xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 06/01/2013 - 07/01/2013 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

30 junho 2013

A hora não é agora!

ESCRITO POR PERCIVAL PUGGINA | 30 JUNHO 2013

Por mais que o modelo institucional brasileiro seja o lixo que se sabe, não responde aos mínimos requisitos de prudência fazer mudanças num ambiente de instabilidade.


Para entender o princípio diretor de todas as estratégias petistas não é preciso ser mestre em xadrez, treinado a antecipar sucessivas consequências de um lance. Basta saber isto: o PT jamais, em hipótese alguma, defenderá causa política na qual não leve vantagem. Entendido o axioma, fica fácil deduzir que propostas de reforma eleitoral apresentadas e defendidas pelos petistas precisam ser rejeitadas pela origem.

Entre os poucos fios condutores capazes de unir todos os movimentos de massa destes últimos dias está o monumental repúdio à conduta dos políticos e às instituições nacionais. Nosso modelo é velho na forma e velhaco na execução. A desfaçatez, as ostentações e as malfeitorias que saltitam como pipoca na panela revoltam a população. Os raros afluentes de água limpa que chegam ao mundo político perdem seus efeitos na turbidez dos negócios. Torna-se impossível, então, não sentir o dedo indicador atraído como agulha de bússola para o norte e para o topo das instituições políticas. Ali - bem ali, oh! - onde senta e fala a chefia de Estado, antes Lula e hoje Dilma.

E Dilma veio às falas. Primeiro, propôs uma Constituinte, como fizeram seus parceiros do Foro de São Paulo na Venezuela, Bolívia e Equador. No dia seguinte, face à notória inconstitucionalidade da proposta, a Constituinte do PT virou plebiscito sobre temas de uma reforma política. Ora, por mais que o modelo institucional brasileiro seja o lixo que se sabe, não responde aos mínimos requisitos de prudência fazer mudanças num ambiente de instabilidade. Este é o momento certo para outra coisa: mostrar aos "camisa branca", aos manifestantes bem intencionados, ser contraditório excomungar os políticos genericamente e não responsabilizar, objetivamente, o partido e as pessoas que, ao longo dos últimos dez anos comandam essa mesma política, levando o país para onde bem entendem e como melhor lhes convém. Este é o momento de lembrar que nem o lacerdismo foi tão pródigo em lançar denúncias e anátemas sobre seus oponentes quanto o petismo. E que nenhum outro foi tão longe na apropriação do Estado, do governo e da administração para os fins do partido e dos companheiros no poder. Por fim, separar essas três funções - Estado, governo e administração -, atribuindo-as a pessoas distintas, seria a primeira e a principal reforma institucional. Mas desta quase ninguém fala porque significaria retirar o recheio e a cobertura do bolo do poder.

A cautela ensina, até mesmo no plano individual, que não se deve tomar decisões de efeito permanente em momentos de instabilidade emocional. É o que se recomenda ao Brasil agora. A maior imprudência que se pode cometer neste momento é entregar à atual base do governo, amplamente majoritária no Congresso, decisões sobre como devem ser as eleições do ano que vem. Pensando bem, isso é tão evidente que este texto parece totalmente desnecessário, não é mesmo?

Episcopado de Dom Fernando em Crato chega aos 12 anos (Armando Rafael)


Dom Fernando Panico, em Roma, acompanhado de uma comitiva de Juazeiro do Norte

Neste sábado, 29 de junho, haverá na Catedral de Nossa Senhora da Penha – às 17:00 h. – uma missa festiva para comemorar os 12 anos da posse de Dom Fernando Panico como bispo diocesano de Crato. Deve-se a Dom Fernando a criação de 12 novas paróquias (uma por ano), além dos 3 santuários diocesanos (Juazeiro, Crato, e Barro) e de duas novas regiões pastorais na cidade de Crato: Alto da Penha e distrito de Dom Quintino.

Quem é quem

   Missionário do Sagrado Coração de Jesus (MSC), Dom Fernando Panico – naturalizado brasileiro – nasceu em 01 de janeiro de 1946, em Tricase, no sul da Itália. Fez seus estudos em Roma, onde foi ordenado sacerdote no dia 31 de outubro de 1971. Em 13 de dezembro de 1974 chegou ao Brasil, como missionário no Estado do Maranhão. Lá permaneceu até 02 de junho de 1993, quando foi nomeado, pelo Papa João Paulo II, Bispo de Oeiras-Floriano, no Piauí, aonde recebeu a ordenação episcopal em 14 de agosto daquele ano.

   No dia 02 de maio de 2001, foi transferido para a Diocese de Crato como seu quinto bispo, tendo assumido sua missão pastoral em 29 de junho de 2001. Desde que aqui chegou, Dom Fernando Panico vem confirmando o seu projeto pastoral de caracterizar esta Diocese como “Romeira e Missionária”.

   Deve-se a Dom Fernando a criação do Curso Superior de Teologia no Seminário São José de Crato. Ele também criou  a Faculdade Católica do Cariri. Entregou à Ordem dos Camilianos a administração do Hospital São Francisco de Assis de Crato, que vem experimentando sucessivas melhorias no seu funcionamento. Dom Fernando construiu a Cúria Diocesana e a nova residência Episcopal, no bairro Granjeiro.

   Foi o responsável pelo início dos estudos sobre o Processo de Reabilitação do Padre Cícero Romão Batista, ora em análise na Santa Sé. Deve-se a Dom Fernando Panico a iniciativa da abertura do Processo Diocesano pela Beatificação da Serva de Deus Benigna Cardoso da Silva. Iniciou a implantação de uma Fazenda da Esperança, destinada à recuperação de dependentes químicos, no município de Mauriti. Foi o responsável pela vinda da Comunidade Boa Nova, que trabalha na recuperação de dependentes do álcool e de drogas, com uma unidade em funcionamento num sítio, localizado na estrada Crato-Santa Fé. 

Dom Fernando Panico trouxe, ainda,  para a Diocese as seguintes instituições religiosas: Ordem Camiliana, Companhia dos Padres de São Sulpício (Sulpicianos), Freiras Contemplativas da Ordem Fraternidade Missionária (todas as citadas para a cidade de Crato); Monjas Contemplativas da Ordem de São Bento (Beneditinas) que construíram o Mosteiro de Nossa Senhora da Vitória e as Irmãs Salesianas, que atuam na Colina do Horto (ambas para Juazeiro do Norte); Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração (para Antonina do Norte); Irmãs Filhas da Imaculada Conceição de Buenos Aires (para Lavras da Mangabeira).

Por: Armando Rafael


São Paulo: evangélicos incorporam temas de protestos numa marcha que reúne multidão


Acompanhando trios elétricos, milhares de evangélicos sairam às ruas


A meta era levar 1 milhão de evangélicos às ruas de São Paulo

"Os evangélicos representam uma fatia considerável da população brasileira. Já estamos cansados de ver tanta coisa errada e precisamos também nos posicionar", disse o professor Daniel Azevedo, 38 anos, que levou uma faixa com a frase: "Jesus é 10, educação e saúde é zero".

Milhares de pessoas foram às ruas neste sábado durante a 21ª edição da Marcha para Jesus, evento que acontece anualmente na capital paulista, promovido pela igreja Renascer, e que reúne fiéis de várias igrejas evangélicas. Nesta edição, porém, boa parte dos participantes incorporou os temas abordados nas últimas semanas nas ruas e, assim como nos protestos que acontecem em várias cidades brasileiras, carregavam cartazes pedindo melhora na qualidade dos serviços públicos, como saúde, educação e transporte.

