xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 14/09/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

14 setembro 2013

Crato - Bairro Parque Grangeiro clama por investimentos públicos


O Parque Grangeiro é uma das nobres áreas do Crato, onde não se compra um lote de terra de 6 X 30 por menos de 50 mil ou 80 mil reais. Por ser um local com panorâmica visual privilegiada e de clima agradabilíssimo, no Bairro residem juiz de direito, promotor de justiça, jornalista, advogado, medico, empresário, secretário municipal e vereador. Embora seja perto do centro da cidade, os investimentos públicos ali não tem sido prioridade das administrações municipais. As duas grandes obras publicas construídas no Bairro são caducas. 

A primeira foi a eletrificação feita pelo ex prefeito Pedro Felício Cavalcanti há mais de 40 anos atrás e a outra foi o calçamento em pedra tosca e instalação do abastecimento de água feito pelo ex prefeito Walter Peixoto há 30 anos passados. No Bairro não tem uma rua asfaltada, não tem uma praça, não tem esgoto sanitário, não tem supermercado, uma loja de material de construção, boutique, frigorífico, e nem farmácia. Quem quiser comprar um comprimido de um real para dor de cabeça, por exemplo, terá que ir ao centro, pagando 4 reais de mototaxi pra ir e mais 4 reais para vir e o remédio finda saindo por 9 reais. O transporte publico coletivo que a população usa é um ônibus que passa fora do Bairro em direção ao Grangeiro. Mulheres grávidas, crianças, idosos e deficientes físicos que precisam do serviço são obrigados a se deslocar até 500 metros até a avenida para se expor ao sol quente a espera do coletivo.

A segurança publica praticamente é zero, os assaltos acontecem nas esquinas e esporadicamente, uma vez por outra, passa uma viatura do policial. Para completar, vem faltando água de dia e energia de noite. As sucessivas oscilações no sistema elétrico do Bairro, já queimou aparelhos eletrônicos de muita gente e fato foi comunicado a COELCE e nenhuma providencia ainda foi tomada. 

O Parque Grangeiro já elegeu três vereadores para uma só legislatura. Luiz Wellington, que hoje é empresário lojista, Valdetário Brito, que hoje é medico e Claudio Esmeraldo que atualmente é subsecretário de saúde do município. Sem falar em Enrile Pinheiro, que também foi vereador do Bairro e presidente da câmara. A maioria dos eleitores do Parque Grangeiro vota na urna que funciona no Rotary Clube e está entre as que registram o menor índice abstenções. Ou seja, a população votante do Bairro sempre tem comparecido maciçamente em todas as eleições. Nos últimos 50 anos não está na lembrança dos moradores a visita de um deputado ao Bairro, exceto em campanha eleitoral. Moradores esperam da atual gestão municipal os investimentos que o Bairro merece e precisa.

Wilson Rodrigues
Repórter e Membro Oficial do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe


Centenas de milhares de relíquias intactas são encontradas no centro do Rio





Rio de Janeiro – A arqueologia brasileira descobriu recentemente um acervo único de artefatos de diferentes períodos históricos, no coração da capital fluminense. A descoberta do sítio arqueológico ocorreu ao longo dos últimos seis meses, durante escavações para novas estações do metrô, ao lado da antiga estação de trens da Leopoldina.

Parte do material foi apresentada nesta semana à imprensa. Dentre as relíquias, frascos de vidro intactos com conteúdo original, artigos domésticos, como desodorante e escova de dente. Uma, inclusive, com a inscrição em francês “Sua Majestade o imperador do Brasil”, que pode ter pertencido a dom Pedro II.


De acordo com o responsável pela pesquisa, Cláudio Prado de Mello, os objetos, que vão desde o século 17 até o fim do período Imperial (século 19), impressionam não apenas pela quantidade, que pode ultrapassar 800 mil peças, como também pela qualidade e a integridade das peças.

“A arqueologia está perplexa, estamos encontrando uma quantidade não só imensa, mas inusitadamente bem preservada. Por ser uma área pantanosa e como o local passou por aterramento também com material orgânico, acabou preservando peças inteiras, intactas, sem nenhuma fratura, uma lasca”, comemorou o arqueólogo.  

Historiadores já tinham notícia de que a área servia de descarte de resíduos provenientes do palácio imperial. Para Mello o achado é uma oportunidade única da sociedade estudar seu passado por meio de evidências do cotidiano das pessoas que viveram nesses períodos. “É interessante estudar as coisas simples da vida das pessoas para reconstituir esse cotidiano que a gente não registra. O desodorante, a caixinha de pasta de dente, ninguém guarda para deixar de herança”, comentou ele. “A arqueologia está resgatando pedacinhos dessas vidas e vai ter a oportunidade de estudar, processar essa informação e recontar a história dessa sociedade”, contou ele.

