xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 19/07/2014 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

19 julho 2014

A crônica do domingo (por Armando Lopes Rafael)

A psicologia coletiva do cratense 
     Uma cidade não se resume a mera aglomeração de indivíduos. Uma cidade, ou melhor, qualquer sociedade, se constitui numa comunidade de comunidades, pois dotada do espírito de coletividade e certa unidade social. É o que se poderia denominar de “psicologia coletiva”.
     O Crato são muitos! poderíamos afirmar, parodiando Carlos Drummond de Andrade.
     E no entanto, existem vínculos coletivos nesta Mui Nobre e Heráldica Cidade de Frei Carlos Maria de Ferrara que unificam; Que obtém alto percentual de consenso; Que se integram ao imaginário popular e à memória coletiva desta urbe.
    Isto posto, poderíamos afirmar que na psicologia coletiva cratense há um lugar de destaque para a ufania, para um bairrismo – às vezes exagerado – por esta cidade aristocraticamente crismada por Princesa do Cariri.
   Tudo que acontece de perda ou prejuízo para esta cidade é culpa “dos políticos”. Fica esta impressão: o habitante de Crato desconhece os limites de um deputado. Este apenas legisla, não tem poder de executar obras. Mas, triste de quem se eleger deputado com votos do Crato, pois o povo atribui ao legislador poderes maiores do que os do  presidente da república.
   Ser cratense é ser religioso e devoto da Virgem Maria! Deu para perceber isso, recentemente, na coroação e inauguração do monumento de Nossa Senhora de Fátima. Uma sensação de orgulho, de vaidade mesmo, percorreu – naqueles dias – todas as camadas sociais desta terra. Já perceberam que o habitante desta cidade finge respeito por quem se autoproclama ateu? Pura falsidade! No íntimo, passa a desconfiar do descrente. E pelas costas do coitado (Ah! a velha falsidade!) quando alguém fala do ímpio, o interlocutor dá a clássica rabissaca seguida da frase: “Fulano? Tenho lá minhas dúvidas. Não deve ser boa bisca”.
   Agora o que o cratense gosta mesmo é das atividades culturais. Está no sangue desta gente. Tem participante de anônimo jogral dos anos 60 que hoje se ufana: “Fui uma das vítimas da ditadura! Uma vez fomos recitar nossas poesias no grêmio do ginásio e agentes do Dops e SNI baixaram na hora. Felizmente fugimos pegando o rumo do Rabo da Gata, até sair no Cafundó e escapamos”...
    Uma verdade: o cratense é super-hospitaleiro. Quando chega, por estas bandas,  gente de fora, o visitante vira logo celebridade. Nos primeiros dias o adventício é lisonjeado de todas as maneiras. Passado algum tempo cai na rotina. Perde o status, a ponto de quando um amigo encontra outro vai avisando: “Evite passar na Siqueira Campos que o “beócio do fulano” está lá, julgando-se o Rei da Cocada Preta. Vôte!”
     Afora isso, o cratense é uma homem cordial, solidário, gosta de um bom papo, de contar a última piada, de frequentar a ExpoCrato... O jornalista Antônio Vicelmo cunhou até esta expressão: Ser cratense é um estado de espírito.
       São muitas as características que plasmaram a psicologia do cratense. Ainda voltaremos ao assunto.
Missa do Divino Pai Eterno, celebrada no Mirandão, em Crato,  para cerca de 50 mil pessoas. O evento foi televisionado para todo o Brasil

(*)Armando Lopes Rafael, historiador.

Terceira peregrinação da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha acontece neste sábado

(Postado por Armando Lopes Rafael)

Desta vez o destino é a vizinha cidade de Juazeiro do Norte. Saindo da Praça da Sé, às 17:00h, a carreata conduzindo a imagem de Nossa Senhora da Penha – Rainha e Padroeira do Crato e da diocese, será recebida por milhares de fiéis na Praça do Romeiro, localizada em frente à Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores.
Naquele local será celebrada missa campal, presidida por Dom Fernando Panico e concelebrada por mais de 30 padres. Na ocasião serão entregues 14 réplicas da imagem histórica da padroeira do Crato e da diocese, as quais passarão a ser veneradas em cada igreja-matriz das 14 paróquias que formam a Região Forânea 2, que compreende os municípios de Juazeiro do Norte, Barbalha e Caririaçu.
A peregrinação de hoje faz parte do calendário de comemoração pelo centenário de criação da Diocese de Crato. Uma quarta peregrinação acontecerá no próximo sábado, dia 26, tendo como destino a cidade de Missão Velha, que sediará o encontro da Região Forânea 3.
As fotos abaixo, feitas por Patrícia Silva,  mostram a última peregrinação e a entrega das réplicas da imagem da Virgem da Penha, acontecida na cidade de Várzea Alegre em 20 de junho passado. 
Foram confeccionadas 60 réplicas da imagem da Padroeira de Crato, em fibra de vidro,  que serão veneradas nas 55 paróquias da diocese e  nas capelas das 03 Regiões Pastorais  existentes na cidade de Crato (Distritos de SantaFé, Dom Quintino e bairro Alto da Penha)
                    

