xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 10/12/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

10 dezembro 2013

O “livro-bomba” de Romeu Tuma Júnior repercute em todo o Brasil

Ex-secretário nacional de Justiça afirmou em entrevista a VEJA que recebia ordens do governo Lula para produzir dossiês contra adversários políticos
APARELHO CLANDESTINO - Romeu Tuma Junior: "Recebi ordens para produzir e esquentar dossiês contra uma lista inteira de adversários do governo" (Paulo Vitale)

Os partidos de oposição – PSDB, DEM e PPS – no Congresso tentarão convocar o ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Junior para dar mais detalhes das revelações feitas no livro "Assassinato de Reputações – Um Crime de Estado", que chegará às livrarias nesta semana. Conforme revelou VEJA, o autor afirmou que recebeu ordens enquanto esteve no cargo para "produzir e esquentar" dossiês contra adversários do governo Lula.
Durante três anos, Tuma Junior comandou a Secretaria Nacional de Justiça, cuja mais delicada tarefa era coordenar as equipes para rastrear e recuperar no exterior dinheiro desviado por políticos e empresários corruptos. Pela natureza de suas atividades, Tuma ouviu confidências e teve contato com alguns dos segredos mais bem guardados do país, mas também experimentou um outro lado do poder — um lado sem escrúpulos, sem lei, no qual o governo é usado para proteger os amigos e triturar aqueles que são considerados inimigos. Entre 2007 e 2010, período em que comandou a secretaria, o delegado testemunhou o funcionamento desse aparelho clandestino que usava as engrenagens oficiais do Estado para fustigar os adversários.
VEJA – O senhor diz no livro que descobriu a conta do mensalão no exterior
TUMA – Eu descobri a conta do mensalão nas Ilhas Cayman, mas o governo e a Polícia Federal não quiseram investigar. Quando entrei no DRCI, encontrei engavetado um pedido de cooperação internacional do governo brasileiro às Ilhas Cayman para apurar a existência de uma conta do José Dirceu no Caribe. Nesse pedido, o governo solicitava informações sobre a conta não para investigar o mensalão, mas para provar que o Dirceu tinha sido vítima de calúnia, porque a VEJA tinha publicado uma lista do Daniel Dantas com contas dos petistas no exterior. O que o governo não esperava é que Cayman respondesse confirmando a possibilidade de existência da conta. Quer dizer: a autoridade de Cayman fala que está disposta a cooperar e aí o governo brasileiro recua? É um absurdo.


Lula é carregado pelos companheiros em 1979: segundo Tuma Junior, o “Barba” era informante de Romeu Tuma

No livro, Tuma Junior diz ter a convicção de que Luiz Inácio Lula da Silva foi um informante de Romeu Tuma, então chefe do Dops, lá no fim dos anos 1970, quando apenas líder sindical. Não é a primeira vez que a, como vamos chamar?, intimidade de petista com o regime militar é posta em debate. O delegado sugere que a colaboração tenha deixado rastro e dá uma dica: que se procurem as contribuições de um certo “Barba” com os órgãos de repressão.
A esta altura, ninguém com um mínimo de honestidade intelectual pode ignorar que parte considerável do establishment militar via com bons olhos a emergência política do tal “sindicalista” porque avaliava — e com razão neste particular — que sua ascensão enfraqueceria os líderes pré-64 que voltaram ao Brasil com a aprovação da Lei da Anistia. Nesse sentido, a escrita se cumpriu. O petismo exilou Leonel Brizola no Rio de Janeiro e Miguel Arraes em Pernambuco. É inegável que Lula cumpriu o desígnio de quebrar as pernas dos antigos líderes populistas, que encontraram um novo Brasil ao voltar ao país.



 

DILMA FALANDO A VERDADE AINDA MENTE! Por: Lourinaldo T. Bezerra


Em sua última visita a Fortaleza, logo após a conquista da Libertadores das Américas pelo Atlético Mineiro, saiu-se com essa pérola:”Congratulo com toda torcida do Atlético pela conquista do titulo. Eu sou ( meu Deus ) torcedora do Atlético e , quando CRIANÇA, ia com meu pai a muitos jogos do Galo no Mineirão “(??? !!!!) Aí é onde mora a fraude dantesca dessa fajuta e demagógica declaração. Vejam essa análise: 1ª) mentira: quando o Mineirão foi inaugurado Dilma mentirosa Rousseff tinha 18, pois ela nasceu em 1947 e o Mineirão foi inaugurado em 1965, logo ela não era mais criança e já estava longe da mãe fazendo terrorismo em São Paulo, de acordo com o depoimento constante desse vídeo (http://youtu.be/Ck4S1OVIl28);

