14 julho 2012

Jornal DIário do Nordeste publica matéria sobre as praças do Crato


Nota do Editor - Em matéria com apenas UMA LINHA dedicada aos autores do projeto das praças centrais, que é o governo municipal do Crato, jornal Diário do Nordeste publica hoje uma matéria sobre a reforma. O nome do prefeito Samuel Araripe sequer aparece no artigo, claramente tendencioso. O pessoal deveria ter mais cuidado, pois a tendência exagerada, até o cidadão comum percebe...
 

"A reforma dos quatro equipamentos públicos valoriza o Centro do Crato e busca fortalecer o turismo na cidade.

Crato. Está concluída a obra de requalificação urbana das praças centrais do Crato. A reforma, que estava prevista no projeto Cidades do Ceará-Cariri Central, teve um investimento total de R$5 milhões, sendo que parte do valor foi financiado pelo Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird). Os equipamentos foram entregues à população, na noite do último dia 11, pelo secretário das Cidades, Camilo Santana. Ao todo, quatro praças da cidade passaram por melhorias, a Juarez Távora, Siqueira Campos, Alexandre Arraes e Sé. Foram realizados serviços de pavimentação, drenagem, iluminação, paisagismo, aumento das calçadas, instalação de rampas e pisos de módulos táteis, mobiliário urbano e sinalização, além da pavimentação das ruas Senador Pompeu e Miguel Lima Verde. A primeira etapa, que compreendeu a reforma das Praças Juarez Távora e Siqueira Campos, foi inaugurada no dia 22 de dezembro de 2011. Já na da Sé e Alexandre Arraes, os serviços demoraram mais a serem concluídos devido às paralisações durante a intervenção, que causou alguns transtornos aos comerciantes, principalmente, entre o período de fim de ano. Contudo, o projeto valorizou o Centro da cidade.

Praça da Sé

Na Praça da Sé, foram instalados quatro unidades de boxes para os comerciantes que mantinham quiosques no local. Ao todo, 16 pessoas foram beneficiadas, entre elas, a vendedora de sucos Emanuele Bezerra de Carvalho, que está no lugar há mais de 17 anos. Na opinião dela, a reforma vai gerar mais lucros aos vendedores de alimentos.  "A mudança trouxe benefícios para toda a população. A partir do momento que existe organização, as praças se tornam mais atrativas. Assim, os nossos clientes vão consumir nossos produtos com mais frequência. Agora, os espaços têm mais estrutura e, com certeza, teremos mais lucros. Foi uma grande melhoria para a cidade", considera.

Turismo

>>A reforma das praças centrais do Crato foi proposta ainda em 2005, por meio do Plano de Requalificação Urbana do Município, elaborado pela Prefeitura.

O objetivo das ações é fortalecer o turismo na cidade, bem como evitar o esvaziamento do Centro, já que foram estas praças que acolheram as principais manifestações artística, culturais, religiosas, cívicas, políticas e sociais no Município. Tanto a Praça da Sé como a Alexandre Arraes fazem parte da fundação da cidade. Segundo o jornalista Huberto Cabral, elas existem desde 1740. Ele conta que a Praça da Sé, além de ter abrigado o primeiro campo de futebol do Crato, foi o local do aldeamento dos índios Cariris. A primeira reforma foi realizada em 1953, durante o centenário da cidade. Já a Praça Alexandre Arraes tornou-se o bosque de arborização e, posteriormente, foi um Parque Municipal. Hoje em dia, é um dos locais prediletos para a prática de esportes e outras atividades físicas.

Falhas

O projeto de requalificação prioriza os pedestres e deficientes físicos e visuais. Contudo, os equipamentos específicos para esse público não foram instalados devidamente. O assunto já foi abordado em matéria publicada pelo Diário do Nordeste, na edição do último dia 5 de julho. A medida, que deveria ser inclusiva, ao invés de guiar os deficientes visuais por um roteiro seguro, representa um perigo, pois os direciona para obstáculos, como postes de iluminação. Antes da requalificação das praças centrais do Crato, não havia acessórios que permitissem a acessibilidade nas ruas da cidade. 
De acordo com o secretário das Cidades, Camilo Santana, o projeto previa a retirada dos postes dos locais onde foi instalado o piso tátil. Ele afirma que a responsabilidade agora é da Companhia Energética do Ceará (Coelce). O secretário disse, ainda, que já cobrou ações da Companhia para que os obstáculos fossem retirados o mais rápido possível. "Há mais de seis meses que venho cobrando da Coelce o deslocamento dos postes. Já pagamos pelos serviços e estamos aguardando que a Companhia faça isso de imediato", revela. 
Em nota enviada ao Diário do Nordeste, a Assessoria de Imprensa da Coelce informou que recebeu a solicitação do Governo do Estado, e já enviou proposta de orçamento para efetuar a remoção das estruturas. Entretanto, a medida ainda não foi executada por que a Companhia aguarda o pagamento do poder público.

Mais informações

Secretaria das Cidades do Ceará
Av. Gal Afonso Albuquerque Lima - Edifício Seplag, s/n
Cambeba - Fortaleza/CE
Telefone: (85) 3101.4448

YAÇANÃ NEPONUCENA
Repórter do jornal Diário do Nordeste
Foto ilustrativa: Dihelson Mendonça

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.