Conheça a bonita história da imagem histórica de Nossa Senhora da Penha
Foto: Jackson Bantim
Antes de ser venerada por quase dois séculos como Rainha e Padroeira de Crato – entre 1745 e 1939 – a imagem histórica de Nossa Senhora da Penha foi alvo de veneração pela população de Recife (PE) durante 104 anos, pois havia chegado à capital pernambucana em 1641, num fato que descreverei logo abaixo.
Mons. Rubens Gondim Lóssio escreveu importante trabalho, publicado em 1961 pela revista “Itaytera”, órgão do Instituto Cultural do Cariri. Daquele artigo transcrevo os tópicos abaixo:
Sobre o aspecto da imagem histórica
“Esculpida em madeira, medindo 0,88m de altura, colocada sobre uma penha de 0,14m (figurando uma rocha) tudo talhado num mesmo tronco, a Virgem da Penha se apresenta segurando o Menino-Jesus no braço esquerdo e empunhando na destra um cetro. Sua fisionomia é serena e séria, o que lhe dá um porte majestoso e tranquilo, de cativante simpatia. Esta imagem não se constitui somente numa valorosa relíquia, é também uma autêntica obra de arte”. (Rubens Gondim Lóssio. Artigo “Nossa Senhora da Penha de França, Padroeira do Crato” Revista “Itaytera”, ano VI, nº VI, órgão do Instituto Cultural do Cariri. Tipografia A Ação, Crato, 1961).
A história desta imagem
“A versão geral acerca dessa prodigiosa imagem é que ela foi trazida para Pernambuco por cinco missionários capuchinhos, que se dirigiam para a Guiné e foram, no litoral africano, em 1641, atacados e presos pelos corsários holandeses calvinistas que infestavam aquelas águas. Os missionários foram mui maltratados pelos corsários e, por fim, entregues aos holandeses que dominavam Pernambuco. Esta tradição geral, que bem desposa a história dos novos missionários, apresados nos galeões espanhóis, quando rumavam para a Guiné, explica-se facilmente porque os missionários puderam conservar consigo o precioso tesouro, que intentavam levar às tribos africanas, qual estrela de salvação, e ao invés veio para terras pernambucanas. Os corsários holandeses apresavam (tudo) para levar à sede do Brasil Holandês, em Pernambuco. O interesse exigia-lhes que respeitassem a presa, ainda que não condissesse com suas crenças religiosas”.
“A preciosa imagem de Nossa Senhora da Penha, que fora respeitada pelos próprios hereges, tornou-se a santa de preferência do povo pernambucano, que lhe ergueu um majestoso templo. O culto da mesma Senhora fez com que se obliterasse o título da Capela que a acolheu em 1641, a qual estava dedicada ao Divino Espírito Santo, e que passou a chamar-se “capela” e depois “igreja da Penha”. A pequena imagem dos franceses foi substituída, em 1745, por Frei Carlos de Spezia pela atual imagem que hoje pontifica na Basílica Menor da Penha de Recife. A nova imagem foi feita em Gênova, modelada pela antiga”. (…).
 A doação da imagem ao povo de Crato 
Monsenhor Rubens Gondim Lóssio cita em seu trabalho um artigo da Revista Dom Vital (nº de agosto/setembro de 1955) sob o título “Resumo Histórico”, onde consta às páginas 7/8:
“Em 1733, o Prefeito da Missão (dos Capuchinhos de Recife), Frei Boaventura de Pontremoli, ampliou a antiga capela, resolvendo seu sucessor, Frei Carlos José de Spezia, em 1745, substituir a vetusta imagem dos franceses por uma nova estátua, feita em Gênova pelo escultor Maragnone que a modelou artisticamente sobre a primitiva, e esta, logo depois, foi enviada para a Missão do Miranda no Crato”. (grifo meu).
“ Ora, esta substituição, como ficou demonstrada acima, deu-se com a remessa da imagem de Nossa Senhora da Penha para a Missão do Miranda, núcleo originário da atual cidade de Crato”.  
 (Postado por Armando Lopes Rafael)

V Palco Sonoro Urca: muito rock’n’roll esta noite



Considerando o seu marco inicial de maior impacto, o primeiro grande sucesso de Elvis Presley, “That's All Right", lançado em 7 de julho de 1954, o rock’n’roll acabou de completar 60 anos.  Mas, antes de ficar velho, o ritmo vem se renovando a cada década, mostrando que além de ser contagiante é eternamente mutante. Portanto, uma das mais eficientes fontes de juventude.
No tocante ao rock no Cariri, pode-se afirmar que já existe aqui uma tradição roqueira e a cada dia surgem mais projetos musicais que cultuam este que é mais do que um ritmo - é uma postura de vida.
Prova disso vem sendo dado nesta edição do Palco Sonoro, quando o rock foi bem representado por bandas como Nuverse, Calazans Callou e General Band, Algarobas, Geração Ypisilone e Blues Cream; esta última mais voltada para o blues, mas com forte pitada roqueira.
Por ser, assim, tão forte e representativo na região, o Palco Sonoro decidiu dedicar uma noite de celebração do rock.
E esta noite é hoje, quando ocorrerá as performances do progressivo Águas em Marte, do rock saudosista de Dudé Casado e do cover do Chico Science & Nação Zumbi, Tiro Certeiro.
Ouvidos atentos, mentes acesas e muita alegria.
Aumenta que isso aí é rock’n’roll.

