xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 22/04/2011 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

22 abril 2011

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - A volta da Inflação - Litro da gasolina comum supera R$ 3 em Brasília


NE - A desculpa dos que defendem o regime a todo custo, já podemos esperar: "Pobre não usa carro..." ( Mas antes, usava... )

Na maior parte dos postos da cidade, valor cobrado é de R$ 2,94 por litro. Preço do combustível tem sido alvo de manifestações de consumidores.

O preço do litro da gasolina superou os R$ 3 em Brasília nesta sexta-feira (22). Em pelo menos um posto da cidade, na 314 Sul, o litro da gasolina comum era vendido nesta sexta-feira por R$ 3,02. Na maior parte dos postos da cidade, o combustível custa R$ 2,94 o litro. O preço do combustível em Brasília tem sido alvo de manifestações de consumidores. Na semana passada, um grupo organizou protestos em alguns pontos da cidade contra o valor cobrado pela maioria dos postos. O G1 procurou o sindicato das empresas de combustíveis, mas ninguém foi localizado nesta sexta-feira para comentar o assunto.

Fonte: G1

MENSAGEM PARA UM DOMINGO DE PÁSCOA -Por Maria Otilia



Páscoa - Fábula das Três Árvores


Era uma vez, no topo de uma montanha, três arvorezinhas que estavam juntas e sonhavam sobre o que chegariam a ser quando crescessem. A primeira arvorezinha olhou para as estrelas e disse: "Eu quero guardar tesouros, quero estar repleta de ouro e pedras preciosas. Serei o baú de tesouros mais bonito do mundo". A segunda arvorezinha olhou para um pequeno arroio realizando seu caminho rumo ao mar, e disse: "Eu quero viajar por águas temíveis e levar reis poderosos sobre mim. Serei o barco mais importante do mundo". A terceira arvorezinha olhou para o vale que estava abaixo da montanha e viu homens e mulheres trabalhando em um povoado: "Eu não quero sair nunca de cima da montanha. Quero crescer tão alto que quando os habitantes do povoado pararem para me contemplar, eles levantarão seu olhar para o céu e pensarão em Deus. Serei a árvore mais alta do mundo".

Os anos se passaram. Choveu, brilhou o sol, e as três arvorezinhas ficaram grandes. Um dia, três lenhadores subiram ao topo da montanha. O primeiro lenhador olhou para a primeira árvore e disse: "Que árvore bonita!", e com uma machadada a primeira árvore caiu. "Agora me transformarão em um baú bonito, que deverá conter tesouros maravilhosos", disse a primeira árvore. O segundo lenhador olhou para a segunda árvore e disse: "Esta árvore é bem forte, é perfeita para mim. E com uma machadada, a segunda árvore caiu. Agora deverei navegar por águas temíveis", pensou a segunda árvore. "Serei um barco importante, para reis temidos e poderosos". A terceira árvore sentiu seu coração sofrer quando o último lenhador olhou para ela. A árvore se manteve firme e alta e apontando ferozmente para o céu. Mas o lenhador nem sequer olhou para cima, e disse: "Qualquer árvore é boa para mim". E com uma machadada, a terceira árvore caiu.

A primeira árvore se emocionou quando o lenhador a levou para uma carpintaria, mas o carpinteiro a transformou em um cocho para animais. Aquela árvore bonita não foi recoberta com ouro, nem foi ocupada por tesouros, mas foi coberta com serragem e preenchida com comida para animais. A segunda árvore sorriu quando o lenhador a levou para perto de um porto, mas nenhum barco imponente foi construído nesse dia. Em vez disso, aquela árvore forte foi cortada e transformada em um simples barco de pesca; como este barco era muito pequeno e fraco para navegar no oceano, e até mesmo em um rio; então foi levado a um lago. A terceira árvore ficou atônita quando o lenhador a cortou para fazer vigas fortes e a abandonou em um armazém de madeira. "Que será que está acontecendo", foi o que a árvore se perguntou, "Tudo o que eu queria era ficar no topo da montanha, apontando para Deus..."
Muitos dias e noites se passaram. As três árvores quase não se lembravam mais dos seus sonhos. Mas uma noite, uma luz de estrela dourada iluminou a primeira árvore quando uma jovem mulher colocou seu filho recém-nascido naquele lugar onde colocavam comida para os animais. "Eu queria ter feito um berço para o bebe", disse o esposo a sua mulher. A mãe aperta a mão do seu esposo e sorri, enquanto a luz da estrela resplandecia sobre a madeira suave mas robusta do berço improvisado. E a mulher disse: "Esta manjedoura é bonita" e, de repente, a primeira árvore soube que continha o maior tesouro do mundo.

Uma tarde, um viajante cansado e seus amigos subiram ao velho barco de pesca. O viajante dormia enquanto a segunda árvore viajava tranqüilamente pelo lago. De repente, uma aterrorizante tormenta atingiu o lago, e a árvore se encheu de medo. Ela sabia que não teria forças para levar todos aqueles passageiros até a margem a salvo com todo aquele vento e chuva. O homem cansado se levanta e, com um gesto, diz: "Acalme-se!" A tormenta parou tão rápido quanto começou. De repente a segunda árvore soube que estava levando o Rei do céu e da terra.
Numa quinta-feira de manhã, a terceira árvore acha estranho quando suas vigas foram retiradas daquele armazém de madeira esquecido. Assustou-se ao ser levada por entre uma grande multidão de pessoas revoltadas. Encheu-se de temor quando uns soldados cravaram as mãos de um homem no seu tronco. Sentiu-se feia, rude e cruel. Mas, no domingo de manhã, quando o sol brilhou e a terra tremeu com júbilo sob o seu tronco, a terceira árvore soube que o amor de Deus havia mudado tudo. Isso fez com que ela se sentisse forte, pois cada vez que as pessoas pensassem na terceira árvore, pensariam em Deus. Isso era muito melhor do que ser a árvore mais alta do mundo.

