xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 29/02/2012 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 fevereiro 2012

JESUS agora paga até Dìvida de Banco com Toalhinhas e Fé ?

A nova forma de pagar as dívidas. Veja só esse vídeo, que absurdo!

Rumo ao Brasil Central - Por Carlos Eduardo Esmeraldo e Magali de Figueiredo Esmeraldo

. Carlos
. Magali

Quando completamos pouco mais de um mês de casados, morando ainda em Tomé-Açu, Carlos recebeu a notícia da Construtora Engenorte, de que iria trabalhar em S. João d'Aliança - Goiás, na estrada São João d'Aliança-Alto Paraíso. Em conseqüência das fortes chuvas os trabalhos da estrada “Tomé-Açu-Paragominas foram suspensos.

Com a surpresa tive a certeza de que a nossa vida estava parecendo com vida de cigano, sempre levantando acampamento. Mas, com toda a animação da nossa juventude, fomos enfrentar a mudança. E eu que, aos poucos estava conhecendo e me acostumando com aquela região cheia de igarapés, onde havia grandes plantações de pimenta-do-reino, teria que ir embora. Além dos japoneses proprietários dessas plantações, a cidade de Tomé-Açu abrigava também muitos cearenses.

Novamente, nosso fuscão ficou lotado de bagagens. Os poucos móveis e o fogão foram acomodados no caminhão da firma. Seguimos viagem pelas estradas enlameadas, deixando para trás a nossa casinha de madeira pintada de branco que foi testemunha da nossa felicidade do primeiro mês de casados.

A estrada foi aberta no meio da floresta e lembrava muito a subida para Serra do Araripe, com a diferença de que as árvores eram mais altas e frondosas e era numa região plana. Em conseqüência das fortes chuvas recentes, a estrada estava encharcada de lama. Em algum momento teria mesmo que atolar. E o fusca atolou junto também com os caminhões e máquinas da firma, próximo a uma fazenda. Horas e horas ficamos atolados já com a fome apertando, pois só tínhamos tomado o café da manhã. Dormir em Paragominas, como era o planejado não seria mais possível, pois já estava anoitecendo. Com o estômago vazio, começamos a pensar nas pessoas que passam fome. Imaginamos um pai ver os filhos sem ter o que comer e não poder fazer nada por causa do desemprego.

O mais interessante é que apesar de todas essas dificuldades eu me sentia tranquila, achando que tudo daria certo. Além da minha fé em Deus, eu confiava que ao lado de Carlos, íamos encontrar uma saída. A sintonia entre nós dois era e continua tão forte, assim como o nosso amor. Por isso, estávamos muito calmos e não nos desesperamos em nenhum momento. Lembrei-me de um pequeno versículo do Livro de Gênese 2, 24: "Por isso, um homem deixa seu pai e sua mãe, e se une à sua mulher, e os dois se tornam uma só carne." Era aí onde estava a nossa força, na Palavra de Deus, nas suas bênçãos e no nosso amor. Naquele momento, em vez de perdermos a paciência, enfrentamos tudo com muito humor. Estávamos confiantes de que Deus nos tiraria daquela situação.

Para nossa salvação, avistamos uma casa de fazenda, próximo de onde os carros ficaram atolados. Pedimos abrigo por uma noite e o fazendeiro, um simpático mineiro que há poucos dias instalara-se na terra, antes devoluta, nos acolheu. Lá já se encontrava um engenheiro do Departamento Nacional de Minas e Energia, que descobriu extensas reservas de bauxita naquela área. Após o delicioso jantar, conversamos durante algum tempo e logo fomos dormir, pois a noite estava bastante fria. É que no meio da floresta, quando chove, faz frio durante a noite. Quando o dia amanheceu, verificamos que a chuva deu um pouco de trégua, foi possível desatolar os carros e prosseguirmos com a viagem até Belém, de onde sairíamos para Brasília. Quando chegamos à capital paraense, já era noite.

No dia seguinte, acertamos os últimos detalhes da longa viagem de Belém até Brasília. Às seis horas da tarde partimos de Belém e seguimos até Santa Maria do Pará, um percurso de 100km, quando o asfalto terminou. Resolvemos dormir nessa cidade e prosseguir logo na manhã do dia seguinte.

