xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 26/07/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

26 julho 2013

Grupo em favor da Permanência e Modernização da Expocrato se reúne em Crato


A Mudança polêmica da Expocrato continua revoltando os Cratenses

Veja o Vídeo:


Continua em Crato a polêmica sobre uma possível mudança no Parque de Exposições da cidade. Este é o tema de hoje do programa Fatos em Foco, apresentado pela TV Chapada do Araripe. 

Durante a abertura da última expocrato, o prefeito Ronaldo Gomes de Mattos entregou um documento sem consulta prévia à população, ao então secretário de desenvolvimento agrário, Nélson Martins, que na ocasião representava o governador do Estado do Ceará, Cid Gomes, solicitando a construção de um novo parque de exposições para o Crato. A proposta, que é rejeitada por boa parte da população, é que um novo parque seja construído onde atualmente se encontra o palmeiral. Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa do município na última quarta-feira, o documento teria sido endossado por representantes de instituições como a Câmara de Dirigentes Lojistas do Crato (CDL), Câmara Municipal, Prefeitura do Crato, Fetraece, Conpam, Semace, Corpo de Bombeiros, e Universidade Regional do Cariri a (URCA). 

Há muito tempo existe no Crato uma grande controvérsia em relação ao parque de exposições. Os problemas são diversos, e não se restringem apenas à época da realização da Expocrato. A cidade cresce em área urbana e volume populacional, o que tem acarretado transtornos ao tráfego de veículos na área do parque de exposições, causando um estrangulamento, favorecido ainda pelo grande afluxo de pessoas que diariamente se deslocam em ônibus à partir das diversas cidades do cariri até a URCA, que está localizada em área próxima. 

O parque de exposições atual encontra-se desestruturado e obsoleto para receber os visitantes, apesar dos lucros astronômicos sempre divulgados enfaticamente pelo grupo gestor do evento, sendo que para 2013 foi calculado um volume de negócios da órdem de 100 milhões de reais. Diversos cratenses cobram para onde está indo todo este dinheiro, que em tese, deveria ser investido na própria cidade do Crato, ou no mínimo, para a preservação do próprio parque de exposições, que hoje está sucateado. 

Boa parte da população ( senão a maioria ), é contra a mudança do local do parque, que a exemplo de cidades onde este tipo de evento é bem-sucedido, como Uberaba-MG, se encontra no centro da cidade, sem qualquer problema. A defêsa da permanência no local é justificada pelo fato de que apenas cerca de 30 a 40 por cento da área de 33 hectares destinada ao parque de exposições é realmente usada, e a Expocrato poderia ainda se expandir bastante, com uma reforma que a tornasse ao mesmo tempo moderna, e permitisse que a população usasse o espaço como área verde da cidade não apenas durante a semana da expocrato, mas o ano todo. Nesse sentido é que um grupo formado por 45 pessoas, que conta com mais de 700 simpatizantes das redes sociais se reuniu na noite da última quinta-feira, dia 25, nas dependências do Crato Tênis Clube. O grupo FICAEXPOCRATO defende a Permanência e a Modernização do parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante. Na reunião, foram discutidas e decididas inúmeras atividades, criação de comissões e postos dentro do grupo, estratégias e plano de ação. Ficou decidido ainda que outras reuniões acontecerão sempre às quintas-feiras, no mesmo local. Enquanto isso, durante a semana, serão confeccionados Banners, Adesivos, Faixas, Cartazes, e contatos através das Redes Sociais. Segundo o membro do grupo, Samuel Siebra, quando o movimento se agigantar, sendo esperado para as próximas semanas, o espaço do Crato tênis Clube poderá se tornar pequeno para a quantidade de pessoas que irá às reuniões, principalmente quando começarem as passeatas e manifestações pelas ruas da cidade em defêsa da Expocrato. 

VEJA NO VÍDEO:

Segundo o artista plástico George Macário, não há uma só justificativa técnica que suporte a mudança do local atual. Segundo o professor Samuel Siebra, a justificativa da retirada do Parque atual para que a URCA possa crescer, é uma grande farsa;  Segundo a historiadora Alessandra Bandeira, o Crato vem há muitos anos sofrendo com o descaso com o patrimônio histórico da cidade, e não é derrubando prédios, para que se construam outros no lugar, que uma cidade se desenvolve.  O ativista José Eudes criticou os altos preços praticados na Expocrato neste ano, como mais uma manobra para convencer a população e os turistas a aceitarem a mudança do parque de local. Já o Empresário Duda Alencar, garante que 80 por cento da população é contra a retirada do parque. 

Em entrevista divulgada no último dia 24 de julho através da Rede Social Twitter, o Governador do Estado Cid Gomes, negou que já houvesse pauta fechada sobre o assunto. Segundo ele: "Não tem nem definição se a Expocrato vai sair do local atual".

Fotos do evento:











Fotos, Vídeo e Reportagem: Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com

Desde 2005, registrando todo dia, a história do Crato

Médicos cubanos e escravidão – Por Cid Alencastro(*)


Devido às pressões, o governo brasileiro diz ter descartado a “importação” de médicos cubanos. Será?
Mesmo longe de casa, tais médicos não saem do controle do governo de Cuba. Foi o que aconteceu com os que foram trabalhar na Bolívia em 2006.

Pelo Regulamento editado na época, os profissionais foram proibidos de falar com a imprensa sem prévia autorização, de pedir empréstimos aos nativos e de manter amizade com outros cubanos que tenham abandonado a missão. Eles também foram impedidos de sair de casa depois das 18 horas sem autorização de seu chefe imediato. Ao pedir permissão, os médicos deviam informar aonde iam, os motivos da saída, e se estavam acompanhados de cubanos ou bolivianos. Se quisessem sair da área onde residiam e trabalhavam, também precisariam de autorização. E se fosse para sair de um dos departamentos bolivianos (o equivalente aos estados brasileiros), a autorização deveria ser concedida pelo chefe máximo da missão naquele departamento. Os médicos eram ainda proibidos de beber em lugares públicos, com algumas poucas exceções como festividades nacionais cubanas, aniversários e despedidas do país de outros médicos cubanos. Pelo regulamento, eles não poderiam sequer falar, sem prévia autorização, sobre seu estado de saúde com seus amigos e parentes que vivem em Cuba.

O profissional deveria informar imediatamente às autoridades cubanas caso tivesse uma relação amorosa com alguma boliviana. Além disso, para que o namoro pudesse ir adiante, a parceira do médico deveria estar de acordo com o “pensamento revolucionário” das missões cubanas.

Segundo o Regulamento, o não cumprimento dos deveres resulta em infração, o que pode levar o médico a ser processado e punido pela Comissão Disciplinar. Entre as punições previstas consta uma advertência pública, a transferência para outro posto de trabalho no país e o[temível] regresso a Cuba.
*     *     *
Era comum na Antiguidade pagã médicos serem escravos. O presidente do Conselho Diretivo do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, de Lisboa, José Pedro Sousa Dias, em sua obra História da Farmácia, da Farmacologia e da Terapêutica, escreve que “Em Roma, os médicos eram de origem grega até finais da Antiguidade; primeiro foram levados como escravos”.(http://www.ff.ul.pt/~jpsdias/docs/Homens-e-medicamentos-parteI.pdf).

Com o advento do cristianismo, essa situação mudou radicalmente. No século XX, o comunismo trouxe de volta hábitos já exorcizados do paganismo. É o caso de Cuba! Esperemos que, de fato, o Brasil não aceite médicos nessa situação.

 (*) Cid Alencastro é advogado e escritor - http://agenciaboaimprensa.blogspot.com.br/


Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30