03 março 2011

Coluna Armando Rafael



Saiu pela culatra
Acostumado a criticar de forma estabanada qualquer autoridade, o site Juanorte – leia-se “Jota” Alcides – um blog, feito a partir de Brasília, trata de forma desrespeitosa até as autoridades constituídas. O governador Cid Gomes, por exemplo, só é chamado de “governador neofascista”. Alienígena, “Jota” (que vive fora do Cariri há mais de quarenta anos) foi mais longe na sua insanidade de tentar ressuscitar um bairrismo superado. Ele debocha até de leis aprovadas na Assembleia Legislativa. A Região Metropolitana do Cariri só é chamada, no seu blog, de “Região Metropolitana de Juazeiro, ou “Metrojuá(sic). O tradicional nome da conurbação Crajubar só é grafado de “Juábc(sic). E por aí vai... Julgando-se o Rei da Cocada Preta, Jota Alcides fez graves e inverídicas acusações ao bispo de Crato, dom Fernando Panico. E deu com os burros n’água. Figura estimadíssima em todo o Cariri, dom Fernando vem recebendo dezenas de manifestações de solidariedade. Grande parte exatamente de Juazeiro do Norte. Foi o que se viu, se ouviu e se leu no decorrer desta semana, através das emissoras de televisão, rádio, jornais e blogs caririenses. Sem falar na visita de apoio que o bispo de Crato recebeu do Regional Nordeste 2 da CNBB. Será que desta vez "Jota" vai se dar conta da sua insignificância?

Vale tudo
A informação foi publicada na coluna de Inês Aparecida, no jornal O Povo: “O prefeito de Juazeiro do Norte, Manuel Santana, quer criar a TV Municipal”. Se o projeto virar realidade, “Dr.” Santana teria a chance de divulgar – na mídia televisiva – o seu Governo da Revolução Democrática (sic). E, de quebra, sonhar com sua candidatura a um segundo mandato no próximo ano...


Chove Chuva...
Nos últimos trinta anos a média de precipitação pluviométrica anual em Crato foi de 1.090 mm. No ano em que as chuvas atingem esse nível o inverno é considerado ótimo. Pois bem, somente nesta quadra invernosa já choveu exatos 926,08 mm em Crato. E ainda existe previsão de chuvas para os meses de março, abril e maio.

Conhecendo o Cariri
Na foto abaixo, a capela Recanto da Divina Misericórdia, construída em Missão Velha. Ela fica situada no final da Rua Padre Cícero, em frente a tradicional Indústria Linard. E por falar em Missão Velha, a Prefeitura daquele município fez parceria com a Secretaria das Cidades do Ceará para concluir o seu Plano Municipal de Saneamento Básico–PMSB. A partir de 2014, somente os municípios que possuírem PMSB terão acesso aos recursos do Governo Federal.


Breve reflexão
Dentre as ações planejadas para as comemorações do centenário de Juazeiro do Norte, uma delas – o do Projeto Cultural – atingirá seus objetivos. Graças ao esforço de Renato Casimiro, (foto ao lado) o dínamo que articulou com determinação e competência este projeto. Foi aprovada a edição de vinte livros sobre Juazeiro do Norte, num convênio entre o Banco do Nordeste e o Memorial Padre Cícero, gestado à época que Renato dirigiu aquela fundação. Tem mais: noutro convênio com a UFC foi garantida a publicação de um livro sobre Mestre Noza e a reedição da obra O Patriarca de Juazeiro, do Padre Azarias Sobreira. Com apoio da Fecomércio, Renato Casimiro coordenou a publicação do primeiro volume de Factos de Juazeiro, que trata da chamada Questão Religiosa, um trabalho baseado nos arquivos da Diocese de Crato. Agora a melhor notícia: Renato Casimiro viajou esta semana para São Paulo, a fim de entregar ao escritório Scarlazzari & Ass. o projeto de outro livro, este sobre a família Bezerra de Menezes, que será editado com patrocínio do BicBanco. Esta obra será entregue quando da fundação do Memorial da Família Bezerra de Menezes, prevista para o próximo dia 22 de julho, data do centenário de Juazeiro do Norte.


