20 abril 2012

Prefeitos Do Cariri Discutem Possibilidades De Reativação Da Açusa


Usina Manoel Costa FIlho - Barbalha 


Açusa. Direção da União Nordestina dos Produtores de Cana (UNIDA), e 30 Prefeitos do Cariri, alinhados na Frente Municipalista Sul do Ceará (Frente Sul), se reuniram ontem dia (17), no Verdes Vale Hotel em Juazeiro do Norte com o objetivo de debater a possibilidade de reativa a Usina Manoel Costa Filho em Barbalha, fechada há sete anos. Os dirigentes da UNIDA pretendem mostrar que é possível ressuscitar a cultura sucroalcooleira do Cariri. A Açusa chegou a ter capacidade de moer 400 toneladas de cana de açúcar, com sustentabilidade de 1.100 pequenos produtores do Cariri. Na época, chegou a ser responsável por 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará e a quarta maior arrecadadora de impostos.

O presidente da Unida, Alexandre Andrade Lima avalia que é perfeitamente possível reconstituir, e até superar os bons resultados da usina Manoel Costa Filho nas décadas de 1970 e 1980. Ele acha que primeiro é preciso resolver a questão do leilão da Justiça do Trabalho e, sugere a compra do açúcar e do álcool, pelo próprio governo estadual, cedendo a exploração para uma espécie de cooperativa que, pagaria o investimento ao longo de um prazo determinado; da compra da usina por parte da Petrobras. Outra sugestão é que o governo faça investimento mais pesado no setor; e até da realização de uma Parceria Público Privada – A Usina Manoel Costa Filho fechou suas portas por falta de incentivos do governo.

O encontro desta terça-feira, não é o primeiro com a intenção de reativar a usina. Conforme o presidente da UNIDA, Alexandre Andrade Lima “em 2005, ano da última safra de cana, que chegou a ser de apenas 40 mil toneladas para serem utilizadas principalmente nos engenhos de rapadura, o engenheiro agrônomo, Hilton Luís Leite Cruz apresentou ao governo estadual da época o projeto “Programa de Recuperação da Cultura Canavieira na Região do Cariri Cearense”. Em 2007, já no governo Cid Gomes, foram feitos mais estudos. Porém, o acúmulo de dívidas foi apontado como o principal obstáculo.

O prefeito José Leite e o secretário municipal de Desenvolvimento Agrário José Elismar de Vasconcelos estiveram presente a reunião, e reforçaram a preocupação da reativação da Usina desde 2009 porque ela reativa, representa novas gerações de emprego na agricultura e uma economia aquecida não só para Barbalha, mas para a região do Cariri.

O secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado,Nelson Martins esta semana disse que tem orientação do Governador no sentido de reativar a Usina. Mas, Nelson Martins falou dos problemas financeiros que a Usina ainda apresenta, seu débito chega a cerca de 50 milhões de reais. 

PMB

Um comentário:

  1. Só existe uma coisa maior do que a ferrugem da Usina, é o rombo financeiro com os bancos, companhia de eletricidade e tributos estaduais e federais.

    Sempre que se aproximam eleições prefeitos, governo e secretários se movimentam, traçam planos e balelas. Coisa pra boi dormir.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.