xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 23/09/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

23 setembro 2013

A lenda de Omulu - Por: Emerson Monteiro

(Tradição afro-brasileira)

A deusa mais guerreira do Daomé, Nanã Buruquê, apaixonou-se por Oxalá, de quem pretendia conquistar o reino. Ele, por sua vez, não queria envolvimento com outro orixá, pois amava Iemanjá, sua mulher. Nanã, sabendo disso, fez vinho de palma, embriagou-o e seduziu-o, engravidando por via de consequência.

O filho de Nanã Buruquê e Oxalá, gerado na força da desobediência, recebeu o nome de Omulu e nasceu vitimado por feridas deformantes pelo corpo, motivo suficiente a que sua mãe o deixasse abandonado na praia, querendo que o mar lhe tirasse a vida. Avistado por enorme caranguejo, o bebê chegou a perder pedaços da sua carne, ferido que pelas pinças do animal agressivo. 

Quando veio a maré alta que começou banhar o recém-nascido, Iemanjá ouviu-lhe o choro e veio na busca, deparando-se com criança indefesa sagrando e quase morta. Tomada de profunda compaixão, pegou-a nos braços salvando de afogamento iminente.

No observar a redondeza, Iemanjá localizou uma gruta deserta onde acomodou Omulu. Improvisou berço rústico de palhas de bananeira, instalando-o e passando a tratá-lo qual legítimo filho, protegendo-o, alimentando-o com pipoca sem sal nem gordura e aliviando-lhe as dores dos ferimentos.

Desde então, sempre que os afazeres do reinado permitiam, vinha à praia e cuidava do pequeno, amamentando-o e banhando-o nas águas do mar.

Quando sozinho, Omulu percorria as matas e se aproximava dos bichos, dentre eles as cobras, com quem estreitou amizade.

Numa das visitas que recebeu da Rainha do Mar, Omulu se apresentou cercado de répteis, dentre eles perigosa cobra coral de sua preferida. Ao admirar o poder que ele tinha de dominar as serpentes, Iemanjá observou também que crescera e se transformara em jovem belo, sadio e disposto.

Já homem feito, Omulu decidiu conhecer o mundo. Juntou alguns poucos pertences, bornal, bastão e cabaça de água, acompanhou-se de dois cachorros e partiu com destino ignorado, vagando na face da Terra.

Viajava qual esmolé, mendigando o sustento e se dedicando a curar enfermos e a combater epidemias que castigavam as aldeias. Quando alimentado, mesmo assim continuava à cata de alimentos para repartir com os irmãos necessitados, convertendo a jornada em serviço de desapego e caridade.

As funções de Omulu se tornaram missão de trazer conforto aos desvalidos que encontrava. Isso, porém, provocou reações desencontradas nas pessoas ruins que, egoístas, nalgumas ocasiões recusavam o auxílio. Por esta causa, contrafeito, o orixá resolveu se embrenha mata adentro.

Nesse tempo, conheceu Ossanha, a deusa responsável pela vegetação. Dela aprendeu o jeito de trabalhar o poder das plantas e desenvolver o dom da cura. Hoje, rico dos conhecimentos da Natureza, segue vagando e ministrando os benefícios da saúde a quem merecer.

Na cultura católica, para uns, o orixá representa São Roque, e para outros, São Lázaro.

Crato: Promotores de Justiça que foram promovidos, serão transferidos - Ed Alencar


Os promotores de justiça Dr. Lucas Azevedo e Dr. Nestor Cabral, ambos atuantes na área que investiga corrupção contra o patrimônio público, serão transferidos deste município por motivo de suas promoções. Dr. Lucas irá para a promotoria de Juazeiro do Norte. Dr. Nestor para Caucaia-Ceará. O Dr. Lucas Azevedo em entrevista à nossa reportagem, disse que permanecerá por mais seis meses na 2ª Promotoria da Comarca do Crato. 

Por: Ed Alencar
Repórter - Membro do Blog do Crato


14ª Romaria ao Caldeirão da Santa Cruz do Deserto será no domingo, 22


A 14ª Romaria do caldeirão será realizada neste próximo domingo, 22, em Crato. O evento acontece por meio de uma parceria da Diocese do Crato com a Prefeitura Municipal do Crato, por meio da Secretaria Municipal de Cultura. O Caldeirão da Santa Cruz do Deserto está localizado no distrito da Ponta da Serra. A Romaria acontece a partir das 07h30.