(Site Terra)



Os interesses do PT e o lado oculto do plebiscito de Dilma

(Matéria da revista VEJA desta semana)

Presidente usa impulso dos protestos nas ruas para tentar emplacar uma perigosa reforma política que o PT fracassou em implementar no Congresso


MAU EXEMPLO - Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, presenteia presidente Dilma Rousseff com uma imagem do falecido coronel Hugo Chávez. Na Venezuela, referendos foram usados para dar uma máscara de legitimidade a um governo autoritário (REUTERS/Ueslei Marcelino)

 Destinada a confrontar a população com questões objetivas e diretas, a realização de um plebiscito é uma ferramenta legítima do processo democrático. A história recente, entretanto, demonstra que ele pode ser utilizado para propósitos pouco nobres: vizinhos sul-americanos recorreram ao mecanismo para tentar governar diretamente com o povo, passando por cima das instituições democráticas e se perpetuando no poder. Em resposta à inédita onda de protestos que chacoalhou o Brasil, a presidente Dilma Rousseff propôs uma consulta popular para promover uma reforma política no país - ainda que nenhum cartaz tenha reivindicado isso. A estratégia bolivariana, tirada da manga no momento mais crítico do seu governo, acoberta um perigoso interesse: aprovar o financiamento público de campanha e o voto em lista, antigos sonhos do PT.

Como avalia o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior, a opção pelo plebiscito “joga areia nos olhos do povo”. Um levantamento do Datafolha constatou que a reforma política era uma reivindicação de apenas 1% dos manifestantes que tomaram as ruas de São Paulo nas últimas semanas. Mas o governo não quer perder a oportunidade aberta pelo clima mudancista.O PT defende o financiamento público de campanha porque seria o maior beneficiário desses recursos, já que tem a principal bancada na Câmara dos Deputados e esse é o critério usado para a divisão do bolo. Com o financiamento público, o partido conseguiria assegurar recursos superiores aos das outras siglas. Caso o caixa dois não seja efetivamente extinto, o que é uma hipótese plausível, o dinheiro de bancos e empreiteiras continuariam a seguir a lógica de favorecer quem tem a chave do cofre - no caso da União, o PT. Por isso, interessava mais ao partido a ideia inicial de Dilma, que incluía uma Assembleia Constituinte com poderes para dar os rumos à reforma. Mas a ideia fracassou por ser inconsistente e sem base jurídica. Ainda assim, o PT aposta na capacidade de mobilização de sua própria militância para moldar o sistema político-eleitoral.

Dilma repete façanha de Collor


A aprovação a seu governo despenca 35 pontos em três meses — 27 pontos em três semanas; hoje, só 30% o consideram bom ou ótimo; índice de ruim-péssimo chega a 25%. Então Dilma já era?
O prestígio da presidente Dilma Rousseff teve uma queda de 27 pontos percentuais em três semanas, segundo pesquisa Datafolha, publicada na Folha neste sábado. Apenas 30% das pessoas ouvidas consideram o governo “bom” ou “ótimo” — na primeira semana deste mês, eram 57%; em março, 65%. Em três meses, pois, a queda foi de estupendos 35 pontos. Só um governante antes dela repetiu tal façanha: Fernando Collor. E olhem lá. Imediatamente antes da posse, 71% tinham a expectativa de um governo bom ou ótimo. Em junho, depois do confisco da poupança, esse índice caiu para 35% — ainda assim, cinco pontos acima do número alcançado por Dilma. E olhem que ela não confiscou a poupança de ninguém.

(Reinaldo Azevedo, site VEJA)

A massa, o debate e a omissão - Por: Mailson Ramos


É quase impossível analisar as manifestações sob uma única visão, quando existem focos diversos, reivindicações de diferentes naturezas e aspectos, ideologias e projetos político-sociais controversos, excluindo-se evidentemente desta discussão aqueles sujeitos irresponsáveis que se juntaram aos manifestantes com o intuito de depredar os bens públicos e furtar estabelecimentos comerciais. O que interessa verdadeiramente neste momento é sintetizar o movimento (progressivo) desta massa e compreender qual o seu destino, que resultados trarão ao país, qual a sua influência na política brasileira, cujos meandros e estruturas estão aos poucos se destroçando, se já não ruíram por completo.
Diversos analistas nos últimos dias tentaram, inclusive com o apoio de pesquisadores, desvendar o perfil social das pessoas que invadiram as ruas e entender os seus anseios como cidadãos. Existe, no entanto, uma centralidade discursiva e mesmo ideológica neste debate que sãos os valores de contestação daquilo que está errado. Não mais as ruas esburacadas ou a falta de leito nos hospitais serviram para alavancar o manifesto. Incômodos maiores como a corrupção foram estampados nos cartazes de protesto, numa crítica direcionada ao Congresso Nacional e até à presidente Dilma. 
O grande problema de caráter organizacional da massa é a desinformação e a despolitização. Participar deste movimento apenas para dizer que foi às ruas, sem compreender o que se reivindica e contra quais forças se está lutando, não resolve o caso. Existe um poder estabelecido, dominante e que estaria até disposto a negociar com os manifestantes, mas negociar sem conhecer as estruturas da política é apenas provocar a sanha de quem ali tudo conhece. Sem contar que o período atual (disputa da Copa das Confederações) faz com que as autoridades rechacem qualquer tipo de mobilização capaz de chamar a atenção da imprensa internacional. 

A mídia dispensa o debate

É justo então levantar algumas questões: caminha-se a passos largos para o desenvolvimento geral do senso crítico e do amadurecimento político? Será que o gigante despertado enojou-se do berço esplêndido onde descansava?  Vivem-se dias de êxtase civilizatório ou a discussão ficou presa nas mãos de uma meia dúzia e a grande maioria apenas acompanhou o andamento da banda? A coisa parece não ser tão fácil assim. Do dia para a noite não se constrói m país de mentes pensantes e críticas, capazes de resolver seus problemas dialogando face a face com o estado de Direito.  
Vale ressaltar que ali, mesmo não existindo lideranças partidárias (pelo menos não visíveis) existem forças que organizam, ditam o discurso e de forma mais ou menos organizada conseguem gerenciar o movimento. Uma massa não se organiza por si só. A visibilidade destas manifestações pelos quatro cantos do mundo, discutida principalmente por países sul-americanos, reflete uma crise no sistema de referencia partidário e político do Brasil. Isso é pauta principal na academia, nas escolas, nas famílias, mas o debate profundo não se vê na imprensa. Muito ocupada com os eventos esportivos, a grande mídia deixa de lado a discussão saudável, renuncia à chance de explicar ao brasileiro o que realmente está acontecendo. São omissos na programação, na opinião expressa através das matérias de seus correspondentes, na face descrente dos apresentadores nas bancadas dos telejornais. 

Por: Mailson Ramos

Plebiscito ou crise -- Fernando Rodrigues (*)


O Congresso estará colaborando com Dilma se fingir que acha tudo maravilhoso e aprovar o plebiscito com itens que ajudarão o PT a se perpetuar no poder --como o sistema de voto em listas fechadas e com nomes pré-ordenados pelo partido. Nessa hipótese, o Legislativo assume de maneira ostensiva um papel de subserviência ao Executivo.

Se deputados e senadores tiverem um raro surto de independência e rejeitarem o plebiscito, será uma declaração de guerra. Da janela do Palácio do Planalto, a presidente apontará para o Congresso: "Vejam todos. Ali estão os vendilhões da pátria. São eles que ignoram o clamor das ruas. Não querem modernizar a política e não ligam para o Brasil".

Há uma possível saída intermediária. Aprovar um plebiscito desfigurado, incompreensível ou só para ser aplicado na eleição de 2014. Uma embromação. Nesse caso, morreriam todos abraçados, Executivo e Legislativo. Prometeram uma montanha e estariam parindo um rato.

Problemas políticos só se resolvem com mais política. Alta política, no caso. As (poucas) cabeças pensantes do Congresso e do Planalto podem muito bem fazer uma pauta mínima de modernização do sistema. Uma cláusula de desempenho para partidos, evitando a proliferação de aventureiros do aerotrem. O fim das coligações malucas entre comunistas e capitalistas, que só confundem o eleitor. Regras de democracia interna para as siglas deixarem de ser controladas por oligarquias.

