xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 12/05/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

12 maio 2013

Para você Refletir - Por Maria Otilia

As escolas da rede municipal do Crato recebem novos gestores. A EEF Dom Quintino vem desejar boas vindas a estes gestores, bem como  expressar o desejo de efetivar novos parceiros.  Para fortalecer esta parceria, postamos um texto que fala  da importância do trabalho em equipe.Onde ninguém é mais importante que o outro. Principalmente quando se trata  do ambiente escolar. Faça uma boa leitura.


O VÔO DOS GANSOS

No outono os gansos voam rumo ao sul, nos dando um exemplo impar de que o trabalho em equipe pode ser prazeroso e gratificante, quando todos os componentes do grupo, comprometidos com o sucesso, buscam um só objetivo. Durante a viagem quando se veem em bando, os gansos formam no céu um grande “V”, sabe-se que quando cada um bate as asas move o ar para cima ajudando a sustentar a ave imediatamente atrás. A resistência do ar diminui para cada ganso à medida que este fica mais longe do cume, em geral o bando se beneficia de 71% a mais de força de voo do que uma ave a voar sozinha. Sempre que uma ave sai do bando sente subitamente o esforço e resistência que necessitará ter se decidir voar sozinha, rapidamente entra novamente na formação.

Quando o ganso líder se cansa, muda de posição dentro da formação, então, outro ganso do grupo assume a liderança. Assim todos ajudam a garantir a sustentabilidade do voo até seu destino. Todos tem seu papel definido, ficando para os gansos de trás a tarefa de grasnarem (gritar), encorajando os líderes a manter a velocidade. Quando um ganso fica ferido, ou doente e necessita sair da formação, outros membros o acompanham para ajuda-lo e protegê-lo. Quando o problema está resolvido, reiniciam a jornada até alcançar o grupo ou integram-se a outra formação.

A sabedoria dos animais tem muito a nos ensinar. Cabe a cada um de nós tirarmos desses ensinamentos o conteúdo necessário para aprimorar, cada vez mais, os resultados das nossas ações.

Autor desconhecido.
( Postado por Maria Otília )
 

Escolha do Pau da Bandeira de Barbalha será amanhã


Será escolhido para a tradicional festa um tronco de árvore fora da Área de Preservação Ambiental (APA).

Barbalha. Um angico de aproximadamente 25 metros e quase 3 toneladas poderá se tornar o pau da bandeira de Santo Antônio, a partir de amanhã. A escolha da árvore se dará pela manhã, no sítio Flores, a 9 quilômetros da sede de Barbalha. Um georreferenciamento, realizado no último dia 14 de abril, foi responsável pela proposição de 5 árvores, entre elas o angico e mais quatro jatobazeiros. A festa de Santo Antônio será aberta no dia 2 de junho e termina com a procissão, no dia 13.

PaudabendeirabarbalhaEm 2012, árvore escolhida não estava no rol das comumente utilizadas durante cortejo, por conta de vários movimentos relacionados à preservação FOTO: ALEX COSTA

A partir das 8 horas, uma equipe composta do Capitão do Pau da Bandeira, Rildo Teles, representantes de órgãos ambientais convidados e de secretarias municipais, como a Cultura, vão adentrar na mata para definir que árvore deverá ser cortada e levada à ´cama do pau´. Durante 15 dias, o tronco é preparado para seguir o roteiro de uma das maiores festas alusivas ao ´santo casamenteiro´, na tradição do Nordeste, evento prestes a ser tombado pelo Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Neste ano, a festa passa a ter um reconhecimento, por meio de projeto de lei, da deputada estadual Fernanda Pessoa, tornando Barbalha a Capital Cearense dos Festejos de Santo Antônio. No dia da festa, cerca de 350 mil pessoas participam das manifestações culturais e do cortejo do pau da bandeira, que este ano deverá sair com uma hora de antecedência, devido aos atrasos de anos anteriores. Segundo o capitão, Rildo Teles, que foi escolhido durante votação, no dia 14, dia do carregador, como o comandante da grande caminhada, a escolha da árvore que deverá ser cortada tem uma relação também com a exigência de estar na cidade mais cedo.

