11 abril 2011

Coluna Armando Rafael -- Notícias do Cariri


Muita conversa, pouco trabalho Como esta coluna previu – há quase um ano – nenhuma das grandes obras públicas anunciadas, com estardalhaço, para comemorar o centenário de Juazeiro do Norte saiu do papel. Foi o caso da Praça do Marco Zero, Anel Viário, Avenida do Contorno, o Roteiro da Fé, os quatro portais nas entradas da cidade, a hospedaria para romeiros pobres, dentre outras. Nenhuma foi iniciada. E faltam apenas 3 meses e 10 dias para a data do centenário. Mesmo que fossem iniciadas hoje, não daria mais tempo para conclui-las até o próximo dia 22 de julho. Pior: todas aguardam liberação das verbas que “teriam” sido conseguidas por deputados...


Outras iniciativas suprirão essa lacuna

Entretanto, algo foi feito para comemorar a importante efeméride juazeirense. E nem precisou do alardeado componente político. A exemplo do Projeto Editorial do Centenário, trabalho articulado pelo Coordenador Executivo da Comissão do Centenário, prof. José Carlos dos Santos e pelo ex-diretor do Memorial Padre Cícero, Renato Casimiro. Depois de negociado (parceria UFC/BNB/Prefeitura de Juazeiro), o pacote sairá com 20 livros. O volume nº 1 da coleção – a ser lançado no próximo dia 22 de julho – será O Patriarca de Juazeiro, do padre Azarias Sobreira (foto à esquerda). Depois virão os outros 19. Outro lançamento editorial de grande importância será "Padre Cícero Romão Baptista e os Factos de Joaseiro" (editado numa parceria entre o Departamento Histórico Diocesano Padre Antônio Gomes/ Sesc/ Senac/ Fundação Padre Ibiapina/ Prefeitura de Juazeiro).


Iniciativa da URCA merece elogios

A Universidade Regional do Cariri também participa com um pacote editorial em homenagem ao Centenário de Juazeiro do Norte. Numa parceria Urca/Secult/UFC – sob a coordenação da vice-reitora Otonite Cortez – foram reeditados e se encontram à venda em Fortaleza (a propósito: quando serão colocados à venda no Cariri?) dois livros: “Efemérides do Cariri”, de Irineu Pinheiro e "Joaseiro e o Padre Cícero”, de Floro Bartolomeu”. Na mesma parceria também foram reeditados sete livros de J. de Figueiredo Filho: “História do Cariri” (quatro volumes), “Folguedos Infantis Caririenses”, “Engenhos de Rapadura do Cariri” (foto à esquerda) e “Cidade do Crato”, além de "O Cariri" de Irineu Pinheiro.



Do fundo do baú

A propósito, o escritor J.de Figueiredo Filho (1904-1973), continua a ser o cratense com maior número de livros publicados, trinta e cinco anos depois do seu falecimento. Ele herdou o gosto literário do pai, José Alves de Figueiredo (o Zuza da Botica) que era poeta, jornalista e cronista. Figueiredo Filho era farmacêutico, historiador, jornalista, memorialista, cronista, folclorista e o único membro da Academia Cearense de Letras que morava no interior. Sem nunca ter saído de Crato, J. de Figueiredo Filho, além dos 7 livros de sua autoria, reeditados pela Urca/Secult/UFC, também escreveu e publicou: “Renovação”, “Meu mundo é uma farmácia”, “Folclore do Cariri”, “Patativa do Assaré–novos poemas comentados”, afora centenas de trabalhos de alto valor histórico, paleontógico, folclórico e literário, publicados em revistas e jornais brasileiros. Na foto abaixo, parte da família Figueiredo: da esquerda para a direita: Marineida (esposa do Dr. Aníbal, com a filha Magali ao colo), José Alves de Figueiredo (o Zuza da Botica, patriarca do clã), J. de Figueiredo Filho com Tiago, Zuleika (esposa de Figueiredo Filho) e Emília, a matriarca da família.
Encontro internacional das CEBs
Iniciada no último dia 31 de março será encerrada neste sábado, 9 de abril, em Santiago, capital do Chile, o Encontro de Articulação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Participaram do evento 35 participantes, provenientes de quatro continentes: África, Ásia, Europa e América Latina. A diocese de Crato esteve presente ao encontro – representada pelo padre Vileci Vidal, que aparece na foto ao lado (o terceiro da esquerda para a direita). Crato sediará, em 2014 – no Centro de Expansão Dom Vicente Matos – o 13º Encontro Nacional das CEBs, que será coordenado pelo padre Vileci. O evento reunirá representantes dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal.


Conhecendo o Cariri Na foto acima o Boqueirão de Lavras, localizado a cinco quilômetros da cidade de Lavras da Mangabeira. O Boqueirão é formado pela abertura de uma rocha, dentro da qual corre as águas do Rio Salgado. Mesmo na temporada de verão existe água naquele local, uma das paisagens mais bonitas do Cariri.