Essas medidas podem ser aprovadas por meio de lei. Reduziriam a temperatura. Mas dependem de políticos com a cabeça no lugar e bom-senso. Aí já é querer demais.

(*) Fernando Rodrigues é jornalista da "Folha de S.Paulo" em  em Brasília.



Popularidade de Dilma cai 27 pontos após protestos - 30% consideram boa ou ótima


Pesquisa Datafolha finalizada ontem mostra que a popularidade da presidente Dilma Rousseff desmoronou.

A avaliação positiva do governo da petista caiu 27 pontos em três semanas. Proposta de plebiscito tem apoio de 68%. Hoje, 30% dos brasileiros consideram a gestão Dilma boa ou ótima. Na primeira semana de junho, antes da onda de protestos que irradiou pelo país, a aprovação era de 57%. Em março, seu melhor momento, o índice era mais que o dobro do atual, 65%. A queda de Dilma é a maior redução de aprovação de um presidente entre uma pesquisa e outra desde o plano econômico do então presidente Fernando Collor de Mello, em 1990, quando a poupança dos brasileiros foi confiscada. Naquela ocasião, entre março, imediatamente antes da posse, e junho, a queda foi de 35 pontos (71% para 36%).

Em relação a pesquisa anterior, o total de brasileiros que julga a gestão Dilma como ruim ou péssima foi de 9% para 25%. Numa escala de 0 a 10, a nota média da presidente caiu de 7,1 para 5,8. Neste mês, Dilma perdeu sempre mais de 20 pontos em todas regiões do país e em todos os recortes de idade, renda e escolaridade.

O Datafolha perguntou sobre o desempenho de Dilma frente aos protestos. Para 32%, sua postura foi ótima ou boa; 38% julgaram como regular; outros 26% avaliaram como ruim ou péssima. Após o início das manifestações, Dilma fez um pronunciamento em cadeia de TV e propôs um pacto aos governantes, que inclui um plebiscito para a reforma política. A pesquisa mostra apoio à ideia. A deterioração das expectativas em relação a economia também ajuda a explicar a queda da aprovação da presidente. A avaliação positiva da gestão econômica caiu de 49% para 27%. A expectativa de que a inflação vai aumentar continua em alta. Foi de 51% para 54%. Para 44% o desemprego vai crescer, ante 36% na pesquisa anterior. E para 38%, o poder de compra do salário vai cair --antes eram 27%. Os atuais 30% de aprovação de Dilma coincidem, dentro da margem de erro, com o pior índice do ex-presidente Lula. Em dezembro de 2005, ano do escândalo do mensalão, ele tinha 28%. Com Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a pior fase foi em setembro de 1999, com 13%.

Em dois dias, o Datafolha ouviu 4.717 pessoas em 196 municípios. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos 

Fonte: Folha de São Paulo
Via www.blogdocrato.com


Aguardar o melhor - Por: Emerson Monteiro


Rompêssemos o cristal do pensamento, qual rolada uma melancia para se contar os caroços do lugar aberto, e defrontar-nos-íamos com feixe de nervos, carne, sangue, veias, artérias, músculos, ossos, tendões, medulas, mergulhando em universo itinerante que se afirma enquanto respira, trabalha, come e se relaciona,  internos circuitos permanentes da busca de transformação.

As cidades, também assim paralisadas, circunstanciariam museus de cera, mistura clássica de um espaço tridimensional. Pedestres, animais, veículos, lojas, residências, bancos, repartições públicas, máquinas e consultórios. Tabuleiros de xadrez estruturados de forma a se pensar que tudo isso (e mais nada) faz sentido, único caminho imaginário para múltiplas projeções de ansiedades.

Afastados ficássemos, viríamos as regiões. Os cercados, o gado, as plantações, os estábulos, moradas, engenhos. A produção vinda da terra, como resultado de tradições técnicas redivivas no correr de séculos. Do campo, a vida - o alimento como preservador essencial das espécies (aceitemos ou refugamos a ideia). Ninguém vive por hipótese. Daí o célebre esforço das gerações em juntar homem e solo. O agricultor à gleba, que pertenceria ao patrão.

Pretendíamos resumir, no entanto se formaram essas divagações subsidiárias, para facilitar o tema: uma visão crítica do homem quanto ao Homem, o salto do nada ao incalculável, do grão de areia a sóis monumentais. Monumentais.

Poder-se-ia (quem sabe?) denegar os objetos e as pessoas, sob argumentos niilistas, prudentes, materialistas; referências fugidias, no fluxo energético que se esfuma, fachos de lua no espelho das horas; coágulos de pó que se fundem nos traços do desconhecido. Poder-se-ia... o que não nos interessa fazer.

Uma semente, quando germinada, conta segredos diferentes disso. Para cada porção, desde o homem (pensamento) à cidade (renovação de humor), à região (produzir, experimentar novas culturas), ao Estado (perspectivas abertas de coordenação), ao País (pujança, economia organizada, reforma agrária, seriedade política, independência), ao Continente (união de nacionalidades irmãs), ao Mundo (paz na transpiração das consciências), certezas novas aspiram construir uma civilização perene, livre dos jogos dúbios de isoladas bandeiras.

Isto lembra o quanto as batalhas sangrentas distorcem intenções e nutrem a imbecilidade, como filtros teimosos dos erros insistentes, que purificam bárbaros trazidos pelo vento. Desnecessário supor limite, uma fronteira, caso busquemos nos fazer antes dos outros (à medida do ter, que nunca enche). Essa mentalidade míope gera injustiça e fabrica as armas. Querer admitir o exclusivismo como coisa prática (pragmatismo dominante) simboliza sustentar os ferrões à frente.

Das guerras todos saem derrotados. Os vencidos, por serem de fato. E os vencedores, ao esquecerem sua parcela de culpa, em meio a discursos, vinhos e fanfarras, nos salões em festa.

Por: Emerson Monteiro


29 junho 2013

O Projeto de ampliação da EXPOCRATO apresentado há quase 4 anos, e que o Governador deu o Silêncio como Resposta aos Cratenses


Fingindo-se de morto pra comer o coveiro...



Direto do Túnel do Tempo: No dia 14 de Julho de 2009, o Prefeito Samuel Araripe entregou ao então secretário de desenvolvimento agrário Camilo Santana, a fim de ser entregue ao governador Cid Gomes, um projeto maravilhoso de expansão da ExpoCrato, que contempla inclusive um pequeno lago, área verde para a cidade, estacionamentos, largas avenidas, pista de cooper… seria o nosso CENTRAL PARK, e traria não só o desenvolvimento e a valorização da área atual da expocrato, como também para toda a nossa cidade. Como muitos devem saber, somente 30 por cento da área está ocupada pela atual expocrato, portanto no local, caberiam mais de duas vezes a atual estrutura. O projeto foi realizado, foi entregue, e recentemente eu estive em conversas com o Prefeito Samuel Araripe e me lembrei de perguntar:

DM - Prefeito Samuel, estive me lembrando daquela manhã, lá no SESC do Crato, em que o Sr. entregou em mãos o projeto de ampliação da Expocrato ao Camilo Santana. Um projeto belíssimo, mostrado inclusive no Blog do Crato, que contempla inúmeras coisas que elevaria a cidade do Crato para um novo patamar. Qual foi a resposta do Governador CID GOMES para aquele seu projeto ?

Samuel Araripe: “Meu caro Dihelson, o governador nos deu o silêncio como resposta. Até agora, nunca recebemos qualquer comunicado da parte dele nem que sim nem que não.”