"Não importa o tamanho do seu sonho. Acreditando nele, sua vida ficará mais bonita e muito melhor para ser vivida."

Postado por Maria Otilia

Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores divulga Nota à Imprensa


Novo quiproquó em Juazeiro do Norte. Agora é a venda de um terreno, de propriedade da Paróquia de Nossa Senhora das Dores, com cerca de 750 mil metros quadrados, estimados no valor de R$ 20 milhões. O imóvel fica localizado próximo ao Atacadão Carrefour, no bairro São José. A negociação foi feita o ano passado, com valor de cartório em R$ 200 mil, através de uma procuração assinada pelo então pároco, monsenhor Murilo de Sá Barreto, falecido há mais de cinco anos. Uma liminar da Justiça impede que seja realizada qualquer tipo de negociação na área, até que seja decidida a questão. Por conta disso foi divulgada uma nota no site da Diocese de Crato.

Nota à Imprensa

A Paróquia da Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores, de Juazeiro do Norte / CE, enquanto interessada direta e sendo parte da Diocese de Crato, vem de público exarar esta nota para que a verdade dos fatos, a seguir relatados, possa prevalecer sobre possíveis inverdades ou distorções endereçadas à coletividade juazeirense e a grande Nação Romeira. A ação proposta para buscar anular uma escritura pública e reintegrar uma área expressiva do patrimônio afeto à Basílica Menor, formado à época pelo Pe. Cícero Romão Batista, quer em primeiríssimo momento ser o instrumento jurídico manejado em defesa da integridade da memória, da pessoa, da honra e do trabalho de Monsenhor Francisco Murilo de Sá Barreto, possivelmente induzido em erro e ludibriado em sua boa fé.

Os fatos estão materializados nos documentos juntados ao processo, que tramita no Fórum local desta Comarca de Juazeiro do Norte e que estão ‘sub judice’. Foram quase 50 anos de inteira, fiel, íntegra e intocável condução da Paróquia de Nossa Senhora das Dores, elevada à condição de Santuário Diocesano e agora também à dignidade de Basílica Menor. A atual administração da Basílica e a Diocese de Crato não abrem mão dessa defesa intransigente de Mons. Murilo e não permitirão, por hipótese alguma, deixar que alguém faça uso igual ao do caso que ora está em mãos do Poder Judiciário local, mas agirá pelos meios legalmente consentidos. Monsenhor Murilo é um patrimônio maior que os bens materiais sob discussão e quanto a isso há consenso.

Que a população de Juazeiro do Norte e do Cariri, bem assim toda a Nação Romeira, saibam e tenham a convicção de que não se põe em dúvida, por momento algum, a honradez e a própria memória desse sacerdote, que só engrandeceu a história diocesana e o clero na segunda metade do século XX e inícios do século XXI, recebendo o merecido epíteto de “Vigário do Nordeste’. Isto posto, fica clara qual a nossa pretensão e o que se quer nessa ação, confiada que está ao descortino da douta e digna autoridade judicial local, a quem se reserva e de quem se aguarda o julgamento final.

Ensina-nos a sabedoria popular: quanto a fatos não há argumentos. São eles que respaldam o nosso agir ético neste momento e que, esperamos, seja igualmente abraçado e entendido por todos, mormente pelos órgãos de imprensa da Região e pelos formadores de opinião na coletividade.

Dada em Juazeiro do Norte – CE, aos 19 de abril de 2011.
Foto: Site seufosseprefeito.blogspot.com

O cravo não brigou com a rosa. - Por Elmano Rodrigues Pinheiro


Nota do Editor: Este é sem dúvida um dos melhores textos do ano. Merece vir para o topo.

Luiz Antônio Simas*

Chegamos ao limite da insanidade da onda do politicamente correto.

Soube dia desses que as crianças, nas creches e escolas, não cantam mais "O cravo brigou com a rosa". A explicação da professora do filho de um camarada foi comovente: a briga entre o cravo - o homem - e a rosa - a mulher - estimula a violência entre os casais. Na nova letra "o crav encontrou a rosa debaixo de uma sacada/o cravo ficou feliz /e a rosa ficou encantada". Que diabos é isso? O próximo passo é enquadrar o cravo na Lei Maria da Penha. Será que esses doidos sabem que O cravo brigou com a rosa faz parte de uma suíte de 16 peças que Villa Lobos criou a partir de temas recolhidos no folclore brasileiro?

É Villa Lobos, cacete!

Outra música infantil que mudou de letra foi "Samba Lelê". Na versão da minha infância o negócio era o seguinte: Samba Lelê tá doente/ Tá com a cabeça quebrada/ Samba Lelê precisava/ É de umas boas palmadas. A palmada na bunda está proibida. Incita a violência contra a menina Lelê. A tia do maternal agora ensina assim: Samba Lelê tá doente/ Com uma febre malvada/ Assim que a febre passar/ A Lelê vai estudar. Se eu fosse a Lelê, com uma versão dessas, torcia pra febre não passar nunca. Os amigos sabem de quem é Samba Lelê? Villa Lobos de novo. Podiam até registrar a parceria. Ficaria assim: Samba Lelê, de Heitor Villa Lobos e Tia Nilda do Jardim Escola Criança Feliz.