2ª mentira: seu pai faleceu em 1963, dois anos antes da inauguração do Estádio do Mineirão. Como diabos seria possível alguém comparecer a um estádio inexistente em companhia de um fantasma? Nem seu conterrâneo Chico Xavier seria capaz de tamanha proeza. Dona Dilma, que vergonha, a senhora não sabe sequer mentir e quando o faz ainda falsei a mentira. O pior de tudo é que somente seu casaco ou túnica maoista é que fica vermelha. Quando ela fala a verdade ainda mente em 90%! Nem Lula é capaz disso.

Fonte:
 http://www.diariodopoder.com.br


As histórias de meu avô - Por: Emerson Monteiro

Um provérbio africano diz que: Quando alguém morre se fecha uma biblioteca. Isso lembra as palavras de D. Violeta Arraes, no prefácio de meu livro Cinema de janela, de que: Todo ser humano é um ser de cultura.

Meus avós paternos moraram longo tempo no Tatu, herdeiros, ele e minha avó, da propriedade onde vivera Fideralina Augusto. Na década de 60, se transferiram a Crato, fixados na residência bem vizinha de nossa casa, no bairro Pinto Madeira.

Durante as horas vagas de estudos e brincadeiras, lá ia eu passar alguns instantes junto deles. Sentados num espaço que havia entre os dormitórios e a sala de jantar, permanecíamos, horas e horas, em conversas. Contava lá suas histórias, desfiava repertório das tradições que lhe acompanhavam, recolhidos períodos inteiros da infância, mocidade, idade adulta; aprendiz de farmacêutico, vendedor de tecido nas feiras dos brejos da Paraíba, inda a Fortaleza; queda dos Accioly;  Lavras da Mangabeira, conhecendo minha avó, sua prima legítima; o casamento; mandato de vereador; as brigas dos Augustos; a Revolução de 30; lembranças do sítio; viagens que fizera; Caruaru; Rio de Janeiro; mais e mais.

Eu ouvia silencioso, ligado naquelas experiências, época de minhas primeiras leituras dos livros de contos, o que tanto aprecio, longe de televisão e outros chamamentos posteriores. Aquelas narrativas as repetia com cotidianamente, qual preservasse mínimos detalhes, no exercício de mantê-las bem acesas nos becos internos da memória. Era motivo de satisfação privar dos tais momentos mágicos – enquanto minha avó executava os afazeres da casa e ele percorria reverente o itinerário da existência inteira.

Adiante, nos finais dos anos 60, morreria. Hoje revejo, nas telas da saudade, sua presença austera que me marcara o sentimento, rosto firme, forjado nas experiências reais que transmitia. Num dos lados da testa, amplo sinal de sangue, consequência de acidente de motocicleta. Rugas, que mostrava a personalidade forte, voluntariosa e sincera, às vezes rude, reflexo de alma altiva, temperada na luta.

Décadas transcorridas, eu tomaria gosto pela escrita, e, então, as histórias que meu avô contava aos poucos voltaram a ganhar corpo nas vivências atuais, e pude compreender a finalidade daquilo tudo, o gosto sistemático que debulhava em nossos encontros ocasionais.  

BlogHumor

.



Até a Rádio Educadora CAIU ? - Por: Dihelson Mendonça


Há muitos anos circula essa famosa frase, que se transformou em uma anedota na cidade do Crato, em que, num evento, ocorrido décadas atrás, o radialista Huberto Cabral testando um microfone, teria falado rapidamente repetidas vezes: "Alô, Rádio Educadora do Cariri, Rádio Educadora do Cariri", e o povo, sem entender direito, captou a mensagem como "A Rádio Educadora caiu"... 

Voltando agora aos dias atuais: Sabemos que boa parte da imprensa fechou contratos e acordos com a administração municipal. Teve um jornalista aí que declarou até que 95% da imprensa estaria "na mão", e mandou-nos um recado de que não importava que o Blog do Crato não houvesse FECHADO com a Prefeitura, pois isso não importava no fim das contas ( Diferentemente do que o radialista Ed Alencar sustenta, que os poucos que não fecharam, estão fazendo a diferença ). É importante o leitor saber que em casos de contratos de publicidade, o veículo de informação, de qualquer maneira fica limitado em poder fazer críticas contrárias à gestão, pois como se justificaria que ao mesmo tempo, se tem um contrato com uma empresa e fala-se mal desta mesma empresa, de quem se recebe ? Isso aí é o que as pessoas comuns chamam de CALA-BOCA, quando aparece qualquer novo contrato. Existe até um fotógrafo aqui do Crato que me relatou que está sendo pago apenas para não falar nada, nem de bem, nem de mal, e muita gente sabe disso, porque a pessoa diz aos quatro ventos no centro da cidade.