Aqui está a matéria publicada em Julho de 2009 no Blog do Crato:

DESTAQUE: Prefeito do Crato apresenta projeto para ampliação e modernização do parque da ExpoCrato

O CENTRAL PARK
do Crato pode vir aí…

samuel - requalificacao

Em audiência pública realizada na manhã da última terça-feira, dia 14 de Julho, no SESC Crato, para uma platéia de diferentes segmentos da sociedade, intelectuais, e a presença do representante do governo do estado, secretário do desenvolvimento agrário Camilo Santana, o prefeito de Crato, Samuel Araripe se adiantou à polêmica gerada por alguns sobre se deve ou não mover o parque de exposições para outro local, e já prevendo que a esmagadora maioria dos Cratenses optariam pela permanência do parque no local aonde hoje se encontra, deu uma cartada de mestre, ao tirar literalmente “da manga”, e entregar ao governo do estado, todo um projeto de ampliação e modernização do atual parque de exposições, e que o transformaria numa espécie de “Central Park” em pleno coração do Crato, com áreas verdes, pistas de cooper e até um lago, semelhante ao parque do Ibirapuera, em São paulo. A audiência, que foi brilhantemente conduzida pelo Promotor de Justiça – Pedro Luis Lima Camelo, teve o pronunciamento de inúmeras pessoas renomadas da sociedade Cratense, e a cada vez em que os oradores se posicionavam sobre a permanência do parque no local atual, eram aplaudidos veementemente.

Segundo o prefeito Samuel Araripe:


“Precisamos trabalhar hoje projetando como será o Crato daqui a 50 ou 100 anos. Em breve, essa região que hoje é ocupada pelo parque da expocrato será o coração do novo Crato. Por ali, passarão avenidas gigantescas, que unirão bairros como Grangeiro à Vila Lobo, por exemplo. Pelas inúmeras manifestações do povo do Crato em diversas ocasiões, não temos mais dúvidas de que a população já escolheu que o parque deve permanecer aonde se encontra, agora, precisa ser modernizado e ampliado. Essa é uma excelente oportunidade de fazermos o Crato dar um Salto para o futuro, através da construção de uma malha viária que circundará o parque, e permitirá o acesso de quem vem de qualquer parte. O projeto da nossa autoria, e que consta no PRU, plano de requalificação urbana do município, contempla a qualidade de vida dos Cratenses, através de uma visão ecológica e ambientalista. Acreditamos no desenvolvimento sustentável. O Crato que eu quero deixar para as futuras gerações, é um Crato que pensa em desenvolvimento, em modernidade, mas a exemplo das melhores cidades do mundo, tem um sistema de integração voltado ao bem-estar do ser humano, sobretudo.
Esperamos que o nosso governador, para quem enviei o projeto de modernização, olhe com muito carinho para ele, e eu acho que ele vai olhar, pois já se dispôs a investir até 25 milhões de reais no parque de exposições ou no Crato. Creio que esse é um daqueles momentos históricos, em que temos a grande oportunidade de fazer o Crato dar um salto para a modernidade, preservando a qualidade de vida da população. Agora, não falta mais um projeto de modernização do nosso parque.”
“A colocação do professor Cacá Araújo foi feliz, quando disse que nesta reunião temos o casamento perfeito, pois aqui veio o representante do governo do estado trazendo a boa vontade do governador em construir, e por outro lado, o prefeito do Crato que já trouxe o projeto para a ampliação e modernização do parque da expocrato. Agora, se quiserem, é só realizar.”


Como Será o Parque de Exposições:
( Se a foto não aparecer completa, veja num monitor de 17 pol. ou superior )
parque 04


parque 03


parque 02


parque 01

Arquiteto José Sales explica o projeto de ampliação e modernização do Parque de Exposições, apresentado por Samuel Araripe:

“A proposta é originária do escopo de projetos estruturantes do PRU CRATO/ Plano de Requalificação Urbana do Crato, de sua primeira versão Maio 2005. E gradativamente veio sendo melhorada e adequada as demandas tanto do Crato, que teria um grande parque central multiuso, como do próprio Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante, o modernizando integralmente.
Constam da mesma, além da contemporanização das instalações e equipamentos do próprio Parque de Exposições, melhorias incomensuráveis à area central do Crato. No ambito do Parque de Exposições, teríamos:
*
Implantação de um calçadão central de 1.400 metros de extensão onde estariam posicionados todos os equipamentos principais do parque.
*
Um novo tartesal para leilóes
*
Um conjunto de novos pavilhões de exposição agropecuária com 440 baias moduláveis
*
Um núcleo de restaurantes com funcionamento permanente
*
Um auditório com palco interno e abertura externa semlhante ao novo auditório do Parque do Ibirapuera, em São Paulo
*
Uma arena de vaquejada, com arquibancadas
*
Uma arena de shows e apoio infraestruturado por manifestações diversas durante todo o ano
*
Urbanização do Riacho do Parque de Exposições e preservação integral da arborização existente, notadamente das grandes timbaúbas lá postadas
*
Pista de cooper e equipamentos de ginástica ao ar livre
*
Estacionamento para público
*
Estacionamento para expositores
*
Currais e apoio infraestruturado
*
Alojamento para tratadores
*
Administração do complexo
*
Modernização do Corpo de Bombeiros Militar para suporte ao Parque
*
Modernização das Instalações Cavalaria Militar
*
Dotação de infraestrutura de drenagem e saneamento básico em todo o parque e equipamentos.
*
Arborização intensiva e primoroso agenciamento paisagístico com espécies nativas da Chapada do Araripe
No ambito do entorno teríamos:
*
A extensão da Avenida José Marrocos entre as imediações do Cemitério a interconectando diretamente com as Ruas Carolino Sucupira e Coronel Antonio Luís, acima do posicionamento das instalações do Campus do Pimenta da URCA, com extensões à Rua Anusia Rolim e à futura ligação Granjeiro/ Lameiro, resolvendo de forma definitiva a questão da mobilidade e acessibilidade ao bairro do Pimenta, ao Granjeiro e ao Lameiro. E também ao Alto da Penha, Conjunto Ossian Araripe e Conjunto Pantanal. Esta seria a maior modernização do sistema viário estrutural do Crato. Drneagem e pavimentação da via. Luminotécnica urbana.
*
Reconstrução do Açude do Parque de Exposição a montante, o transformando em uma bacia de acumulação para prevenção dos alagamentos no Parque, no Cemitério, na Rua da Vala e Praça da Sé. Transformação desta situação em um parque acessório ligado ao Baixo Granjeiro
*
Urbanização da Encosta do Alto da Penha e arborização intensiva da mesma. Consolidação de via paisagística. Consolidação de pista de cooper e equipamentos de ginástica ao ar livre.Drenagem, saneamento e luminotécnica urbana.
*
Urbanização da mata do IBAMA que originalmente faz parte da gleba original do Parque de Exposição e sua abertura para usofruto da população para fruição da natureza. Drenagem e saneamento da gleba.nUrbanizazação do encosta do Alto da Penha e sua transfromação em uma P
*
A dimensão da intervenção ultrapassaria a área restrita da gleba do Parque que é de 36 hectares, alcançando 44 hectares de benfeitorias urbanas e ambientais.
Cordialmente

José Sales

PS – Todos os estudos e proposições tem base técnica e podem ser comprovados inclusive do ponto de vista da viabilidade urbanística e ambiental, como economica e financeira. Não existe nenhuma área com esta dimensão, qualificação e posiconamento logístico, notadamente este, no Crato e já de propriedade pública. Só na compra e urbanização de algo similar seriam empregados algo da ordem de R$ 10 a 12 milhões, que já estão ali amortizados. Urbanização e acesso à mata do IBAM. A proposta consiste numa adequação do Parque de Exposições para PARQUE CENTRAL DO CRATO, com a reformulação dos usos e espaços, além de obras viárias, com abertura de via pericentral e via paisagística, implantação de drenagem da Área Central e rede de saneamento. Deverá ser um lugar de referência para as Exposições como para esporte e lazer e ter utilização permanente pela população local.

Reportagem: Dihelson Mendonça
Agradecimento ao Dr. José Sales:

O Blog do Crato agradece ao ilustre arquiteto José Sales, por nos fornecer todo o material da apresentação para a publicação aqui no Blog do Crato, bem como o texto com o detalhamento de cada parte do projeto. Esperamos poder publicar maiores detalhes do mesmo futuramente.