Curtas


1 – Que o sul do Ceará é um celeiro de vocações religiosas, todo mundo sabe. O que pouca gente sabe é que Crato é sede de algumas casas de formação católica. A exemplo da Casa de Formação dos Servos do Sagrado Coração de Santa Caterina Volpicelli, localizada no sítio Sítio Guaribas. E da Casa dos Missionários da Aliança de Misericórdia, destinada a aspirantes ao sacerdócio, localizada na Rua Dom Pedro II, centro de Crato. Esses vocacionadas estudam Filosofia e Teologia na Faculdade Católica do Cariri, frequentada também pelos mais de sessenta alunos do Seminário Diocesano São José.


2 – O botânico Christian Westerkamp – professor do curso de Agronomia do Campus UFC-Crato – é profundo conhecedor da obra do naturalista alemão Fritz Müller (1822–1897). O prof. Christian foi convidado para proferir palestras sobre Fritz Müller na exposição que será realizada pelo Instituto Martius-Staden (de São Paulo) e pelo Museu Koenig (de Bonn, Alemanha). Fritz Müller foi – e continua sendo – o mais importante biólogo do Brasil. Recentemente, o prof. Christian Westerkamp proferiu palestra, em Blumenau (SC), cidade onde Fritz Müller viveu por 34 anos.


3 – Juazeiro do Norte vai ganhar em breve a Rádio FM Universitária do Cariri, iniciativa da Universidade Federal do Ceará. O estúdio desta nova emissora de rádio ficará no próprio Campus UFC-Cariri.


4 – A boa notícia: O Hospital Regional do Cariri (oficialmente será denominado de Monsenhor Murilo de Sá Barreto) será inaugurado nesta sexta-feira, dia 8. Com direito a show de Lulu Santos e presença do ministro da saúde, Alexandre Padilha. Agora a notícia ruim: o hospital só começa a funcionar na segunda quinzena de junho...


5 – A divulgação do relatório (tardio) da Polícia Federal confirmou a existência do Mensalão. E provou que o esquema de corrupção não era uma “farsa”, como apregoava o ex-presidente Lula. Mais uma vez desmascarados, os chefões da "lambança" torcem pela prescrição do crime de “formação de quadrilha”, o que poderá acontecer no próximo mês de agosto, no qual estão implicados 22 dos 40 políticos denunciados pelo Supremo Tribunal Federal pelo Mensalão. Se a prescrição ocorrer mesmo, estará decretada a falência moral do Estado brasileiro...


6 - Monsenhor João Bosco Cartaxo Esmeraldo, reitor do Santuário Eucarístico Diocesano (instalado na igreja de São Vicente Ferrer, em Crato), participou em Salvador, Bahia, do 19º Encontro Nacional de Reitores de Santuários do Brasil. O evento aconteceu entre os dias 1º e 7 do corrente mês.


7 – Com a solenidade de ordenação de novo sacerdote (Emanoel Dias Alexandre) e do novo diácono ( Francisco Weslley Barbosa Barros) a Catedral de Nossa Senhora da Penha inaugurou na última 5ª feira, dia 7, o sistema dos telões internos, proporcionando que se veja, de qualquer lugar da Sé de Crato, o que se passa no altar-mor. Devido as largas colunas existentes naquele templo, quem ficava nas laterais não via o que se passava no centro do templo. Com os telões o problema foi resolvido.

8 comentários:

  1. Excelente esta reportagem de Armando Lopes Rafael. Muito oportuna as reedições de livros de nossa história.
    Só um pequeno reparao: J. de Figueiredo filho saiu de Crato para uma cidadezinha da Paraíba, e lá montou uma pequena farmácia. Dizia que o Crato não tinha como lhe haver na profissão que escolhera e lutara sempre. A cidadezinha não me lembro agora, mas, está lá no seu delicioso livro " Meu mundo é uma Farmárcia"

    ResponderExcluir
  2. E o Velho Crato Heróico, como diz Nezim Patrício, perdeu pra Alagoinha naquele tempo ? rs rs rs

    Vôte!

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  3. Ok, querida Magali. Boa lembrança. Abraços no amigo Carlos.

    ResponderExcluir
  4. Amigo Dihelson, quase perdia. Mas ele voltou, e voltou com tudo. Aqui remontou sua farmácia, foi ser professor nas escolas e depois criou a cadeira de História do Cariri, na antiga Faculdade de Filosofia de Crato. Curioso: ele enfeixou em sete livretos os apontamentos de suas aulas. E aqui foi o locus de suas mais brilhantes palestras, conferências e produção intelectual em livros, parcerias e uma luta sem tréguas em favor de seu Crato. Era por demais sincero, não tinha lado político, tinha posição e princípios éticos corajosos e altamente positivos.

    Dedico esta lembrança a sua sobrinha neta (?) Magali Figueiredo Esmeraldo.

    ResponderExcluir
  5. Zé Nilton,

    Agradeço a dedicatória, mas só uma correção, eu sou sobrinha em primeiro grau de J.Figueiredo Filho. Ele era irmão de meu pai, que era o caçula.

    Abraços

    Magali

    ResponderExcluir
  6. em relação ainda há curtas, outro dia podia se ler assim no twitter do prefeito juazeirense:

    "Reunião com D. Fernando Panico, bispo diocesano e com o deputado federal José Guimarães. Pauta: Faculdade católica e museu da religião"

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.