – no átrio da catedral de Crato – pelo enviado do Papa Francisco, o cardeal João Braz de Aviz.Todos os bispos do Ceará estarão presentes à coroação da imagem histórica da Rainha e Padroeira de Crato e da Diocese.
Todos os bispos do Ceará -- os titulares e eméritos -- estarão reunidos em Crato, em assembleia anual da CNBB-Regional Nordeste 1, de 1º a 4 de setembro, no salão de convenções do Pasárgada Hotel. Outros bispos nordestinos também  participarão da solenidade de coroação da imagem de Nossa Senhora da Penha.

Conurbação Crajubar promovove a 2ª edição do "Evangelizar é preciso Cariri" com a participação do Pe. Reginaldo Manzotti

Sacerdote estará também sábado próximo, dia 22, na abertura do novenário de Nossa Senhora da Penha, em Crato

Diocese de Crato faz preparativos finais para a edição da "Revista do Centenário" -- por Patrícia Silva


Aconteceu dia 18 de agosto às 9h na Cúria Diocesana de Crato, uma reunião da Comissão responsável pela Revista do Centenário que será lançada em outubro pela Diocese de Crato. Estiveram presentes os membros da comissão, sob a coordenação do Pe. Francisco Roserlândio,  e a empresa que realizará a parte técnica da edição da revista, a Sinus Comunicação, de Fortaleza-Ceará.
A Revista do Centenário fará um resgate histórico da Diocese de Crato desde a sua criação, falando dos bispos que exerceram o múnus episcopal,no sul do Ceará,  até chegar ao atual, Dom Fernando Panico. Mostrará fatos marcantes da caminhada centenária da diocese e também nela constará todas as atividades vivenciadas no ano jubilar, desde o anúncio do decreto feito pelo Bispo Diocesano, em 20 de outubro de 2013, até a celebração solene dos 100 anos da Diocese, que acontecerá dia 19 de outubro de 2014.
A caminhada dos jubileus específicos que estão sendo vivenciados com cada pastoral e movimentos diocesanos e as peregrinações com a imagem de Nossa Senhora da Penha, que pela primeira vez visitou as 5 regiões foraneas da Diocese, terão destaque nesta veiculação.
Segundo o Pe. Roserlândio a parte que cabe a Comissão Histórica já está praticamente concluída faltando apenas poucos ajustes e o registro dos demais movimentos que estão programados até outubro. Para os leitores o padre deixou claro que eles terão acesso a exemplares onde consta “o rosto da igreja romeira e missionária, que é a Diocese de Crato, com suas atividades pastorais, movimentos, serviços, paróquias, atividades realizadas no ao jubilar e a missionariedade que a faz permanecer viva na história do nosso povo, disse ele.
                                                                                                                                         

Missa a Eduardo Campos em Crato não tinha nenhum representante do poder público ?


Que falta de respeito para com um filho do Crato e dos Arraes !


Apesar da forte ligação do Eduardo Campos com a cidade do Crato e com a família Arraes, na sua missa de sétimo dia, realizada nesta terça-feira nesta cidade, nem o prefeito ou qualquer secretário se fez presente à cerimônia, para honrar o grande homem público, que hoje é reverenciado no Brasil inteiro. O texto é do colaborador Olímpio Arraes:

"O Crato não tem mais nenhum representante? Hoje foi celebrada a missa de 7° dia em homenagem ao líder político Eduardo Campos. Reconhecido como grande figura pública, sua morte repercutiu no mundo inteiro, e hoje várias cidades celebraram missa em sua homenagem, como é costume entre os católicos, todas prestigiadas por diversas autoridades. Aqui em Crato, vários amigos e membros da família Arraes (inclusive a minha mãe) se fizeram presentes. Apesar de ser Eduardo Campos um cidadão cratense não tinha um representante da prefeitura, nem prefeito nem algum secretário. Onde está o cerimonial que não viu isso? Triste, mais uma vez para o Crato, sem representação, sem se fazer presente em solenidades importantes, abandonado politicamente."

Olímpio Arraes
Na foto: Eduardo Campos recebendo o Diploma do Instituto Cultural do Cariri, em Crato ( Por: Wilson Bernardo ).


Caririaçu chega aos 138 anos de emancipação política


Prefeito João Marcos e a primeira dama cortaram o bolo de aniversário da cidade. 