Dia do corte

Segundo ele, é importante que seja uma árvore mais alta e com maior resistência, para a participação de expressivo número de carregadores. Serão cerca de 150 homens, em todo o cortejo. O corte acontecerá no dia 17. O ritual acontece com a presença dos carregadores. Depois o tronco será levado até o Sítio Roncador, cerca de 8 quilômetros distante da cidade. Do local, a árvore será preparada para a festa, que sairá de um percurso de aproximadamente seis quilômetros até a sede, no dia 2 de junho. Ele disse que a noção exata do peso da árvore será feita a partir da derrubada. Com o tempo em que fica na ´cama do pau´, a madeira perde a seiva e se torna mais leve para o carregamento.

Com o maior número de pessoas e uma árvore com tamanho ´razoável´, ele prevê a chegada à cidade, neste ano, por volta das 17 horas, com saída às 11 horas, uma hora antes do previsto em anos anteriores. No ano passado, por conta de incidentes no caminho e até um caso de assassinato, já dentro da cidade, além de uma queda de fornecimento de energia, só foi possível chegar às 18h30.

“Caso tenhamos melhores condições e não haja problemas, deveremos chegar dentro do prazo”, afirma o analista Rildo Teles. As cinco árvores escolhidas para serem os pretensos mastros da bandeira de Santo Antônio, foram apontadas fora da Área de Proteção Ambiental (APA), da Chapada do Araripe. Segundo Rildo Teles, estão numa área a menos de 600 metros de altitude em relação ao mar. No ano passado, a árvore escolhida não estava no rol das comumente utilizadas durante o cortejo, isso por conta de vários movimentos relacionados à preservação ambiental e cumprimento de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), do Ministério Público.

Preservação

A ideia é que não sejam cortadas, principalmente, espécies em extinção, como a aroeira – chegou a ser retirada em anos anteriores. O tronco de jacarandá, levado em 2012, de 2,5 toneladas e aproximadamente 24 metros, chegou a quebrar próximo da chegada à igreja matriz de Santo Antônio e precisou ser arrastado até o local onde a bandeira seria hasteada. As discussões quanto à preservação e sustentabilidade da tradição, a cada ano vêm à tona, por parte de ambientalistas e estudiosos. Neste ano, o pesquisador e professor Josier Ferreira, defende a criação de um conselho consultivo de gestão para o evento. Ele avalia que árvores de mais de 50 ou até 60 anos, estão sendo cortadas, e é importante que sejam aquelas em final do ciclo de vida.

Mais Informações

Festa do Pau da Bandeira
Secretaria de Cultura e Turismo
Rua da Matriz, 25, Centro
Barbalha – CE
Telefone: (88) 3532.1708
ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaboradora do Blog do Crato e Portal Chapada do Araripe