Comunico também que não se pode mais "atirar o pau no gato", já que a música desperta nas crianças o desejo de maltratar os bichinhos. Quem entra na "roda dança", nos dias atuais, não pode mais ter sete namorados para se casar com um. Sete namorados é coisa de menina fácil. Ninguém mais é pobre ou rico de "marré-de-si", para não despertar na garotada o sentido da desigualdade social entre os homens.

Dia desses alguém (não me lembro exatamente quem se saiu com essa e não procurei a referência no meu babalorixá virtual, Pai Google da Aruanda) foi espinafrado porque disse que ecologia era, nos anos cinquenta, coisa de viado. Qual é o problema da frase? Ecologia, de fato, era vista como coisa de viado. Eu imagino se meu avô, com a alma de cangaceiro que possuía, soubesse, em mil novecentos e cinquenta e poucos, que algum filho estava militando na causa da preservação do "mico leão dourado", em defesa das bromélias ou coisa que o valha. Bicha louca, diria o velho.

Vivemos tempos de não me toques que eu magôo. Quer dizer que ninguém mais pode usar a expressão coisa de viado ? Que me desculpem os paladinos da cartilha da correção, mas isso é uma tremenda babaquice. O politicamente correto é a sepultura do bom humor, da criatividade, da boa sacanagem. A expressão coisa de viado não é, nem a pau (sem duplo sentido), ofensa a bicha alguma.

Daqui a pouco só chamaremos o anão - o popular pintor de roda-pé ou leão de chácara de baile infantil - de deficiente vertical . O crioulo - vulgo picolé de asfalto ou bola sete (depende do peso) - só pode ser chamado de afrodescendente. O branquelo - o famoso branco azedo ou Omo total - é um cidadão caucasiano desprovido de pigmentação mais evidente. A mulher feia - aquela que nasceu pelo avesso, a soldado do quinto batalhão de artilharia pesada, também conhecida como o rascunho do mapa do inferno - é apenas a dona de um padrão divergente dos preceitos estéticos da contemporaneidade. O gordo - outrora conhecido como rolha de poço, chupeta do Vesúvio, Orca, baleia assassina e bujão - é o cidadão que está fora do peso ideal. O magricela não pode ser chamado de morto de fome, pau de virar tripa e Olívia Palito. O careca não é mais o aeroporto de mosquito, tobogã de piolho e pouca telha.

Nas aulas sobre o barroco mineiro, não poderei mais citar o Aleijadinho. Direi o seguinte: o escultor Antônio Francisco Lisboa tinha necessidades especiais... Não dá. O politicamente correto também gera a morte do apelido, essa tradição fabulosa do Brasil. O recente Estatuto do Torcedor quer, com os olhos gordos na Copa e 2014, disciplinar as manifestações das torcidas de futebol. Ao invés de mandar o juiz pra putaqueopariu e o centroavante pereba tomar no olho do cu, cantaremos nas arquibancadas o "Allegro da Nona Sinfonia de Beethoven", entremeado pelo coro de Jesus, alegria dos homens, do velho Bach.

Falei em velho Bach e me lembrei de outra. A velhice não existe mais. O sujeito cheio de pelancas, doente, acabado, o famoso pé na cova, aquele que dobrou o Cabo da Boa Esperança, o cliente do seguro funeral, o popular tá mais pra lá do que pra cá, já tem motivos para sorrir na beira da sepultura. A velhice agora é simplesmente a "melhor idade". Se Deus quiser morreremos, todos, gozando da mais perfeita saúde. Defuntos? Não.

*Luiz Antônio Simas, é mestre em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

CRATO - Histórias e Estórias do Crato de Antigamente - Por: Ivens Mourão


Nota do Editor: Bom Dia, Crato! - Até que hoje está bem com cara de Domingo aqui em Crato, em plena sexta-feira da paixão. E já que parece Domingo, como é de costume, trazemos as famosíssimas "estórias e histórias do Crato de antigamente", do Ivens Mourão.

A PAÇOCA

O Sr. Pedro Felício foi um educador exemplar e incansável no Crato. Responsável pela instalação de diversos Grupos Escolares e da Associação Caixeiral, que possibilitava o ensino noturno para aqueles que trabalhavam durante o dia. Era um curso profissionalizante de contabilidade. Portanto, na década de quarenta e cinqüenta o Crato já contava com este benefício. O Sr. Pedro mereceria uma estátua, pelo muito que fez pela educação da cidade. Era também político e, por diversas vezes candidatou-se a Prefeito, sendo sempre derrotado. Até que uma vez, já com idade avançada, a população resolveu premiá-lo pela insistência, elegendo-o Prefeito.



Pedro Felício em duas épocas


Politicamente era conservador, mas não tanto quanto os donos de engenho. O conservadorismo se estendia aos seus hábitos, além de conversar pouco. Só caminhava pelo meio da rua, por ter, em certa ocasião, escorregado numa casca de banana deixada numa calçada, levando uma grande queda. Toda segunda-feira, no almoço, tinha um prato de paçoca. Ao lado, inseparável, uma quartinha com água. Só bebia café de bule, nunca café de garrafa. Uma determinada segunda-feira, na hora do almoço, sua esposa, Dona Ailza, (irmã do Dr. Wilson Gonçalves) falou extremamente contrariada:

- “Mas Pedro, não é que hoje eu me esqueci de fazer a sua paçoca”.