O evento já entrou para o calendário cultural e religioso do Cariri começa com a acolhida aos Romeiros e uma Missa Campal celebrada por padres da Diocese. Este ano, a Romaria tem como tema “Terra, Água, Comunhão: Bem Viver no Nosso Chão” que relembra a convivência dos agricultores familiares no semiarido brasileiro, cuja resistência se confunde com a do próprio beato José Lourenço, que organizou a comunidade calcada em valores humanos e solidários.

Exemplo de convivência com o semiarido, o Caldeirão da Santa Cruz do Deserto é apontado como experiência exitosa em cuidado com o homem e a terra. Com suas experiências agroecológicas, a comunidade fundada pelo beato José Lourenço é apontada como embrião do que se convencionou denominar de ecovilas. No caso do Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, o trabalho em regime de mutirão chegou a alimentar duas mil pessoas durante o início do século XX.

A organização da 14ª Romaria ao Caldeirão da Santa Cruz do Deserto informa que está estritamente proibida a comercialização de bebidas alcoólicas pelos barraqueiros e ambulantes durante a realização do evento. Informa ainda que haverá fiscalização, e aqueles que infringirem esta proibição terão seus produtos apreendidos

Elizângela Santos
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaboradora Oficial do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe



29ª edição do Ceará Summer Fashion movimenta Fortaleza nesta semana


O evento segue a partir desta segunda-feira (23) até sexta(27). Organização estima que cerca de 12 a 15 mil compradores.


O Maraponga Mart Moda realiza, a partir desta segunda-feira (23), a 29ª edição do Ceará Summer Fashion (CSF), um dos mais tradicionais eventos de moda do Ceará. Com o tema “Juntos aquecemos a moda” e aproveitando o período do ano propício para compras, o Ceará Summer Fashion pretende apresentar as tendências da moda verão e aquecer as vendas de lojistas e revendedoras de moda. O evento segue até sexta-feira (27). Durante os dias de desfiles de marcas regionais e atividades da programação do evento, a organização estima que cerca de 12 a 15 mil compradores de vários estados circulem pelos corredores do Maraponga Mart Moda, entre compradoras, revendedoras e corretores de moda.

Programação

Os desfiles acontecerão nos dias 23, 24 e 25 de setembro. Nesta edição, o evento apresentará dois horários de desfile: o primeiro às 8h, juntamente com um café da manhã; e o segundo às 18h, acompanhado de um coquetel. As 300 marcas presentes no Maraponga Mart Moda, considerado um dos maiores shoppings atacadistas do país, vão subir à passarela da arena de desfiles do Lounge Lino Villaventura. Cada uma delas apresentará três looks da coleção de verão.

Artistas

Celebridades de renome nacional – entre modelos, atores, atrizes e personalidades da mídia – subirão à passarela, trazendo brilho e mídia espontânea ao evento. Já estão confirmadas como atrações para o 29º Ceará Summer Fashion os atores Max Fercondini, Iran Malfitano e Dado Dolabella.

Além dos desfiles, o evento contará também com uma ampla programação para revendedores e visitantes: Café com Moda; Painéis de Tendências; Espaço da Moda: dicas de estilo e compras com blogueiras de moda; e Tenda MMModa, com DJ’s animando os revendedores participantes sempre após os últimos desfiles de cada dia.

Do G1 CE


Adolescente de 16 anos é espancada e violentada em Juazeiro do Norte


Inicialmente, moradores acharam que ela estava morta. Mãe diz que ela foi encontrada em terreno baldio, nua e ensaguentada.

Uma jovem de 16 anos foi agredida com tijolos e pedras e violentada por um homem e um adolescente quando voltava para casa no Bairro Triângulo, em Juazeiro do Norte, a cerca de 500 km de Fortaleza.  A adolescente estava tão machucada que os moradores acionaram a polícia às 6h13 deste sábado (21) informando que haviam encontrado um cadáver em um terreno baldio na Rua Doutor Francisco Monteiro, de acordo com o registro da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops).Ao chegar ao local, policiais do programa Ronda do Quarteirão perceberam que a adolescente estava viva e a levaram ao Hospital Regional do Cariri (HRC), onde permanece internada em estado grave. ”A moça foi bastante agredida. Jogaram uma banda de tijolo na cabeça dela. Ela estava amarrada”, disse o policial militar Valdenir. Segundo a mãe da menina, a jovem estava nua. ”Chegamos lá, ela tava sentada, nua e o rosto era só sangue. Atrás da orelha dela, minava sangue. Não sei se foi pedra ou se foi faca”, disse. 