I Jornada de Políticas Públicas sobre Drogas começa no Cariri



Drogas3O Governo do Estado do Ceará, por meio da Assessoria  Especial de Políticas Públicas sobre Drogas, que tem a frente a ex-procuradora de Justiça Socorro França, realiza, a partir do dia 14 de maio, a I Jornada de Políticas Públicas sobre Drogas. Os primeiros municípios a sediarem o evento serão Brejo Santo, Crato e Juazeiro, contemplando os 28 municípios da região.
Ao todo, serão realizados 22 encontros, nos municípios sede das Coordenadorias Regionais da Saúde do Estado (Cres), envolvendo os 180 municípios do Ceará. A Jornada conta com uma média de 200 participantes por encontro, o que resultará  em 4.400 participantes, ao final da Jornada. O objetivo do evento é fortalecer as Políticas Públicas sobre Drogas no Estado.
O público será composto por prefeitos, secretários municipais, Câmaras Municipais, entidades religiosas, escolas, Câmara de Diretores Lojistas, Conselhos Tutelares e de Direito, juízes, promotores, defensores, delegados, comunidades terapêuticas, e entidades relacionadas com a temática Drogas.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 5.565 municípios. Uma pesquisa da Confederação Nacional de Municípios – CNM realizada em 2011 confirma que o consumo do crack se alastrou por todo o país. Esta pesquisa contou com a participação de 4.400 municípios e revela que o crack está em 98% das cidades brasileiras ocupando o lugar do álcool em pequenos municípios e na zona rural. No Ceará, dos 184 municípios, 117 foram pesquisados. O crescimento do tráfico e uso do crack por ser “mercadoria de baixo custo”, também está associado ao fator econômico, o que tem favorecido este comércio ilícito.
O II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas – LENAD, Uso de cocaína e crack no Nordeste, realizado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para políticas públicas do Álcool e outras drogas em 2012, identificou na região Nordeste 832 mil pessoas que fizeram uso destas substâncias no último ano, sendo a 2ª região com maior prevalência no país, e no Brasil, são 2,8 milhões de pessoas.
A Implantação da Assessoria Especial de Políticas Públicas sobre Drogas, criada através da Lei Nº 15.234 de 19 de novembro de 2012, com o objetivo de articular, integrar, organizar e coordenar as atividades relacionadas as políticas públicas sobre drogas, realiza esta ação com intuito de mobilizar e integrar as ações do Estado com os 184 municípios, de forma a subsidiar os planos e programas de iniciativa dos governos, Federal, Estadual e Municipal.
Programação
8:00 – Credenciamento
8:30 – Café da manhã
9:00 – Abertura Oficial
10:00 – Palestra de Apresentação da Assessoria Especial de Políticas Públicas Sobre Drogas ( Dra. Socorro França)
11:00 – Apresentação do Programa “Crack, é possível vencer.”
12:00 – Apresentação da Rede de Atenção em Saúde: Coordenadorias das CRES
12:15 – Debate
13:00 – Celebração do Termo de Compromisso


Município
Data
1
Brejo Santo
14/05
2
Crato
15/05
3
Juazeiro do Norte
16/05
4
Tauá
21/05
5
Crateús
22/05
6
Canindé
23/05
7
Icó
28/05
8
Iguatu
29/05
9
Sobral
04/06
10
Acaraú
05/06
11
Tianguá
06/06
12
Camocim
07/06
13
Quixadá
11/06
14
Baturité
14/06
15
Itapipoca
18/06
16
Aracati
21/06
17
Limoeiro do Norte
25/06
18
Russas
26/06
19
Cascavel
28/06
20
Maracanaú
02/07
21
Caucaia
04/07
22
Fortaleza
05/07
Assessoria de Imprensa do Governo do Estado