A estrada Belém-Brasília, como era chamada desde sua construção, possuía, já naquela época, um intenso movimento de caminhões. No trecho do Pará, até Imperatriz no Maranhão nos deslocamos muito bem, pois apesar de não haver asfalto, havia um bom revestimento primário, termo técnico usado na engenharia rodoviária para o que popularmente é conhecida por estrada de piçarra. Entretanto pernoitamos em Paragominas. No terceiro dia da viagem, passamos por Imperatriz, e por volta das oito horas da manhã atravessávamos a ponte do Estreito sobre o Rio Tocantins e entramos no Estado de Goiás.

Desde o norte de Goiás, onde atualmente é o Estado do Tocantins, a rodovia estava sendo asfaltada e passamos a viajar sobre longos trechos de desvios. Eram duas trilhas aprofundadas pelos caminhões carretas, além das caçambas com o transporte de material para construção da estrada. Por isso se formou nos dois lados do desvio duas trilhas sobre a areia, bem aprofundadas. Como a largura dos caminhões era bem maior do que a do fusca, ao tentar ultrapassar uma caçamba, ficamos facilmente suspenso pelo "canteiro central" formado no meio das duas cavas feitas pelo peso das carretas. O motorista da caçamba, de espírito bastante solidário, ofereceu-se para ajudar. Amarrou uma corda no eixo dianteiro do fusca e deu partida. Ouvi um estalido seco e senti não haver saído do lugar. O motorista desceu e constatou que a ponta do eixo traseiro da caçamba havia rompido. Com isso a estrada ficou interditada. A caçamba de um lado e o fusca do outro. Imediatamente formou-se duas filas de caminhões, uma à nossa frente, e outra atrás. Até que um motorista de uma das carretas exclamou: "E nós vamos ficar aqui parado por causa desse fusquinha, pessoal?" Convocou seus companheiros e quando menos esperei, estávamos voando sobre a estrada, nos braços de homens fortes, que nem sequer pediram para que descêssemos do fusca.

Mas o pior nos aguardava mais um pouquinho à frente. Mal refeitos dos susto sofrido pelo episódio do "entalo" do fuscão, ao subirmos uma ladeira, lá no alto, fomos mandados parar por dois homens que mais pareciam dois portões de ferro. Era um posto da Polícia Federal. Perguntaram de onde vínhamos, para onde íamos, profissão, pediram nossa documentação, identidade, certidão de casamento, registro do CREA, carteira de trabalho, tudo o mais que comprovassem que não éramos terroristas. Não satisfeitos, pediram para abrir o bagageiro e passaram a revistar nossas malas, sacolas e tudo o que vissem pela frente. Dias antes, o dono da Engenorte fez uma viagem a Manaus e na volta me presenteou com uma pequena radiola portátil importada do Japão, que transportávamos debaixo do banco traseiro do fusca, por falta de espaço. Pois eles, depois de revistarem tudo, descobriram a radiolazinha e pediram a nota fiscal. Respondi que havia sido um presente, e que ao recebermos um presente não ficava bem pedir a nota fiscal e nem perguntar o preço. De nada adiantou. Ficaram com nossa radiola. Depois é que nós ficamos sabendo que naquela época estava acontecendo a guerrilha do Araguaia, a cerca de uns 50km dali. Daí termos sidos tratados como se fossemos terroristas.

Deixar nossa radiola para trás nos deixou muito tristes, pois era um dos três bens de consumo que tínhamos para o nosso entretenimento. Os outros bens eram, um pequeno toca fitas e um rádio portátil, que somente sintonizávamos à noite. Ouvíamos os discos e as fitas de Paul Mauriat, Paulinho da Viola e Roberto Carlos.

