21 junho 2014

Para você Refletir ! - Por Maria Otilia

Está chegando a hora em que  seremos chamados a contribuir para a efetivação da democracia: o nosso voto. E antes que façamos estas escolhas, faz-se necessário refletirmos sobre a importância dos partidos e de quem faz parte destes. Como diz Carlos Melo, cientista político, "...a safra de políticos é ruim - raros resistiriam a testes de qualidade". Também afirma que sem plantar boas sementes de políticos, por gerações espontânea, só crescerá erva daninha.
Neste sentido precisamos   estar atentos  neste período de convenções, de amarras políticas, de adesões, de "conchavos". Sabe-se que  nem sempre estes acordos  vão de encontro aos interesses da população. Aliados de ocasião recebem sua parte de poder, o que não garante uma boa execução de suas tarefas quando assumirem seus cargos. E  na maioria das vezes os interesses dos partidos deixam de ser regras, é exceção. Para aprofundarmos mais este assunto, posto abaixo uma fábula que fala  de como  é feita uma partilha entre quem detém o maior  poder com aqueles que são minorias.Façamos uma boa leitura!

                               A  Partilha do Leão
   O Poderoso Será Sempre um Opressor

Há muito tempo atrás, o Leão, a Raposa, o Chacal, e o Lobo, de comum acordo, combinaram em caçar juntos. Ficou então combinado que dividiriam entre eles tudo aquilo que conseguissem encontrar.

Pouco tempo depois, o Lobo capturou um cervo, e cumprindo sua parte no acordo, imediatamente convidou todos os seus companheiros para fazer a partilha.

Mas, sem que ninguém o pedisse, ou o elegesse como tal, o Leão logo tomou o lugar de líder e decidiu organizar como deveria ser o banquete, e evidentemente, determinar como seriam divididas as partes entre os presentes.

Pondo-se, por conta própria, na posição de representante de todos, supostamente demonstrando total imparcialidade, mas agindo como se todos fossem seus vassalos, começou a contar para os convidados.

"Um", ele disse, enquanto para cada um dos presentes mostrava uma de suas garras, "que sou eu mesmo, o Leão. Dois, esta é para o Lobo; três, é para o Chacal, e finalmente a Raposa fica em quarto."

Então, cuidadosamente dividiu a presa em quatro partes iguais.

"Eu sou o Rei Leão," ele disse, quando terminou, "Assim, evidentemente, Eu tenho direito a primeira parte. A outra também me pertence porque sou o mais forte, e a outra também porque sou o mais valente."

Agora Ele olha fixamente para os outros com cara de poucos amigos. Então rosna exibindo as garras de forma ameaçadora, e diz: "Caso algum de vocês não concorde com a minha divisão, esta é a hora de se manifestar!"

Moral da História:
O mais Poderoso faz as Leis.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.