Conheça um pouco a história de cada uma das bandas que fecharão o V Palco Sonoro Urca.

ÁGUAS EM MARTE – Banda de rock instrumental e progressivo, Águas em Marte estreou em junho de 2013 no evento Hipercinese, que ocorreu em Juazeiro do Norte. Em seguida a banda foi selecionada para tocar no Palco Sonoro da URCA, na Expocrato de 2013, quando apresentou o show “Dissipar, Entorpecer e Flutuar”.  Esse evento multicultural reafirmou a aceitação da banda e da música instrumental contemporânea na região. De lá para cá, Águas em Marte vem se apresentando em vários espaços e eventos da região e fora dela, como no Casarão Boteco, em Crato; no I Festival Rua dos Inventos da Chapada Diamantina, em Rio de Contas, Bahia; no evento “Vem, Vai ter Música” e no 16º Encontro de Músicos da Ong Beatos, ambos em Crato. Mais recentemente, participou do festival Rock Cordel, promovido pelo Centro Cultural BNB Cariri, em Juazeiro do Norte. Não obstante, a banda passou por uma experiência pioneira que foi a de compor e executar ao vivo a trilha sonora para um espetáculo teatral, “A Serva”, da Companhia de Teatro Livre Mente, que estreou em março deste ano em  Juazeiro do Norte.
Águas em Marte vem, assim, se firmando no cenário alternativo com afinco, difundindo a nova cena musical instrumental produzida na região.

DUDÉ CASADO - Desde o final do século passado que Dudé faz vibrar as cordas de sua guitarra nos palcos do Brasil e do Mundo. Nesse tempo tocava e compunha na banda caririense Dr. Raiz, onde já antecipava as nuances de seu trabalho solo, recém-lançado no final de 2013. Com forte influência dos grandes guitarristas do rock mundial, mais uma dose certeira do regionalismo cearense, o primeiro disco solo de Dudé – intitulado “À Esquerda De Quem Vem” surge com músicas poderosas, tanto no instrumental quanto nas letras e melodias.
A arte de Dudé mescla perfeitamente a agressividade do rock’n roll setentista com a delicadeza das melodias e a criatividade dos grandes poetas. Em suas músicas, Dudé consegue assumir ludicamente várias identidades, e transformar as histórias de sua poesia em canções concisas e vibrantes.
 “À Esquerda De Quem Vem” foi todo gravado em São Paulo, e contou com a produção de Pedro Penna, da excelente banda instrumental ‘Os 3 Cruzeiros’, que inclusive acompanha o artista em suas apresentações pelo sudeste. É uma bela experiência ver um show de Dudé Casado, tanto pela visceralidade de sua música quanto pela beleza de suas letras e melodias e seu carisma no palco.

TIRO CERTEIRO - O Tiro Certeiro é formado por ex-integrantes do grupo Dr. Raiz, que resolveram se reunir para fazer um tributo a banda Chico Science & Nação Zumbi. Com o intuito de relembrar umas das fases mais criativas do cenário musical brasileiro dos anos 90, quando bandas e artistas da cidade de Recife, Pernambuco, resolveram misturar elementos da cultura folclórica regional como o maracatu, côco e embolada, mesclando-os com alguns ritmos da cultura pop mundial como o rock, reggae, funk e hip-hop. Surgiu, então, à ideia de formar um grupo que pudesse reproduzir a estética e a sonoridade de uma das mais expressivas bandas desse movimento, bem como ao seu maior expoente, Chico Science.
O tributo à banda Chico Science & Nação Zumbi, aparece como um lampejo de memória, ainda não adormecido, de um dos mais significativos movimentos de contracultura da contemporaneidade. O Movimento Maguebit, que por sua vez, recuperou uma tendência estético-musical surpreendente, que se aproximava do tropicalismo, expressão musical da década de 60, que também marcou a história da musica brasileira. É a partir dessa inegável contribuição que o grupo Tiro Certeiro, se apropria do legado deixado pelos mangueboys pernambucanos e presta essa homenagem à banda Chico Science & Nação Zumbi.

Agenda de Aécio Neves no Cariri para este Sábado e Domingo


Aécio Neves cumpre agenda neste final de semana no CearáRoberto Moreira|Roberto MoreiraO candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, cumpre agenda, neste final de semana, no Ceará. Ele estará nos municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha.

Sábado (19/07)

18h – Carreata de Juazeiro do Norte até Crato

A partir do aeroporto de Juazeiro do Norte (CE)

19h – Expocrato

Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcanti. Alto da Penha – Crato (CE)

Domingo (20/07)

6h – Missa pelos 80 anos de morte do Padre Cícero

Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Largo do Socorro, Centro – Juazeiro do Norte (CE)

8h – Visita à estátua e Memorial Padre Cícero

Colina do Horto – Juazeiro do Norte (CE)

9h30 – Visita ao Hospital Filantrópico São Vicente de Paula

Av. Coronel José Coelho, 299, Centro – Barbalha (CE)

Fonte: Assessoria de imprensa de Aécio Neves



A noite do autêntico forró no V Palco Sonoro Urca



Na penúltima noite do Palco Sonoro, o autêntico forró nordestino reinou majestosamente.
Nessa noite, o terreiro do Palco se transformou num alegre arrasta-pé. Enquanto casais dançavam animadamente, o público em geral se deliciava com o ritmo frenético e contagiante da sanfona, do zabumba e do triângulo.
No repertório, além de músicas de compositores caririenses, as clássicas canções do eterno Rei do Baião Luiz Gonzaga, interpretadas com maestria pelas atrações de ontem: Os Caba de Gonzaga, Forró de Raiz e Raphael Belo Xote.
E para completar a magia da noite, a participação mais do que especial de Sandra Nancy, que agradeceu musicalmente o grande êxito que está sendo mais um Palco Sonoro.