A Rádio Educadora do Cariri

Voltando agora à Rádio Educadora do Cariri, ouvi um boato por esses dias de que esta estação, que era o único baluarte de independência jornalística ainda existente no Rádio Cratense, que ainda não havia fechado contrato com a administração da cidade agora, diante de tanta pressão, resolveu ceder. Nosso amigo, o diretor Geraldo Correia Braga Filho poderia nos explicar o que aconteceu ? Porque após tantos meses de relutância, a estação cedeu às pressões ? A Rádio passa por dificuldades financeiras ? Houve algum tipo de assédio ? O certo é que os boatos se multiplicam nas ruas do Crato, e as pessoas querem saber o que aconteceu.

De forma que ao que parece, os únicos veículos de informação que não "fecharam" e nem vão sufocar a verdade e a informação são o Blog do Crato, o Portal Chapada do Araripe, e a WebTV Chapada do Araripe ( afora alguns mais ), porque consideramos que há coisas mais importantes que o dinheiro. Nada contra os jornalistas que fecharam contratos, muitos chegam para nós nas ruas até justificando serem pais de família e precisam do pagamento, nada contra fechar um contrato e colocar uma publicidade de qualquer administração ou empresa, CONTANTO que não tentem a troco destes míseros trocados ( falaram no início do ano até em Jornalistas de 50 reais ), tolher a liberdade de imprensa. A Imprensa deve ser sempre soberana, a imprensa deve ser livre, e no regime democrático, nunca deve se deixar intimidar com ameaças, com falácias e com pressões. 

Antigamente se dizia que a imprensa era o quarto poder no Brasil. Hoje, diz-se que não é mais o quarto, e sim, o primeiro poder. Portanto, Força, Coragem, e sobretudo, responsabilidade à nossa Imprensa. Dela dependem informações fidedignas, corretas, sem o peso financeiro, pois a opinião livre da imprensa é que irá influir no destino do povo Brasileiro, que cada vez mais necessita de uma política honesta e de homens de caráter.

Por: Dihelson Mendonça 
www.blogdocrato.com


A Imprensa do Cariri está convidada ao Café da Manhã de Cinema, no Cariri Garden Shopping nesta Quinta-feira, 09:00 - VAMOS ???



Por: Elizângela Santos


VEREADOR JALES VELOSO ABRIU O JOGO, E AFIRMA TER PARTICIPADO DE UMA DAS REUNIÕES CONVOCADA POR RAFAEL BRANCO COM (16) DEZESSEIS VEREADORES, JUNTO AO PREFEITO RONALDO, RELATADA NAS DENÚNCIAS DE MENSALÃO


Resumo da sessão desta Segunda-Feira na Câmara de Vereadores do Crato

O vereador Roberto Anastácio ( Bebeto),  apelou dando uma do mestre do suspense “Alfred Hitchcock” na sessão da Câmara Municipal do Crato desta segunda feira (09), onde o que tinha para revelar hoje, ficou para amanhã. Até mesmo, que correm rumores, que até quarta-feira (11), terá "bomba" no Crato, e coincidência ou não, o Promotor de Justiça Dr. Lucas Azevedo que investiga as denúncias, já está no Crato.

Bebeto disse que atendendo ao pedido (não disse de quem!), não podia revelar na sessão desta segunda-feira os "buchichos" ( fatos novos )  que ele sabe, que incriminam mais ainda os vereadores que supostamente estariam envolvidos nas denuncias do ex-prefeito Samuel. 

OUTRO SUSPENSE

Bebeto tem uma reunião nesta segunda feira com pessoas ligadas ao que vem sendo apurado, e só depois dessa reunião, terá ou não autorização para falar de alguns detalhes sobre tudo o que já foi apurado no município. Bebeto fez uma comparação dos exemplos do “STF” após decretar as prisões dos envolvidos no MENSALÃO NACIONAL, disse que políticos tem que olhar para o que fazem e o que dizem. (tem recado ai...)

