xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 29/05/2011 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 maio 2011

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Otonite Cortez vence Consulta Universitária da URCA


A Professora Otonite Cortez ganhou a Consulta Universitária e, segundo a comunidade acadêmica, é a nova reitora da Universidade Regional do Cariri – URCA. Como Vice-Reitor, em sua chapa, foi eleito o Professor Patrício Melo. Ela obteve ampla maioria dos três segmentos votantes formados por professores, alunos e funcionários. Otonite é a atual Vice-Reitora da Instituição, da gestão Plácido Cidade Nuvens. A votação aconteceu na última quinta-feira, nos sete campi da Universidade. A apuração dos votos terminou na noite de ontem. A Comissão Especial não havia divulgado a contagem geral, até o final da noite.

Os candidatos acompanharam todo o processo de apuração, que ocorreu em uma das salas de aula do curso de Biologia, no Campus do Pimenta, em Crato. Em segundo lugar na consulta ficou o professor Edson Martis. Ele teve como Vice-Reitor da sua chapa, Galberto Martins. Francisco Cunha e Reno Feitosa ficaram na terceira colocação. Os três candidatos chegaram a expor em campanha que, caso os seus nomes não figurassem em primeiro lugar na consulta, não assumiriam o cargo, determinado pelo Governador do Estado, Cid Gomes.

Em junho, o novo reitor escolhido a partir da lista sêxtupla, encaminhada pela URCA ao governador, por meio da Comissão Especial, assumirá o cargo. A comissão coordenou o processo de consulta universitária. Otonite Cortez destacou o momento como de grande alegria e gratidão às pessoas que entenderam que a candidatura não era um projeto pessoal, mas que visa fortalecer a Urca ainda mais. “Nosso compromisso é de continuar fortalecendo essa instituição como pública, gratuita e de qualidade”, diz.

Ela afirma que em sua administração serão feitas mudanças, demandadas pela região, comunidade e contemporaneidade, além dos ajustes administrativos. A Reitora eleita na consulta destaca que a linha de trabalho da administração Plácido Cidade Nuvens, como instituição de desenvolvimento regional sustentável continuará. “Pretendo trabalhar e servir à Urca, como venho ao longo de 25 anos”, ressalta. Otonite Cortez avalia o processo eleitoral como normal e positivo. Considera que houve pouca abstenção de alunos, professores e funcionários.

A Comissão Especial foi presidida pelo professor Luiz Marivando Barros. Segundo ele, houve uma votação expressiva de todos os segmentos da Urca e é importante que os anseios dessa comunidade acadêmica sejam atendidos.

Saiba mais sobre os vencedores da Consulta universitária:

Antônia Otonite de Oliveira Cortez

Professora, casada, mãe de três filhas e avó, graduada em História pela Faculdade de Filosofia do Crato. Fundadora da URCA e defensora de uma instituição pública e gratuita. Integrante do Departamento de História. Foi coordenadora do Curso de História por dois mandatos, Chefe do Departamento, eleita de 1993 a 1995. É Especialista em História pela PUC de Minas Gerais e Mestra em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; pesquisadora da área de história cultural; membro do grupo de trabalho no âmbito da SECITECE, para elaborar o PCCV da UECE, URCA e UVA, além de outros trabalhos desenvolvidos é atual Vice-Reitora da URCA, no mandato de 2007 a 2011, destacando-se por uma ampla atuação, também coordenando o sistema MAPP/URCA (Monitoramento das Ações e Projetos Prioritários – Investimentos). É autora do livro A Construção da “Cidade da Cultura” (Crato – 1889 a 1960), no prelo.

José Patrício Melo

Advogado, Professor, Pesquisador, casado, pai de duas filhas, graduado em Direito pela Universidade Regional do Cariri (1998), Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Federal do Ceará (UFC), em 2007. Doutorando do Curso de Direito Civil pela Universidade de Buenos Aires. Professor Adjunto da URCA. Atua nas linhas de pesquisa sobre Direitos Fundamentais e efetividade, Direito das Famílias e Meio Ambiente, Coordenador Executivo do Geopark Araripe. Membro do Conselho de Meio Ambiente do Estado do Ceará (COEMA). Procurador da URCA de 1999 a 2002. Membro do Conselho de Direitos Humanos do Estado do Ceará (1999 – 2002). Diretor do Centro de Estudos Sociais Aplicados – CESA (2007 – 2008); Chefe de Gabinete da Reitoria (2008-2009). Presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Salgado (2004 – 2008). Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Direitos Humanos Fundamentais. Orientador de Projetos de Iniciação Científica no Departamento de Direito e editor Geral da Revista Direito & Dialogicidade.