A seguir, algumas imagens da noite desta sexta, 18.

 Os Caba de Gonzaga, banda de Exu, PE

Vicente Neto e Forró di Raiz honrando o nome da banda

Sandra Nancy, coordenadora geral dos eventos da Urca na ExpoCrato, agradeceu com música o sucesso do V Palco Sonoro

Raphael Belo Xote é um dos representantes da novíssima geração do autêntico forró pé de serra

Eduardo Campos promete no Crato a Transnordestina e a transposição de águas



Uma obra parada e outra que se arrasta por quase uma década foram alvos de críticas do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, na noite dessa sexta-feira (18), durante visita à Exposição Agropecuária do Crato (Expocrato). Ao lado da vice na chapa, Marina Silva; da candidata do partido ao Governo do Ceará, Eliane Novais; do vice Leonardo Bayma e da candidata do PSB ao Senado, Geovana Cartaxo, Campos criticou a paralisação da Transnordestina e a demora da transposição das águas do São Francisco, obras importantes para o desenvolvimento do Nordeste e para a vida do nordestino.

Além da promessa da conclusão das duas obras, Eduardo Campos também assegurou a implantação de escolas de tempo integral, do passe livre para estudantes e o fortalecimento dos investimentos na agricultura familiar.

Campos elogiou as candidaturas de Eliane Novais e Geovana Cartaxo. Sobre Eliane, o ex-governador de Pernambuco ressaltou que “é uma candidata que tem história, compromisso com o PSB e com as mudanças no Ceará. É uma parlamentar respeitada que tem experiência e que vai apresentar a proposta para levar o Ceará a um novo caminho”.

Fonte: O Povo Online


FONTE MUSICAL - A mais completa loja de Instrumentos Musicais do Cariri


A Fonte Musical é a mais completa loja de instrumentos musicais e acessórios do cariri. As melhores marcas e os melhores preços. Se você procura violões, guitarras, contrabaixos, baterias, encordoamentos, instrumentos de percussão, microfones, amplificadores, caixas amplificadas, pedestais...etc procure a Fonte Musical. Com atendimento especializado, esse verdadeiro "supermercado" da música tem tudo que você precisa. 

Conheça a Fonte Musical:


Guitarras, contrabaixos e teclados nacionais e importados. Todos os modelos e marcas de caixas amplificadas para você escolher:


As últimas novidades em instrumentos musicais


Um verdadeiro supermercado da música



Encordoamentos para guitarras, violões, contrabaixos...
Violões Godin, Takamine, Giannini, Di Giorgio e toda a linha de percussões para você fazer seu próprio ritmo.

Fonte Musical
Em Juazeiro do Norte
Rua Carlos Gomes, 459 ( Ao lado da Praça da Prefeitura )

Anuncie no Blog do Crato - A maior vitrine da Internet no Cariri

200 mil acessos por mês - Onde sua empresa é tratada com respeito e amizade.
Envie e-mail para blogdocrato@hotmail.com e marque uma visita.
www.blogdocrato.com

Que tal um cafezinho gostoso ? - Cafeteria DI CAFFÉ - No centro do Crato




Cafeteria DI CAFFÉ, localizada no Shopping Residence, no centro do Crato. Um local muito aprazível, que está cada vez mais se transformando no novo "point" para aquele bate-papo gostoso, e claro, saborear o melhor café da cidade. Nós que já éramos fãs de carteirinha do DI CAFFÉ, agora, mais do que nunca estaremos por lá encontrando os amigos. E aproveitando, deixo aqui o convite: Que tal tomar um delicioso café na DI CAFFÉ ?



O local mais aconchegante para você saborear um delicioso café... 


No centro da cidade, bem ali no Shopping RESIDENCE 


DI CAFFÉ - Rua Santos Dumont, 38 - Shopping Residence Loja 8A
O mais aconchegante Café do Crato.

Justiça do Rio aceita denúncia por fraude contra ex-diretor da Petrobras


A Justiça do Rio de Janeiro aceitou denúncia contra o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Jorge Luiz Zanela, por fraude contra a Lei de Licitações. Ele é acusado de modificar o ato convocatório da licitação do Plano de Ação de Certificação em SMS (saúde, meio ambiente e segurança) da Área Internacional, possibilitando a concessão de vantagens financeiras indevidas à Construtora Norberto Oderbrecht. Além de Zanela, foram denunciados sete funcionários da estatal e o diretor de Contratos da Oderbrecht, Marco Antonio Duran.