Seguimos viagem e já quase na hora do almoço avistamos um restaurante num local bastante agradável localizado numa plataforma de madeira sobre um pequeno rio. Estava praticamente lotado. Chamei Carlos para almoçar, mas ele disse que era cedo e almoçaríamos mais adiante. Só que não passamos mais por nenhum restaurante, aliás não havia mais nenhuma cidade, apenas pequenos povoados. Num deles, paramos em uma bodega procurando comprar alguma coisa para comer, mas não havia nada, nem mesmo uma coca-cola, ou um pacote de bolachas, nem água mineral. A água existente era barrenta. Passamos o resto do dia com fome e sede. Não adiantava lamentar, o certo era esperar com muita paciência até chegar a Porangatu, o que somente aconteceu à noite.

O restante da viagem transcorreu sem mais nenhum sobressalto. De Porangatu até Brasília já havia asfalto. No dia seguinte chegamos à noite em Brasília, onde dormimos e seguimos para São João d'Aliança, nosso destino.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo e Magali de Figueiredo Esmeraldo

Notícias do Crato - 29/02/2012


Faltam recursos para avanços na pavimentação de ruas em Crato

No segundo semestre do ano passado a Prefeitura do Crato projetou para calçar com pedra tosca, 300 ruas na cidade e nos distritos. Desse total só foram possíveis até agora fazer a obra em apenas 10 artérias, por dificuldade na alocação de recursos, segundo o secretário de Infraestrutura do município, José Muniz. Explicou que o prefeito orçou projetos no valor de R$ 6 milhões para a área de pavimentação e foram aprovados pela Caixa Econômica Federal - CEV e conveniados junto ao Ministério do Turismo. Apesar disto só foram liberados 28 mil reais que deram apenas para calçar algumas ruas no Parque Grangeiro e Parque Recreio. A esperança, disse José Muniz, é que agora em março o restante da verba seja autorizada, mesmo porque os projetos já foram licitados.

O secretário disse, ainda, que as últimas informações vindas do Ministério do Turismo, em Brasília, é de que não existem recursos, até mesmo para o convênio assinado de R$ 600 mil com o município do Crato, para a cobertura de seis quadras esportivas, sendo três delas para os Bairros Pantanal, Vitória Nossa e Mutirão. “A obra já foi aprovada, licitada e autorizada pela Caixa Econômica, faltando tão somente a ordem do Ministério para honrar os pagamentos”, finalizou José Muniz.

Agricultura estima boa safra para 2012

Os produtores rurais do Cariri que plantaram seus roçados em dezembro passado e perderam a semente. Quem plantou em janeiro deste ano está dependendo das chuvas do próximo mês de março e ter assim garantida sua produção. No Crato, os agricultores plantaram nos dois meses, sendo que, em dezembro, o plantio foi bastante insignificante, mesmo porque choveu apenas 80 milímetros. Em janeiro o plantio foi maior, embora tenha chovido menos 72 milímetros, porém até 28 de fevereiro veio a recompensa e os pluviômetros do município registraram 226 milímetros. As informações foram do secretário de Agricultura do Crato, Francisco Erasmo Ferreira, na expectativa de uma boa safra agrícola este ano no município.

A Secretaria de Agricultura instalou 20 pluviômetros em diversos pontos estratégicos nos nove distritos do município. A secretaria também realizou aração de mais de mil tarefas de terra em parceria com o produtor de várias comunidades rurais. Informou também que o produtor rural do Crato está otimista quanto à quadra invernosa. 60% do milho já está plantado, feijão 70 % e o arroz aproximadamente 50 %..

Servidor municipal do Crato terá salários reajustados e pagos em março

Os vereadores do Crato aprovaram por unanimidade o reajuste salarial dos servidores, que varia entre 8 % a 22 %. O novo salário vai estar no bolso do servidor já no início de março, correspondente a folha de fevereiro que terá um impacto entre R$ 600 mil a R$ 1 milhão, passando de R$ 5,2 milhões para quase R$ 5,9 milhões, já incluindo os 360 novos servidores aprovados no último concurso e que já estão sendo chamados para ocuparem seus cargos tão logo o concurso seja homologado.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Junior Matos, o reajuste não foi o que sonhava a categoria, mas foi o resultado de uma discussão que durou mais de dois meses através de canais de negociação abertos pelo poder executivo municipal, que sempre esteve solicito aos anseios do servidor e da entidade representativa. Junior esclareceu que os reajustes vão possibilitar aos professores de nível um receberem agora o piso nacional da categoria, que é de R$ 1.450, 00 e as demais categorias terão receberão 12 % por cento de reajuste mais 8 % para aqueles que estão em sala de aula, perfazendo um total de 20 %. Para os demais servidores que percebem salário mínimo até R$ 700 reais em 2011 vão ter 14,14 % de reajuste salarial. Para os demais níveis superiores, isto é, profissionais da saúde, dentre eles médicos e psicólogos, terão 8 %.