Fonte: Assessoria de Comunicação - URCA

DICAS DE BLOG - Como justificar os textos nos Blogs


M
uita gente não sabe ainda como justificar os textos nos Blogs. Justificar, é distribuir uniformemente o texto na janela de postagem, o que dá um aspecto muito mais profissional e elegante.

Exemplo de um texto justificado ( reparem na distribuição uniforme ):

Uma manifestação que reuniu cerca de 10 mil pessoas neste domingo (29) em Belgrado em apoio ao ex-general Ratko Mladic, preso sob acusação de crimes de guerra e genocídio, terminou com 20 feridos, entre manifestantes e policiais, e mais de 100 pessoas presas. De acordo com o chefe da polícia sérvia, Milorad Veljovic, a maioria do detidos são jovens. Segundo o porta-voz do serviço de emergência do país, 20 pessoas tiveram ferimentos leves, metade deles são policiais"Uma manifestação que reuniu cerca de 10 mil pessoas neste domingo (29) em Belgrado em apoio ao ex-general Ratko Mladic, preso sob acusação de crimes de guerra e genocídio, terminou com 20 feridos, entre manifestantes e policiais, e mais de 100 pessoas presas. De acordo com o chefe da polícia sérvia, Milorad Veljovic, a maioria do detidos são jovens. Segundo o porta-voz do serviço de emergência do país, 20 pessoas tiveram ferimentos leves, metade deles são policiais"

O mesmo texto sem justificação ( reparem na desigualdade das linhas ):

Uma manifestação que reuniu cerca de 10 mil pessoas neste domingo (29) em Belgrado em apoio ao ex-general Ratko Mladic, preso sob acusação de crimes de guerra e genocídio, terminou com 20 feridos, entre manifestantes e policiais, e mais de 100 pessoas presas.De acordo com o chefe da polícia sérvia, Milorad Veljovic, a maioria do detidos são jovens. Segundo o porta-voz do serviço de emergência do país, 20 pessoas tiveram ferimentos leves, metade deles são policiaisUma manifestação que reuniu cerca de 10 mil pessoas neste domingo (29) em Belgrado em apoio ao ex-general Ratko Mladic, preso sob acusação de crimes de guerra e genocídio, terminou com 20 feridos, entre manifestantes e policiais, e mais de 100 pessoas presas. De acordo com o chefe da polícia sérvia, Milorad Veljovic, a maioria do detidos são jovens. Segundo o porta-voz do serviço de emergência do país, 20 pessoas tiveram ferimentos leves, metade deles são policiais"

Continuando:

Para justificar um texto, é muito simples. Após ter digitado o texto na janela de postagem, ou trazido do bloco de notas do Windows, selecione todo o texto, usando o mouse, ou tendo clicado em alguma parte do texto, aperte as teclas CONTROL A ( aperte a tecla control e ainda segurando, aperte a tecla A ) , você verá que todo o texto ficará marcado em azul. Em seguida, clique no botão de justificar, que fica na barra de botões da janela de postagem, como nessa imagem abaixo:


Uma coisa importante, se quiser ganhar a simpatia dos seus leitores: Divida seus textos em blocos. Um texto de um bloco só é muito chato de se ler. Divida seus textos em pelo menos 3 ou 4 blocos, com uma linha em branco entre elas, a fim de facilitar a leitura. Outra dica que eu sempre peço a todos os escritores do Blog do Crato é usar a primeira letra do texto em formato grande ( o maior possível e em azul escuro ). Dá um destaque todo especial ao início dos artigos.