Segundo a denúncia do Ministério Público, o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, usando as prerrogativas do cargo, constituiu comissão de licitação “capenga”. A petição inicial mostra que três membros da comissão, apesar de firmarem a ata de abertura de propostas e o relatório, sequer estiveram presentes nas respectivas reuniões. Após a expedição de convites a oito empresas, foram julgadas três propostas e recomendada a contratação da Oderbrecht pelo valor de 825.660.293,75 dólares americanos.

A decisão do juiz da 27ª Vara Criminal da capital, Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, afirma que a denúncia contém a exposição do fato criminoso, com todas as suas circunstâncias, a qualificação dos acusados e a classificação dos crimes, além do rol de testemunhas, “sendo certo que existe justa causa para a ação penal, o que se constata pela juntada do Relatório Final da Comissão Interna de Apuração, constituída pela própria presidência da Petrobras para a averiguação de irregularidades após reportagens veiculadas pela imprensa”. Uma audiência para interrogatório dos oito acusados foi marcada para o dia 4 de setembro, às 13h, na sala de audiências da 27ª Vara Criminal.

Agência Brasil


Entenda o conflito entre israelenses e palestinos


Nos últimos dias, o mundo tem acompanhado a intensificação do conflito entre israelenses e palestinos, na Faixa de Gaza. Até o momento, mais de 260 pessoas morreram e 2 mil ficaram feridas na sequência dos ataques iniciados em julho. A nova espiral de violência foi desencadeada após o sequestro e homicídio, em junho, de três jovens judeus na Cisjordânia (um ataque que Israel atribuiu ao Hamas, grupo islâmico que controla a Faixa de Gaza) seguido da morte de um jovem palestino queimado em Jerusalém por extremistas judeus. A partir daí, tiveram início os lançamentos de foguetes do Hamas e os bombardeios de Israel.

O conflito entre israelenses e palestinos remonta ao início do século passado. Entre a segunda metade do século 19 e a primeira metade do século 20, uma migração em massa de judeus de vários países para a Palestina provocou uma mudança na demografia local. Majoritariamente árabe, a região – que até 1917 pertencia ao Império Otomano e depois, até 1948, foi um protetorado britânico – passou a ter uma população judaica cada vez maior.

Nos primeiros anos de mandato britânico na Palestina, houve confrontos entre árabes e judeus. Começou-se então a discutir o que fazer diante daquela situação. Em 1947, pouco antes da retirada dos britânicos, a Organização das Nações Unidas (ONU) pôs em prática um plano de divisão do território em duas partes: uma para os judeus e outra para os árabes. A insatisfação em torno do mapa definido pela ONU gerou uma guerra civil entre os dois povos. Com a saída dos britânicos, em 1948, países árabes vizinhos tentaram invadir o recém-criado Estado de Israel. Mas, ao término do conflito, os israelenses mantiveram seu território e os palestinos perderam a chance de criar seu próprio Estado, já que Israel ocupou parte do território destinado aos palestinos pela ONU, o Egito passou a controlar a Faixa de Gaza e a Jordânia ficou com a Cisjordânia.

Para a pesquisadora do Núcleo de Estudos do Oriente Médio da Universidade Federal Fluminense (UFF) Gisele Chagas, é uma visão simplista dizer que judeus e árabes “sempre se odiaram e sempre viverão em guerra”. Segundo ela, um dos principais pontos de discordância entre os dois povos, no início dos conflitos, era a existência de projetos nacionalistas diferentes. Os povos discordavam sobre o que fazer com uma Palestina independente: uma Palestina árabe ou uma Israel judaica?

“São dois projetos políticos distintos. São dois projetos políticos nacionais que vão disputar o mesmo território, que vão querer criar um tipo de comunidade política em que o outro projeto não está incluído”, afirma a pesquisadora.

Gaza e Cisjordânia se mantiveram sob ocupação estrangeira árabe até 1967, quando uma nova guerra, a Guerra dos Seis Dias, entre Israel e as nações vizinhas, resultou na ocupação israelense da Faixa de Gaza e da Cisjordânia (incluindo a parte oriental de Jerusalém). A partir daí, Israel assumiu uma política de colonização de Gaza e da Cisjordânia com judeus, por meio de assentamentos. Por vários anos, a ONU considerou a ocupação dos territórios palestinos ilegal e determinou que Israel retornasse às fronteiras pré-1967, o que tem sido ignorado pelo governo israelense.

“A guerra de 1967 é o núcleo da problemática mais recente. E é o núcleo dificultador da solução de dois Estados [Israel e Palestina]. Se você olhar as fronteiras de 67, Jerusalém oriental teria que pertencer aos palestinos, que a querem como capital. E esse parece que é um dos pontos menos negociáveis por parte de Israel, que tem uma população decidida a ter Jerusalém como capital”, diz o coordenador do Laboratório de Estudos Asiáticos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Leonardo Valente.

Apenas em 2005, Israel decidiu retirar seus colonos e militares da Faixa de Gaza, entregando sua administração à Autoridade Nacional Palestina (ANP). Apesar disso, Israel continuou a controlar as fronteiras e o acesso marítimo a Gaza. Na Cisjordânia, pouco mudou já que a política de assentamentos judaicos e a ocupação militar do território continuaram. Ainda hoje, grande parte desse território palestino tem sua administração civil e militar concentrada nas mãos de Israel.