Secretaria de Saúde do Crato participará da Semana de prevenção e combate a obesidade infantil

Devido ao expressivo número de crianças obesas no país, o Ministério da Saúde em parceria com as prefeituras municipais iniciarão a campanha de Combate a Obesidade Infantil. A iniciativa faz parte da primeira edição da Semana de Mobilização Saúde na Escola e irá atender mais de 2.200 municípios que participam do Programa Saúde na Escola, desenvolvido por equipes da Saúde da Família ligadas a Unidade Básica de Saúde. Estão previstas visitas a 50 mil escolas públicas incluindo cerca de 11 milhões de alunos com idade entre 5 a 19 anos.

Visando à aproximação da população com a Rede de Atenção Básica à Saúde, a Secretaria de Saúde do Crato realizará durante os dias 5, 6, 7, 8 e 9 de março em escolas da rede municipal, avaliação antropométrica, avaliação nutricional que possa identificar possíveis sinais de desnutrição ou obesidade e cadastro com perfil psicológico, bem como rodas de conversas, palestras e imunização.

De acordo com Suzamélia Brito, coordenadora do Programa de Saúde na Escola do município do Crato, ao longo dos meses de março e abril a prevenção da obesidade estará sendo feita em toda rede municipal juntamente com o Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF, com o apoio do projeto Adolescer com Saúde, composto por acadêmicos de enfermagem da URCA.

Canal do Rio Grangeiro em debate: famílias poderão ser retiradas de área de riscos

Os riscos de inundações do Canal do Rio Grangeiro voltam a ser tema de debates, durante reunião com integrantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e Corpo de Bombeiros Militares do Ceará e sociedade civil. Uma avaliação do canal foi feita durante a semana com os integrantes da Defesa Civil e Técnicos. De acordo com os resultados, os moradores que estiverem correndo riscos serão transferidos para áreas mais seguras.

O debate sobre o Canal aconteceu na manhã de ontem, no Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva, no intuito de abrir um diálogo entre os diferentes segmentos da sociedade. A ambientalista Tereza Pinheiro, que esteve representando a sociedade civil, disse que mesmo sendo um problema de tanta gravidade, a própria sociedade ainda não despertou para isso. Ela ressalta a pouca participação das pessoas na reunião e diz que até o momento, mesmo com tudo que já foi falado e reivindicado para a melhoria do canal, pouco se acredita que seja feito algo a curto prazo.

Tereza Pinheiro afirma que morava no leio do rio e também como técnica decidiu levantar a bandeira de luta pela recuperação do canal. Ressalta ainda que o que está em risco são vidas humanas e destaca o caráter de urgência para se resolver o problema do canal. “Mas se o problema já completou o ano e não foi resolvido, imagine agora com R$ 1,6 milhão”, argumenta. A ambientalista destaca a necessidade de se realizar um estudo técnico desde o nascedouro do Rio. “O canal não é só de concreto, existem os afluentes e matas que têm de ser recuperadas ao longo do leito do rio, para ter continuidade a um trabalho extensivo e preventivo ao longo do Crato”, completa..

Para o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Helcio Queiroz, nesse momento a intenção é prestar contas das ações que foram desenvolvidas. Ele destaca a visita técnica que foi feita, nesta segunda-feira, para delimitar um plano de ação, juntamente com um engenheiro de Defesa Civil, para avaliar o estado do que já foi feito, como do que ainda tem por fazer. Além disso, conversar com a comunidade, além de prestar contas. De forma simultânea será feito um relatório.