Boa Sorte,

Dihelson Mendonça

100 ANOS DO MEU MAIOR E MELHOR AMIGO-MEU PAI–Por César Mousinho


Joaquim Mousinho de Oliveira nome do meu inesquecível pai, essa homenagem vem de encontros reescrevendo nosso relacionamento quando pré-adolescente e adolescente no Crato da Vila Silvestre ao Pimenta; enquanto aqui atendo em psicoterapias individuais adolescentes que não respeitam seus pais, confesso que o meu veio Mozin mesmo depois de ter ido pro céu há vários anos é e sempre será o meu maior ídolo, só pra vocês terem ideia não tem Senna, Pelé, todos os Kennedys juntos; Vargas, Juscelino e outros; maior que seu Mosin nesses seus 100 anos, meu eterno veiú do Cachimbão, só Jesus Cristo.
Meu pai, não gostava de tomar uma caninha, seus amigos e contemporâneos diziam-me, “César, seu pai não gosta de uma pinguinha, come com farinha”. 100 anos do Meu velho do Cachimbão, para seus amigos seu Mozin, para meus colegas veiu Mozin.
Meu pai tinha vários nichos de amizades no Crato: Mercearia do seu Caririzin, Bodega de seu Sadoque, Bar de seu Ivanildo, Elite Bar e o Redondo. Mas, o que meu pai mais frequentava era o Bar de seu Ivanildo e o Redondo.
Dona Nair que nunca foi boba, cedo já me falava: “Cesinha depois das aulas do Diocesano passe lá no seu Ivanildo e traga seu pai”, ela sabia que o Cachimbão tomava uma e pagava a rodada para todos os amigos e seu Ivanildo tinha uma cadernetinha só pra anotar as pingas do meu pai, as quais eram pagas mensalmente.
Bem, ou no seu Ivanildo ou no Redondo, era a minha área de atuação. Quando meu pai não estava em nenhum desses lugares, aí o estomago batia na costa de fome, pois a aula no Diocesano acabava 1200hs. Chegar a casa ás 13s morrendo de fome e quando era baião de dois, alias o melhor baião de do mundo foi o da minha mãe D. Nair, aí eu comia até as panelas. Ou nos dias de sábados quando meu pai ia pra Redondo, eu nunca tive conhecimento de alguém gostar de conversar tanto com seus amigos com seu Mozin, amigos ponha conversa e multiplica por 100. Minha sorte era quando ele já tinha pego a carne lá no seu Túnico, acho que da minha geração todo mundo comeu as carnes do seu Tunico. Lembro-me quando minha mãe colocando a mão em cima da carne e passava a faca e cortava ao mesmo tempo ela balbuciava “esse Tunico é um amigão, essa carne que ele me mandou é de primeira”.
Mas o reescrevendo a historia têm 100 caminhos, quando eu encontrava o meu pai, seus amigos diziam “aí Mozin a polícia da Nair chegou e eu falava” papai a mamãe mandou lhe chamar “na maioria das vezes nós saíamos do seu Ivanildo e seguíamos pro Redondo pra depois direto pra casa. Mas havia outros caminhos, passar no posto de seu Antônio Almino ou lá no seu Sadoque, meu Deus do céu aja conversa. Papai vamos perder o Vicelmo, não, não vamo não! E era nesses caminhos para nossa casa na Rua: José Alves de Figueiredo, na Vila Silvestre, recordo-me que nossos vizinhos eram seu Zé do For, a família Brito do meu amigo Dr: Valdetário, Dona Anita, e a maior torcedora do Ceará no Brasil Dona Lilô Felipe, para quem eu ligo daqui de São Paulo após a vitória no Brasileirão e na Copa do Brasil. Ou para Rua: Padre David Moreira no Pimenta que o meu pai sempre vinha com um dito popular, só que nesse dia antes de minha vinda para estudar em São Paulo ali na esquina da Irineu Pinheiro , ele disse filho por mim você ficava por aqui mesmo e fazia concursos para o Banco do Brasil, Caixa Ecomonica e Banco do Nordeste e ficar aqui perto da gente, mas conte comigo para fazer tudo que for possível e impossível para lhe ajudar a realizar seus sonhos.

Só lhe peço uma coisa São Paulo não é fácil, é certo que você não passe no primeiro vestibular, mas não deixe São Paulo lhe ganhar. Se você fosse só para trabalhar, mas para estudar e trabalhar e não querer ficar na casa de parentes e sim morar em repúblicas corremos o risco de você não mais voltar e de fazer sua vida por lá. Não se esqueça de suas raízes, um homem sem raízes é um nada. Orgulhe-se de suas origens.