Médicos do Rio cobram mais investimentos na saúde e criticam contratação de colegas estrangeiros


Rio de Janeiro – Os médicos fluminenses protestaram hoje (28) contra as precárias condições de infraestrutura dos hospitais, os baixos salários e a contratação de profissionais estrangeiros para atuar no interior do Brasil. Eles saíram em passeata da frente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio (Cremerj), em Botafogo, e percorreram algumas ruas do bairro. O protesto foi pacífico, e os manifestantes vestiam jalecos brancos.

O secretário-geral e coordenador da Comissão de Saúde Pública do Cremerj, Pablo Vasquez, defendeu a revalidação do diploma dos médicos estrangeiros que venham trabalhar no Brasil. “Quando nós, médicos, vamos atuar no exterior, temos que passar por essa revalidação, a fim de saber se estamos aptos para exercer a profissão ou não. Também queremos avaliar os estrangeiros. Se eles falam português, como é sua comunicação com os pacientes e com os outros profissionais de saúde, entre outras questões. Tudo isso é fundamental para assegurar a qualidade do atendimento”, disse.

O conselheiro do Cremerj e vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Aloísio Tibiriçá, criticou a contratação de médicos estrangeiros e cobrou do governo mais investimento na área de saúde a fim de melhorar as condições de trabalho, de salário e de atendimento.

“Fixar um profissional quando as condições são adversas só ocorre por meio de melhores salários e de uma infraestrutura adequada. Por isso, defendemos, também, que 10% do PIB [Produto Interno Bruto] sejam destinados para a saúde. Com maior investimento, o problema de saúde pública será resolvido, porque médicos não faltam. O recrutamento de médicos estrangeiros é uma vergonha nacional. Uma demonstração da falência da saúde pública no Brasil”, declarou.

Uma nova manifestação está prevista para quarta-feira (3), às 10h, na Cinelândia, no centro do Rio.

Agência Brasil


SAÚDE - Mulheres acima de 9 anos de idade podem se vacinar contra o vírus HPV


Anvisa derruba limite de idade para aplicação da vacina HPV em mulheres Vacina protege contra tipos de HPV ligados ao câncer no colo do útero.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o fim do limite de idade para a aplicação da vacina contra o HPV em mulheres, segundo uma decisão divulgada nesta sexta-feira (28).  A vacina, antes limitada a mulheres entre 9 e 25 anos, agora poderá ser aplicada a todas as mulheres que tenham mais de 9 anos, sem outros tipos de limitação, informa a agência.

A medida vale para a vacina conhecida pelo nome Cervarix, produzida pelo laboratório GlaxoSmithKline (GSK), que imuniza contra o HPV dos tipos 16 e 18 - os dois estão ligados ao surgimento de câncer no colo do útero em mulheres, ressalta a empresa na bula da medicação.
Segundo informações da GSK dadas à Anvisa, a proteção também é ampliada contra os tipos 31 e 45 da doença, que também estão entre os principais causadores desse tipo de câncer.

A ideia, segundo a agência, é possibilitar que mulheres acima de 25 anos também possam ser imunizadas contra o papilomavírus. A GSK informa, na bula da medicação, que a vacina tem como objetivo impedir a infecção e não previne de lesões causadas por HPV já presentes no paciente no momento da vacinação.

Fonte: G1
Via www.blogdocrato.com


Juíza proíbe “paredões de som” na Comarca de Itarema


Nota do Editor - Só no Crato é que não se proíbe

A juíza Katherine Martins Costa, titular da Comarca de Itarema, determinou que a Polícia Militar apreenda veículos flagrados produzindo sons ou sinais acústicos, em qualquer horário, capazes de incomodar o trabalho ou o sossego dos moradores.

A medida consta na Portaria nº 8/2013, publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta sexta-feira (28/06). Segundo o documento, o infrator deverá ser encaminhado à Delegacia de Polícia, onde será instaurado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

O veículo e o equipamento deverão ser removidos para depósito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e só poderão ser liberados mediante autorização judicial. A magistrada considerou que os “paredões de som” causam inúmeros transtornos aos habitantes, obrigados a conviver com pessoas alcoolizadas e até drogadas que se aglomeram em diferentes pontos da cidade. Destacou, ainda, que é infração de trânsito, punida com multa e remoção do carro, “usar indevidamente no veículo aparelho de alarme ou que produza sons e ruído que perturbem o sossego público, em desacordo com normas fixadas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran)”.

Fonte: TJ-CE


Crato - Previsão do Tempo para hoje, dia 29 de Junho de 2013


Bom dia, Crato!


Amigos, nada de chuva no dia de ontem, mas para hoje, a meteorologia prevê chuvas a qualquer hora, e períodos de nublado. Dissemos há 2 dias que quando a meteorologia prevê sol, é sol, mas quando prevê chuvas, o índice de acertos é de apenas 50%. Outras informações sobre o dia de hoje:

Nascer do sol: 05h50 Pôr do sol: 17h32
Temperaturas: Max 31º e Min 22º
Ventos E a 9km/h
Umidade Relativa do ar: 96% 59%
Índice UV: Alto


Dólar fecha em alta de 1,63% e volta a ultrapassar R$ 2,20


Brasília – Apesar de uma série de intervenções do Banco Central (BC), a moeda norte-americana fechou o dia com forte alta e voltou a ultrapassar a barreira de R$ 2,20. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (28) vendido a R$ 2,2317, com alta de 1,63%.

O câmbio operou em alta durante todo o dia. O dólar diminuiu o ritmo de aumento depois que o BC vendeu US$ 3,977 bilhões no mercado futuro . Por volta das 12h10, a cotação atingiu R$ 2,2001, na mínima do dia. Nas horas seguintes, no entanto, a moeda norte-americana voltou a subir, até encerrar a sessão na máxima do dia. A cotação aproxima-se do recorde registrado no último dia 20, quando o dólar comercial fechou em R$ 2,258 e atingiu o maior valor desde 1º de abril de 2009. Há mais de um mês, o mercado financeiro global enfrenta turbulências por causa da perspectiva de que o Fed, o Banco Central dos Estados Unidos, reduza os estímulos monetários para a maior economia do planeta.

A instabilidade agravou-se depois de Ben Bernanke, presidente do Fed, ter declarado, há uma semana, que a instituição pode diminuir a compra de ativos até o fim do ano, caso a economia dos Estados Unidos continue a se recuperar. Se a ajuda diminuir, o volume de moeda norte-americana em circulação cai, aumentando o preço do dólar em todo o mundo.

AB
Via www.blogdocrato.com


Deputado Donadon se entrega à Polícia Federal e é preso em Brasília


Primeiro deputado com ordem de prisão no exercício do mandato desde a redemocratização do país, Natan Donadon (PMDB) entregou-se à Polícia Federal nesta sexta-feira (28), quase dois dias depois de o mandado de prisão ser expedido.

Donadon se apresentou em uma rua de Brasília ao superintendente da PF no Distrito Federal, Marcelo Moseli, e outros policiais federais. Ele se entregou em frente a um ponto de ônibus e assinou o mandado na rua mesmo. O parlamentar terá que passar por exames e ficará preso até ser transferido para um presídio. Ao longo de toda quinta-feira a PF utilizou informações de inteligência, seguiu carros suspeitos, fez buscas no apartamento funcional e no gabinete, além de realizar intensas negociações com os advogados do parlamentar para tentar viabilizar a prisão. Porém, o deputado não foi encontrado e preso.

Donadon fechou um acordo para se entregar de forma espontânea e se encontrou com o chefe da PF no Distrito Federal. Inicialmente, ele chegou a descumprir um acerto com a PF para se apresentar até o início da tarde. O diretor-geral da PF, Leandro Daiello, participou da negociação para que não houvesse turbulência no processo. Foi acertado que não haveria uma exposição de Donadon. Uma das preocupações era com a imagem dele sendo preso por agentes da Polícia Federal.