Longa Reflexão
As freiras Ana Teresa Guimarães e Annette Dumoulin (foto ao lado) se fixaram há mais de trinta anos em Juazeiro do Norte. Elas são hoje as maiores conhecedoras do fenômeno das Romarias do Padre Cícero. Em amplo e substancioso trabalho, destinado a subsidiar o 13º Encontro Nacional Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base-CEBS (que será realizado no Cariri em 2014), as irmãs finalizam o texto com uma profunda reflexão sobre o futuro das romarias. A conferir:
“Enquanto foi perseguida, a Romaria em Juazeiro foi uma das expressões mais ricas e singelas da cultura popular Nordestina. Fomos atraídas pelas suas expressões genuínas, pois o romeiro era o principal protagonista de suas expressões de Fé e de sua identidade. Hoje, a situação está mudando e vislumbramos uma encruzilhada, a nosso ver, delicada: A posição da Igreja Oficial mudou substancialmente em favor da Romaria e do Padre Cícero; os Governos projetam transformar o Cariri Novo numa atração turística; Juazeiro, que, até pouco tempo, era constituída de 80% de famílias romeiras atraídas pela Mãe das Dores e o Padre Cícero” acolhe agora pessoas motivadas por outras razões e sonhos “a-religiosos”: Faculdades, comércio, indústrias... Evolução “normal” e “favorável” para um Juazeiro que chega aos seus cem anos de independência e é a maior Cidade do interior do Ceará! Mas o desafio é grande: Como crescer de maneira sustentável sem invadir as “espacialidades místicas” dos romeiros, tão originais e preciosas? Como não manipular o tesouro cultural dessa “nação” em favor de um certo progresso que marginaliza os romeiros, ou que reduz a Romaria a uma atração turística? Como a Igreja vai “assumir” a Romaria, a devoção ao Padre Cícero, sem reduzir a riqueza do protagonismo do romeiro?”


Lorota republicana
Diz a sabedoria popular que nada melhor do que um dia atrás do outro e uma noite no meio. Verdade! O conhecido sociólogo Jessé Souza, acaba de lançar seu último livro, "Os Batalhadores Brasileiros". Neste, ele desmente a massiva propaganda divulgada no governo Lula, de que teria ocorrido a ascensão social de 30 milhões de brasileiros ao estágio de uma "nova classe média". Jessé Souza é claro: “A classe média é, na prática, uma das classes dominantes nas sociedades modernas (incluindo a brasileira) porque é constituída pelo acesso privilegiado a um recurso escasso de extrema importância: o capital cultural nas suas mais diversas formas. O que ocorreu no Brasil, segundo ele, foi simples ascensão social de 30 milhões de pessoas, chamadas provocativamente de "batalhadores". Infelizmente essas pessoas melhoraram a renda, mas não ascenderam ao capital cultural, nas suas mais diversas formas. Ou seja, no contingente desses “batalhadores” não existem advogados, engenheiros, médicos, administradores, economistas etc., o chamado capital cultural que caracteriza, em todo o mundo, a autêntica classe média...


Barbalha de Santo Antônio
Por decisão de dom Fernando Panico os alunos do Seminário Diocesano São José de Crato foram divididos em dois locais. Os quinze seminaristas do ano Propedêutico (início da preparação religiosa) estudam na cidade de Barbalha. Eles moram na casa paroquial, onde foram instaladas sala de estudos, biblioteca, capela e centro de computação ligado à Internet. No período da tarde assistem às aulas no Colégio Nossa Senhora de Fátima. E em meio a momentos de oração, sob a orientação do vigário paroquial, padre Aldizio Nunes, os seminaristas recebem a formação adequada com vistas ao sacerdócio.