Após buscas pela cidade, a polícia prendeu um suspeito de 38 anos em casa e o adolescente, dentro de um ônibus. Os dois foram encaminhados à 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil (20ª DPCR). Os dois já tinham passagem pela polícia.

Do G1 CE


Igreja Católica prepara reabilitação de Padre Cícero – por Dermi Azevedo


Processos de reabilitação e, depois, de oficialização como beato e santo, estão sob exame do papa Francisco. Ele decidirá se o Padim Ciço do Juazeiro, que se tornou líder popular no início do século passado, será beatificado e canonizado numa de suas duas visitas ao Brasil, previstas para 2017 e 2018.

O padre Cícero Romão Batista, o maior líder religioso e político do interior do Ceará, nos anos 30, já foi reabilitado, na prática, pela Igreja Católica Romana, depois de ter sido silenciado e excomungado há mais de 100 anos. Os processos de reabilitação e, depois, de oficialização como beato e santo, estão sob exame do próprio papa Francisco. Ele decidirá se o Padim Ciço do Juazeiro será beatificado e canonizado numa de suas duas visitas ao Brasil, previstas para 2017 e 2018.

Seu nome já integra, como referência para a comunidade católica, o programa oficial do 13º Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (Cebs), que será realizado de 7 a 14 de janeiro de 2014, em Juazeiro do Norte, a cidade do padre Cícero, a 500 km de Fortaleza, sobre o tema “Justiça e Profecia a serviço da Vida”. As Cebs foram duramente afetadas pela política neoconservadora dos papas João Paulo II e Bento XVI, mas nunca deixaram de se reunir, inspiradas na Teologia da Libertação e nos documentos aprovados pelo Concílio Vaticano. Vários líderes assassinados por participarem das lutas populares urbanas e rurais – como é o caso de Chico Mendes, padre Josimo Moraes Tavares, Santo Dias da Silva, Margarida Maria Alves, Marçal Tupã-Ý e irmã Dorothy Stang – participaram do trabalho das comunidades de base.

Nove encontros preparatórios e círculos bíblicos já começam a ser realizados em todo o Nordeste, preparando o intereclesial de janeiro. O encontro terá também a participação de representantes de outras igrejas cristãs que apoiam o diálogo ecumênico (Luterana, Presbiteriana, Anglicana, Católica Brasileira, Ortodoxa, entre outras).
Semiárido

Um dos temas a serem debatidos em Juazeiro será o papel dos beatos e sua atuação na realidade do sertão semiárido nordestino. “Essa região – diz o texto-base das CEBS – é marcada pela violência no campo, pela luta pela terra e pela concentração da pobreza e da miséria, mas o semiárido não é apenas clima, vegetação, solo, sol ou água. É povo, música, festa, arte, religião e política. É um processo social”. Para as Cebs, a realidade nordestina exige uma verdadeira revolução cultural, que passa pela dimensão religiosa do povo do sertão.

Blog Do Juazeiro

O recurso à história é incluído no texto-base das Cebs como algo fundamental nesse resgate do catolicismo popular. Os “desvalidos dos currais do coronelismo sertanejo” partiram, em massa, no final do século XIX e começo do século XX, para o sertão do Cariri. Esses homens e mulheres empobrecidos já haviam ouvido falar do Padim Ciço, um missionário que anunciava a terra prometida. Sabiam do “milagre da hóstia” que tinha se transformado em sangue quando dada à beata Maria Madalena do Espírito Santo de Araújo. Nesse período histórico aconteceram várias rebeliões de camponeses pobres em Canudos (1896-1897), Contestado (1912-1916) e Caldeirão (1926-1937).

