13 setembro 2013

DESCASO - Mais um Crime ambiental no Sítio Fundão


PRÁTICAS ILEGAIS

Com a retirada da cota de água do Rio, os animais vão subindo rio acima em busca de água e são presas fáceis para caçadores que agem fora das áreas desprovidas de fiscalização, além da pesca predatória. ( Ed Alencar )


CRIME AMBIENTAL - PRÁTICAS ILEGAIS NA RESERVA DO FUNDÃO

(POR ED.ALENCAR)

A história se repete todo ano! Não é só a questão da estiagem, que a vazão das nascentes Batateiras diminuíram, que as pessoas precisam de água. Todos precisam sim, mas a questão é o uso desordenamento, a falta de fiscalização, a falta de consciência, onde tudo leva ao desrespeito ao meio ambiente, no caso especifico, a “COTA” de 20% das fontes da Batateiras, destinadas para o próprio rio, denominada de águas ecológicas, determinado pelo Ministério Público da Comarca do Crato. Esta águas tomou (Do..) SUMIU” desde o mês de agosto de uma forma brutal, causando um grande prejuízo ao ecossistema do rio, em especial, na cadeia alimentar por toda extensão do rio que cobre o Parque Estadual do Sítio Fundão e fora dos limites.

Com a retirada da cota de água do Rio, que atinge o trecho acima citado, alguns poços que represaram um pouco d'água, muitos já secaram, e os animais vão subindo rio acima em busca do precioso líquido para a sobrevivência, e são presas fáceis para caçadores que agem fora das áreas desprovidas de fiscalização. O rio se torna um deserto; Já não se vê a presença do “MARTIN PESCADOR, DO SOCÓ, e percebe-se nas areias do rio, rastros do guaxinim, num sobe e desse no dia a dia, em busca de alimento. E para piorar, os vândalos sobem rio acima, pescando com redes improvisadas cometendo o crime da pesca predatória, onde os peixinhos que restam presos nos pequenos poços d'água, após serem capturados, são levados para suas casas onde fritam para o tira gosto da cachaça, e quando não, jogam para os gatos.

PROVIDÊNCIAS.

Recentemente o Promotor de Justiça do Meio Ambiente Dr. Pedro Luiz Camelo, concedeu entrevista a imprensa do Crato e Região, que juntamente a outros órgãos como COGERH = Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos sob o comando do Dr. YARLEI BRITO, que também já se manifestou junto ao IBDVAMA=Instituto Brasileiro de Direito a Vida dos Animais e Meio Ambiente, que realizou buscas ao longo do rio, onde foi encontrado muitas irregularidades como exemplo, desvio das águas com barramento de sacos de areia, no leito do rio.

RAMIFICAÇÃO DAS ÁGUAS DAS NASCENTES

Neste período de seca, a retenção e manejos das águas, estão sob o comando dos “LEVADEIROS”, homens que cuidam na distribuição das águas dos patrões que tem outorgas de cotas d’água, para abastecerem suas propriedades e que geralmente repassam para outros e assim acontece a ramificação onde as águas tomam outros rumos para fora da bacia do Rio Batateiras. Outras ações negativas, são alguns balneários que utilizam as águas das nascentes e após o uso, não devolvem para o leito do rio. Outro fato: Alguns levadeiros no controle das águas, são denunciados por venderem por um determinado tempo e preço dia de água para terceiros. Esses boatos, precisam ser investigados por autoridades do meio ambiente. Para o Promotor de Justiça do Meio Ambiente Dr. Pedro Luiz, ele chama atenção para o crescimento do consumo d água, pelos novos proprietários de terras na área das nascentes, com a sub divisão de propriedades. O CERTO É QUE O RIO BATATEIRAS VEM PEDINDO SOCORRO TODOS OS ANOS.






Por: Ed Alencar
Repórter e Colaborador do Blog do Crato
www.blogdocrato.com
Desde 2005 registrando todo dia a História do Crato para a Posteridade


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.