O Sr. Pedro calado, de cabeça baixa. E a Dona Ailza, extremamente contrariada:
- “Como é que pode acontecer uma coisa dessas!!. Hoje é o dia da carne de sol de Caicó! Hoje é segunda-feira, dia da sua paçoca! Eu nunca me esqueço! Como é que vai ser? Hoje você não vai gostar do almoço!”
E o Sr. Pedro calado, diante do embaraço da esposa.
- “Mas não vai acontecer de novo. Está com mais de dez anos que eu faço esta paçoca toda segunda-feira!! Como fui esquecer hoje...”
O Sr. Pedro, então, rompeu o silêncio:
- “Não, eu acho que está com mais de dez anos. Devem ser uns quinze anos!”.
Como ela continuasse a se lamentar, o Sr. Pedro disse:
- “Não, não se lamente não! Durante todos esses anos eu comi paçoca porque você botava na mesa. Mas eu não gosto de paçoca não...”

A “FAMÍLIA”

Existia no Crato um senhor que era famoso por ser um autêntico garanhão. Era uma onça para comer gente. Teve duas filhas com uma amante. Ficou preocupado que aquelas meninas crescessem sem ter a referência de uma família. Então resolveu criar uma, mesmo que fosse artificial. Montou uma casa para a amante, que vivia com as filhas. Mas faltava a figura masculina. Ele próprio não poderia, pois já tinha a sua família e não pensava em abandoná-la. Lembrou-se, então, de um dos freqüentadores da Praça Siqueira Campos, que estava sempre com os motoristas de “carros de praça”. Vivia de fazer biscates que não lhe custassem muito esforço. Aqui e acolá fazia uma corrida, quando um motorista não podia ir, o que lhe garantia uns trocados. Os irmãos dele eram bem diferentes. Todos bem empregados, alguns até formados. Ele, não. Não queria nada com a vida.

O velho resolveu “contratar” essa pessoa para ser o “homem” da casa. Em compensação lhe daria um Jeep, no qual poderia fazer suas corridas e ganhar um dinheirinho. As despesas da casa, garantia o senhor, ficariam sob a sua responsabilidade. Além disso, respeitaria a “casa” do “contratado”. Quando quisesse ter encontros amorosos com a amante seria em outro local, nunca na “casa” dele. Como exigência, ele não poderia bater, de maneira nenhuma, nas meninas. Ele disse na hora:

- “Eu topo!!! Mas querendo pode ter o encontro com ela lá ‘em casa’ mesmo”.

- “Não, não. Isto aí não. É uma questão de honra”.

Chegando a época do Natal, o velho parou o carro em frente da “casa”, da filial. Ficou, sentado no carro mesmo, combinando os presentes de Natal para as meninas. Enquanto isso o “homem da casa” estava sentado na sala da frente. Definidos os presentes das filhas e da amante, ele, discretamente perguntou:

- “E para ele, o que é que eu compro?”

Ouviu-se, então, uma voz, de dentro da casa:
- “Uma calça de Brim Coringa, mesmo!!!”

TWO BEARS

Antônio Venâncio foi um dos homens mais ricos do país. Começou a sua fortuna no Crato. Embora tivesse poucos estudos, possuía uma visão fantástica para negócios. Vindo do Assaré, começou a negociar no Crato. Percebeu que o período da Guerra era uma boa oportunidade para ganhar dinheiro. Passou a vender para o exército gêneros alimentícios ou determinados produtos estratégicos, que se valorizaram no período do conflito mundial, como mamona, algodão e couro. Devido aos torpedeamentos dos navios na costa brasileira, os produtos do Nordeste para o sul passaram a ser transportados pelo Rio São Francisco. Os do Cariri eram transportados em caminhões do exército, para o porto de Petrolina. O Venâncio fez amizade com os oficiais e passou a ser o comprador deles, no Cariri. O Luís lembra-se bem de tê-lo visto pedindo adiantamento na firma do meu avô e do Sr. Joaquim Bezerra, para comprar as primeiras mercadorias, iniciando assim a sua brilhante carreira no mundo dos negócios. Do Ceará foi para o Rio de Janeiro, onde multiplicou a fortuna. Com a inauguração de Brasília, apostou na cidade e desfez-se de todos os seus imóveis no Rio, investindo tudo em Brasília, solidificando a sua fortuna. Chegou a ser Senador pelo Distrito Federal. Tinha como seus auxiliares de mais confiança, pessoas da região. Um deles era o Tobias Mota, irmão do Dr Oriel Mota, que chegou a ser Deputado e Superintendente da Cibrazem. Moravam vizinho à nossa casa, na Praça Francisco Sá. Tobias era alto, com um andar meio desengonçado, que o meu tio Francisco Mourão imitava. O certo é que o Tobias foi gerenciar o escritório de importação e exportação do Venâncio, em Nova Iorque. Certa vez o Venâncio foi visitar o escritório nos Estados Unidos. Ele e seu Gerente foram a um restaurante. Na conversa muito animada, todas as vezes que pronunciava o nome do Tobias o garçom, com muita presteza, colocava duas cervejas na mesa...