A religiosidade popular desses sertanejos chocou-se com a ortodoxia do catolicismo dominante. O padre Cícero foi destituído de suas funções e expulso da Igreja. Chegou a viajar ao Vaticano para tentar o perdão do Papa, sem sucesso. Tornou-se o líder político de sua região. Cumpriu até mesmo missões políticas a serviço do governo federal: ofereceu, por exemplo, ao líder do cangaço, Lampião, uma patente de capitão, se envolvesse os cangaceiros na resistência armada à Coluna Prestes.

Preceitos ecológicos

O Padim Ciço tornou-se um líder popular e, já naquela época, tornou-se defensor do meio ambiente. No encontro das Cebs, serão distribuídos folhetos com os 10 conselhos ecológicos elaborados por Cícero: 1. Não derrube o mato, nem mesmo um pé de pau; 2. Não toque fogo no roçado em na catinga; 3. Não cace mais e deixe os bichos viverem; 4. Não crie o boi nem o bode soltos faça cercados e deixe o pasto descansar para se refazer; 5. Não plante em serra acima nem faça roçado em ladeira muito em pé; deixe o mato protegendo a terra para que a água não a arraste e para que não se perca a sua riqueza; 6. Faça uma cisterna no oitão de sua casa para guardar água de chuva; 7. Represe os riachos de 100 em 100 metros, ainda que seja com pedra solta; 8. Plante cada dia pelo menos um pé de algaroba, de caju, de sabiá, ou outra árvore qualquer, até que o sertão todo seja uma mata só; 9. Aprenda a tirar proveito das plantas da caatinga, como a maniçoba, a favela e a jurema; elas podem ajudar a conviver com a seca; 10. Se o sertanejo obedecer a esses preceitos, a seca vai aos poucos se acabando, o gado melhorando e o povo terá o que comer. Mas se não obedecer, dentro de pouco tempo o sertão todo vai vira um deserto só.  

Fonte: Carta Maior - Via Chapada do Araripe


Tornado mata duas pessoas e deixa 64 feridos no interior de São Paulo


São Paulo – A cidade de Taquarituba, a 320 quilômetros da capital paulista, foi parcialmente destruída por um tornado às 14h desse domingo (22). Segundo o Corpo de Bombeiros de Avaré, município próximo que auxiliou no atendimento às vítimas, duas pessoas morreram e 64 ficaram feridas. Parte da cidade, que tem 24 mil habitantes, continua sem energia elétrica e os telefones também não funcionam.

O motorista Jamil Francisco da Silva morreu quando o ônibus que dirigia, trasportando trabalhadores rurais, capotou diversas vezes. Em uma quadra esportiva, a queda de uma viga matou o adolescente Mateus Pereira. Os 64 feridos foram atendidos inicialmente em Taquarituba e os casos mais graves foram transferidos para a Santa Casa de Avaré.

Os bombeiros informaram que mais de 100 casas ficaram destruídas, assim como o polo industrial da cidade e a rodoviária. Foram deslocados para a operação três viaturas do Corpo de Bombeiros, três unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), três viaturas da Polícia Militar e três viaturas da Polícia Civil. As equipes encerraram as buscas ontem, antes do entardecer, quando todos os desaparecidas foram encontrados.

Agência Brasil

URCA realiza aula inaugural de Dinter em Direito, em parceria com a PUC do Paraná


O fortalecimento de cursos de pós-graduação na Universidade Regional do Cariri (URCA) tem sido constante nos últimos anos. Na última sexta-feira, foi realizada aula inaugural do Doutorado Interinstitucional em Direito (Dinter de Direito), parceria da URCA com o Programa de Pós-Graduação em Direito, da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Paraná. Esse é um dos quatro nos últimos anos, aprovados pela URCA em parceria com outras instituições de ensino superior do País. Também foi iniciado o Dinter em Artes, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), além da seleção do Dinter em Engenharia, pela Unep.

A Reitora destacou a importância do doutorado, principalmente por conta do destaque do Curso de Direito, de mais de quatro décadas de implantação e atualmente entre os melhores do Brasil, segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), com o Selo OAB  Recomenda.

Ela ainda ressaltou o raio de ação da Universidade, com abrangência de cinco estados da federação, atingindo mais de 100 municípios, para enfatizar a importância institucional no contexto de formação que a URCA envolve. No caso da área do Direito, segundo a Reitora, não há instituição da área que não tenha profissionais formados pelo curso nesses municípios, dentro dos relevantes serviços prestados à sociedade pela Universidade.

