25 agosto 2014

Centenas de jovens, Acólitos e Vocacionados, celebram o Jubileu dos Coroinhas, dentro da programação pelo Centenário da Diocese de Crato

 No início da missa jovens conduzem a imagem histórica de Nossa Senhora da Penha
(Foto: Priscila Araújo)
Autora: Patrícia Silva

Aproximadamente 800 jovens acólitos e vocacionados, provenientes de toda a Diocese de Crato, se reuniram no dia 24 de agosto, em Crato, para celebrarem a festa do centenário da Diocese de Crato, em um dia que começou com a celebração da Santa Missa, às 9h, na Catedral Nossa Senhora da Penha, presidida por Dom Fernando Panico e concelebrada por diversos padres, culminando, às 16h, na quadra do Colégio Pequeno Príncipe com testemunhos e apresentações teatrais.
No decorrer do dia os participantes puderam intensificar sua missão na caminhada de vida da Diocese centenária, que instiga a todos a encontrar sua vocação na igreja para melhor servir a Deus. Estiveram presentes também religiosos e religiosas das várias congregações da Diocese.
Dom Fernando, que concedeu a indulgência plenária ao final da missa, expressou estar muito contente por celebrar este momento, pois segundo ele, é no serviço do altar onde são suscitadas muitas vocações na igreja. Falando sobre a importância dos acólitos o bispo disse que somos uma comunidade onde Jesus realiza sua missão e os acólitos são para a comunidade um gesto do amor que Deus distribui ao seu povo. Com relação a missão destes Dom Fernando falou “vocês que servem no altar, e com muita alegria prestam este serviço, saibam que do altar nasce para a igreja a ação missionária evangelizadora. Vocês que se aproximam do altar se aproximam de Jesus, servem a Jesus. São as testemunhas primeiras, perto do altar, para que sejam solícitos a levar ao povo de Deus as riquezas aqui contempladas”.
No abraço da paz, Dom Fernando Panico cumprimenta os coroinhas
Uma relíquia de São Domingo Sávio, padroeiro da juventude, esteve exposta durante a santa missa e foi levada em peregrinação, juntamente com sua imagem e a imagem-histórica  de Nossa Senhora da Penha, até a quadra do Colégio Pequeno Príncipe, recordando que a igreja está em constante caminhada.
Os participantes disseram se sentir parte da Diocese e felizes por vivenciarem este jubileu, como fala Marcos Vinicius, 14, “este é um momento especial, portanto nós precisamos celebrar. O centenário esta envolvendo todos, é um momento único então precisamos entender e também participar desta grande festa da fé”. Com relação ao serviço prestado no altar Joana Freire, 19, disse considerar muito importante por, através dele, ela prestar um serviço à comunidade, o que a propicia também um melhor discernimento em sua vocação, “quando estamos mais próximos de Jesus é que encontramos o sentido de nossa vida”, disse.
No momento dos testemunhos os participantes puderam ter contato com pessoas que começaram o discernimento de sua vida na igreja como acólito, dentre eles esteve presente o doutor anestesista, Rômulo Sá, que começou a servir a Deus como acólito e através das formações sobre vocação se sentiu chamado ao matrimônio. Hoje ele é casado e pretende se tornar diácono.
O Jubileu encerrou com uma avaliação positiva por parte do Pe. Cícero Luciano Lima, coordenador diocesano da Pastoral Vocacional, que expressou alegria por estarem presentes representantes de todas as paróquias da Diocese e poderem celebrar em unidade os 100 anos da Diocese de Crato.
                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.