CARO COLEGA

Lembro-me bem do Zé de Sousa. Era um preto alto, enfermeiro, tendo por principal atividade o atendimento a chamados para aplicar injeções nas residências. Era o concorrente do Sr. Miguel, que aplicava as injeções em nossa casa. Este chegava com o aparelho de injeção na mão, vestindo um terno meio surrado e gravatinha borboleta. Estava sempre com a testa cheia de gotinhas de suor. Já o Zé de Sousa andava sempre de branco, como se fosse um médico. Até os sapatos eram brancos. Em seu pequeno ambulatório, de uma porta só, além de aplicar injeções, fazia pequenos curativos. Seus principais clientes eram rapazes ou senhores casados que contraiam doenças venéreas e necessitavam se submeter aos dolorosos tratamentos da época. O Luís recorda-se muito bem que o Zé de Sousa só andava muito perfumado. Era o cheiro de uma brilhantina da marca Le Man de Coty. Em certa ocasião, o Luís contraiu uma infecção intestinal e o médico receitou uma série de injeções. Todas as vezes que sentia o cheiro daquela brilhantina sabia que o Zé de Sousa tinha chegado para aplicar a injeção que ele tinha pavor. O Zé de Sousa orgulhava-se muito dessa sua atividade, queiram ou não, na área médica. Por esse motivo foi humilhado por um médico - o mesmo que receitara o Luís - o que o fez ir embora para o Rio de Janeiro, montar uma farmácia com ajuda do Venâncio, e nunca mais voltar. Tudo por ele ter chamado o médico de:
- “Caro colega”.

Por: Ivens Mourão, do seu livro - "Só no Crato" - Proibida a Reprodução sem Autorização

Roberto Carlos - Por Emerson Monteiro

Neste mês de abril (2011), Roberto Carlos inteirou 70 anos (dia 19), dos quais 50 de sucesso absoluto na música popular brasileira, com algumas incursões pontuais ao exterior, sobretudo aos países de língua espanhola das Américas. Menestrel de repetidas gerações, ele segue firme e forte, através dos espetáculos que apresenta acompanhado de músicos virtuosos, demonstração inequívoca do talento e da organização que lhe caracterizam a genialidade humana por demais reconhecida.

Escrever a propósito de Roberto Carlos contextualizaria um tempo deste País de tantas contradições e mudanças, desde os inícios da carreira, nos anos 60, quando vivíamos as notas iniciais da exceção política, às convulsões mundiais ocasionadas pela Guerra Fria, às rebeliões da juventude na Europa e ao movimento hippie espraiado pelo mundo inteiro, ainda somados os movimentos tropicalista e da Jovem Guarda, e os heróicos festivais da música de protesto; os exílios da fina flor dos expoentes musicais, o crescimento das drogas, amor livre, eliminação de líderes mundiais sob a agressividade que, impiedosa, campeou na época, a culminar no desencanto dos sonhos interrompidos e na morte de John Lennon, em Nova York.

Da cidade ao sertão, de parceria com Erasmo Carlos, em passes mágicos, gerava sucessos trazidos pelo rádio e pelo disco, e que funcionavam quais trilhas sonoras do quadro nacional, amenizando a rotina dos indivíduos. Angústias, apreensões de toda aquela juventude, encontraram eco no lirismo bem elaborado das letras dos astros pop, também abertas aos sentimentos cristãos da gente simples, marcos indeléveis do nosso melhor cancioneiro.

Os álbuns do cantor assinalam, pois, cada fase desse tempo, enquanto a vida transcorria no salão enorme das existências, aceleradas pelo progresso industrial da fase econômica. Agora, nos miados eletrônicos da digitalidade pós-moderna, em arquivos mp3 da Internet, disponíveis se acham as inesgotáveis canções de Roberto Carlos, pomos de recordação e saudades, velhas melodias que fizeram a cabeça de milhões e que desfilam atuais seus amores, suas festas, de tantas alegrias, velhos tempos, belos dias.

Aqui eu me pego a falar nisso meio sem jeito, narrando do pouco que restou das impressões motivadas pelos heróis eternos da geração e suas criações guardadas a sete capas nos baús do destino, aprendizado permitido pelas artes na ilustração das histórias do cotidiano coletivo. Então, falar na música, a divina música composta e interpretada por quem sabe produzir com extrema sabedoria, assinala de bênçãos a vida brasileira entre esses dois séculos de riqueza cultural.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Ações no TSE ameaçam mandato de 38% dos governadores. Cid Gomes está entre eles


Aproximadamente 38% dos governadores eleitos em outubro passado correm o risco de perder os mandatos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Eles terão que se defender de acusações feitas por adversários políticos e pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de, entre outros crimes, compra de votos, abuso de poder político e econômico e uso ilegal dos meios de comunicação. Por enquanto, dos dez processos que chegaram à corte, somente três têm o trâmite mais adiantado. Mesmo assim, a expectativa para que cheguem ao plenário fica para o fim do segundo semestre.

Em 3 de março, o Congresso em Foco mostrou que seis governadores já enfrentavam recursos contra expedição de diploma (RCED) no TSE. Eram eles: Tião Viana (PT), do Acre; Omar Aziz (PMN), do Amazonas; Antonio Anastasia (PSDB), de Minas Gerais; Wilson Martins (PSB), do Piauí; Rosalba Ciarlini (DEM), do Rio Grande do Norte, e Siqueira Campos (PSDB), do Tocantins. Além deles, o governador de Roraima, José de Anchieta Junior (PSDB), já tinha perdido o mandato por decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) local, mas o TSE julgará também recurso.