O deputado federal de Rondônia, Natan Donadon, condenado pelo STF por formação de quadrilha e peculato. O deputado começou a ser procurado desde o fim da tarde de quarta-feira. A busca partiu horas depois de o STF (Supremo Tribunal Federal) determinar a imediata prisão do parlamentar. Donadon foi denunciado em 1999. Ele foi condenado em outubro de 2010, quando o tribunal entendeu que ficou comprovada sua participação em esquema na Assembleia de Rondônia que, segundo as apurações, desviou R$ 8,4 milhões por meio de simulação de contratos de publicidade. Nesta semana, os ministros entenderam que não cabia mais chance para recursos e determinaram a prisão. A entrega do deputado foi negociada pelo advogado Nabor Bulhões, que assumiu o caso depois da condenação em 2010. Ele foi procurado em seu gabinete por integrantes da cúpula do PMDB que fizeram a intermediação para a contratação. Na época, a recomendação do PMDB a Bulhões foi para apresentar os recursos e também entrar em campo para evitar uma eventual prisão.

O advogado ainda estuda, mas deve pedir ao STF um recurso chamado de revisão criminal, que pode ser proposto contra decisões já efetivadas.

CASSAÇÃO

Como não foi encontrado, a Câmara ainda não conseguiu notificá-lo da abertura do processo de cassação de seu mandato. Emissários da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) devem fazer hoje uma terceira tentativa. Se não for localizado, a partir de segunda-feira, a abertura do processo será publicada no Diário Oficial da União, abrindo o prazo de cinco dias para a apresentação da defesa. Depois da CCJ, o processo de perda do mandato terá que passar pelo plenário da Câmara, tendo que ser aprovado por 257 deputados. Nesta quinta, o PPS pediu que o comando da Câmara decrete a cassação imediata de Donadon. "Não cabe às Casas do Congresso, segundo decidiu o Supremo, deliberar sobre a perda ou não do mandato do parlamentar com a sentença criminal condenatória", disse o presidente do partido, deputado Roberto Freire (SP).

A expectativa é que a questão seja rejeitada. O entendimento é que cabe ao parlamentar o amplo direito de defesa, mesmo com a condenação.

Fonte: Folha Online


Inflação em 2013 pode ser menor que no ano passado, diz secretário


Brasília – Apesar de o Banco Central (BC) ter elevado para 6% a previsão de inflação para este ano, o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, disse que a equipe econômica continua trabalhando com a possibilidade de o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrar o ano abaixo dos 5,84% registrados em 2012. Segundo ele, a queda no preço dos alimentos e de bens duráveis e não duráveis permite que essa possibilidade seja considerada pela Fazenda.

“Um IPCA menor que o de 2012 é uma possibilidade e o governo está trabalhando com isso. Diversos produtos que pressionaram a inflação nos últimos anos, como o tomate e o arroz, têm apresentado queda consistente. Os alimentos, que chegaram a responder por 50% do IPCA em vários momentos nos últimos dois anos, hoje só representam 25% do índice”, explicou. Holland mencionou ainda os itens da cesta básicos, que foram desonerados em março e, segundo ele, também contribuíram para a queda do preço dos alimentos.

O secretário também destacou um recuo nos preços de bens duráveis e não duráveis. Segundo ele, isso pode ser traduzido pelo índice de difusão do IPCA, indicador que mostra o percentual de preços que subiram nos meses pesquisados. “Em janeiro, o índice de difusão chegou a 75% dos preços. Em maio, estava em 61,6%”, ressaltou.

Em relação à alta do dólar, que pode pressionar a inflação por causa das mercadorias importadas ou com componentes importados, Holland disse que ainda é preciso esperar o momento de turbulência no sistema financeiro internacional passar para saber em que nível o câmbio se acomodará. “Tivemos uma revisão na paridade atual, mas não sabemos exatamente para onde o câmbio vai. Temos de acompanhar um pouco mais antes de fazer uma estimativa sobre o impacto do dólar na inflação”, declarou.

Apesar do aumento da moeda norte-americana, o secretário alegou que os repasses do câmbio para a inflação no Brasil estão cada vez menores: “A taxa de transferência das variações do câmbio para a inflação são declinantes”.

O secretário fez as declarações ao comentar a definição da meta de inflação para 2015, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 4,5% , com tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Embora tenha ressaltado que a inflação esteja sob controle e descartado o risco de que o IPCA estoure o teto da meta (6,5%), Holland não quis projetar um prazo em que o índice convergirá para o centro da meta.

“Esperamos que a inflação chegue à meta no médio prazo, como é no regime de metas quando temos um quadro de choque de oferta. A inflação tem estado nos últimos dez anos controlada e dentro dos intervalos de tolerância estabelecido”, explicou o secretário. De acordo com ele, o intervalo de tolerância existe justamente para permitir a acomodação de choques de oferta, como as secas e as chuvas que elevaram o preço dos alimentos, sem comprometer a atividade econômica.

Agência Brasil


Museu para Padre Antônio Vieira é aberto em Viçosa do Ceará


Um acervo que remonta ao início do século XVIII e que se destaca pela religiosidade, está disponível à visitação

Viçosa do Ceará. Quem visita esta cidade, na Serra da Ibiapaba, tem a oportunidade de desfrutar do clima frio, das lindas paisagens naturais, da beleza dos casarões históricos e de um rico e importante acervo cultural que remonta ao início do século XVIII: o Memorial Padre Antônio Vieira. O acervo da arte barroca pode ser contemplado nos compartimentos internos da Matriz de Nossa Senhora da Assunção, em Viçosa do Ceará. Além do altar-mor, um destaque para a exibição dessas peças está no forro do templo FOTO: GILBERTO BARRETO

Instalado em setembro de 2012, o memorial está localizado na antiga sacristia da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção de Viçosa do Ceará, que foi construída em 1700. O templo preserva a parede de pedra, atrás do Altar Mor, construída pelos Jesuítas da Missão da Ibiapaba e pelos índios Tabajaras da antiga Aldeia Ibiapaba, hoje Viçosa do Ceará.

"A ideia de implantação do memorial nasceu da necessidade de se preservar a história local, seus aspectos culturais e religiosos do início da fundação de uma das primeiras vilas do Ceará", explicou o memorialista, Gilton Barreto. O acervo está constituído de utensílios, indumentárias, documentos, fotografias, móveis, imagens e de registro das ocorrências ao longo da existência da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção de Viçosa do Ceará.

Padre Antônio Vieira, jesuíta, português, conhecido por Orador Sacro, autor de ´Os Sermões´ veio ao Brasil colonial e a partir do Maranhão, na época do governo do Grão Pará, fez incursões até o Ceará por meio de santas missões, em 1660. Em Viçosa do Ceará, iniciou a fundação da Igreja Matriz dedicada a Nossa Senhora da Assunção. Meio século depois, com a expulsão dos jesuítas, índios ergueram a torre do sino, que permanece preservada. "Foi construída em barro, madeira e óleo de baleia, pois na época não havia cimento", lembra Gilton Barreto. "O Altar Mor reúne doze telas, de um dos mais importantes acervos do Barroco no Brasil".

A instalação do memorial coincide com os 150 anos de implantação da Irmandade do Santíssimo Sacramento, na cidade. Foi criado por iniciativa da comunidade católica local, reunida em associações, movimentos e pastorais, sob a coordenação do Apostolado da Oração e da Arquiconfraria de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com a participação da Associação dos Amigos e da Cultura de Viçosa do Ceará e do Instituto Literário Viçosense. O objetivo do memorial é reunir em um só espaço para visitação pública peças do patrimônio histórico material (documentos, fotografias, mobiliário, indumentárias, imagens sacras, telas a óleo de Descartes Gadelha, representando a catequese, a vinda do padre Antônio Vieira) e do patrimônio imaterial (narrativa de fatos e lendas). "Há um esforço coletivo para a preservação desse acervo", explicou a curadora Tereza Cristina Mapurunga Magalhães de Miranda. "O espaço permite o conhecimento da história local, através de sua exposição permanente".