O município de Caririaçu, na Região do Cariri, completou na segunda-feira (18), 138 anos de emancipação política. Para comemorar a passagem da data, o prefeito João Marcos havia elaborado uma programação riquíssima de atrações locais, regionais e nacionais. Porém, um trágico acidente que vitimou seis pessoas deste município, deixou uma consternação muito grande sem clima para festas e adiou os festejos e a tradicional vaquejada do município para os dias 12,13 e 14 de setembro. No entanto, o município manteve o feriado e a programação religiosa e cívica. Logo ao iniciar a madrugada do dia 18 de agosto, os caririaçuenses foram despertados com uma alvorada de fogos que iluminou os céus da cidade. Pela manhã no pátio da Praça da Matriz foram hasteadas as bandeiras do Brasil e do Município e executados os hinos do Brasil e do Município pela a Banda de Musica são Pedro.

Em seguida foi celebrada uma Missa Solene em Ação de Graças celebrada pelo pároco da cidade José Cláudio. A missa foi realizada na igreja matriz de São Pedro e teve a presença do prefeito João Marcos, da primeira dama Ana Matias, autoridades municipais e da população em geral. Após a Missa, os “Parabéns” foi cantarolado por todos os presentes acompanhados pela Banda de Música São Pedro, que encantou a todos com boas músicas enquanto era aguardado o momento de cortar o bolo. O tradicional bolo comemorativo tinha a gravura do brasão, que ora simboliza a nova gestão. O bolo foi distribuído entre as pessoas que estavam na Praça, após o prefeito João Marcos cortar o primeiro pedaço.

História e curiosidade

A cidade de Caririaçu foi fundada em 18 de agosto de 1876 pelo icoense José Joaquim de Santana, antes de se chamar Caririaçu, foi batizada de São José, São Pedro do Crato, São Pedro do Cariry e Serra de São Pedro. É o berço natal de uma das personalidades mais conhecidas do nordeste, Joaquim dos Santos Rodrigues, o Seu Lunga e único lugar onde o Padre Cícero foi vigário, 21 de setembro de 1888 até 6 de agosto de 1892.

(Colaborou Miguelina Morais) - Via Flavio Pinto News


Vice de Marina será Beto Albuquerque



Dirigentes do PSB confirmaram nesta terça-feira (19) que o líder do partido na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS), será o candidato a vice na chapa encabeçada por Marina Silva. O nome recebeu o aval da família de Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na última quarta-feira (13) em Santos (SP), e logo mais será divulgada uma nota do partido oficializando a indicação.

Beto foi um dos vice-líderes do governo Lula na Câmara dos Deputados e atualmente concorria ao Senado pelo Rio Grande do Sul – está em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.

Mais cedo, especulou-se o nome do secretário de Educação e das Cidades do então governo de Eduardo Campos no Estado, Danilo Cabral. Contudo, o nome dele foi vetado tanto pela família de Campos como por integrantes da Rede Sustentabilidade e pelo PSB nacional.

A trajetória de Beto Albuquerque em cinco momentos

1 — De Passo Fundo

Luiz Roberto de Albuquerque nasceu em Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul, em 6 de janeiro de 1963. Começou a trabalhar aos 15 anos como funcionário da Companhia Zaffari. Com o pai, aprendeu mecânica e exerceu a profissão mesmo depois de ingressar na Faculdade de Direito da Universidade de Passo Fundo (UPF). É casado e pai de quatro filhos. 

2 — Militância na universidade

Foi na universidade que Beto Albuquerque iniciou sua militância política presidindo o Diretório Acadêmico América Latina Livre, de 1984 a 1985, e o Diretório Central de Estudantes, em 1986. Dirigiu a Associação Passo-fundense de Defesa do Consumidor (Apadecon), de 1987 a 1990, e a Juventude Franciscana no Estado. Foi membro fundador do Movimento de Justiça e Direitos Humanos na região de Passo Fundo.

3 — Deputado estadual

Em 1988, Beto Albuquerque tentou uma vaga na Câmara Municipal de Passo Fundo. Em 1990, concorreu pela primeira vez a deputado estadual no Rio Grande do Sul pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), sendo o terceiro candidato mais votado pela aliança Frente Popular. Em 1994, reelegeu-se para a Assembleia Legislativa.

4 — Em Brasília

Em 1998, foi eleito deputado federal e logo em seguida foi convidado pelo então governador Olívio Dutra para assumir a Secretaria dos Transportes. Em 2002, foi reeleito para mais um mandato na Câmara dos Deputados. Em outubro de 2006, reelegeu-se deputado federal, com 174.774 votos, 38,32% a mais que na eleição anterior. Em 2010, Beto Albuquerque foi reeleito para o quarto mandato consecutivo, com 200.476 votos. 