No local, funciona temporariamente uma fábrica de anéis de concreto para a construções dos túneis do metrô. A escavação foi interrompida devido ao cronograma da obra e deve ser retomada em 2016, quando as estações estiverem prontas e o local limpo para a pesquisa arqueológica.

“Cobrimos todas as trincheiras com camadas diferentes para ficar bem discernível no futuro até onde a arqueologia foi e quando a obra acabar e a fábrica [for desativada] no final de 2015, esse material vai ser retirado, essa camada será removida e o empreendimento vai devolver para a arqueologia o sítio da forma que deixamos”.

A equipe conta atualmente com mais de 30 profissionais e vai se dedicar agora a limpar as peças recolhidas e reunir as peças quebradas. Enquanto as obras estiverem em curso, a concessionária do metrô, está custeando o trabalho de laboratório, a análise do material e a pesquisa histórica.

Outras preciosidades encontradas nas escavações são um aqueduto subterrâneo, que provavelmente foi construído sob o comando de dom João VI, no início do século 19, e vestígios do Matadouro Imperial de São Cristóvão, local de abate de animais, chancelado pelo governo imperial (de 1853 e a 1881).


Agência Brasil

Corpo do ex-ministro de Gushiken é enterrado em São Paulo


São Paulo – O corpo do ex-ministro Luiz Gushiken foi enterrado, há pouco, no Cemitério do Redentor, na zona oeste da capital paulista. Ele tinha 63 anos e morreu na noite de sexta-feira (13) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ex-ministro da Secretaria de Comunicação de Governo (Secom) no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gushiken fazia tratamento contra câncer de estômago desde 2002. Um dos fundadores do PT, o ex-ministro foi três deputado federal por São Paulo.

A presidenta Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer, assim como o ex-presidente Lula, participaram do velório de Gushiken. Dilma chegou ao cemitério por volta das 15h30 deste sábado (14) e passou cerca de uma hora no velório. Acompanhada dos ministros Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República, José Eduardo Cardozo, da Justiça, Paulo Bernardo, das Comunicações, Guido Mantega, da Fazenda Aloizio Mercadante, da Educação, e Alexandre Padilha, da Saúde, a presidenta deixou o local sem falar com a imprensa.

Lula, que saiu do cemitério às 17 horas, também não conversou com os jornalistas. Ontem, em nota assinada junto com a mulher, Marisa Letícia, o ex-presidente destacou a trajetória de Gushiken, dizendo que ele foi "um militante político brilhante, um conselheiro, um companheiro e um grande amigo". Para Lula, o ex-ministro foi "um homem íntegro, que dedicou sua vida à construção de um Brasil mais justo e solidário" e que, em todos os espaços em que atuou, "sempre defendeu a democracia, a classe trabalhadora e um mundo com mais harmonia e justiça social".

“A grande lição que Gushiken dá a todos os brasileiros, independentemente de se concordar, ou não, com suas opiniões, é que uma pessoa, quando acredita em Deus, acredita que a vida não termina depois da morte, consegue enfrentar com mais dignidade o risco da morte. Esse é o ensinamento que o Gushiken dá para todos nós”, disse o ministro Alexandre Padilha.

Para o ministro Gilberto Carvalho, a morte de Gushiken foi uma perda muito grande para todos os partidos políticos, e não apenas para o PT. O ministro destacou o fato de Gushiken ter sido acusado do crime de peculato e absolvido antes de morrer. “Acho que essa foi a última homenagem que a sociedade prestou ao Gushiken”, disse Carvalho.

Mais cedo, o ex-ministro José Dirceu, que chefiou a Casa Civil no primeiro mandato de Lula, ressaltou que Gushiken foi uma pessoa muito digna. "Um homem feliz, espiritual, de muita fé e que morreu feliz, porque viu tudo aquilo que ele sonhou, acontecer. Ele lutou até o final por isso”, definiu.
  
Dirceu lembrou a história de Gushiken, como fundador da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Partido dos Trabalhadores (PT). “Ele foi um dos principais responsáveis pela chegada do Lula ao poder”, afirmou o ex-ministro, que destacou ainda o caráter solidário de Gushiken. “Ele foi solidário comigo, apesar de ter sido injustamente acusado e pré-julgado”, disse Dirceu, referindo-se à acusação de peculato feita Ministério Público a Gushiken,, que foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda sobre o julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão, José Dirceu lembrou que, para Gushiken, esse episódio foi "a fase heróica do PT, porque talvez tenha sido a maior camapnha feita contra um partido político no Brasil”.

A ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, que também foi a São Paulo para o velório de Gushiken, divulgou nota de pesar pela morte do ex-ministro. "Ele foi um grande homem, guiado pelas virtudes raras da coragem, da persistência e da visão estratégica. Gushiken era um sábio em toda sua humanidade", disse a ministra. Para ela, Gushiken foi a "alma do Partido dos Trabalhadores" e "sua luta é  responsável pelas grandes transformações que o Brasil vive nos últimos anos".

Agência Brasil

Crato - Serviços essenciais estão precários


Crato. A falta de regularidade na coleta de resíduos sólidos domiciliares, bem como a existência de problemas no abastecimento de água em algumas regiões, tem causado diversos aborrecimentos aos moradores de bairros tradicionais da sede deste município. O acúmulo do lixo em plena via pública, segundo populares, além de produzir mau cheiro, também tem feito surgir uma maior quantidade de mosquitos, ratos e baratas. No bairro do Seminário, por exemplo, sacolas de lixo domiciliar se acumulam nas calçadas e, até mesmo, nas pistas de rolamento das vias públicas. Os moradores pedem providências à Prefeitura.

No bairro do Seminário, por exemplo, sacolas de lixo domiciliar se acumulam nas calçadas e, até mesmo, nas pistas de rolamento das vias públicas. "O lixo está dando na canela", diz a dona de casa Maria de Lourdes do Nascimento, que reside na Rua Diógenes Frazão. Segundo ela, "o caminhão de lixo não tem dia, muito menos hora para fazer o recolhimento das sacolas", fato que tem ocasionado uma série de dissabores a quem mora na referida artéria. Maria de Lourdes diz que, por causa do mau cheiro exalado pelas sacolas de lixo, pequenos roedores começaram a aparecer. "Quando o caminhão demora muito pra passar, a gente vê os ratos em cima das sacolas no meio da rua", afirma.

A manicure Francisca Silvino dos Anjos também reclama do atraso na coleta do lixo. "Tem dia que passa só à noite. Tem dia que eles nem aparecem. É uma bagunça só esse negócio", avalia. Ela diz que, com o aumento do lixo no meio da rua, o número de mosquitos, principalmente no fim do dia, também cresceu. "Não tem quem durma aqui na rua sem um ventilador. As muriçocas não deixam não", severa a moradora.

Falta de água

Outro problema apontado pelos moradores é a inconstância no abastecimento de água no populoso bairro. O mototaxista José Carlos Martins se mostra preocupado com a falta do abastecimento, afirmando que nos dias mais quentes o problema é ainda mais grave. "O abastecimento é caótico. A gente abre o registro e fica só pingando. Tem vezes que nem sobe água para a caixa", salienta. Já a comerciante Fátima Lins diz que o problema dificulta, até mesmo, a ida dos filhos à escola. "Essa semana mesmo, minha filha perdeu aula porque não tinha água pra ela tomar banho", comenta ela. Para tentar minimizar o problema ocasionado pela deficiência no abastecimento, ela diz que reserva água em baldes e recipientes. "Quando chega água, eu vou logo enchendo os baldes e o que tiver vazio pra ter alguma reserva", comenta.

A presidente da Sociedade Anônima de Água e Esgoto de Crato (Saaec), Janaina Fernandes de Oliveira, reconheceu os problemas enfrentados pelos moradores do bairro do Seminário. Conforme a responsável pelo órgão, o motivo da falta de regularidade nos abastecimentos seria a queima de um equipamento. "Houve um problema na bomba do poço da Batateira, responsável pelo abastecimento das residências região do Seminário", explicou. A informação foi confirmada pelo diretor técnico da entidade, José Saraiva de Oliveira. Segundo ele, o reator que estava queimado já foi trocado e o abastecimento na região deverá ser normalizado nos próximos dias.

Poços

Ele, no entanto, demonstra preocupação devido à possibilidade de falta de água em outras áreas da cidade. "O problema maior é a região do Parque Granjeiro", avalia José Saraiva. Segundo ele, os poços que abastecem aquele bairro estão com vazão reduzida, devido à falta de inverno nos últimos três anos. "O volume de água no nosso lençol freático diminuiu consideravelmente por causa da seca. A redução no poço que abastece o Granjeiro, para se ter uma ideia, baixou mais de seis metros", explica o técnico. Ao todo, 32 poços abastecem a cidade. Conforme José Saraiva, todas as máquinas ligadas a estes poços estão em plena condição de funcionamento. "O que havia de problema já foi solucionado. Agora é esperar que haja um pouquinho de sorte, também, para que chova e aumente o volume de água no lençol subterrâneo", concluiu.

