xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 16/06/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

16 junho 2013

"Ninguém mais segura este país" -- versão 2 (Armando Lopes Rafael)


 Existe um ditado popular russo que diz: “Tudo volta, tudo”. É verdade. Dona Dilma e o governo do PT estão fazendo com a Copa das Confederações o mesmo que os governos dos militares fizeram na década 70, do século passado, quando o Brasil sagrou-se tricampeão mundial de futebol. Nada como um dia atrás do outro...

   O governo da "gerentona" está até utilizando, na propaganda institucional, a expressão “A Pátria de chuteiras”, usada pelo teatrólogo e escritor Nelson Rodrigues, este um crítico da velha "esquerdona jurássica". Mas, vá lá. Dona Dilma e os marqueteiros do seu governo não haviam percebido que os brasileiros mudaram – e muito – nos últimos anos. Diferente da ufania popular da década 70, boa parte dos brasileiros, nos dias atuais, não está nem aí para o futebol. Houve até protestos do povo (protestos, diga-se de passagem, reprimidos com gás lacrimogênio e balas de borracha pela polícia) antes da abertura do estádio Mané Garrincha. Centenas de pessoas protestavam contra os 25 bilhões de reais gastos pelo governo na reforma e construção dos novos estádios, para a realização da Copa do Mundo de 2014.

    Os manifestantes (alguns saíram feridos) gritavam que o governo “torrou” essa vultosa quantia para fazer propaganda enganosa. E enquanto esse dinheiro foi jogado pelo ralo, continuam morrendo pessoas nas portas dos hospitais por falta de assistência. A segurança pública virou um caos; as estradas estão esburacadas e os professores ganham um salário vergonhoso...

     Diferente era o povo na época da ditadura militar! O leitor sabia que o presidente de plantão, em 1970 – o general Emílio Garrastazu Médici – foi ovacionado,no Rio de Janeiro, por toda a lotação do Maracanã, num tempo em que aquele estádio comportava cem mil pessoas?
Já a presidente Dilma Rousseff, escolhida em eleição direta e democrática – mas com a popularidade em queda – foi vaiada, por três vezes,  pelo povo que lotava, no último sábado, a Arena Mané Garrincha, em Brasília.
Como gostava de dizer o saudoso Chico Soares: "Nas voltas que o mundo dá, tem dia que urubu vira sabiá"...

Prá frente Brasil!
-------------------------------

PÓS-ESCRITO:
Numa das suas costumeiras viagens – desta feita a Lisboa, Portugal – a presidente Dilma Rousseff adentrou numa área que ela pouca conhece: as poesias de Luiz de Camões. A gerentona disse que “muita gente se comporta como "o velho do restelo", que ficava sentado na praia "azarando" os que se lançavam a novos desafios. Ela precisa ler a poesia para entender o que o maior poeta português quis dizer.
Dona Dilma talvez desconheça que, naquele poema,  por ela citado consta a estrofe abaixo:

“Mudam-se os tempos
Mudam-se as vontades
Muda-se o ser
muda-se a confiança
Todo o mundo é composto de mudanças
Tomando sempre novas qualidades”.


A presidente parece não perceber que só o governo esclerosado, mantido pelo clientelismo aos grotões da miséria e do atraso não mudou nos últimos 12 anos. É por isso que as multidões estão invadindo as grandes cidades para protestar contra a alta das passagens, contra a política econômica, contra  a carga tributária pesada que paga e viver num país que não lhe oferece segurança, educação e saúde de qualidade. Contra a construção desses elefantes brancos para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. Contra a crescente violência e a impunidade com que nós tomamos conhecimento todos os dias através dos meios de comunicação social.