Camelódromo é tema de debates no Crato


Em condições precárias de funcionamento, hoje, Camelódromo do Crato representa uma ameaça à segurança pública
Crato Diante da atual falta de infraestrutura no Camelódromo do Crato, que abriga mais de 150 comerciantes, a Câmara de Vereadores do Município realizou, na manhã de ontem, uma audiência pública afim de discutir sobre os riscos que o local oferece para a segurança da cidade e sobre os possíveis projetos alternativos que poderão ser executados em prol das ações de melhorias e de requalificação.
CamelodromocratoDiscussão sobre os projetos de requalificação do local é reivindicação antiga da população, que corre risco ao frequentar o espaço FOTO: YAÇANÃ NEPONUCENA
Devido ao número de bancas ali instaladas e ao grande fluxo de pessoas, que diariamente frequentam o ponto comercial, o poder legislativo está preocupado com as condições e tenta viabilizar medidas paliativas ou a construção de uma nova estrutura segura e moderna que possa atender tanto às demanda dos vendedores como também as dos clientes.
Riscos
Em condições precárias de funcionamento, o Camelódromo do Crato representa, hoje, ameaça à segurança pública, e apresenta altos riscos de incêndio, uma vez que o tumulto generalizado de diversas pessoas colide-se com as bancas que oferecem produtos e serviços de vários ramos da atividade comercial.
O local é administrado pela Associação do Camelódromo, que por recomendação da Prefeitura, do Corpo de Bombeiros e da Companhia Elétrica do Ceará (Coelce), refez as instalações elétricas do prédio.
Prevenção
Segundo o vice-presidente da associação, Jucier Torres, como medida preventiva foram instalados alguns extintores e os agentes da Vigilância Sanitária intensificaram as visitas de fiscalização. Mas, ainda é urgente a efetivação de uma obra que proporcione a padronização dos boxes, cobertura e segurança do local.
Segundo ele, há uma equipe contratada para fazer a limpeza da área, no entanto, as ações da gestão atual são insuficientes para atender aos anseios dos segmentos turístico e comercial. “Temos um movimento grande. Não estamos querendo nada extraordinário, somente uma estrutura segura, que amenize o calor e dê mais conforto aos nossos clientes”, revela.
A discussão sobre os projetos de requalificação do Camelódromo é um reivindicação antiga da população cratense. Segundo o vereador Amadeu de Freitas, que propôs a audiência pública, em função da forma como foi ocupado e da área em que ele está localizado, no centro da cidade, o empreendimento é inapropriado para as atividades comerciais que abriga.
“Estamos diante de riscos iminentes de acidentes, incêndios e assaltos, além de ser um ambiente é muito quente. Não podemos admitir uma situação dessas. Queremos saber que compromissos o poder público pode assumir em relação aos projetos alternativos de melhorias”, afirma.
Soluções
Ele pretende, junto aos demais vereadores e a população, retomar os debates sobre as alternativas de atribuir qualidade e embelezamento ao espaço, que poderá ser uma ferramenta de estímulo ao desenvolvimento do segmento do turístico regional, como já acontece nos grandes centros. No município o comércio popular é bastante ativo, porém, pouco valorizado. Ainda na gestão do prefeito Samuel Araripe, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e de Empreendedorismo elaborou um projeto de implantação de um mini shopping popular que abrigaria todos os comerciantes que atuam no Camelódromo.
A obra seria financiada pelo Banco do Nordeste (BNB) e contaria com dois pavimentos e lojas âncoras. Em contra partida, individualmente, os permissionários pagariam as taxas referentes ao financiamento. Mas, eles não aceitaram a proposta.
Na audiência estiveram presentes membros de instituições públicas, e representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), BNB, Corpo de Bombeiros, além dos secretários municipais de Infraestrutura e de Desenvolvimento Econômico.
Mais Informações:
Câmara Municipal de Vereadores
Endereço: Rua Senador Pompeu, 468.
Bairro Centro – Crato
Telefone: (88) 3523-2749