A solenidade contou com a presença do coordenador do curso de Direito, Professor Antônio Ambrósio, e o chefe de departamento, Ulisses Olinda. Além deles, o Pró-Reitor Adjunto de Pós-Graduação e Pesquisa da URCA, Professor Apiano Feitosa, além da Professora Doutora da PUC, Danielle Anne Pamplona, ministrante da primeira disciplina da turma, e o Vice-Reitor da URCA, Professor Patrício Melo.

Outros dois cursos na área de Pós-Graduação, segundo a Reitora, deverão ser anunciados nos próximos meses, o Mestrado em Enfermagem, além do Doutorado na área de Bioprospecção Molecular. Para ela, a grande importância desses cursos reside no fortalecimento institucional, com a formação dos professores da URCA, credenciando a instituição para que novos cursos de Pós-graduação sejam implantados no futuro. Além disso, conforme Apiano, há um ganho financeiro para a Universidade, que em breve terá mais de 100 doutores em seu quadro. “Quanto mais pesquisadores no âmbito do mestrado do doutorado, mais investimentos em pesquisas e produção científica e isso representa um ganho importante para a URCA e Região”, afirma.

Para Otonite Cortez, esse é um momento histórico para a Universidade, que poder ofertar um programa de Doutorado em Direito. Ele ressalta o empenho do Professor Patrício nesse processo, além de destacar o coordenador do doutorado, Professo Pós-Doutor do Curso de Economia da URCA, Micaelson Lacerda.

I Festival do Livro é realizado na URCA e conta com grande participação

Dentro da I Seminário Nacional de História e Contemporaneidades, foi realizado na URCA o I Festival do Livro, que contou com a presença de projetos e Sebos da Região, no intuito de levar aos estudantes e participantes do evento o melhor na literatura da área, dentre outros segmentos.

O evento foi realizado no Salão da Terra, no campus do Pimenta, e contou com grande movimentação, desde a última quinta-feira, dia 17, quando foi aberto o evento, até o último dia 21. O espaço contou com a exposição de trabalhos relacionados às artes, oficinas, e exposição de xilogravuras, com a participação da Lira Nordestina.

Ao espaço Plebeu, projeto desenvolvido pela professora doutora Adelaide Gonçalves, também esteve presente. Uma exposição foi realizada por meio do projeto, também no espaço do Salão da Terra. Na sede administrativa do Geopark Araripe aconteceu  exposição de vários vídeos.  

Unidade Descentralizada da URCA em Iguatu promove curso de Fisiologia do Exercício

A Unidade Descentralizada da Universidade Regional do Cariri (URCA) em Iguatu, por meio dos alunos da turma de Fisiologia do Exercício, sob a coordenação da professora e Mestra Glébia Alexa, realizou nos dias 20 e 21 de setembro, no auditório do Sesc, o curso de Fisiologia do Exercício. 

O evento teve como palestrante o Prof. Dr.Alexandre Sérgio Silva, especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina. Mestre em Saúde Coletiva e Doutor em Ciências da Motricidade pela UNESP - Rio Claro, e professor da Universidade Federal da Paraíba, onde atua como pesquisador.

O curso tem como objetivo criar condições, por meio de fundamentação teórica e aplicação prática, para o pleno entendimento da aplicabilidade da Fisiologia do Exercício na prática diária requerida por diferentes demandas. Na solenidade de abertura, na tarde do dia 20 de setembro, marcaram presença além do palestrante, o Diretor Geral da Unidade, Professor Ivo Ferreira e o Coordenador do Curso de Educação Física em Iguatu, Prof. Jayme Xavier, e a organizadora do Curso, Professora Glêbia Alexa. (Redação e crédito das fotos: Luiz Vasconcelos - www.iguatunoticias.com)

Livro Discurso Político no Folheto de Cordel será lançado dia 25 no Cariri

A Professora Dra. Cláudia Rejanne Pinheiro Grangeiro, do Departamento de Letras da Universidade Regional do Cariri (URCA), lança, no próximo dia 25, no Salão de Atos da Instituição, às 19 horas, o livro Discurso Político no Folheto de Cordel. O trabalho é vencedor do Prêmio Mais Cultura Patativa do Assaré, do Ministério da Cultura, na categoria Pesquisa em Literatura de Cordel.