Com estes subterfúgios de Bebeto, perguntei se no Crato tem políticos de “barbas de molho”. Respondeu: “Tem sim, o problema das investigações do Legislativo e Executivo é questão de dias, e eu não tenho dúvida, ou através da Justiça ou dos próprios vereadores”. Concluiu. 

JALES VELOSO ABRIU O JOGO E AFIRMA TER PARTICIPADO DE UMA DAS REUNIÕES CONVOCADA  POR RAFAEL BRANCO COM (16) DEZESSEIS VEREADORES JUNTO AO PREFEITO RONALDO.

Disse Jales Veloso; ”Estou pronto para falar na justiça todos os detalhes, tudo que aconteceu naquela reunião de uma quarta feira, onde estive juntamente com o vereador Gury,  e se ele confirmar tudo o que vimos, está esclarecido as coisas, mas só quero  divulgar o local na justiça” a gente quer transparência mais  aqui na câmara muitos não querem”. Conclui Jales.

Eita.. Que o cerco está se fechando, mas as interrogações aumentam dia-a-dia nessa cidade; “O que virá por ai”? O que vai acontecer?  Decepção com a BOMBA ou decepção com a PIZZA? Eis a questão! Acredito que o Hitchcock, ou melhor, Bebeto, não falará do que sabe ainda na sessão de amanhã, suponho eu, pois estaria se antecipando antes do parecer da justiça. Já o vereador Gury não quis se pronunciar, disse que falaria depois. Pode ser amanhã!?

Aí volta a música: “Amanhã talvez”.

Por: Ed Alencar
Repórter/Membro do Blog do Crato


Deixe-nos passar! - Por: Nijair Pinto - Comandante da 1ª Seção de Bombeiros do 4º GB/Iguatu


UTILIDADE PÚBLICA

Deixe-nos passar!

Imagine-se trafegando pelas ruas da sua cidade, tranquilamente. De repente, ao olhar pelo retrovisor, observa luzes piscando e escuta a sirene de uma viatura de socorro. O instinto da curiosidade se aguça. Você até pensa em sair do caminho, reduzir a velocidade, ‘jogar’ o carro para o lado direito da via, mas tudo o que consegue é permanecer na dinâmica do deslocamento anterior, dificultando a passagem da viatura. O som da sirene permanece, aproximando-se lentamente. Pelo retrovisor, você observa mãos desesperaras pedindo passagem... Minutos depois, cruciais para quem precisa do atendimento, a viatura passa por você e se perde na via, seguindo rumo ao destino colimado, quando alguém, certamente aflito, pediu socorro. Você já vivenciou cenas assim? Conhece alguém que passou por isso?

As viaturas de socorro, pelo atendimento de caráter súbito e imprevisto, atuam emergencialmente. Nos incêndios, os cinco primeiros minutos são essenciais no combate; para quem está em parada cardiorrespiratória, a partir do quarto minuto os danos cerebrais poderão ser irreversíveis; num salvamento de vítimas presas às ferragens, o tempo-resposta é crucial na manutenção da vida... Em todos os casos citados, o atendimento somente se iniciará quando da chegada da viatura ao local. Parece óbvio demais! Infelizmente, vidas e haveres se perdem por descumprirmos o óbvio. Se você não permitir que as viaturas cheguem aos locais com brevidade, os socorristas chegarão para recolher corpos e não para salvar vidas. Outro óbvio que precisa ser dito: a vítima pode ser você!


O Código de Trânsito Brasileiro, em sua resolução n.º 268, assegura prioridade de trânsito, livre circulação e estacionamento para veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, mas o que importa, na prática, não é a literalidade da lei – o que importa é nossa postura cidadã, consciente e preventiva, diante do caso concreto. Para quem precisa de socorro imediato, o importante é que a ajuda chegue – e chegue com brevidade. Portanto, como você poderia ajudar? Simples. Quando ouvir a sirene de qualquer viatura de socorro, resista à sedução e ao sentimento lúdico do som das sirenes e dê passagem! A tradução do conjunto luzes do giroflex piscando e da sirene bitonal das viaturas seria essa: “Deixe-nos passar!”.

Aprendemos que a faixa da esquerda é a da ultrapassagem, certo? Portanto, quando você olhar pelo retrovisor e observar luzes e ouvir sirenes, libere a faixa da esquerda, indo para a direita, ou, se necessário, parando o seu veículo. As vítimas agradecerão, pois a vida não pode esperar!

Até a próxima semana.

Nijair Araújo Pinto – Major QOBM
Comandante da 1ª Seção de Bombeiros do 4º GB/Iguatu



Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31