Yaçanã Neponucena

Repórter do Jornal Diário do Nordeste

Cid Gomes se reúne com missão do Banco Mundial


Cidbm
Cid Gomes se reuniu nesta sexta-feira (10) com integrantes do Banco Mundial e secretários de Estado, no Palácio da Abolição, para definir os indicadores de resultados para o novo modelo de financiamento a ser contratado pelo Estado no valor de US$ 350 milhões, chamado de Programa por Resultado (P4R). Ficaram definidos como indicadores a capacitação profissional, o desenvolvimento infantil e a qualidade de água. O P4R tem como base o foco em resultados para apoiar o Projeto de Apoio ao Crescimento Econômico com Redução das Desigualdades e Sustentabilidade Ambiental do Estado do Ceará. O Ceará será o primeiro estado brasileiro a utilizar esse modelo de financiamento.
“Estou muito satisfeito pela escolha desses três indicadores e destaco a importância do apoio financeiro, histórico, entre o Banco Mundial e o Estado do Ceará que tem produzido bons resultados. Tivemos o Swap, e fomos também pioneiros, e agora aprofundamos essa relação e isso é um atestado de maturidade de adminitração pública e uma referência perante as instituições nacionais e internacionais”, destacou Cid Gomes. O próximo passo, segundo o coordenador da missão do Banco Mundial, Tom Kenyon, é a definição do cronograma de desembolso, cuja primeira parcela será de US$ 82 milhões. Ainda na próxima semana, o governador Cid Gomes estará em Brasília em reunião na sede do banco no Brasil.
O objetivo do Projeto é garantir a continuidade dos investimentos em áreas estratégicas do Estado, programados no PPA 2012 – 2015, de forma a promover um crescimento econômico que privilegie a inclusão social e seja ambientalmente sustentável. Esse objetivo já foi, em parte, financiado pelo BIRD nos Projetos SWAp I (2005 – 2007) e SWAp II (2009 – 2012), cujo foco foi o apoio à Inclusão Social e o Crescimento Econômico. A proposta do P4R é continuar avançando nos principais indicadores sociais do SWAp I e II, para consolidar conquistas já alcançadas pelo Estado, incorporando, ao mesmo tempo, a preocupação do Governo do Estado do Ceará com o meio ambiente e com a redução das desigualdades socioeconômicas.
O Projeto P4R é multissetorial e envolverá 22 órgãos do Estado, devendo combinar: 1) o apoio a programas já existentes no Plano Plurianual (PPA);  2) Projetos de Assistência Técnica, para o fortalecimento da gestão do setor público, e 3) indicadores acordados como condicionantes para os desembolsos do empréstimo. Os desembolsos serão realizados diretamente no caixa do Tesouro do Estado e não para o financiamento de um programa específico, incentivando a colaboração do trabalho conjunto entre órgãos públicos e a busca de resultados.
A principal diferença entre o SWAP e o novo modelo é que primeiro apoiava programas de despesas elegíveis, enquanto o P4R irá apoiar programas (despesas não elegíveis) com atividades organizadas em torno de “macro-funções”, dentro dos temas do projeto, de modo a direcionar os esforços dos vários órgãos públicos para um objetivo comum. A lógica é que o apoio financeiro do P4R ao Ceará se justifique pelos resultados a serem repassados aos cidadãos cearenses, além da possibilidade de monitoramento e avaliação, pelo próprio Governo e pela sociedade.
Assessoria de Imprensa do Governo do Estado

Coronel Ustra diz que militares lutavam pela democracia e cita atuação de Dilma em ‘grupos terroristas’


