xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 21/07/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

21 julho 2013

Para você Refletir ! - Por Maria Otilia

Estamos vivendo um momento de protestos, de reinvidicações, de busca dos nossos direitos , mas que na maioria das vezes não tem nenhum objetivo concreto.Sem nos dar conta de que a  libertação começa na consciência, no resgate da dignidade e da auto-estima, se efetivando na prática histórica , como ja dizia Leonardo Boff. Que também reescreve uma fábula (texto) de James Aggrey, político e educador,  que contou ao seu povo numa reunião de lideranças populares em 1925 , em Gana, País da Àfrica. 

                                  SER ÁGUIA OU GALINHA -A ESCOLHA  É   SUA

 Era uma vez um camponês que foi a floresta vizinha apanhar um pássaro para mantê-lo em sua casa. Conseguiu pegar um filhote de águia. Coloco-o no galinheiro junto com as galinhas. Comia milho e ração própria para galinhas. Embora a águia fosse o rei/rainha de todos os pássaros. Depois de cinco anos, este homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:

 - Esse pássaro aí não é galinha. É uma águia.
            - De fato – disse o camponês. É águia. Mas eu criei como galinha.
Ela não é mas uma águia. Transformou-se em galinha como as outras, apesar das asas de quase três metros de extensão.
 - Não – retrucou o naturalista. Ela é e será sempre uma águia. Pois tem um coração de águia. Este coração a fará um dia voar ás alturas. - Não, não – insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.  Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse: - já que você de fato é uma águia,  já que você pertence ao céu e não a terra, então abra suas asas e voe! A águia pousou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas. O camponês comentou: 
-         Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha! 
-         Não – tornou a insistir o naturalista. Ela é uma águia. 
E uma águia será sempre uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.
                  No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa. Sussurrou-lhe: 
-         Águia, já que você é uma águia, abra as suas asas e voe! 
Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas. 
O camponês sorriu e voltou à carga: 
-         Eu lhe havia dito, ela virou galinha! 
-                     Não – respondeu firmemente o naturalista. Ela é águia, possuirá sempre um coração  de águia. Vamos experimentar ainda uma ultima vez. Amanhã a farei voar. 
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha. O sol nascente dourava os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe: 
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe! 
A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte. 
Nesse momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergue-se, soberana, sobre se mesma. E começou a voar, a voar para o alto, a voar cada vez mais para o alto. Voou... voou... até confundir-se com o azul do firmamento...
E Aggrey  terminou conclamando:
 - Irmãos e irmãs, meus compatriotas! Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus!  Mas houve pessoas que nos fizeram pensar como galinhas. E muitos de nós ainda acham que somos efetivamente galinhas. Mas nós somos águias. Por isso, companheiros e companheiras, abramos as asas e voemos . Voemos como as águias. Jamais nos contentemos com os grãos que nos jogarem aos pés para ciscar.

(Autor:  Leonardo Boff)

Presidente ou Presidenta ? - A opinião de uma expert


Uma belíssima aula de português!

Foi elaborado para acabar de vez com toda e qualquer dúvida se tem presidente ou presidenta. A presidenta foi estudanta? Existe a palavra: PRESIDENTA? Que tal colocarmos um "BASTA" no assunto?

Miriam Rita Moro Mine - Universidade Federal do Paraná. No português existem os particípios ativos como derivativos verbais.  Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante...  Qual é o particípio ativo do verbo ser?  O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.

Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte. Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não "presidenta", independentemente do sexo que tenha. Diz-se: capela ardente, e não capela "ardenta"; se diz estudante, e não "estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta"; se diz paciente, e não "pacienta".

Um bom exemplo do erro grosseiro seria:

"A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta".