Uma das preocupações, após a visita, é que foram detectados pontos que podem ter um processo erosivo mais intenso, a ponto de atingir algumas residências. “Temos a obrigação de garantir a vida das pessoas”, diz ele. Nesse sentido, já há um plano com o Corpo de Bombeiros, que será reestruturado para dar uma resposta mais adequada, como uma remoção dessa população, caso haja um alerta de uma possível chuva com índice mais elevado, e pensar na possibilidade de tirar as pessoas de suas casas, se for o caso. O relatório deverá ser finalizado até o final desta semana, para conhecimento da Secretaria de Segurança, Comando do Corpo de Bombeiros e Governo do Estado.

A reunião contou com a presença do prefeito do Crato e secretários de Infraestrutura e Meio Ambiente, onde foram esclarecidas diversas questões relacionadas ao compromisso da administração com o projeto, dentro da proposta assumida pelo Governo do Estado, por meio de verba do Governo Federal.

CONTATOS:

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA PREFEITURA MUNICIPAL DO CRATO
Fone: 88 3521 7069
www.crato.ce.gov.br

Seminário " Quem Cala Consente" - Por Maria Otilia


O município de Juazeiro do Norte, localizado na Região do Cariri, sedia o seminário regional da campanha ‘Quem Cala, Consente – Violência Sexual Contra Criança e Adolescente é Crime!’, iniciativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, através da Comissão da Infância e Adolescência, em parceria com a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) na amanhã de hoje, dia 28 de fevereiro (terça-feira), das 10 às 13 horas, no Ginásio Poliesportivo, em Juazeiro do Norte.
O objetivo do seminário foi conscientizar e mobilizar a sociedade cearense para o combate ao abuso e à exploração sexual infanto-juvenil, e reuniu representantes dos municípios de Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Caririaçu, Farias Brito, Granjeiro, Jardim, Saboeiro, Assaré, Araripe, Nova Olinda, Santana do Cariri, Campos Sales, Antonina do Norte, Altaneira, Tarrafas, Salitre e Potengi.
Foram convidados para participar do encontro, prefeitos, conselheiros tutelares, conselheiros dos Direitos da Criança e do Adolescente, promotores de Justiça, técnicos dos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (CREAS), secretários municipais da Educação, Saúde e Assistência Social, agentes de Saúde, gestores escolares e grêmios estudantis. O seminário do Cariri será o 10º encontro e reunirá os municípios das Credes de Juazeiro do Norte e do Crato, totalizando a participação de 18 municípios, 58 escolas e um público estimado de 600 pessoas.
De acordo com a presidente da Comissão da Infância e Adolescência, deputada estadual Bethrose (PRP), a campanha foi criada pela necessidade de sensibilizar a sociedade, fazendo com que as pessoas não se omitam diante de casos de violência sexual. “Os diversos estudos sobre o assunto mostram que, na maioria das vezes, os casos de violência sexual são praticados, geralmente, por uma pessoa com quem a criança ou adolescente possui uma relação de confiança, e que participa do seu convívio familiar e social. Por isso nós reforçamos a importância de deixar a sociedade em alerta, para que aprenda a identificar o abuso.”
Durante o seminário houve palestra com a psicóloga e escritora Helena Damasceno, que explicou as diferenças entre abuso e exploração sexual, as formas de prevenção e de identificação, os sinais de alerta, os indicadores físicos e comportamentais da vítima de abuso, os meios de denunciar e a legislação relacionada ao tema.
Dentro da programação do evento, cada município formou um grupo de trabalho para a construção do Plano de Ações Estratégicas – PAE, que visa prevenir e combater a violência sexual infanto-juvenil. O PAE deverá ser elaborado e executado em seis meses. Após esse período, as escolas que concluírem de maneira satisfatória seus planos receberão da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará o Selo Escola Cidadã, como forma de reconhecimento da contribuição social da instituição para com a sociedade.
texto e foto extraído do site da CREDE 19.

A EEF Dom Quintino parabeniza a SEDUC e a Assembléia Legistaliva do Ceará , por promover seminários e debates , na defesa de crianças e adolescentes que na maioria das vezes vivem em situação de risco. E a sociedade como um todo tem o direito de prevenir, identificar e denunciar o abuso e exploração sexual das nossas crianças e adolescentes.


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31