De acordo com a pesquisadora, o livro trata, de uma análise do discurso político no contexto da cidade de Juazeiro do Norte, tomando como corpus os folhetos de cordel “Engana-me que eu gosto” e “Engana-me que eu gosto 2” , de Abraão Batista, matéria de jornal, panfletos  e cartas anônimas aos eleitores.

Os dois polêmicos folhetos circularam nessa cidade por ocasião das eleições municipais do ano 2000. O primeiro deles foi proibido judicialmente de circular, por trazer imagem e dizeres considerados pela justiça ofensivos à figura feminina. Trazia também um discurso de “bestaferização” (demonização) da mulher e do comunismo. As análises são norteadas pelas teorias do discurso oriundas dos “diálogos e duelos” entre o grupo em torno de Michel Pêcheux e a Arqueologia do Sabe

Ainda conforme a autora, vivemos na “sociedade do espetáculo”, na qual “a mercadoria contempla a si mesma no mundo que ela criou. “Tais transformações atingiram também a fala política. Dos grandes debates ideológicos da década de 1970, passou-se para o império das formas breves e a hegemonia das imagens”, destaca.

Informações:
Universidade Regional do Cariri (URCA)



Vídeo: Sanfoneiro Caririense em destaque - Ranier Oliveira - Noites sergipanas (Dominguinhos)

RanieroliveiraRanier Oliveira Sousa nasceu num ambiente musical e cresceu ao som do violão tocado por seu pai, grande incentivador e referencial, base de sua musicalidade. No final da década de 1990 iniciou os estudos de piano na SOLIBEL (Sociedade Lírica do Belmonte). Em 2006, voltou o seu interesse pelo acordeon, possibilitando um conhecimento mais profundo da música de raíz  e da música tradicional caririense, aprimorando-se no universo do forró, com influências em bandas cabaçais, bandas de pifes e grupos de reisados, abrangendo toda essa riqueza de ritmos e sotaques. Como pianista e acordeonista, integrou a Itiberê Orquestra Família, liderada pelo baixista, compositor e arranjador Itiberê Zwarg, onde se faz Música Universal. Atualmente é graduando do curso de Licenciatura em Música da Universidade Federal do Ceará (UFC).

No ano de 2012, apresentou o show Descobrindo na programação do CCBNB de Fortaleza, Sousa e Cariri. Ainda no mesmo ano, participou do CONGRESSO DA SIBE / Cárceres (Espanha) tocando com o Coral Retalhos e Fuxicos no espetáculo “Numa Sala de Reboco”, uma homenagem ao eterno Rei do Baião Luiz Gonzaga.Em 2011 participou da mostra Luso-Brasileira na cidade de Coimbra em Portugal com o Grupo Dr. Raíz. Em Fortaleza, a convite do SESC, fez uma residência que gerou o projeto "ó O Auê ai", reunindo grupos de música, dança e compositores da terra com o propósito de difundir a música da Região.  Concebeu o Projeto Encontro de Músicos desenvolvido para a ONG BEATOS (Crato-CE), organizando as quatro primeiras edições.

Participou na gravação do primeiro álbum do compositor Sueco Olle Linder chamado "Cheio de Gente" e do álbum Encruzilhada do gaitista carioca Jefferson Gonçalves (2011).

Ranier Oliveira já se apresentou ao lado de: Hermeto Pascoal e Grupo, João Cláudio Moreno, Flavia Wenceslau, Anderson Nóbrega, Ermano Morais, Dr. Raíz, Zabumbeiros Cariris, Fábio Carneirinho, Maurício Jorge, Jefferson Gonçalves, Geraldo Júnior, Forro de Raíz, Babi Guedes, Fulô da Aurora, Dona Zefinha e Cantigar. No teatro, apresentou-se no espetáculo “Homenagem a Calvino: Cosmicômicas”. Direção de Alessandra Vannucci, com Júlio Adrião, acrobatas da Escola Nacional de Circo e colaboração de Boris Vecchio.  Apresentou-se ainda ao lado de Rebeca Queiroz com o espetáculo Estórias Pintadas, com a Cia Carroça de Mamulengos e com o grupo Chileno El Circo del mundo. Em parceria com Geraldo Júnior, fez a direção musical, arranjos e composições,  do espetáculo de Waldir Azevedo com a direção de Sidney Cruz.  




Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30