Fonte: DN


Dilma condena discriminação e silencia sobre 'cura gay'



Em reunião com representantes de movimentos de gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e travestis, a presidente Dilma Rousseff defendeu nesta sexta-feira, 28, que o Estado impeça a violência contra a comunidade LGBT, mas evitou comentar o projeto de 'cura gay', que tramita na Câmara dos Deputados, segundo relataram participantes da reunião. O dia de hoje, 28 de junho, é comemorado por militantes como o Dia do Orgulho Gay.

O PSDB divulgou no último dia 26 nota oficial manifestando publicamente "posição contrária" ao Projeto de Decreto Legislativo 234/2011, mais conhecido como 'cura gay'. O projeto, apresentado pelo deputado e pastor evangélico João Campos, filiado ao PSDB de Goiás, tem sido um dos principais alvos dos protestos de rua. Na Câmara, recebeu parecer favorável da Comissão de Direitos Humanos, sob a liderança do deputado e também pastor Marco Feliciano (PSC-SP).
"A presidente nos disse que o Estado tem o dever de defender e impedir a violência contra a comunidade LGBT, e isso é muito importante vindo da mais alta autoridade da República", disse Toni Reis, secretário de Educação da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).

"Dilma não falou diretamente (sobre o projeto da 'cura gay'), mas hoje queremos a rejeição do projeto, que deve ir à votação na semana que vem, ou terça ou quarta-feira (na Câmara). Não se pode curar o que não é doença. Já temos o apoio do PSDB, do PT e de vários partidos para que seja enterrado esse projeto que, pra gente, é uma excrescência de cidadania", destacou Toni Reis. "A presidenta falou na laicidade do Estado, não dá pra fazer propaganda de opções religiosas ou outras questões. Pedimos políticas públicas (para a população LGBT)."

Para a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, a presidente Dilma se posicionou "muito claramente" contra toda forma de violência e discriminação no Brasil. "Ela posicionou o seu governo contra todas as formas de violência que qualquer brasileiro sofra, se solidarizou e determinou que tenhamos iniciativas concretas para enfrentarmos qualquer violência à comunidade LGBT", disse.

Fonte: Yahoo Notícias
Foto: Portal Olhar21.com.br


Vacinação contra a poliomielite é prorrogada até 5 de julho


A campanha de vacinação contra a poliomielite - que causa paralisia infantil - em crianças a partir de seis meses até menores de cinco anos de idade será estendida até 5 de julho em todos os centros de saúde da rede pública no município do Crato. O Crato vem tendo uma média de vacinações razoável de pessoas vacinadas, faltando pouco para cumprir a meta estabelecida pelo Governo Federal. Segundo a Secretaria de Saúde, as pessoas que ainda não levaram seus filhos, para a vacinação, esse é o momento, no objetivo de deixar a criança imunizada e livre de ter a paralisia infantil. A coordenadora de Imunização da Secretaria de Saúde do Crato, Tereza Cristina Brito, relata que cerca de 86% das crianças do município já foram imunizadas, mas a meta é vacinar 95% das crianças cratenses, na faixa etária estabelecida. A imunização contra a poliomielite é extremamente segura, com raras reações associadas à sua administração. Os pais devem lembrar que, para as crianças receberem a dose, é necessário a apresentação do cartão de vacinação.

Secretaria de Assistência Social realiza festa de São João para os idosos do CRAS

A Secretaria Municipal de Assistência Social realizou, na manhã de ontem, 27/06, o São João dos idosos dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) do Crato. Os cinco centros instalados em diferentes bairros da cidade apresentaram suas quadrilhas. Cores, alegria e muito forró foi o que não faltou para os participantes. O evento teve como objetivo promover a integração entre os grupos de idosos dos CRAS, e com isso fortalecer o vínculo entre estes equipamentos que realizam o trabalho de organização e oferta de serviços da Proteção Social Básica nas áreas de vulnerabilidade e risco social. De acordo com a Secretária de Assistência Social do Crato, Ana Lúcia Gomes, a festa foi realizada com o intuito de aproximar mais os idosos que utilizam os serviços dos CRAS do Crato. “Essa festa de São João é para celebrar a tradição junina e também estreitar o vínculo entre os CRAS”. Participaram do evento a primeira-dama do Crato, Gil Gomes de Mattos, além de vereadores.  Os CRAS são dos bairros Vila Alta, Alto da Penha, Muriti, Seminário e Batateira, além de um Pólo de Atendimento, no distrito de Ponta da Serra.

Diretores da rede municipal de ensino participam de reunião na nova sede da secretaria

A Secretaria de Educação do município do Crato recebeu nessa quarta-feira, 26, na sua nova sede, os diretores da rede municipal de ensino num encontro, onde foram apresentadas as orientações para lotação com base na Lei do piso salarial. Na oportunidade, além de conhecer as novas instalações da Secretaria, os diretores tomaram conhecimento que na Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional, está estabelecida a disponibilidade de um ‘período reservado ao estudo, planejamento e avaliação, incluído na carga de trabalho’. Na ocasião, os diretores foram informados dos procedimentos a serem seguidos durante o ano letivo segundo semestre 2013, entre elas a jornada parcial de trabalho para professores com 40, 20 e 10 horas semanais.

Durante o encontro foi apresentado também os critérios gerais para lotação, e abordadas as questões voltadas para a educação infantil, ensino fundamental I e II, aceleração, educação especial, programa nacional de informática (PROINFO), sala de leitura e o cronograma de formação para o segundo semestre 2013. 

 Fonte: PMC


“Brasil passou no teste”, diz Blatter, que espera presidente Dilma na final da Copa das Confederações


O presidente da Fifa, Joseph Blatter, declarou nesta sexta-feira (28) que o Brasil “passou no teste” na Copa das Confederações.

Vaiado na abertura do torneio ao lado da presidente Dilma Rousseff, o cartola suíço voltou ao país na quarta-feira (26) e disse que a edição brasileira do evento-teste para o Mundial de 2014 foi exitosa.

“O Brasil passou no teste. Isso, aliás, foi muito mais que um teste. Foi a Copa dos Campeões (referindo-se aos quatro finalistas). Todos donos de Mundiais. Posso dizer que o torneio foi exitoso”, afirmou Blatter, que deixou o Brasil na semana passada após o acirramento dos protestos pelo país. O alto gasto governamental na realização da Copa do Mundo era um dos pontos da pauta dos manifestantes. No Maracanã, o suíço disse que entende os protestos pelo país. “Eu posso entender essas manifestações sociais, é claro que posso. Mas não é nosso problema, é do governo, não podemos nos meter, e o governo vai mudar alguma coisa. É uma questão de confiança no governo brasileiro e no COL (Comitê Organizador Local da Copa)”, disse o dirigente. Depois de ser vaiado em Brasília, o cartola disse que convidou a presidente Dilma para assistir à final no Rio. Ele contou que não recebeu resposta de Brasília até agora.

Na Copa das Confederações na África do Sul, o capitão Lúcio recebeu o troféu de Blatter e do presidente da África do Sul, Jacob Zuma. “Mandamos o convite, mas ainda não recebi nenhuma informação. Adoraria que estivesse presente”, afirmou o cartola. 

DN Online
Via www.blogdocrato.com


27 junho 2013

O PIB do Brasil da Maria Joana.

Maria Joana subiu no tamanco
Procurou um banco
Arrumou dinheiro
Fez um empréstimo, montou um negócio
Conseguiu um sócio e se mandou pro Juazeiro
Comprou a vista e vendeu fiado
Foi rombo pra todo lado
O povo desapareceu
E quando chegou o fiscal do banco
Maria preto no branco disse que a loja cresceu

Ó seu fiscal, como o senhor mermo tá veno
Minha loja vai de vento em polpa
Seno assim libere logo a outra parte do dinheiro
Mar dona Maria o negócio aqui tá mais desmantelado do que galope de vaca
A senhora inda vem dizer que um negoço desse cresceu mulher
Cresceu sim
Cresceu? Só se foi...