5 — De volta ao RS

Atendendo a convite do governador eleito Tarso Genro, Beto Albuquerque licenciou-se da Câmara para assumir a Secretaria de Infraestrutura e Logística. Ele exerceu a função até dezembro de 2012, quando reassumiu seu mandato na Câmara dos Deputados. Em 2014, o candidato foi reconduzido à liderança do PSB na Câmara dos Deputados e disputa uma vaga no Senado.

O POVO, e Jornal Zero Hora



Postos de Saúde do Crato estão sem material básico para atender a população


Veja a reportagem em vídeo da TV Verdes Mares Cariri:


http://g1.globo.com/videos/ceara/cetv-1dicao/t/juazeiro-do-norte/v/postos-do-crato-estao-sem-material-basico-para-atender-a-populacao/3571312/

Fonte: TV Verdes Mares Cariri


Planta medicinal produz pomada que cura o HPV


O princípio ativo da pomada contra as verrugas causadas pelo HPV é extraído da casca do barbatimão, planta comum no litoral brasileiro. [Imagem: UFAL]

 Barbatimão contra HPV

Pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) acabam de desenvolver uma pomada para a cura das verrugas genitais, um dos sintomas mais desconfortáveis do HPV, o papiloma vírus humano. A pomada curou 100% dos pacientes submetidos ao tratamento da doença, em um teste clínico realizado no Hospital Universitário da UFAL. O novo medicamento foi desenvolvido utilizando o extrato de uma planta medicinal  bem conhecida da flora brasileira - o barbatimão. Segundo o professor Luiz Carlos Caetano, foi na Zona da Mata de Alagoas onde os pesquisadores encontraram a solução para o tratamento do HPV.

"A pomada feita com o extrato das cascas do barbatimão mais comum na nossa região deu o resultado mais eficaz no tratamento dos pacientes. Suas cascas têm coloração mais avermelhada do que as da plantas encontradas na região Sudeste, por exemplo, e foi por ela que seguimos nossos estudos", explicou Caetano. "Vale lembrar que as cascas do barbatimão são uma das mais comercializadas em feiras do mercado fitoterápico de Maceió, sendo utilizadas pela população como agente cicatrizante e anti-inflamatório", acrescentou.

Cura das verrugas do HPV

Durante cinco anos, 46 pacientes diagnosticados com alguns dos mais de 200 tipos do papiloma vírus humano foram acompanhados no Hospital Universitário. Todos eles passaram por um tratamento de dois meses, utilizando a pomada duas vezes por dia. A substância de origem vegetal age na desidratação das células infectadas, que secam, descamam e desaparecem. "Quando o produto chegar ao mercado será um divisor de águas, porque vamos oferecer um tratamento sem efeito colateral e que já nos abre os caminhos para as pesquisas em pacientes de risco, no combate ao câncer de colo do útero. Esse é o próximo passo", explicou o professor Manoel Álvaro, membro da equipe. O barbatimão é também a base de um medicamento contra o veneno da cobra surucucu.

Fonte: Diário da Saúde


Ministério Público impugnou mais de 4 mil registros de candidaturas


O Ministério Público Eleitoral (MPE) informou hoje (19) que impugnou 4.115 registros de candidatos às eleições de outubro. Do total, 497 foram com base na Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de condenados em segunda instância pela Justiça. A Justiça Eleitoral recebeu mais de 25 mil pedidos de candidaturas aos cargos de deputado estadual, federal, senador, governador e presidente da República.

De acordo com o levantamento, a principal causa de impugnação foi a rejeição de contas, também prevista na Lei da Ficha Limpa. O estado com mais impugnações foi São Paulo, com 2.058 candidatos, seguido por Minas Gerais (1.308).  

O prazo para que todos os registros de candidaturas sejam julgados pelos juízes eleitorais termina na quinta-feira (21). Para estar apto a concorrer às eleições de outubro e ter o registro deferido pela Justiça Eleitoral, os candidatos devem apresentar declaração de bens, certidões criminais emitidas pela Justiça, certidão de quitação eleitoral que comprove inexistência de débito de multas aplicadas de forma definitiva, entre outros documentos, como previsto na Lei das Eleições (Lei 9.504/97).

O primeiro turno do pleito deste ano será em 5 de outubro. O segundo será no dia 26, nos casos de eleições para governador ou à Presidência da República em que o primeiro colocado não obter mais de 50% dos votos válidos, excluídos os brancos e nulos.

Agência Brasil



Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30