Nos abraçamos choramos juntos e chorando pergunte –Cachimbão e sobre ás drogas, engravidar namorando já que lá o namoro é mais avançado do que o nosso ou entrar para guerrilha do Araguaia; o senhor não vai falar nada. Ele se afastou, pegou nos meus ombros, me apertou forte, olhou firme dentro dos meus olhos deu para vê que seus olhos estavam cheios de lágrimas e disse-me: No final da década de 70: Filho – CONHEÇO MEU GADO. Papai quero dividir com o senhor, mamãe e os homens que esse inicio de ano fui convidado para ministrar aulas na pós-graduação da Universidade que me formei em 82- Hoje estou no meio do sonho que o senhor a mamãe me ajudaram a sonhar aí no Crato .

Maio de 1911/2011-Meus PARABÉNS Pelos 100 ANOS. São PAULO, 29/05/2011.

É preciso mudar esse quadro - Por José de Arimatéa dos Santos


Nesses dias os problemas da educação vieram mais uma vez a tona com o vídeo da professora Amanda Gurgel do estado do Rio Grande do Norte em que ela na presença de autoridades educacionais e políticas, discorre sobre as mais diversas situações vividas pelos professores. Situações vexatórias que só quem está em sala de aula pode comprovar. É sabido mais do que nunca que a educação é prioridade dos políticos, nas campanhas eleitorais. Eleitos, pouco ou quase nada é feito para mudar essa situação.
Já passou da hora para resolver os graves problemas da educação nacional. É necessário colocar em prática políticas de valorização e respeito ao professor. Todos os países desenvolvidos são calcados numa boa educação. Como o Brasil quer se inserir, a médio prazo, no clube dos países desenvolvidos se as escolas estão sucateadas e as crianças muita das vezes até agora não tiveram aula de matemática e outras disciplinas, em muitas escolas, por falta de professor? Isso é que vemos na mídia diariamente. O país gastará fortuna para realizar a Copa do Mundo e a Olimpíada. E a educação como fica?
Um outro olhar deve combinar o desenvolvimento com educação para todos. Ao melhorar a educação dos nossos jovens, automaticamente o país é elevado a melhor patamar no ranking do crescimento mundial. As condições de vida do brasileiro melhoram e cada cidadão passa a ser mais crítico em relação aos acontecimentos de todo dia. A cidadania se manifesta de forma mais contundente e o brasileiro passa a exigir a resolução dos problemas. Tudo isso passa pela escola.
Só que tudo isso depende também da luta dos professores por melhores de condições de salário e trabalho. Pressionar nossos representantes políticos para investir mais dinheiro e de forma responsável nas escolas para não faltar professores ou merenda escolar. A pressão dá resultados. Mais organização na luta e nos objetivos são pressupostos para conseguir melhores condições. Por fim, é necessário mudar esse quadro.

Um pouco de paciência para a liberação dos comentários...


P
eço um pouco de paciência dos comentaristas para a liberação dos comentários. Todos os comentários passam pela administração antes de serem liberados. E não é toda hora que estou aqui pra fazer a liberação. Outro dia, uma pessoa escreveu 10 vezes o mesmo comentário, esperando ser atendido logo. Para mostrar que eu recebi desde o primeiro, liberei todos os 10. Agora, se passadas 24 horas e seu comentário não aparecer, de duas uma: Ou o comentário foi reprovado, ou houve algum erro durante o processo de envio.

SOBRE O DESAPARECIMENTO DO QUADRO DE SEGUIDORES:

Este é um problema que está acontecendo em muitos Blogs. Foi um defeito no próprio Google/Blogger, e esperamos que eles possam consertar logo, e voltarmos a exibir os nossos seguires, afinal de contas, estamos com mais de 800.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Livres para matar - Por: Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP


Certa vez escrevi um texto com o título “mais um”, que fazia referência ao assassinato de mais um juiz de Direito pelas máfias do crime organizado no Brasil. Era uma analogia a um quadro de programa de humor, chamado de pegadinhas. Uma pessoa ficava escondida dentro de uma cabine com uma janelinha aberta e gritava: mais um, tá...tá...tá... Os curiosos colocavam o rosto e ele mandava uma torta na cara. Pois é. Com os seringueiros ou com qualquer pessoa que defenda uma causa nobre neste país, é certo ser mais um que vai morrer na hora conveniente aos seus algozes. Tão certos do abate quanto um cordeiro amarrado num tronco, alguns, apenas para deixarem registro, deixam mensagens gravadas de que estão perto do fim. O Estado brasileiro, por meio de seus agentes, apenas justifica o que não faz para prevenir. Essa matança já vem de muito tempo. Pessoas mais renomadas são assassinadas como mecanismo de intimidação e para mostrar qual será o destino aos que tentarem preservar alguma coisa de boa neste país.

João Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo tornaram-se apenas números e seus assassinos, mentores e executores, ficarão impunes, para não fugir à regra em 99% dos casos.

Dá uma nítida sensação de que o Estado se omite de forma propositada. Não é admissível que não se tente ao menos fazer alguma coisa para proteger essas pessoas marcadas para morrer. O argumento principal de que não se tem um policial a cada esquina, nos centros urbanos, ou para cada pessoa nas matas, não se sustenta. As autoridades precisariam dizer se nos Estados Unidos, no Canadá, no Japão ou em outros países deste naipe, as mortes acontecem de forma rotineira e tão natural como por aqui. Se lá existem os tais policiais para cada cidadão ou eles teriam apenas mais eficiência na prevenção e mais comprometimento numa punição bem rigorosa. Trata-se de um discurso dissimulado, irresponsável, que denota pura incompetência ou negligência deliberada a mostrar que o Estado não está nem aí para quem inventar de defender causas de floresta ou lá do que for. Essa inércia ficaria claro apenas se respondesse onde estão agora os seringueiros e onde estão os seus assassinos.

A cereja dessa cadeia de incompetência veio com a ordem da presidenta da República para investigar. Alguém precisa avisá-la de que investigar um crime é atribuição e não precisa de ordem para execução de dever. No andar de cima talvez não seja assim tão óbvio. O pouco caso com os assassinatos fica evidente ao fato da presidenta vir a público para defender o enriquecimento milagroso do seu genial ministro da Casa Civil - sempre dela, mas não disse uma só palavra sobre o abate dos defensores da floresta.

Eis a prova de que este país precisa acelerar abruptamente seu desenvolvimento em algumas áreas e no aprofundamento de alguns valores. Enquanto há manifestações todo dia em defesa da liberação do uso de maconha, nada acontece contra o genocídio deliberado de seringueiros, de homossexuais, de sindicalistas e de outros grupos sociais.

Trata-se de comportamento natural de um país em que sua autoridade máxima defende o que não há possibilidade de explicação convincente, mas não mexe os lábios sobre mais dois seringueiros abatidos. A Polícia precisa de determinação para apurar e Justiça é um faz-de-conta. A solução é esperar que o milagreiro Palocci resolva expandir sua varinha de condão para a área da Segurança Pública. Se o milagre vier proporcional ao da sua riqueza, Palocci se tornaria santo antes de João Paulo II, por preservar a vida de muitos seringueiros. Enquanto ele não atua, os seringueiros vão sendo abatidos.

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP
Bel. Direito

Cleilson Ribeiro:Em Breve Lançamento de Um Grande Livro-Wilson Bernardo.


U
m dos maiores poetas do Cariri e porque não dizer do Brasil,lançara em breve um de seus grandes livros de poemas.Eu tive a felicidade de fotografar e fazer a capa do seu livro, e afirmo é com certeza um dos melhores livros de poemas que eu já li. Grande luz espiritual para um grande poeta Cleilson Ribeiro, que é Professor de literatura e compositor.

Do equilíbrio
O equilíbrio
a escolha
o insulto
como subterfúgio,
e distende seu bigode íngreme
dentre farpas e horizontes engaiolados.
Sua língua
sua sargaços contidos
na tensa vastidão da geometria do medo.

http://3.bp.blogspot.com/-4C2iJu4X_w4/TeHDLfTeLzI/AAAAAAAAXbQ/1KBJXRLVA44/s1600/capapoesia2a.jpg

No estômago,
não guarda claridão alguma,
mas auspicia o remorso de um pássaro
em repouso,
planejando derreter
os resíduos da linguagem
dos caminhos.

Cleilson Ribeiro
Fotografia e capa do livro: Wilson Bernardo

AGENDA CULTURAL - TEATRO RACHEL DE QUEIROZ, EM CRATO-CE

INDICAÇÃO: 14 ANOS

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30