Apesar da devolução de Gaza aos palestinos, o território passou a ser o principal foco de problema do conflito israelense-palestino, já que, em 2006, o Hamas, movimento fundamentalista islâmico, venceu as eleições parlamentares palestinas. Em seguida, o Hamas rompeu com o Fatah, organização política e militar palestina, tomando o controle de Gaza, enquanto seu rival político mantinha o controle sobre a Cisjordânia.

Visto como um grupo terrorista por Israel, pelos Estados Unidos e por países europeus, o Hamas sofreu uma série de sanções por parte desses países. O governo israelense ampliou a vigilância sobre Gaza, aumentando seu controle sobre as fronteiras e restringindo a circulação de produtos e pessoas entre os dois territórios. Desde então, houve uma série de confrontos abertos entre as duas partes: o governo israelense e o Hamas.

“Há uma dificuldade de Israel aceitar certos grupos palestinos, entre eles o Hamas. E o Hamas tem uma dificuldade muito grande de negociar e até reconhecer Israel. A partir de 2006, a situação se deteriorou muito na Faixa de Gaza”, destaca Valente. Em geral, os confrontos envolvem o lançamento de foguetes pelo Hamas a cidades de Israel e ataques de Israel a Gaza, por meio de bombardeios e ofensivas terrestres (quando militares israelenses entram no território palestino).
Além dos confrontos abertos que resultaram em centenas de mortes (na maioria, de palestinos), a relação entre israelenses e palestinos nas últimas décadas tem sido marcada por atentados, conflitos entre militares israelenses e civis palestinos, intifadas (revoltas populares) e tentativas de acordos de paz que sempre são emperradas por algum motivo.

Israel inicia ofensiva terrestre na Faixa de GazaEPA/STR/Agência Lusa

Entre os pontos de desacordo estão a divisão de Jerusalém, a retirada dos colonos israelenses de terras palestinas, o retorno de refugiados das guerras árabe-israelenses a suas antigas terras e o reconhecimento da Palestina como Estado independente. Repórter do jornal Alghad, com sede em Amã, a jordaniana Taghreed Risheq cobre o conflito há quatro anos e não tem esperanças de que a questão seja resolvida logo. “Se os dois lados quiserem viver em paz, eles precisam se submeter às leis internacionais. Em primeiro lugar, Israel deveria se retirar das terras ocupadas [na Cisjordânia, a partir de 1967], de acordo com resoluções da ONU. Eles deveriam concordar em assuntos como a divisão de Jerusalém, entre palestinos [leste] e israelenses [oeste], questões de segurança, fronteiras e direito ao retorno [dos refugiados palestinos]”, disse.

A opinião de que não há solução para o conflito em um futuro próximo é partilhada pela jornalista libanesa Paula Astih, correspondente, em Beirute, do jornal inglês publicado em língua árabe Asareq el Awsat.

“O conflito israelense-palestino se torna mais complexo a cada ano. Palestinos querem sua terra de volta e os esforços políticos para consegui-la parecem ser em vão. É por isso que muitos palestinos acreditam em resistência. Sem falar nos milhões de refugiados [palestinos] que vivem hoje no Líbano, na Jordânia, na Síria e por todo o globo, e nos outros que ocuparam as terras [dos refugiados] há anos e não vão querer devolvê-la. Haverá apenas guerras, com algumas tréguas, mas não a paz”, ressaltou a jornalista.

Na opinião da pesquisadora Gisele Chagas, para que um processo de paz tenha início, é preciso, entre outras coisas, que as fronteiras pré-1967 sejam respeitadas e que haja uma solução para os refugiados palestinos. “É preciso acabar com a perspectiva israelense de colonização da Cisjordânia, resolver o problema dos refugiados e ter a ideia de um Estado palestino soberano, com fronteiras bem definidas e controle de seus próprios recursos naturais”, disse.

Agência Brasil



Pesquisadores da UFRJ trabalham em robô para comportas de hidrelétricas


Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em parceria com a empresa Energia Sustentável do Brasil (ESBR), trabalham para desenvolver, até fevereiro do ano que vem, um robô subaquático para aprimorar a operação dos painéis das comportas de manutenção das usinas hidrelétricas (stoplogs). Iniciado em outubro do ano passado, o projeto do robô para operação de stoplogs alagados (Rosa) deve reduzir prejuízos com paradas nas turbinas, diminuindo o tempo que elas ficam desligadas.

A pesquisa foi apresentada hoje (18) na universidade, quando também foi formalizada a parceria entre a empresa e o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe-UFRJ, por intermédio do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“O que estamos fazendo é instrumentalizar todo um sistema hoje puramente mecânico, transformando-o em computacional. Estamos acrescentando informações úteis ao operador, com elementos usados em robôs, como sistema operacional, comunicação, sonar”, conta o coordenador do projeto, o professor do Coppe, Ramon Costa.

O projeto foi financiado pela empresa ESBR, responsável pela operação e construção da Usina Hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira, onde grande quantidade de partículas deixa a água turva e se acumula, dificultando a movimentação dos stoplogs depois do serviço de manutenção. O robô, então, fornecerá informações para que o operador possa trabalhar com mais subsídios, substituindo os mergulhadores que atualmente são chamados para conferir a situação do stoplog quando a turbina está parada e a destravá-lo, quando necessário.