Pra dentro que nem pedra de amolar
Pra fora que nem milho no estalo
Pra cima que nem fumaça
Pra baixo que nem rabo de cavalo.

O Lula está a convocar o povo a sair às ruas. É deverasmente muito desenformado. Nunca sabe de nada. Não sabe que o povo já está nas ruas.  Pois bem, seu trabalho está facilitado, basta-lhe  ir as manifestações levando a Dilma a tira colo.

Flavio Leandro e Genival Lacerda.

  video

Senado aprova projeto que torna corrupção crime hediondo


Projeto integrou agenda de votações prioritárias estabelecida pelo Senado. Texto será agora enviado para apreciação da Câmara dos Deputados.

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (26) o projeto de lei que altera o Código Penal para aumentar a punição para corrupção e tornar esse tipo de delito crime hediondo, considerado de maior gravidade. O texto aprovado determina que a corrupção ativa (quando é oferecida a um funcionário público vantagem indevida para a prática de determinado ato de ofício) passa ter pena de 4 a 12 anos de reclusão, além de multa – atualmente, a reclusão é de 2 a 12 anos. A mesma punição passa a valer para a corrupção passiva (quando funcionário público solicita ou recebe vantagem indevida em razão da função que ocupa).

A proposta também inclui entre crimes hediondos a prática de concussão (ato de exigir benefício em função do cargo ocupado). A proposta segue agora para a Câmara – se alterada pelos deputados, voltará para o Senado antes de ser sancionada pela presidente da República.

O texto foi votado um dia após o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciar “agenda positiva” com a votação da proposta entre as prioridades estabelecidas pela Casa para atender as reivindicações surgidas nos protestos de rua por todo o país. No discurso que pronunciou durante reunião com governadores e prefeitos na última segunda-feira (22), a presidente Dilma Rousseff defendeu endurecer a legislação para que a corrupção dolosa passasse a ser qualificada como crime hediondo. De acordo com o Código Penal, a condenação por crime hediondo impede a concessão de anistia e o livramento mediante o pagamento de fiança. Por esse tipo de crime, a pena deve ser cumprida inicialmente em regime fechado.

O relator do projeto, senador Alvaro Dias (PSDB-PR), incluiu no texto, de autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT), outros dois tipos de crime que envolvem recursos públicos.
Pela proposta, o crime de peculato (quando funcionário se apropria de bem público) passa a ter a pena mínima aumentada de dois para quatro anos de reclusão, além de ser considerado hediondo. A pena máxima permanece em 14 anos de prisão. Já o crime de excesso de exação (quando servidor público cobra indevidamente imposto ou contribuição social) tem a pena mínima aumentada de três para quatro anos de reclusão, além de também ser considerado hediondo. A pena máxima permanece em 14 anos.

Para Alvaro Dias, a proposta é fundamental para recuperar a credibilidade das instituições públicas. “O projeto aprovado hoje que transforma o crime de corrupção em hediondo aumenta as penas, elimina os privilégios e acaba com a impunidade se a legislação for corretamente aplicada”, declarou.

Emendas

O projeto foi aprovado com uma emenda do senador Wellington Dias (PT-PI) que aumenta em um terço o período de reclusão da pena para peculato nos casos em que o crime for cometido por “agente político” ou “membro de carreira de estado”. Outra emenda aprovada, de autoria do senador José Sarney (PMDB-AP), vai além dos crimes de corrupção e inclui no projeto o homicídio simples e as suas formas qualificadas como crime hediondo.

Do G1, em Brasília


Mantega diz que economia brasileira se mantém sólida; Oposição contesta


Em audiência na Câmara, ministro da Fazenda ressalta que o quadro econômico do País está melhorando, apesar da crise internacional. Deputados do DEM apontam inflação alta e crise de confiança do governo.

Guido Mantega afirmou que o surto inflacionário causado pela alta do preço dos alimentos já foi superado. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, rebateu nesta quarta-feira críticas ao governo e reforçou a solidez da economia brasileira. A oposição, no entanto, questionou os números apresentados por ele. Mantega participou de audiência pública conjunta das comissões de Finanças e Tributação; de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Fiscalização Financeira e Controle; e de Viação e Transportes. Segundo o ministro, o Brasil está preparado para enfrentar a crise financeira internacional. Ele destacou que a situação econômica mundial chegou a passar por uma melhora em 2010, mas, desde 2011, voltou a piorar.

O ministro reconheceu o fraco desempenho da economia brasileira em 2012, quando o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi de apenas 0,9%, mas enfatizou que o quadro econômico dá sinais de incremento neste ano. "Podemos ver o resultado do primeiro trimestre deste ano, quando tivemos um crescimento do PIB de 0,6%, porém, com o setor agropecuário crescendo 9,7%. A indústria teve crescimento negativo, mas por causa da indústria extrativista. A indústria de transformação teve resultado positivo. Os serviços cresceram 0,5%, e os investimentos aumentaram 4,6%”, destacou.

Mantega ainda comparou os resultados brasileiros com os de outros países. “É um ano difícil para a economia internacional, em que vários países estão desacelerando seu crescimento, mas estamos conseguindo acelerar nosso crescimento e tivemos no primeiro trimestre crescimento igual ao dos Estados Unidos e superior ao do Chile, México, Reino Unido e Colômbia." Nos últimos dez anos, ressaltou, o crescimento médio da economia brasileira foi de 3,6%. Além disso, a economia feita para pagamento dos juros da dívida, o chamado superavit primário, foi acima de 3%, com exceção dos anos de crise, em que ficou em torno de 2%.

Ele destacou ainda que, entre 2003 e 2012, as reservas internacionais brasileiras saíram de US$ 37 bilhões para US$ 370 bilhões. No período, a relação dívida/PIB caiu de 60% para 35%. O ministro informou que, em dez anos, quase 20 milhões de empregos foram criados no País.

Crise mascarada

Para a oposição, no entanto, os números mascaram a crise na economia e nas contas públicas brasileiras. O deputado Mendonça Filho (DEM-PE) lembrou o aumento recente da inflação. "Há quatro anos, a gente não consegue chegar ao alvo da meta. A gente sempre chega ao teto. O que me refiro é que essa inflação de 6,5% é muito maior para quem vive a economia real, o trabalhador." De acordo com estimativa do mercado financeiro divulgada na segunda-feira (24) pelo Banco Central, a inflação em 2013 será de 5,86%, acima dos 5,84% registrados em 2012. O centro da meta do governo para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano é de 4,5%, podendo ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

Na opinião do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), existe também uma crise de confiança com o governo de Dilma Rousseff. “Não é crise internacional. A crise que o Brasil vive é de desconfiança no governo da presidente Dilma, nos governos estaduais e municipais", afirmou.

Tripé econômico

Rodrigo Maia também cobrou que a equipe de Dilma respeite a política econômica que veio do presidente Fernando Henrique Cardoso, “que o presidente Lula, com o presidente do Banco Central Henrique Meireles, manteve, e que, infelizmente, vossas excelências com essa política anticíclica para lá e para cá têm desrespeitado e gerado um excesso de desconfiança no mercado”. De acordo com Guido Mantega, os governos Lula e Dilma mantiveram o tripé econômico introduzido pela gestão de Fernando Henrique Cardoso, de metas de inflação, câmbio flutuante e superavit primário. Mas, segundo ele, outros elementos, como aumento dos investimentos e redução da taxa de juros, foram incluídos para evitar distorções na economia. 

Mantega reconheceu que houve um surto inflacionário no fim do ano passado e início deste ano, motivado, em sua avaliação, pelo aumento sazonal no preço dos alimentos. O ministro lembrou, no entanto, que esse cenário já passou e que os preços começam a refletir a recente desoneração tributária feita pelo governo para a cesta básica. "Controlar a inflação é a prioridade número um. Mesmo porque será isso também que permitirá um crescimento maior da economia."

Agência Câmara
www.blogdocrato.com 



Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30