Por favor, pelo amor à língua portuguesa, repasse essa informação.
DE HOJE EM DIANTE SÓ PUXA SACO IGNORANTE DIRÁ: PRESIDENTA

Miriam Rita Moro Mine - Universidade Federal do Paraná.
Compartilhado do perfil de Márcio José Tenor


Santana do Cariri propõe ao Dnocs perímetro de irrigação com água das nascentes do sopé da Chapada do Araripe



João de Aquino,à esquerda, mostra o projeto a José Alan Kardek Souza de Araújo Chaves,diretor do Dnocs

Proposta vai gerar projeto da Coordenação de Estudos e Projetos e do Serviço de Estudos Básicos da Diretoria de Infraestrutura Hídrica
Santana do Cariri, que em 2010 figurou entre os 10 municípios com pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no Ceará, aposta num projeto de irrigação, a ser apresentado ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) para resgatar as condições de quando foi um celeiro agrícola. A ideia, fomentada pela prefeita Daniele de Abreu Machado, foi exposta nesta semana pelo geólogo e economista João de Aquino Limaverde, ao Chefe do Serviço de Estudos Básicos da Diretoria de Infraestrutura Hídrica do Dnocs, José Alan Kardek Souza de Araújo Chaves.

João de Aquino propôs ao Dnocs a elaboração dos estudos para um novo perímetro irrigado em Santana do Cariri que tem terras de qualidade e água com abundância com a possibilidade de irrigação por gravidade, com baixo consumo de energia elétrica. De acordo com o geólogo, ex-superintendente do Etene do Banco do Nordeste, a Chapada do Araripe é uma extensão de cerca de 200 Km de extensão no sentido Leste-Oeste com largura de aproximadamente 50 km com solo poroso por onde infiltra a água da chuva até uma camada de argila, calcáreo e gipsita com 2 graus de inclinação no sentido Norte, e direção a Santana do Cariri e outros municípios do pé da serra como o Crato.


(Nota publicada no Blog do jornalista Flamínio Araripe)
                                                                       

Isso é que é genro... O governador do Ceará, Cid Gomes, é muito família. Ele não agrada apenas à sogra, mas também ao sogro, aos irmãos, aos sobrinhos...


Cid (abaixo, com a sogra, o sogro, a mulher e a mãe no seu casamento): a viagem a Saint-Martin ainda precisa de uma explicação convincente


O governador do Ceará, Cid Ferreira Gomes, é um genro exemplar. Nesta segunda, ele comemora dois anos de casado com a advogada Maria Célia Moura. Nesse período, Cid fez de tudo para agradar à família de sua mulher. No Carnaval, fretou um avião no qual levou a sogra, Pauline Habib Moura, em uma excursão "a trabalho" pela Europa. O jato foi alugado à empresa de um dos correligionários do governador e pago com 388.000 reais dos cofres cearenses. Na semana passada, Cid justificou a carona. "Foi um pedido da minha mulher. Peço desculpas, mas quero deixar bem claro que não existe nenhuma norma que impeça esse tipo de procedimento. Minha esposa tem 27 anos e uma ligação muito estreita com a mãe", disse. Não foi o único mimo que o governador fez à sua sogra. Em 2007, o primeiro ano de sua gestão, Cid empenhou 2,6 milhões de reais à Federação das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais do Ceará, uma ONG presidida por ela, a sogra do coração, Pauline Moura. Para os padrões da federação, a contribuição foi de uma generosidade, digamos, filial. No ano anterior, a mesma ONG havia recebido apenas 150.000 reais do governo cearense. Em 2005, a doação foi de 1.500 reais. VEJA procurou Pauline para saber o motivo do aumento da contribuição e o que havia sido feito com tanto dinheiro. A sogra do governador mandou avisar, porém, que ficou deprimida com a divulgação de sua excursão pela Europa e, por isso, não quer falar.

O procurador Francisco Leitão Moura, sogro de Cid, também não tem razão para reclamar do genro. O governador o nomeou coordenador da ExpoCrato, que é a maior feira agropecuária do Ceará e movimenta 15 milhões de reais na cidade de Crato. Cid realizou um sonho do pai da mulher, que havia quinze anos tentava sem sucesso chegar ao posto. Uma das tarefas de Moura é arranjar patrocinadores para a feira. Neste ano, convenceu a empresa de táxi aéreo Easy Air a bancar o evento. Mas isso não parece ter requerido muito esforço. A Easy Air, cujo proprietário é Antônio Disraeli Ponte, amigo de infância de Cid Gomes, conseguiu decolar graças ao governo estadual. A empresa comprou seu primeiro avião em agosto do ano passado. No mês seguinte, alugou outro a fim de participar de uma concorrência de 1,5 milhão de reais para prestação de serviços de táxi aéreo ao governo cearense. A Easy Air ganhou um contrato oficial que sustenta sua operação. Agora mantém três aviões. É uma potência. "A Easy Air presta serviços para o governo do estado mediante licitação", desconversa o amigo de Cid.

