20 abril 2012

Vereador Pedro lagoano reclama da falta de medicamento em Farmácia Pública do Crato


O Vereador Pedro de Alagoano (PSB) cobrou da Secretaria de Saúde do Crato a normalização da distribuição de medicamentos à população. Alagoano afirmou que reconhece o esforço por parte dos que fazem o setor para se prestar um serviço de qualidade, bem como entende que a compra precisa passar por um processo de licitação. No entanto o vereador não concorda com a falta de medicamentos essenciais e de uso contínuo, como o cálcio, distribuído às pessoas que têm problema de Osteoporose, medicamento para tratamento de diabetes, pressão arterial e doenças neurológicas.

O Vereador Guer (PSDB), na condição de líder do Prefeito Samuel Araripe (PSDB), achou justa a reivindicação do colega Pedro Alagoano, mas justificou a falta de alguns medicamentos distribuídos pela Administração Municipal, afirmando que o processo licitatório é lento em todo Brasil e que alguns medicamentos são enviados diretamente pelos governos Federal e Estadual e as vezes atrasa a chegada de alguns itens, como exemplo o Cálcio, citou o vereador. A Vereadora Mara Guedes (PT) reforçou as palavras do Vereador Pedro Alagoano sobre a falta de medicamentos na Farmácia Central e afirmou que o Ministério da Saúde envia os recursos para a compra dos remédios.
O Vereador a Guer voltou a afirmar que há medicamentos que o Governo Federal não repassa recursos financeiros para sua aquisição e sim o próprio produto.

O Vereador Fernando Brasil (PSB) após parabenizar a direção da Sociedade Anônima de Água e Esgoto do Crato – SAAEC pela resolução do problema da falta d’água no Distrito de Dom Quintino, cobrou da referida empresa uma solução para situação do sistema de esgoto da mesma comunidade. Fernando disse que as fezes correm a céu aberto, comprometendo a saúde da população.

O Vereador Dárcio Luís de Sousa (PSDB) saiu em defesa da empresa e disse que em conversa com o Presidente da Saaec – Procópio da Silveira, o mesmo lhe afirmou que os moradores interligaram os canos às fossas das residências, estourando o sistema.

Fonte: CMC

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente... desde novembro que não recebo os medicamentos para a minha mãe.São eles: selozok e sustrate.Ela fez uma cirurgia no coração e precisa tomnar esta medicação de uso contínuo. Fui informada para agurdar uma licitação que vem sendo realizada des novembro de 2011.Enquanto isso...compramos na farmácia privada, mesmo sabendo ser um direito legal, receber estes medicamentos através da farmácia central.E eu pergunto...como fica a efetivação da Lei que ampara o idoso ????

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.