17 julho 2011

Um por todos ...Por: Gabriella Federico


http://3.bp.blogspot.com/-FDmyuRqjMNg/TiFwAct-p9I/AAAAAAAAYOM/fl7KcUTCmQU/s1600/gabi.jpg

São três os venenos nos corações humanos que produzem desastres, que dos síngulos se expandem: a ira, a ganância e a estupidez. A morte é mais certa do que o amanhã, da noite que segue o dia, do inverno que segue o verão. Porque então nos preparamos para a noite, para o inverno, mas não para a morte? Deveríamos. Mas há uma só forma de nos prepararmos para a morte: "viver bem"..."cada um de nós é responsável pelo nosso destino.

O fato que todas as causas do sofrimento estão dentro de nós, quer dizer que não pode existir um sofrimento maior das nossas potencialidades. As convicções ilusórias da espécie humana de serem de algum modo, independentes e separadas de tudo e não interligada à família, lugar de trabalho, sociedade, faz ela se comportar com superioridade, como se tivesse privilégios e isso a leva à atitudes às vezes parecidas a uma arrogante célula cancerígena, que agride e destrói o mesmo organismo onde vive; Seja família ou ou planeta inteiro.

Na ilusão que as causas dos problemas estejam fora de nós, procuramos a felicidade no eterno, pensando que uma vez alcançada alguma coisa que nos deixe felizes, a missão estaria cumprida. Mas tudo que depende de circunstâncias externas é instável e imprevisível. A vida é feita de instantes que se sucedem, mas a mente limita as possibilidades latentes; Não vê o exército de soluções e mudanças já prontas agora, para o estante que segue. Quando a esperança falta, o medo vence. Uma visão restrita das potencialidades da vida pode bloquear tudo e nos aprisionar.
Mas como diz um ditado" o medo bateu na porta, a esperança foi abrir: não havia ninguém."

Então para transformar o mundo, temos que partir de nós mesmos e aprender a paz, a compaixão, o respeito para com a vida e a natureza. É uma revolução humana, que consegue fazer sentir os efeitos concretos na esfera da influência de cada um. Tudo é matemático, mas até nas mais rigorosas e previsíveis ciências, a matematica, pode se ter resultados extraordinários.

Uma história conta que na antiga Pércia, um Gran Vizir, conselheiro do rei, inventou um novo jogo, onde as peças se mexessem sobre um tabuleiro de 64 quadrados brancos e pretos: nascia o jogo do xadrez. O rei entusiasmado pergutou ao Gran Vizir o que queria de recompença para essa grande invenção. O conselheiro era um homem modesto, então fez um pedido modesto. Pediu um grão de trigo para o primeiro quadrado do tabuleiro, dois para o segundo, quatro para o terceiro e assim até o último.

O rei achou muito pouco, propôs jóias e dinheiro, mas o Gran Vizir o convenceu. Quando se começou a contagem dos grão, o rei teve uma amarga surpresa. Os números dos grãos que no começo pareciam contidos, chegando no último quadrado alcançou a quantia impressionante de 18.500.000.000.000.000.000 por um peso total de 75 bilhões de toneladas, mais ou menos a safra de dez mil anos em todos os campos de trigo da terra. Essa matemática chama-se: crescimento exponencial.

De só um grão, uma enorme montanha. De só um instante milhões de condições possíveis. De uma palavra, uma frase, uma música, a energia do universo inteiro. De uma só pessoa que aprende a arte de viver, depende um mundo melhor. A sociedade e até a terra mudam pelo estado vital de um povo que ali mora. O poder de transformar um ambiente está no coração humano. Uma grande revolução na vida de um pessoa pode mudar o destino da humanidade e do planeta.

Vamos começar?

Por: Gabriella Federico - Artista Plástica

4 comentários:

  1. Parabéns, Gabi,

    Só depois de postado o texto é que fui ler com calma e refletindo, cheguei à conclusão que é um dos seus melhores textos, e que traz uma mensagem fenomenal de esperanças para o mundo, quando destaca e explica de forma muito compreensível o que se diz que para mudar o mundo, é preciso que cada um de nós mude a si próprio.

    Parabéns por tamanha lucidez.

    Abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Gabi, vale ressaltar ainda, complementando a sua frase:

    "Um por todos...e Todos por Um"

    Que aliás, é o lema dos três mosqueteiros.

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  3. Prezada Gabriella

    Parabéns pelo texto . É de pessoas de sensibilidade,como você, que nós estamos precisando.

    Heladio

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Dihelson e Heladio, é preciso lutar para uma vida melhor, um mundo melhor, para uma mãe é uma obrigação.

    Abraços

    Gabí

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.