Coletas

O secretário de Serviços Públicos de Crato, Antônio de Mano, disse desconhecer o problema da falta de recolhimento do lixo no bairro do Seminário. Segundo ele, as coletas no bairro são realizadas todas as segundas, quartas e sextas-feiras, no período da tarde. "No início da semana, um dos caminhões quebrou. Nem por isso houve paralisação no recolhimento do lixo. Disponibilizamos dois caminhões abertos para que a região não ficasse descoberta", informou.

A Prefeitura do Crato disponibiliza seis caminhões compactadores para a realização da coleta do lixo domiciliar. Segundo o secretário, a população precisa colaborar no sentido de evitar acúmulo de lixo nas ruas da cidade. "Basta seguir o calendário de recolhimento. Se a população colaborar, com toda certeza, não haverá mais lixo espalhado em calçadas e no meio da rua", ponderou.

Diário do Nordeste


O hábito do trabalho - Por: Emerson Monteiro

Só sabe o gosto desse costume positivo quem trabalha. Enquanto desocupado, haja dificuldade em preencher o ritmo constante do tempo. Tal prazer de executar as funções do trabalho alimenta de satisfação viver. Ao final do dia, além da consciência em paz, chega leve o sono e inunda de repouso os que desenvolveram atividades produtivas, honestas e justas, no decorrer de horas, nas funções sadias de estudar e trabalhar.

Uma oração, o trabalho alimenta e resulta em frutos bons. Tão bons que proporcionam saudáveis ocasiões no período quando diminuem as energias físicas, na existência das pessoas.

Enquanto outros hábitos prejudicam, a lamúria, os vícios, a preguiça, o trabalho não deixa a idade escorrer pelos dedos e nada de seu construir dói numa situação de saber que as oportunidades sumirão nas curvas do que fica lá atrás.

Se há um remorso mais forte do que outro, o do tempo perdido deixa trilhas de solidão maiores de todas no dentro das pessoas que adormecem sobre o vazio, que largam na estrada a saúde e das possibilidades, duplo abandono em forma de saudade sem jeito, nas ilusões da inutilidade.

Trabalho fortifica, enche de sabor as válvulas dos momentos que deslizam rápidos pelas ladeiras da memória. Pelos sentimentos, toca a música alegre do valor daquilo que transforma por nossas mãos e nossas mentes. Durante o trabalho, fogem selvagens os animais da imperfeição.

O progresso do desenvolvimento de tudo quanto até aqui a raça humana elaborou nasceu do esforço comum de quem trabalha, nas multidões e gerações que acreditaram no vigor da ciência e nos elementos da criatividade.

A primeira revolução da história por isso aconteceu no instante preciso da inteligência despertada nas oficinas do trabalho, semente de toda felicidade individual e coletiva.

Cariri Cangaço começa próxima semana !



O Cariri Cangaço 2013 tem sua noite de abertura marcada para a próxima terça-feira, dia 17 de setembro às 19 horas no Memorial Padre Cícero em Juazeiro do Norte com a Conferência da antropóloga, pesquisadora e escritora Luitgarde Cavalcanti Oliveira Barros, com o tema: Padre Cícero e o Tempo Contemporâneo.

O evento acontece até o dia 22, nos municípios de Crato, Juazeiro, Barbalha, Missão Velha, Aurora, Barro e Porteiras e reunirá mais de 4 mil pessoas em seus 6 dias de realizações, tendo a confirmação de mais de 150 pesquisadores de 17 estados do Brasil. Para Manoel Severo , curador do Cariri Cangaço, "vivemos a consolidação do Cariri Cangaço como o maior evento do gênero no Brasil e para nós do cariri é uma grande honra e alegria, mas também uma grande responsabilidade que está sendo assumida e compartilhada com muito talento e trabalho por uma valorosa equipe tanto do Cariri Cangaço como dos municípios anfitriões, a todos a nossa sincera gratidão."

O Cariri Cangaço é um  evento itinerante, sua abertura será em Juazeiro do Norte na noite do dia 17, mantendo rica e dinâmica programação nos municípios de Barro, dia 18, Porteiras, dia 19, Missão Velha e Aurora, dia 20, Barbalha dia 21 e grande encerramento em Crato na noite do dia 21, sábado. Não é necessário fazer inscrições e a entrada é franca, "é só acompanhar a Programação Oficial e participar deste grande evento que orgulha o nordeste e o Brasil", destaca a diretora do GECC, advogada Juliana Ischiara.


Para conhecer a Programação completa do Cariri Cangaço visite o site oficial do evento:


Cariri Cangaço 2103, onde o Brasil de Alma Nordestina se encontra
Um evento com o apoio do Blog do Crato

Por:Manoel Severo


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30