CID GOMES

Além dos que foram noticiados primeiramente pelo Congresso em Foco em março, somaram-se recursos apresentados contra a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), e os governadores de Alagoas, Teotônio Vilela (PSDB), e do Ceará, Cid Gomes (PSB). Também chegou à corte superior um RCED contra o governador de Roraima. Com estes casos, a eleição passada supera os processos apresentados no pleito anterior. Na ocasião, seis chefes de Executivo estadual foram julgados. Três perderam o mandato – Jackson Lago (PDT) no Maranhão; Cássio Cunha Lima (PSDB) na Paraíba, e Marcelo Miranda (PMDB) em Tocantins.

Fonte: Congresso em Foco


Programação da Diocese do Crato para a Semana Santa


DIOCESE DE CRATO PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA PENHA - CRATO - CEARÁ

Domingo de Ramos - Dia 17 de Abril

09h Santa Missa
Oficiante - Padre Edimilson
Animação Litúrgica- Sementes do Reino
de Deus
10h Batizados
16h Bênção dos Ramos
Local - Santuário Eucarístico Diocesano
Roteiro da Procissão: Praça São Vícente,
Coronel, Luiz Teíxeira, Nelson Alencar,
Duque de Caxías, Praça da Sé.
17h Santa Missa
Oficiante - Dom Fernando
Ministros: Mons. Bosco e Padre Paulo Borges
Animação Litúrgica: Grupo Nossa Voz
Coleta da Solidariedade

Segunda- Feira - Dia 18

15h Confissões: Mons. Manoel Feitosa,
Padre Ribeiro, Padre Paulo Moura,
Padre Sebastião, e Padre Sales.
17h Santa Missa
Meditação das Sete Palavras
Animação Litúrgica: Suilia Trigueiro
18h30min Confissões: Mons. Manoel
Feitosa, Padre Paulo Borges, Padre
Leandro, Padre José Vicente, Mons.
Mattioli, Mons. Bosco.
19h Terço dos Homens

Terça- feira - Dia 19

15h Confissões: Mons. Manoel Feítosa,
Padre Emanoel Dias, Mons. Bosco,
Padre Sales.
17h Santa Missa
Animação Litúrgica - Suilia Trigueiro
19h Procissão do Encontro
Homens Santuário Eucarístico Diocesano
Roteiro da Procissão: Praça São Vícente,
Rua Dr. João Pessoa, Bárbara de Alencar, Pedro Il, Rua Araripe, Beco do Padre Lauro, Praça da Sé. Mulheres - Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Roteiro da Procissão: Rua N. Senhora. de Fátima, 21 de Junho, Teófilo Siqueira, Ida Bilhar e Praça da Sé.
18h30min Confissões: Mons. Manoel
Feítosa, Padre Edímílson, .
Pregador - Diácono Wesley

Quarta- Feira Santa - Dia 20

15h Confissões: Padre Marcondes,
Padre Paulo Borges, Padre José Vicente.
Mons. Mattioli, Padre Sales
17h Santa Missa e Unção dos
Enfermos
Animação Litúrgica: Suilia Trigueiro
18h30min. Confissões - Mons. Manoel
Feítosa, Mons. Mattioli.

Quinta - feira - Dia 21

08h Missa dos Santos Óleos
Oficiante: Dom Fernando
Ministros: Mons. Dermíval, Padre Paulo
Borges, Padre Francisco Luíz, Padre
Edvan, Padre Sebastião Pedro, Padre
Ronaldo.
Animação Litúrgica - Canto Chão
16h Missa da Ceia do Senhor
Oficiante: Dom Fernando
Ministros: Padre Marcondes e Padre
Sebastião. Padres e Diáconos da Região
Crato.

Nota do Editor: Só recebi essa programação hoje, Quinta-Feira, e em arquivos PDF, que torna muito complicada a publicação.

Vergonha ou Bom Senso - Por: Ed Alencar


Você daria outra chance a médicos que perderam suas licenças por erros ?

O Brasileiro aguarda com um pé atrás o desfecho do parecer da comissão de Constituição e Justiça do Senado, que avalia o projeto da senadora Maria do Carmo Silva do (DEM-SE), em tramitação na casa. Esse projeto vem alcançando um índice muito grande de repúdio do povo Brasileiro. A expectativa é grande por um SIM vergonhoso ou NÃO de bom senso. A proposta da senadora visa dar outra chance aos médicos que perderam suas licenças por erros, no exercício da profissão, criando punições alternativas como: curso de ética, aperfeiçoamento e especialização, normas impostas para o retorno a profissão. Para os casos graves, seria mantida a suspensão ou cassação do registro médico conforme a forma da lei. São muitas as interrogações (?). Estaria a senadora legislando em causa própria? Vêm à tona lembranças de tantos casos de impunidade entre eles, do ex médico Marcelo Caron que matou e mutilou pessoas, foi julgado e condenado, entrou com recurso e está em liberdade a espera de novo julgamento. São razões que motivam a indignação do povo.

Vejamos o que diz as autoridades, a classe médica, igreja, políticos e a sociedade.

Promotor Dr. Raimundo Parente da 3ª Promotoria de justiça da comarca do Crato-CE.
Considero uma ideia infeliz – considero que a lei sendo aprovada ira gerar impunidade para os médicos – considero que os casos devem ser tratados pelo código penal, sem prejuízo das sanções aplicadas pelos conselhos de medicina do país.

Dr. George Macário de Brito (advogado) Crato-CE.