A nova tecnologia deve reduzir em um dia o tempo que a turbina fica parada.”Para cada turbina, são dois mergulhos. É um processo demorado e muito custoso”, diz Ramon. Segundo o pesquisador, o custo de uma hora com a máquina parada passa de R$ 10 mil, somando cerca de R$ 250 mil em um dia.

Uma equipe de sete pesquisadores está oficialmente inscrita no projeto pelo Coppe-UFRJ, e mais três cientistas da universidade trabalham como colaboradores. O primeiro teste completo do Rosa deve ser realizado em setembro, e a previsão do coordenador do projeto é que toda a tecnologia necessária para concluí-lo deve estar pronta até o fim deste ano.

Agência Brasil


Açude Castanhão tem menor volume de água em 10 anos


O Açude Castanhão está com apenas 37% da sua capacidade de armazenamento. O número corresponde a apenas 2,5 bilhões de m³ dos 6,7 bilhões de m³ que o reservatório pode armazenar. Esse é o menor volume de armazenamento em 10 anos.

De acordo com a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), desde fevereiro de 2004, mês em que o açude tinha apenas 15% da sua capacidade abastecida com água, os números não marcam índices tão baixos no armazenamento do reservatório do município de Alto Santo, a 245 km de Fortaleza. O reservatório do Castanhão foi construído em 2012 e é responsável pelo abastecimento de água de Fortaleza, Região Metropolitana, Complexo Portuário do Pecém e distritos do Eixão das Águas
Segundo Berthyer Peixoto, chefe de gabinete da Cogerh, apesar do baixo percentual, ainda não há necessidade de se preocupar com racionamento de água. “O número de metros cúbicos no açude garante o abastecimento para o fim de 2014 e 2015 com tranquilidade mesmo que não haja chuva no Estado”, garantiu.

Cenário no Interior é preocupante

Dos 149 reservatórios monitorados pela Cogerh, 103 estão com volume inferior a 30%. De acordo com o órgão, os índices preocupam em vários grandes reservatórios, como o Araras (17%), Banabuiú (15%), General Sampaio (7%), Pentecoste (3%) e Figueiredo (3%).
Somente dois estão com volume superior a 90%, o Açude Curral Velho, em Morada Nova, e o Açude Gavião, em Pacatuba, com 97% e 92%, respectivamente.
Peixoto afirmou que a situação é tranquila na Capital, mas no Interior cenário é inverso. “Irauçuba e Canindé, por exemplo, já estão em racionamento devido à capacidade dos reservatórios que abastecem as regiões”. 

Diario do Nordeste – Regional


Fábrica Escola de Cana-de-Açúcar será inaugurada neste sábado (19) em Barbalha


Neste sábado (19), às 8 horas, será inaugurada em Barbalha, no Cariri, a Fábrica Escola de Cana-de Açúcar. O empreendimento faz parte de uma cooperação técnica entre a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), o Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), Centrais de Abastecimento do Ceará (Ceasa- CE), Instituto Agropólos do Ceará e a Prefeitura Municipal de Barbalha.

A cooperação tem como objeto colocar em funcionamento e operacionalização a Fábrica Escola de Cana-de-Açúcar do Cariri. Cada instituição exercerá papéis distintos em prol da administração e do pleno funcionamento da empresa, desde adequação da estrutura, manutenção de equipamentos, assistência técnica, acompanhamento de processos administrativos, realização de cursos referentes às atividades da fabrica, contratação de pessoal para atuar na produção, entre outras tarefas.

A Região do Cariri é grande produtora de cana-de-açúcar desde o início do século XIX. A atividade agroindustrial cresceu a ponto de proporcionar o desenvolvimento de indústria sofisticada de engenhos e caldeiras, com tecnologia inglesa, e motivar a migração de artesãos italianos especializados na construção de artefatos de cobre para uso na produção de rapadura.

Evento:
Inauguração da Fábrica de Cana-de-Açúcar
Data: 19/07/2014
Horário: 8 horas
Local: Avenida José Bernadino C. Leite (frente ao número 400- Embrapa), Bairro Buriti, Barbalha

Assessoria de Comunicação da Ceasa Ceará



Justiça estadual funciona em regime de plantão neste fim de semana


O Poder Judiciário estadual funcionará em regime de plantão neste fim de semana. O atendimento será feito no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), Fórum Clóvis Beviláqua e nos 20 Núcleos Regionais que abrangem todas as comarcas do Interior.

Na sede do TJCE, os plantonistas serão os desembargadores Maria Edna Martins e Francisco Bezerra Cavalcante. Os magistrados atenderão, respectivamente, no sábado (19/06) e domingo (20/07), de 12h às 18h, na Assessoria de Plantão da Secretaria Judiciária, no 1º andar do Tribunal.
No Fórum, o plantão ficará a cargo da 3ª e 4ª Varas da Fazenda Pública, além da 2ª e 3ª Varas de Execução Penal e Corregedoria de Presídios da Capital. Os juízes estarão disponíveis das 12h às 18h.