Perguntar não ofende
Foi noticiado que Juazeiro do Norte poderá sediar um dos oito polos industriais da Zona Franca do semiárido, previstos para o Nordeste. O projeto já estaria na pauta no Congresso Nacional. Que mal pergunte: não seria mais produtivo constar a sede da Zona Franca como Região Metropolitana do Cariri? Sabe-se que para implantar uma Zona Franca exige-se a existência de linha férrea e esta fica em Missão Velha, que é a base da Ferrovia Transnordestina. Depois já existe nos limites dos municípios do Crajubar um distrito industrial, dispondo de amplos terrenos para novas fábricas, localizados em área privilegiada e dotados toda a infraestrutura. Não é hora de se colocar em prática a filosofia da Região Metropolitana do Cariri? Com a palavra o governo Cid Gomes.


Curtas
1 – Pense numa obra sem fim e que, a cada dia, consome mais verbas. O governador Cid Gomes anunciou que vai aplicar – nos próximos meses – R$ 9,1 milhões no Centro de Apoio aos Romeiros, iniciado no século passado em Juazeiro do Norte.

2 – Dom Fernando Panico estará na cidade de Francisco Beltrão, no Paraná, no próximo dia 25 de março onde atuará na sagração episcopal do novo bispo-auxiliar de Porto Alegre, dom Agenor Girardi. Este pertence à Congregação dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus, sendo o terceiro bispo desta congregação no Brasil. O primeiro foi dom Ricardo Paglia, bispo de Pinheiro, Maranhão. O bispo de Crato foi o segundo.
3 – Já está funcionando o primeiro curso de mestrado do Campus Cariri da Universidade Federal do Ceará, localizado em Juazeiro do Norte. Trata-se do mestrado em Desenvolvimento Sustentável.
4 – Chegaram ao fim os trabalhos de restauração – feitos durante um ano – na Casa Mãe da Congregação das Filhas de Santa Teresa de Jesus, em Crato. Nota 10 ao projeto de restauro assinado pelo arquiteto Waldemar Arraes de Farias. Tudo feito com fidelidade arquitetônica. Destaque para o bom gosto na escolha das cores da fachada e do projeto paisagístico dos jardins, o interno e o externo.

8 comentários:

  1. Em um aspecto o “Jota” Alcides está coberto de razão, embora não concorde com sua maneira pejorativa de abordar certas notícias, não é segredo que o Crato vive sombras do desenvolvimento de Juazeiro do Norte. E acho até que esse tal “bairrismo” (leia-se o desenvolvimento do Juazeiro) de fato parece incomodar muitos cratenses! Não é a toa que das dez noticias veiculadas nessa coluna, mais da metade (6 noticias) está ligada a cidade do Juazeiro do Norte. Falar nisso...o Hospital Regional será inaugurado agora em abril. Alguém sabe informar como andam as obras do Centro de convenções?

    ResponderExcluir
  2. João Paulo Fernandes:

    1 - É um direito seu pensar como o "Jota". Respeitamos sua opção;

    2 - O simples fato de noticiarmos eventos de Juazeiro do Norte já prova que este Blog não alimenta o bairrismo troglodita que alguns tentam (inutilmente) ressuscitar;

    3 - Quanto ao andamento das obras do Centro de Convenções do Cariri cabe ao Governo Estadual prestar as informações por você solicitadas.

    Cordialmente,
    Armando

    ResponderExcluir
  3. Prezado Armando,
    Parabéns pela coluna. Gostaria de saber como anda o projeot de criação do shopping popular no Crato. Fazendo uma anlogia entre Crato e Juazeiro X Ceará e Pernambuco. No Juazeiro as obras saem do papel igualmente em Pernambuco. No Crato e no Ceará parecem virtuais. Só promessas. Enquanto o Estaleiro PROMAR esperou meses para saber se podia ou não ser instalado no Ceará mesmo após ter sido incentivado para vir,recebeu a notícia que não poderia se instalar aqui. Em menos de dois dias o Governador de Pernambuco resolveu todas as pendências e ele já está instalado e vai construir os primeiros navios (este e só um exemplo. No caso do Crato a obra do Banco mundial para resolver o problema do seminário não sai do papel apesar de ter tido anunciado a anos, o mesmo para o Centro de Convenções, Shopping popular, reformas das praças,Os cursos das ciências agrárias da UFC, etc...

