17 agosto 2014

Francisco Huberto Esmeraldo Cabral –– por Renato Casimiro


Não há engano quando algumas vezes fazemos nossas queixas porque nos falta no Cariri de hoje homens que se emprestem, mais que isto – que se entreguem completamente ao desenvolvimento de nossas cidades. Por isso, meu caro Huberto Cabral, trago sempre à minha lembrança a vivência de um tempo em que tanto nos orgulhávamos porque alguns destes tomavam para si o empenho na defesa intransigente desta nossa região.
   
Não há nisto um sinal saudosista porque não enxergamos hoje o pouco de renovação que tivemos em alguns quadros, coisa ainda muito tímida para o que se faz necessário, diante desta arrancada que experimentamos e que não mais deve nos permitir o sentimento miúdo de bairrismo. Você, Huberto, sabe perfeitamente que viveram em Crato figuras notáveis como Alexandre Arrais, Thomaz Osterne, Ernani Silva, José Justino, Jéferson Albuquerque, Orestes Costa, José Eurico, José Newton Alves de Sousa, Sarah Cabral, Raimundo de Oliveira Borges, Antônio Alves de Morais, Pedro Felício Cavalcante, Aderson Tavares, Raimundo Bezerra, Humberto Mendonça, e tantos outros.

O que estes homens fizeram para cumprir com fidelidade a grande responsabilidade social que assumiram, algumas páginas escritas ainda não fizeram justiça à grandeza de cada um, e disto você sempre soube muito bem, pois foi o cronista que esteve de plantão, registrando no cotidiano a bravura de suas lutas. E será injusto não dizer que você, Huberto, foi e continua sendo um destes abnegados operários da construção de todas estas grandezas do Cratinho de açúcar.

Nós nos habituamos a reverenciar estes líderes que honraram compromissos comunitários e não fizeram o negócio fácil que os privilegiaria em detrimento do bem comum. O tempo passou, muitos deles passaram e aos anos dourados do Crato se sucedeu um tempo difícil no seu desenvolvimento. Ainda hoje, felizmente, Huberto, a sua participação entusiasmada, constante em todos os grandes momentos dos avanços sócio-culturais e econômicos da Princesa do Cariri demonstram claramente que você é destas espécies raras que resistem heroicamente às adversidades que enfeiam os planos por uma sociedade melhor.

Como reconhece Emerson Monteiro, você Huberto “é um homem talhado a preservar valores históricos e a memória social do Crato e de todo o Cariri como raros outros.” Você é a enciclopédia deste Cariri histórico, a memória viva de sua história mais recente, a quem recorremos porque você vem e está disponível ao nosso alcance, o cidadão voluntário e prestimoso por excelência. E toda a sua vida é um testemunho eloquente de um profissional que se fez autodidata desde a modesta amplificadora da cidade para se eternizar em dedicação no Rádio, na Universidade, na Diocese, no Instituto Cultural, na Prefeitura, organizando eventos e se fazendo instrumento de grande valia em toda esta trajetória.

Sem dúvida alguma, Huberto, esta foi a maneira com a qual você se eternizou dentre os seus, porque continua a demonstrar que a missão tem que permanecer impregnada de um amor e de imensa fidelidade à sua terra. Certamente por isto é que ela lhe deve, eternamente, um agradecimento sincero, como filho tão devotado.

(Publicado originalmente no blog Portal de Juazeiro)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.