No Interior, o atendimento será feito de 12h às 18h nas comarcas de Juazeiro do Norte, Araripe, Quixelô, Mauriti, Jaguaribe, Quixadá, Baturité, Morada Nova, Cascavel, Maracanaú, Aquiraz, Paraipaba, Itapipoca, Groaíras, Granja, Viçosa do Ceará, Ipueiras, Quiterianópolis, Tauá e Pentecoste.

TJCE


Desprestígio: dos 1.000 PMs formados recentemente, apenas cinco foram enviados para Juazeiro do Norte


Nem mesmo a crescente violência na cidade de Juazeiro do Norte - onde somente nesses seis meses e 18 dias de 2014 foram registrados 100 casos homicídios -, foi suficiente para sensibilizar os gestores da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e o Comando Geral da Polícia Militar para dar uma atenção maior e  reforço na segurança da segunda maior cidade do interior cearense.

Dos 1.000 policiais militares recém-formados e capacitados para o policiamento ostensivo, apenas cinco PMs foram designados para trabalhar em Juazeiro do Norte. A maioria vai trabalhar em Fortaleza e cidades da Região Metropolitana. Mas cidades, onde a violência é quase inexistente, se comparada a Juazeiro do Norte, receberam efetivo bem maior de novos policiais.
O exemplo é a cidade de Massapê, na Região Norte do Estado, mas que é a terra natal do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Zezinho Albuquerque. Massapê recebeu 7 PMs. Crato e Barbalha receberam 7 novos PMs.

É mais uma prova de que Juazeiro do Norte se ressente de um legítimo deputado estadual. Alguém que lembre que a cidade merece maior reconhecimento. Só lembrando. Somente nos primeiros 17 dias deste mês de julho, a cidade já contabiliza 17 casos de homicídios. Média de um por dia.

Via Jornalista Flávio Pinto


Polícia irá apurar sumiço de peças do Memorial do Cariri


Além do registro de um Boletim de Ocorrência (B.O), o fato foi encaminhado ao Ministério Público


O sumiço das peças foi sentido paulatinamente, uma vez que eram poucas as peças que iam sendo suprimidas do acervo guardado no memorial

Juazeiro do Norte. A Secretaria de Cultura e Romaria de Juazeiro do Norte (Secron) deverá formalizar, no início da próxima semana, queixa crime pelo desaparecimento de peças do acervo do Memorial Padre Cícero, formado pelas relíquias de Padre Cícero Romão Batista . As peças do acervo tinham sido doadas ao município por contemporâneos do religioso. Além da realização de um Boletim de Ocorrência (B.O), uma denúncia por escrito também será encaminhada pelo Município ao Ministério Público do Ceará.

Ontem, a secretária de Cultura e Romaria de Juazeiro do Norte, Marli Bezerra, esteve reunida com membros da Procuradoria do Município, discutindo os mecanismos jurídicos a serem utilizados na tentativa de se recuperar os materiais que, supostamente, teriam sido retirados do interior do equipamento, caso, durante as investigações que serão realizadas por policiais civis, as peças sejam encontradas. Inicialmente, as informações davam conta do desaparecimento de cerca 80 livros que compunham a biblioteca pessoal do sacerdote, bem como de peças que estavam guardadas no depósito do equipamento para futura restauração. Também teriam desaparecido fotografias, o equipamento estetoscópio utilizado pelo médico que atendeu Padre Cícero no leito de morte, além de talheres e louças que foram de uso cotidiano do religioso.

Imprecisão

Porém, conforme a secretária Marli Bezerra, ainda não é possível afirmar quais peças teriam realmente sido levadas do Memorial, bem como o tamanho do prejuízo causado pelo desaparecimento das peças ao patrimônio imaterial do município. "Quem conhece o Memorial sabe que o volume de peças ali expostas hoje é bem menor do que o que era apresentado aos visitantes há alguns anos. O número de pessoas que afirmam perceber um certo "vazio" no espaço onde as peças estão expostas é muito grande. São intelectuais, médicos, advogados, engenheiros, pessoas que conhecem a história do município e que estão muito preocupadas com a possibilidade da perda destes matérias", afirma a secretária.

Marli Bezerra avalia que a constante troca de comando na Fundação Memorial Padre Cícero, responsável pela administração do Memorial, pode ter facilitado o desaparecimento das relíquias. Na administração municipal passada, segundo comenta, pelo menos sete pessoas foram nomeadas para exercer a presidência da Fundação.

Percepção

"O desaparecimento de parte do acervo vem sendo percebido já há algum tempo. A troca constante na presidência da Fundação pode ter acarretado está situação. Quando eu afirmo que sumiram peças, eu não saberia, neste momento, dizer quais seriam estes materiais, mas, pelo volume que normalmente era apresentado aos visitantes, se percebe que o espaço esvaziado", diz a secretária. As desconfianças em torno do sumiço das relíquias, segundo ela, se confirmaram através de um levantamento realizado pela secretaria, que objetiva reativar a Fundação Memorial Padre Cícero. "Quando se abriu o inventário dos livros se descobriu a ausência de 83 obras literárias. A grande maioria das cartas que foram redigidas de próprio punho por Padre Cícero também não existe mais.

Um funcionário do próprio Memorial chegou informou que as cartas teriam sido jogadas no lixo. Pelo menos 300 cartas foram perdidas ou extraviadas", comentou Marli Bezerra.

Fonte: DN
Foto: Roberto Crispim




Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30