xmlns:fb="http://www.facebook.com/2008/fbml" xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> A fúria da Natureza - Por: Ed Alencar | Blog do Crato - O Crato na Internet
.

VÍDEO - Em breve, novos programas da TV Chapada do Araripe. Para ver edições anteriores, acesse o link: www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense - Clique em Curtir e Adicione a sua Foto !

01 fevereiro 2011

A fúria da Natureza - Por: Ed Alencar


NE - O Homem agride a natureza e ela revida...



O que vejo!!

Vejo o homem em desarmonia com a natureza. Vejo a população mundial atingir, mas de 7 bilhões de habitantes. Então, tem muita gente destruindo alguma coisa nesse planeta e o planeta há muito tempo vem dando sinais de alerta; há muito tempo vem pedindo socorro. Mas o homem, os poderosos de cada nação que discutem o aquecimento global, continua em salas fechadas e climatizadas, sentados em poltronas giratórias enquanto o mundo lá fora, gira em torno das catástrofes ambientais e nada fazem.

A natureza é livre para exercer seus poderes e neste conflito com o homem, ela mostra sua fúria doa a quem doer. A natureza ferida vivi hoje, seus contra tempos. Cidades da Alemanha Estados Unidos e outras vêm sofrendo com as nevascas onde o frio mata e paralisa Metrópoles. Em outros países o fogo a seca que destrói cidades, não é diferente no Brasil, as chuvas as enchentes as queimadas aqui destrói também. O cratense que assiste as catástrofes mundo a fora pela TV, acompanha também no nosso país os recentes acontecimentos no Rio de Janeiro e em outros estados. Então, assustou-se nesta manhã de sexta-fera com os estragos e prejuízos causados pelo temporal que caiu na nossa cidade.

É o homem destruindo a natureza e a natureza destruindo o homem

A soma de muitos fatores, a omissão dos poderes na falta da aplicação das políticas públicas habitacionais, deixam os cidadãos pobres, sonharem com suas casas próprias constituíram famílias e seguido por outros mais, se aventuram na construção de barracos pelos morros deste Brasil a fora. A tragédia do Rio de Janeiro foi uma reprise de 1967, quando soterrou e matou, mas de 1.500 pessoas por ocupação de morros entre Rio e São Paulo. Vejo pela a televisão pessoas simples como voluntários, socorrendo e doando alimentos, roupas remédios para as vitimas não só do Rio de Janeiro, como outros estados, arrasados também pela as águas.

O que não vejo na TV

Artistas famosos sem campanha pelos os desabrigados, cantores que não fazem shows beneficentes, instituições financeiras como bancos que ganharam de tantas vitimas como clientes, e nada doaram. Não vejo também, políticos que por lá estiveram pedindo votos na ultima eleição e lá não voltaram nem por solidariedade, mas a estes infelizes Brasileiros vitimas da tragédia receberam também extensivamente 23% de aumento nos salários para classe política, o resto, foi só lamento. Mas, a vida continua e entre a dor e a tristeza, o Rio de Janeiro se prepara para mais um carnaval com muita lama no pé, ou melhor... Com muito samba no pé.
Ô........ Mundo cruel!! Lamente se puder.



Ed. Alencar - Ambientalista

4 comentários:

Rosemary Borges Xavier disse...

Ed Alencar,

Desde que os invasores portugueses aqui chegaram que a desgraça se fez no nosso país, começaram a substituir nossa exuberante Mata Atlântica pela praga da cana de açúcar, tipo de cultura que mais degrada o assoalho vegetal, pois sabemos; para se fazer a colheita ateia-se fogo no canavial, isto empobrece significativamente o solo, pois há uma perda dos nutrientes. Há alguns estados do Brasil, onde já se proíbe esta prática, mas são os do Sul e Sudeste. No Nordeste meu caro, tudo é mais difícil.
Quanto a falta de solídariedade que você coloca no seu último parágrafo, concordo em parte, pois ano passado quando aqui no meu estado (PE)ocorreu uma cheia justamente na Zona da Mata canavieira no mês de junho,penso que você tem este conhecimento.O cantor Alceu Valença, teve a iniciativa de convidar Geraldo Azevedo e Elba Ramalho há promoverem um show beneficente para as vítimas desta enchente. Depois outros artistas locais também tiveram a mesma intenção.
Só cabe alguém tomar o primeiro passo, pois somos um país de tantos artistas, mesmo não consagrados pela mídia.

Parabéns pelo teu texto.

Rosemary Borges Xavier

Rafa disse...

Texto mal escrito, mal pontuado e sem nenhum tipo de informação prática. Parabens pelo seu texto.

Arcoiris No Horizonte disse...

Somos filhos ingratos por isto apanhamos.
Já vi muitas imagens iguais a estas, eu que moro aqui em Ribeirão Preto e que basta o céu ficar escuro todos ficam aflitos. Nossa cidade tem o mesmo canal que atravessa a cidade e o centro é exatamente baixo também, então já fui presenciar muitas enchentes com vitimas e com perdas materiais. No mandato passado o prefeito iniciou finalmente uma grande obra para resolver parcialmente este problema, pois é de grande proporção, não se resolve assim só em um mandato. Felizmente a nossa prefeita está dando continuidade aos trabalhos, mas infelizmente ainda está ocorrendo desgraças com as chuvas de grande quantidade
Mesmo já estando acostumada e também tendo presenciado muitas vezes estas enchentes no Crato, pois morei a metade de minha vida lá, quando morava na rua dos cariris cheguei a tremer de medo vendo a água subir e nada podíamos fazer. Quando ainda era menina e estudava no grupo Francisco José de Brito, teve uma enchente desta e nós ficamos com D. Milca Noõess até de madrugada sem podermos sair porque a ponte estava coberta por água e só fomos levados para casa quando a água baixou, isto quem estudou lá nos anos 60 vai lembrar.

Neste dia, no outro canal que tem em uma rua bem no centro, não lembro o nome morreu uma jovem que era bem conhecida, ela saiu do carro e caiu no canal.

Quem lembrar deste fato, por favor passe para mim, assim meu texto dará mais veracidade aos fatos.

Em Petrolina -Pe em 1983, também fui vitima de enchentes, desta vez eu morava na rua Barão do Amazonas e foi coisa terrível, tivemos apenas tempo de levarmos as crianças para um sobrado vizinho e a enchente levou todos móveis da casa, derrubando porta com parede e tudo, foi quando resolvemos mudar para Ribeirão Preto, escolhendo um lugar alto para construirmos nossa casa, mesmo assim quando vem chuvas com vendaval ele passa derrubando árvores, telhados e o que tem pela frente.

É amigos isto já estava sendo avisado há tempos, mas nós nos descuidamos, demos de ombros e pensamos : Que nada a terra é rica e farta e Deus é bom. É verdade, mas todo presente que ganhamos temos que cuidar muito bem e pelo visto não fizemos isto.

Em alguns casos pelo menos resta a esperança que o governo seja responsável e tome conta da sua parte, para evitar tantas desgraças. E é isto que devemos cobrar de quem votamos entregando nossa cidade e nossas vidas.

Um drama ainda se vive: Pedimos chuvas para fertilizar a terra e ajudar o camponês , mas tememos da maneira que ela desaba.

Que nós tenhamos mais consciência e cuidemos para deixarmos uma terra melhor para nossos herdeiros.


ìris Pereira

Arcoiris No Horizonte disse...

Rose você tem toda razão, nem tenho o que comentar.
Um forte abraço.
Íris Pereira

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 8 Anos, o Crato na Internet.


Edições Anteriores:

Julho ( 2014 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31