13 janeiro 2011

Versos inéditos de Patativa do Assaré - MEDO DA MORTE- Por: Antonio Morais


Dedicado ao poeta Claudio Sousa.

Certa vez, já com 91 anos de idade, Patativa foi perguntado se sentia medo da morte?

Ele respondeu galantemente com um verso novo, recém criado, demonstrando ser ainda um ótimo improvisador:

“Cachingando, cego e surdo

Sem ver e sem está ouvindo

Pra mim não é absurdo.

Vou meu caminho seguindo.

Nunca pensei em morrer

Quem morre cumpre um dever.

Quando chegar o meu fim

Eu sei que a terra me come,

Mas fica vivo o meu nome

Para os que gostam de mim”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.