Ustra usou do depoimento também para se defender, negando ter cometido assassinato, tortura e sequestro.
Ustra_comissaoO coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, disse nesta sexta-feira (10) em depoimento à Comissão Nacional da Verdade (CNV), que se não fosse a atuação dos militares, o comunismo existiria atualmente no Brasil. “Estávamos lutando pela democracia e estávamos lutando contra o comunismo. Se não fosse a nossa luta, se não tivéssemos lutado, eu não estaria aqui porque eu já teria ido para o paredón. Os senhores teriam um regime comunista, um regime como o de Fidel Castro. O Brasil teria virado um ‘Cubão’ [em referência a Cuba]“.
Dilma integrou as organizações clandestinas Polop, Colina e VAR-Palmares dedicadas a combater a ditadura Foto: Waleska Santiago
Ustra também se referiu à atuação da presidenta Dilma Rousseff, durante a ditadura militar. “Ela integrou quatro grupos terroristas” que tinham como objetivo final “a implantação de uma ditadura do proletariado, o comunismo. Derrubar os militares e implantar o comunismo”. “Isso consta de todas as organizações”, disse o coronel que comandou o Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna do 2º Exército em São Paulo (DOI-Codi-SP), órgão de repressão da ditadura militar, entre 1970 e 1974.
Durante a ditadura, a presidenta Dilma integrou as organizações clandestinas Política Operária (Polop), Comando de Libertação Nacional (Colina) e Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares), dedicadas a combater a ditadura militar. Condenada por “subversão”, ela passou três anos presa no Presídio Tiradentes, em São Paulo, entre 1970 e 1972.
O coronel compareceu nesta sexta à Comissão da Verdade e, apesar de decisão judicial que lhe garantia o direito de não se pronunciar durante o depoimento, Ustra falou aos membros da comissão e negou também que tenha cometido assassinato, tortura e sequestro. O ex-comandante afirmou ainda que nenhuma tortura foi cometida dentro das instalações do órgão de repressão do governo militar.
Antes do início do depoimento, Ustra fez um pronunciamento em que reiterou que as ações de repressão foram respostas aos atos das “organizações terroristas que queriam implantar o comunismo no Brasil”.
Ustra citou ações praticadas pelos grupos de esquerda contra o regime militar. “Quando fui transferido para São Paulo no início dos anos 70, os terroristas já haviam assaltado mais de 300 bancos e carros-fortes. Tinham encaminhado mais de 300 militantes para a China para treinar a guerrilha, já haviam atacado quartéis, roubado armas e sequestrado três diplomatas. Em face disso foi criado o DOI-Codi. Eramos homens prontos para o combate, cumprindo ordens”, disse acentuando que seria apenas mais um na cadeia de comando.
Durante o seu depoimento, ao ser indagado sobre o desaparecimento de vários militantes políticos, Ustra negou que tenha havido qualquer morte no DOI-Codi. “No meu comando ninguém foi morto no DOI [Codi]. Foram mortos em combate, de arma na mão, na rua”, repetiu várias vezes.
Agência Brasil

STF não pode aceitar manobras para atrasar fim do mensalão, diz Gurgel



Stf2O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, relatou em parecer encaminhado nessa sexta-feira (10) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a Corte não pode aceitar manobras para atrasar o cumprimento das condenações na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Em um único documento, Gurgel contesta 26 recursos apresentados por réus do processo, os embargos declaratórios.
“O julgado, fruto de tanta dedicação e de tantos cuidados da Suprema Corte brasileira, tem que produzir os seus efeitos, evitando-se quaisquer manobras que tenham como objetivo postergar a execução das penas impostas aos condenados”, diz trecho do parecer de dez páginas.
Gurgel critica pedidos apresentados pelas defesas dos condenados, como a substituição do ministro Joaquim Barbosa da relatoria da ação penal. Para ele, o Regimento Interno permite que o processo continue com o ministro, pois Barbosa ainda não era presidente da Corte quando o julgamento começou. Além disso, as regras internas do STF também determinam que o relator do processo principal é o mesmo relator dos embargos declaratórios.
O procurador também discorda do pedido de anulação do acórdão. Para os advogados, a supressão de mais de mil falas de alguns ministros prejudicou a compreensão do documento que reúne os votos, discussões e decisões. Gurgel defende que apenas trechos de menor importância foram suprimidos, e lembra que todo o julgamento está disponível em gravação de áudio e vídeo para esclarecer dúvidas.
Quanto aos pedidos mais amplos, como absolvição dos condenados ou diminuição das penas, Gurgel declara que não é possível tratar dessas questões em embargos declaratórios. Para o procurador, esse recurso é limitado ao ajuste de pequenas contradições ou omissões. “A justiça ou injustiça da decisão não autoriza os embargos de declaração”.
Gurgel observa que as defesas tentam usar esse recurso para conseguir os efeitos infringentes (de revisão da decisão), cuja admissibilidade ainda será discutida pela Corte. “As questões suscitadas pelos embargantes revelam apenas o inconformismo com as condenações impostas e o intuito de obter um novo julgamento da causa, o que se afigura, reafirme-se mais uma vez, absolutamente inadmissível”.
Agência Brasil


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31