 
    

O que a grande imprensa publicou neste domingo, dia 16-06-2013


A revista “Istoé” publicou: “Dos  Estados Unidos à Europa, protestos e vaias em Brasília repercutem no mundo: "caos"
Imprensa destacou que protestos de sábado fazem parte da "insatisfação crescente" no Brasil Foto: Agência Brasil

As cenas de violência fora do Estádio Nacional (Mané Garrincha) no último sábado, em Brasília, e as vaias direcionadas à dupla Dilma Rousseff e Joseph Blatter não chamaram a atenção apenas no Brasil. Dos Estados Unidos à Europa, publicações de todo o mundo destacaram ambos os episódios, ocorridos em meio a protestos em todo o Brasil contra as tarifas do transporte público, os gastos da Copa do Mundo e a violência policial. Na Espanha, o periódico El País, o mais importante da nação e que tem dedicado extensa cobertura às manifestações brasileiras, afirmou que "600 pessoas trouxeram o caos para Brasília na abertura da Copa das Confederações". Em nota que retrata a chamada de protestos para inúmeras cidades do Brasil e do mundo, o jornal relatou a ação da tropa de choque da Polícia Militar, com gases lacrimogêneos e balas de borracha”.

Revista “Veja”: “A PEC 37 é feita para punir os acertos do Ministério Público



Procurador de Justiça do Rio Grande do Sul e autor de diversas obras jurídicas afirma que a emenda constitucional para impedir o Ministério Público de investigar é uma tentativa de enterrar investigações contra políticos no Brasil.
No próximo dia 26, a Câmara dos Deputados colocará em votação, com ou sem acordo, segundo o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), a emenda constitucional número 37, que pretende tirar do Ministério Público o poder de conduzir investigações criminais. Se for aprovada, a emenda colocará o Brasil numa infausta lista que reúne Quênia, Uganda e Indonésia, países onde o Ministério Público é amordaçado. Para o procurador de Justiça do Rio Grande do Sul Lenio Streck, professor da Scuola Dottorale Tulio Scarelli, em Roma, e da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, a medida é uma tentativa de enterrar investigações sobre políticos. “O Ministério Público é pago para defender interesses públicos que historicamente serviram a uma minoria. Contrariar esses interesses é fazer inimigos”.

Revista “Veja”: “Espionagem em Pernambuco


“Disfarçados de portuários, quatro agentes da Abin - o serviço secreto do governo - foram presos sob suspeita de bisbilhotar a vida do governador Eduardo Campos, pré-candidato à Presidência da República
É colossal o esforço do governo para impedir que decolem as candidaturas presidenciais do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e da ex-senadora Marina Silva (sem partido). Nos últimos meses, a presidente Dilma Rousseff reacomodou no ministério caciques partidários que ela havia demitido após denúncias de corrupção, loteou cargos de peso entre legendas desgarradas da base aliada e pressionou governadores do próprio PSB a minar os planos de Eduardo Campos. O Porto de Suape, no Recife, carro-chefe do processo de industrialização de Pernambuco, serviu de arena para o até agora mais arrojado movimento envolvendo essa disputa pré-eleitoral. No dia 11 de abril, a Polícia Militar deteve quatro espiões da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que fingiam trabalhar no local, mas há semanas se dedicavam a colher informações que pudessem ser usadas contra Campos. A Secretaria de Segurança Pública estadual já monitorava os agentes travestidos de portuários fazia algum tempo. Disfarçados, eles estavam no estacionamento do porto quando foram abordados por seguranças. Apresentaram documentos de identidade falsos e se disseram operários. Acionada logo depois, a PM entrou em cena. Diante dos policiais, os espiões admitiram que eram agentes da Abin, que estavam cumprindo uma missão sigilosa e pediram que não fossem feitos registros oficiais da detenção”.

“Folha de S.Paulo”: “Protesto serve de alerta ao governo, que tenta minimizar dificuldade econômica

“As vaias de ontem, recebidas por uma presidente Dilma com o semblante carregado, talvez sirvam para que sua equipe reflita um pouco mais sobre o que está ocorrendo no país e pare de simplesmente acusar a oposição de criar uma "situação irreal" da economia brasileira. Vaiada três vezes na abertura da Copa das Confederações, Dilma encerrou uma semana na qual não escondeu sua irritação com as críticas de que o Brasil passa por um momento ruim, com inflação alta, dólar pressionado e crescimento fraco. Em público e reservadamente, ela e sua equipe acusavam seus opositores de "vendedores do caos" e de "velhos do Restelo", personagem do poeta português Luís de Camões que simboliza o pessimismo”.


(Por: Armando Rafael)

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31