    ResponderExcluir
  4. Prezado Armando,
    Parabéns pela coluna. Gostaria de saber como anda o projeo de construção do shoping popular no Crato. Fazendo uma analogia entre Crato e Juazeiro X Ceará e Pernambuco, o Crato age como o Ceará, ou seja, as obras não saem do papel. O estaleiro Promar ficou meses esperando uma decisão para saber se podia ou não se instalar no Ceará apesar de ser estimulado a vir. Depois foi informado que não poderia se instalar. O governador de Pernambuco em menos de dois dias reaolveu tudo e ele se isntalou em SUAPE.
    No caso do Crato, as obras do seminário, shopping popular, reformas das praças, instalação dos cursos de ciências agrárias da UFC não saem do papel. Até mesmo o Centro de Convenções.
    Em relação a matéria da Zona Franca do Cariri devemos ter o cuidado para apenas o Juazeiro se beneficie. Agora que " somos " região metropolitana quaisquer investimentos públicos devem ser analisados do ponto de vista da região e não mais de um ou outro município. O caso do fechamento do SESI, não poderia simplesmente fechar o do Crato ao invés de analisar a possibilidade de ficar o daqui e fechar o de lá. Na região metropolitana do Recife, vários órgãos fica fora do Recife (Terminal rodoviário, Centro de Convenções,Aterro sanitário, etc)

    ResponderExcluir
  5. Armando,

    O carnaval do Crato, isto é, a progrmação "oficial" carnavalêsca do Crato foi suspensa por conta do "sinistro" recente.

    Mas, nada foi feito, de concreto, até agora para remediar os estragos.

    Não teria sido melhor manter o apoio da prefeitura ao carnaval popular para minorar o efeito da tragédia?

    ResponderExcluir
  6. Alerta laranja, Dihelson!

    E por falar em bairrismo, o responsável pelo Juanorte está se utilizando de uns escritos de Dihelson Mendonça. Trata-se de um artigo publicado anteriormente por Dihelson e que agora está sendo usado de forma deturpada pelo site Juanorte- pois o autor se apropriou de forma conveniente em seu favor. Sugiro a Dihelson ler com calma o que o "Jota" andou aprontando dessa vez. É no item "TRIBUNA". Não se deixem levar pelos elogios da serpente!

    Acho que merece uma resposta a altura.

    ResponderExcluir
  7. Carlos:
    De concreto, a população tem ciência de que Crato vivem um dos momentos mais dificeis da sua existência. A temporada de chuva não destruiu apenas o canal do rio Granjeiro e não se resumiu à invasão das águas nas ruas centrais da cidade trazendo destruição e sofrimento...
    A buraqueira tomou conta das ruas do centro e dos bairros de Crato. Veja a situação da Rua Tristão Gonçalves uma das mais movimentadas da área citadina. É de fazer dó os buracos ali existentes. Há mais de um mês a Avenida Maildes de Siqueira – que dá acesso a Juazeiro do Norte – está interrompida à altura do Parque de Exposição do Crato na “Operação Tapa Buraco”. E os buracos ainda estão lá... Poderiamos citar outras dezenas de ruas, com registro de pedestres que quebraram pernas; veículos que tiveram pneus avariados... e por aí vai .
    E os 4 milhões de reais que o Governo Federal mandou para o Governo do Estado? Quando começarão as obras emergenciais que eram para ser feitas desde 28 de janeiro? A população desanimada acha que a recuperação de Crato vai demorar cerca de 3 anos... O povo tem razão!

    ResponderExcluir
  8. DETALHE...

    Os buracos na Avenida Maildes de Siqueira já estavam lá antes mesmo da "tragédia da chuva". Essa chuva ainda vai servir de desculpa para muitos outros problemas que assolam o velho cratinho de açucar!

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.