12 janeiro 2011

Você no olho do furacão. Por: Antonio Sávio


A
pós minha última postagem aqui no blog encontro um amigo de infância numa agência de bancos, naquela natural efusão momentânea de um reencontro. Ele sem meias palavras e falando como se fosse o último dia de vida, protestou contra o que escrevi com a decepção: - Nunca pensei que você fosse escrever essas coisas. Cara pensei que você fosse uma pessoa de mente aberta, ligado às artes etc.
Acho engraçado como a ideia de se ligar a alguma arte naturalmente lhe coloque num pedestal de porta-voz da humanidade, sabedor do destino dos outros (mesmo que você mesmo viva à deriva), imbuído do direito... Direito não! Dever! De passar pito nos outros pobres “alienados” vitimados pelo “rolo compressor do capitalismo”, flagelados do “capital” (“o capital” é o que gosto mais), até que, para nossa sorte temos essa massa de profetas filhos do Deus Karl Marx, que mandou a terra seus filhos Lênin, Fidel Castro, Pol Pot e tutti quanti canalhas de maior ou menor ação política, mas que, de algum modo exerce alguma influência em nossa sociedade.
Algum leitor pode vir a concordar com o questionamento do “meu caro amigo”, mas o número de fatos que pululam e passam despercebidos – não por falta de visão de algum articulista, mas por ele concordar com o silêncio, que, por sinal, lhe é um direito, afinal, para com os pegos em flagrante se diz: - Você tem o direito de ficar calado... Bla bla bla. Daí o sujeito se cala mesmo e sai ganhando – não podem passar assim por todos. Para não dizer que não falei das flores, observemos alguns fatos que no breve espaço que comecei a escrever este texto consegui coletar em alguns arquivos que venho catalogando alguns crimes que nossa imprensa quando não insiste em torcer o nariz, não raro, é participante do mesmo. Observe um livrinho que o nosso MEC, sob a responsabilidade do ilustríssimo senhor Fernando Haddad, adotou como livro paradidático ano passado se não me engano. Clique na imagem para ampliar e esbugalhe os olhos com o texto que seu filhote, aos cuidados de uma escola pública, pode vir a ler.

Que na literatura mundial haja textos assim não é de se espantar em nada, mas propor a leitura de tais textos a crianças sobre o pretexto de Alta Cultura, de exemplo de boa leitura, ou de estar possibilitando com isso alguma forma de crescimento é, no mínimo, tripudiar da dignidade do povo, pois, tripudiar da inteligência já não é mais espanto e passou a ser regra com severas punições a quem não o faça. A revolução em marcha chamada revolução gramsciana (ou revolução caladinha, na cocó, como diria um amigo meu) vem plantando elementos desta natureza em todos os lugares a décadas, mesmo antes do PT assumir seu poder. O processo se dá em toda a América com uma diferente marcha em cada lugar. Os locais que tem uma cultura mais sedimentada percebe e resiste ao fenômeno, seja no âmbito econômico, seja na revolução cultural. Muita gente que engrossa nessa frente muitas vezes nem se dá conta do que está fazendo, seja pela alienação comum aos seus participantes amantada pela falta de cultura, seja pela livre (in) consciência de achar que assim é o modo de mudar o mundo. Ao falar assim, o leitor naturalmente pode inquirir: – Então se não são eles quem o sabem, naturalmente o senhor deve sabê-lo. A questão é que não o sei e nem o quero mudar, bastando-me a preocupação em saber que mudar a mim mesmo já me é algo bastante penoso, e se vos escrevo agora, é por prazer, mas não por ambição de mudar a opinião de quem quer que seja.
Recentemente a celebradíssima economista Maria da Conceição Tavares, em uma entrevista a TV Senado cospe sem medo: - A Europa está muito conservadora! Aqui na América Latina e um pouco menos nos EUA não temos mais essa doença!