Marcos d’Paula/AE


Ciro Gomes: a "referência ética" do generoso Cid

O governador não tem mesmo medido esforços para manter satisfeitos seus familiares e amigos mais íntimos. Quando assumiu, encontrou uma restrição na legislação estadual para nomear o chefe da Casa Militar. Pela lei, ele deveria nomear um coronel para o posto. Cid mudou-a para permitir que a função fosse ocupada pelo tenente-coronel Francisco Rodrigues, que o acompanha há mais de dez anos. Ele também colocou Ivo, seu irmão caçula, na chefia do seu gabinete. No Carnaval do ano passado, embarcou com a família e os filhos do deputado Ciro Gomes, seu irmão mais velho, para passear em Saint-Martin, uma paradisíaca ilha no Caribe. O governador permaneceu dois dias na ilha e, depois, seguiu para os Estados Unidos. Passou quatro dias lá e voltou para Saint-Martin, a fim de levar a parentada de volta a Fortaleza. Cid diz que foi aos Estados Unidos em missão oficial, mas sua ida a Saint-Martin só se tornou conhecida na semana passada. O chefe da Casa Civil de Cid, Arialdo Pinho, diz que o governo estadual pagou apenas o pedaço da viagem entre Saint-Martin e os Estados Unidos. Segundo ele, o governador teria pago do próprio bolso o trajeto entre Fortaleza e a ilha do Caribe.

A explicação oficial tem dois problemas. Primeiro, o Diário Oficial do Ceará não registra a viagem do governador nem discrimina o desembolso dos recursos que pagaram a "perna" Saint-Martin–Estados Unidos. Confrontado com a divergência, o chefe da Casa Civil alegou que, por inexperiência, usou recursos previstos exclusivamente para a manutenção de sua pasta para pagar as passagens de Cid do Caribe para os Estados Unidos. O segundo problema pode ser mais difícil de explicar. O deputado Nilton Martins afirma que o governador e sua família viajaram de jatinho. Se tiver razão, o transporte dos Gomes para Saint-Martin custou, no mínimo, 250.000 reais, o que equivale à metade do patrimônio do governador declarado à Justiça. Cid se recusa a dar maiores explicações sobre essa viagem e tem pouco a perder com isso. Quarenta e quatro dos 46 deputados estaduais o apóiam. Chegaram a editar um decreto que o desobriga de comunicar suas viagens e de prestar contas sobre o que faz quando está fora. Imune às críticas, Cid disse, na semana passada, que não cometeu crime e declarou sua fonte de inspiração: o irmão mais velho. "Ciro é minha referência política. Temos os mesmos padrões morais e éticos." Cada um tem a referência que pode.

Leonardo Coutinho, de Fortaleza
Jarbas Oliveira/AE
Revista VEJA


Teatro de rua - Cacá Araújo



A DONZELA E O CANGACEIRO
Domingo, 21 de julho de 2013, 19h
70min | Livre 

Travessa Vicente Tavares Bezerra 
Bairro Pinto Madeira, Crato-CE

Como chegar?: Seguindo da RFFSA pela rua Monsenhor Esmeraldo até a Escola Dom Quintino, onde dobra à esquerda, pela rua São Francisco, direto até a travessa Vicente Tavares Bezerra, que fica à direita de quem desce.

Informações: (88) 8801.0897 / 9960.4466


Cia. Brasileira de Teatro Brincante
Texto e Direção de Cacá Araújo 
Música de Lifanco 

SINOPSE

O Sítio Fundão está prestes a ser totalmente destruído. Decifrar o enigma da esfinge de Seu Jefrésso é a única salvação. Se a Donzela morrer, tudo estará perdido...

Aventura, suspense, drama e comédia numa fantástica história que resgata o mito da Caipora e estimula a consciência crítica e atitudes de proteção à natureza.

ELENCO

Jonyzia Fernandes, Cacá Araújo, Orleyna Moura, Joseany Oliveira, Paulo Fernandes, Samara Neres, Henrique Macêdo, Márcio Silvestre.

MÚSICOS

Lifanco, Pedro Wagner, Jean Alex


Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30