Sou totalmente contra o projeto da senadora Maria do Carmo Silva, por conta da banalização na formação de profissionais, pelas faculdades de medicina do país, onde os erros médicos, estão mais frequentes pela falta de competência e compromisso com o paciente ou cliente. O projeto da nova chance ao cidadão que não teve compromisso de se formar bem, é dar aos seus erros, uma blindagem de imunidade como se fosse um político. Sou mais radical ainda!! Assim como a OAB faz a prova para a seleção de seus profissionais para o mercado, que o CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA também faça com mais rigor uma avaliação melhor dos profissionais que vão lhe dá com vidas.

Vereador Florisval Sobreira Coriolano presidente da Câmara Municipal do Crato-CE.

Sou contra e vejo um infeliz projeto que tramita na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e acho que a senadora Maria do Carmo vai de encontro a uma indignação popular e que retirasse o processo, uma vez que o mesmo deixa dúvidas se não é, para benefício próprio. Fica uma interrogação (?), a população brasileira vem acompanhando sucessivos erros médicos, praticados muitas vezes, pelos mesmos profissionais que ainda julgados estão em liberdade.

Dr. Francisco Carlos, Médico Clínico Cirurgião, Ex-Secretário de Saúde do Município de Barbalha-CE.

Sou médico há 23 anos sem nenhum processo. Prezo e me dedico pela valorização da vida, não acredito que um projeto como esse seja aprovado uma vez que o considero também inconstitucional e se aprovado seria um salvo-conduto para a impunidade. O que precisa é de faculdades de medicina, com melhores estruturas de ensino.





Dr. Humberto Macário de Brito, médico há 53 anos, aos 78 anos de idade, Ex-Prefeito do
Crato-CE, Ex-Secretário de Saúde do Estado do Ceará no governo de Virgilio Távora.

Sou contra sim. Penas alternativas para quem já passou pela escola? Ele tem que profissionalmente, seguir o código de antologia médica, lei que disciplina e regula a prestação do serviço médico. Se ele erra tem que ser punido até que prove o contrário, esse projeto não passa, a formação ética começa na família e ele segue na escola.

Pergunta: e quanto à formação do médico de ontem e de hoje? Disse: o médico de hoje tem mais condição de aprendizado pela evolução dos tempos e novas tecnologias, agora quanto aos aspectos da ética-decência e da moralidade, eu tenho cá minhas dúvidas, acredito que no passado nossos médicos foram e são mais dignos. Esse projeto para mim é balela... é demagogo.

Padre Francisco Edmilson Neves Ferreira, pároco da catedral da sé, Crato-CE.

Na minha opinião, o projeto fere muito a ética, garante privilégios a uma classe, desprivilegiando outra, o lado mais fraco. A Igreja sempre foi defensora da vida em todos os sentidos e uma lei para ser justa ela tem que beneficiar os dois lados. Cercar o médico de muitos cuidados, de muita proteção em detrimento do paciente não é correto. A lei tem que reconhecer o direito de ambos. Por outro lado, a situação do nosso país, onde o estudo não é tão aprimorado e se ver o surgimento de tantas faculdades, universidades que responde mais a uma questão, infelizmente hoje o ensino virou comércio, se brinca com o dito popular que algumas faculdades “pagou, passou, entrou”, significa dizer que, nem toda pessoa com um título na mão, tem competência para exercer aquele trabalho. Em todo canto é assim, até mesmo na religião, nem todo profissional age como deveria agir. Tudo isso implica numa fiscalização maior, num julgamento mais abalizado e não se trata de julgar um médico por uma morte, sem investigar as causas se foi por ação da natureza ou foi provocada.

Temos visto muitas vítimas e muitos mutilados. E se o nosso país começar a legitimar a impunidade, proteger evitando que a lei não possa atingir, isso é muito perigoso! Daqui a pouco vamos começar a legitimar muitas coisas graves no país.

VOX POPULI

1. Está provado que Deus não é brasileiro, pois neste país tudo é possível.
2. Se os erros médicos, as omissões e impunidades já existem com frequência como vão dar a eles mais respaldo para impunidades.
3. Vamos ter uma classe menos temente as leis e de pouco caso com os pacientes, embora sabemos que errar é humano.
4. Será um atestado de impunidade, só isso.
5. Se a saúde no país já vai de mal a pior, vem mais essa para piorar o atendimento.
6. O que tem por traz deste projeto da senadora, será que ela é médica ou tem alguém na família sendo punido por erro médico?
7. No caso de uma aprovação, vamos ter mais óbitos pelas mãos de médicos incompetentes.
8. Meu Deus vai sobrar para os pobres.
9. Com esses privilégios de poder errar, matar e voltar quem vai denunciar, qual autoridade que vai se interessar pela denúncia se ele está imune.
10. Como ficará e que reflexo terá as universidades na formação de futuros médicos, sem medo de punição.
11. Voltar para a escola de novo como punição? É vergonhoso um projeto desse.
12. Se não bastasse a imunidade para os políticos fortalecerem suas corrupções no país, vem agora a imunidade dos médicos também, só no Brasil.
13. Quem mandou votar numa pessoa dessa.
14. A profissão de médico visa somente dinheiro, nada pelo voluntário, agora é pelo monetário.
15. Médicos estão matando pessoas, por não diagnosticar um simples sintomas de dengue.
16. Em muitos postos de saúde, onde a procura de consultas é grande, o diagnóstico e a medicação é quase generalizada para os pacientes. Se hoje é assim, imagine amanhã com um projeto desse.