A doença em questão é a mudança de partidos ocupando a presidência dos países Europeus que permutam entre socialistas e conservadores, que, para ela que grita horrores contra a ditadura brasileira, é inviável que esse processo democrático aconteça aos pobres coitados Europeus. Tais afirmações que a princípio são meras divergências de opiniões vão engrossando em quantidade e no teor agressivo, que, sem protestos de ninguém, passam do absurdo ao risível, do risível ao natural, e do natural a regra, onde quem o faça de modo diferente, como já disse anteriormente, será repreendido. Observado por este prisma não há como não ver o desfecho trágico para onde caminhamos, onde a cultura financiada pelo governo prospera em verbas e em um veneno de alcance e teor nunca visto antes. Nossa perversão moral e falta de sentido histórico e cultural nos faz trocar um Goethe por um Augusto Cury, um Vila Lobos por uma Maria Gadú (shimbalaiê!!!), um Von Mises, por uma Maria da Conceição, um Chesterton a um Frei Beto, um Mário Ferreira dos Santos a uma Marilena Chauí entre tantos outros. S

e a troca de valores aqui mencionada, guiadas pela pompa acadêmica e o elogio inconsciente movido pelo mais perverso falso testemunho, não marcaram profundamente nossa cultura, nada mais marcará. Querer pluralidade cultural em tais condições me faz lembrar o recente caso da auxiliar de enfermagem que por engano injetou vaselina no lugar de soro em uma menina de doze anos. Talvez ela quisesse de alguma forma “pluralidade na veia”.

2 comentários:

  1. Sávio, PARABÉNS !

    E já lhe digo o porquê. Somente as larvas, aqueles que não são nem fazem absolutamente nada é que nunca serão contestados. Uma pessoa precisa ser um NINGUÉM para não ser contestado.

    Poruqe qualquer idéia é um movimento, não existe essa coisa de idéias em movimento, porque a idéia já é a saída do estado estático para uma mudança a nível de pensamento. E isso poderá mover o mundo e as pessoas.

    Toda idéia encontrará simpatizantes e resistência. Quem de nós ainda não foi contestado, e alguns massacrados por defender verdades ?

    Bem vindo ao clube de Galileu Galilei, Giordano Bruno, e mesmo a nível deste simples Blog, a MIM, ao Armando Rafael, e a todos que escrevem.

    Diante disso tudo, depois de ser atacado por muita gente, eu criei uma norma de vida:

    "Só dê ouvidos a quem REALMENTE gosta de você. Nunca dê ouvidos a inimigos, invejosos, mesquinhos, que torcem para seu fracasso."

    Cabe a cada um avaliarquem são as pessoas que estão verdadeiramente conosco e principalmente, a favor da Verdade.

    A Verdade não é para todo mundo! Porque a maioria da humanidade prefere viver soterrada na Mentira ? porque o Diabo é o chefe deste mundo e pai da mentira ? A humanidade é composta de animaizinhos que ainda não aprenderam sequer a consciência da magnitude cósmica, vivendo uma fagulha de um milionésimo de segundo no tempo universal, num minúsculo braço de uma entre as 100 bilhões de galáxias, e ainda se acha grande coisa...

    Eu não dou ouvidos a certas coisas. Principalmente quando temos provas, estudos, raciocínios.

    Bem-Vindo ao Clube. Está BATIZADO agora. rs rs. Aqui não tem Beatos! Temos Guerreiros.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Sávio, só há um problema nesse seu artigo: As imagens são pequenas demais para se conseguir ler. Quando a gente clica em qualquer delas, não vê maior.

    Eu sugiro que você poste as fotos em alta resolução, pelo menos em 800 por alguma coisa. Se tiver alguma dificuldade, envie para meu e-mail

    blogdocrato@hotmail.com

    Que eu refaço o artigo para você. Estou louco para ler na sua completude. Tentei catar daqui as partes faltantes e preciso ver o conteúdo das imagens.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.