Por: Ed Alencar

mercadinhomatosbanner02

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Futebol - Com Amilton Silva - Vitória Heróica do Fluminense


Vitória Heróica do Fluminense

Jogando em Muenos Aires, Argentina, no estádio Diego Armando Maradona, o Fluminense derrotou o Argentino Jr por 4 X 2, gols de Júlio César, Rafael Moura e Fred duas vezes, e classificou-se para próxima fase da taça Libertadores da América. O que parecia impossível aconteceu. Com apenas 8% de possibilidades matemáticas, O Tricolor contrariou todas as espectativas e chegou lá. Com o empate de 0 X 0 Entre Nacional do Uruguai e América do México, o Flu necessitava de uma vitória com dois gols de diferença. Aos 42 minutos do segundo tempo Fred de Pênalte consolidou a épica classificação do tricolor das laranjeiras. O Fluminense ainda teve que superar uma crise interna, quando teve que dispensar o atacante Emerson que marcou o gol que deu o título do Brasileiro do ano passado, por desentedimento com o presidente do tricolor. No final do confronto, os Argentinos insatisfeitos com eliminação partiram para briga com jogadores do Fluminense gerando uma tremenda confusão.

Santos Avança na Libertadores

Dependendo apenas de uma vitória, o Santos jogou e venceu com facilidade o Desportivo Tachira da Venezuela , no Pacaembú, São Paulo, por 3 X 1. Marcaram para o Santos , Neymar , Jonhatan e Danilo.Mais de 36 mil pagantes compareceram ao estádio, proporcionando uma renda superior a 1.300. mil reais.

Avaí Elimina Botafogo
Com o empate de 1 x 1 entre Avaí e Botafogo, a equipe alvinegra, termina o primeiro simestre com uma campanha pífea, e entra de recesso durante 30 dias, voltando a atuar somente no mes de maio no campeonato Brasileiro. O Avaí que consegui um empate de 2 X 2 , na primeira partida no Engenhão, com o empate de ontem, prosegue na Taça do Brasil. A nota negativa da partida , foi uma confusão generarizada após o apito final do árbitro, entre jogadores das duas equipes.

Ainda pela Copa do Brasil, o Flamengo não foi além do Horizonte. Algumas declarações de menosprezo de jogadores do Time carioca durante a semana sobre o Horizonte, fez com que o time do interior cearense, se desdobrasse em campo, conseguindo um resultado , que , para muitos era imprevisível. No Final 1 X 1, a torcida flamenguista saiu vaiando os jogadores rubro negros. Mais duas partidas foram realizadas ontem, pela Copa do Brasil: Goiás 0 X 1 São Paulo e Atlético PR 5 X 0 Bahia

Por: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato e Chapada do Araripe OnLine

amiltonsomanima01

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Japão aprova US$ 48 bi para iniciar reconstrução do nordeste do país


Verba suplementar ainda depende de aval do Parlamento. Dinheiro reconstruirá regiões devastadas pelos desastres naturais de março.

O Japão aprovou nesta sexta-feira (22) um orçamento suplementar de 4 trilhões de ienes (US$ 48 bilhões de dólares) para financiar a primeira fase de reconstrução do nordeste do país, devastado pelos dois grandes desastres naturais de 11 de março: terremoto de magnitude 9 e tsunami. A verba suplementar, que completa o Orçamento para o atual ano fiscal, precisa do aval do Parlamento para ser adotada definitivamente. O exame da proposta deve ocorrer no dia 28 de abril. Outra verba suplementar ainda será analisada pelo governo japonês, para iniciar a segunda fase de reconstrução do país.

O governo prevê US$ 14,6 bilhões para o reparo de infraestruturas públicas e US$ 4,3 bi para a construção de residências provisórias, alem de verbas para o tratamento de escombros, restauração de escolas e estruturas de proteção contra terremotos e tsunamis. “O valor global é muito importante se comparado ao orçamento inicial para a reconstrução após o terremoto de Kobe (oeste), em 1995, que foi de 1,223 trilhão de ienes”, informou a TV estatal “NHK”. O ministro de Finanças do Japão, Yoshihiko Noda, disse que o novo orçamento não afetará a política de disciplina fiscal, cuja dívida pública ultrapassa o dobro do Produto Interno Bruto (PIB), a maior de um país industrializado.

O grande terremoto e as ondas gigantes de março afetaram, sobretudo, as províncias de Miyagi, Fukushima e Iwate, e deixaram 14.133 mortos e 13.346 feridos, segundo a última apuração policial, além de um prejuízo direto avaliado em US$ 306,2 bilhões.

Do G1, com agências internacionais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Dilma entra na lista dos 100 mais influentes da Time. O Criador do Facebook também.


A presidente Dilma Rousseff está entre as 100 personalidades mais influentes do mundo, segundo o ranking elaborado pela revista norte-americana Time. A lista inclui, além de chefes de Estado, artistas, ativistas, pesquisadores, e empresários. O perfil da primeira presidente mulher brasileira é escrito pela ex-líder chilena Michelle Bachelet, para a qual Dilma oferece a “virtuosa combinação de sabedoria e convicção de que seu país necessita”.

Bachelet ainda lembra que a presidente lutou contra as forças militares durante a ditadura e “tem dedicado sua vida à construção de uma alternativa democrática para o desenvolvimento, igualdade social e direitos das mulheres”.

Na lista, também aparecem o economista norte-americano Joseph Stiglitz, o criador do Facebook Mark Zuckerberg, a chanceler alemã Angela Merkel, o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet e o presidente dos EUA, Barack Obama.

Fonte: Yahoo Notícias


Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30