xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 18/07/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

18 julho 2010

Última Ceia 32 anos ( 1978 – 2010 ) - Por Luiz Domingos de Luna*


Qual não foi a dor do Padre Francisco França, quando no ano de 1978, notificou que havia uma grande fissura na torre Norte da Igreja Matriz de Aurora! Que a cada dia aumentava. Populares já contavam como certo o desmoronamento, pois os habitantes já não passavam por aquele espaço ameaçado. Na oportunidade, pude presenciar e acompanhar o sofrimento desse grande homem de fé que durante toda sua vida passava para a sociedade, à tenacidade, a luta, a garra, a determinação de permear para toda a unidade social, a civilidade, a religiosidade e a fé. Sempre com o pensamento iluminista, ante uma visão de futuro que envaidece a todos nós até hoje. Pois, já naquela época, pensava em construir a Concha Acústica de Aurora como um ponto iniciativo para o desenvolvimento da música, da cultura, das artes cênicas, da literatura.

Era realmente um grande paradoxo! O homem que idealizou a Concha Acústica de Aurora, ver o seu templo religioso periclitante, pois, lenta e constante, a fenda teimava em desafiar o otimismo daquele sonhador, numa verdadeira provação de fé. Como discípulo, fiz questão de acompanhar os passos do mestre e verificar as suas ações, diante dessa situação vexatória. Foi quando, numa bela noite, fui convidado para, junto com o venerável mestre Padre Francisco França, fazer uma visita ao casal Sebastião Alves Pereira Filho - Dr. Bastim - e a sua esposa, Terezinha Alves Pinto - D. Terezinha. Confesso que fiquei muito surpreso com a naturalidade da conversa, tudo de forma espontânea, de uma racionalidade brilhante; ouvia, atentamente, os dois mestres conversando. Foi quando o padre convidou o casal para solucionar o problema da fissura da torre. Fiquei admirado quando prometeu fazer uma reforma completa na igreja, inclusive mudar o teto que já se encontrava bastante estragado, colocar colunas internas para diminuir a força nas torres e construir um belo altar-mor.

Por fim, fazer uma reforma completa. Ora, para mim o conserto da torre já era o bastante, mas fazer uma reforma completa, aí já era demais. Assim, o casal mobilizara seus familiares realizando o sonho que naquele momento parecia ser o sonho de todos os aurorenses - a construção da maior obra artística de Aurora; A Última Ceia no altar-mor da igreja matriz do Menino Deus, que logo em seguida, foi devidamente esculpida pelo escultor aurorense Francisco José de Oliveira, (Franzé de Aurora). Passei, a partir daquele momento, a freqüentar o trabalho todas as noites, contemplando a mudança daquela argamassa disforme em futuras representações de Apóstolos, Jesus Cristo, mesa, adornos; todos os detalhes foram minuciosamente pensados, analisados e polidos.

Não tinha pressa! Fora tudo majestosamente feito no silêncio da noite e das madrugadas; eu ficava pensando: como pode tanto zelo! Tanta dedicação! Nenhum fiscal, nenhuma cobrança? Até parece que a obra não tinha prazo para ser entregue. O escultor esculpia de forma serena, lenta, gradual, observava todos os detalhes. Era como se fosse uma missão, tudo numa tranqüilidade plena. Assim, a obra ficou pronta, linda inclusive! Mas Dr. Bastim queria um altar em mármore. Mármore puro. Era como se já tivesse projetado na mente aquela última Ceia, ainda nos seus verdes anos; assim, tudo foi feito da forma mais natural possível. Dr. Bastim queria mais, pois para ele a obra não estava acabada, faltava o órgão. A igreja foi fechada e numa bela manhã o padre pediu para que às nove horas em ponto eu estivesse presente na casa Paroquial, quando, às 9h30min dois carros pararam em frente à casa paroquial. E o padre me apresentou os benfeitores daquela comissão formada por Dr. Bastim, sua esposa, D. Terezinha Alves Pinto, Dr. Wilames, Dr. Danúbio, bem como os jornalistas Edilmar Norões, João Inácio Júnior, Neno Cavalcanti e Lúcio Brasileiro.

Em seguida entramos na Igreja Matriz. O padre descobriu a obra como quem anunciava um sacramento. Estava, enfim, realizado o sonho de Dr. Bastim - A Última Ceia, linda! Envernizada, as colunas bem acabadas, o teto novo, o piso da escadaria do altar, tudo de mármore. Aí eu vi um pano vermelho que cobria algo e, numa emoção exagerada, descobri: era um órgão, novinho em folha. Não me contive diante daquele instrumento fadado à história. Pressionei algumas teclas e o som fluentemente saíra. Confesso que nunca havia visto nada igual: Um órgão! Perdi a noção do tempo e do espaço diante das minhas próprias abstrações eclesiásticas. Quando cuidei de mim, estava sozinho na igreja, naquele templo sagrado de Deus, onde, a partir de então, a música seria muito mais que uma ponte a nos transportar à seara celestial.

Este dia me marcou para sempre, pois tudo era um sonho. Não somente o sonho de Dr. Bastim. Não somente o sonho de Padre França. Não somente o meu sonho, mas o sonho de todo povo de Aurora, materializado a partir daquele instante eterno.

(*) Professor-Aurora – Ceará
FotoMenor: Pároco de Aurora – Padre Josias
Professor Luiz Domingos de Luna
Escultor Francisco José de Oliveira – Franzé de Aurora

Missa de Sétimo Dia de Dr. Tarciso Pinheiro


C
om informações fornecidas pelo Vice-Prefeito Raimundo Bezerra Filho, aconteceu ontem dia 17 de Julho, às 09:00 da manhã na Sé Catedral, a missa de Sétimo Dia do Dr. Tarciso Pinheiro, um renomado médico cratense, falecido na semana passada em sua residência, na nossa cidade. O Blog do Crato reune-se ao coro de amigos e parentes que ainda lamenta profundamente a perda deste ente tão querido na sociedade, por seus inúmeros méritos. Trazemos aqui, duas homenagens publicadas na data do ocorrido, aqui no Blog do Crato:

Nosso Amigo Dr. Tarciso Pinheiro por Joao Marni


Agradeço a Deus por todos os dias da minha vida, principalmente pelos mais difíceis. É minha a vida. Ele deu-ma.São uma benção os sentidos. O mínimo que devemos fazer é dar sentido também ao coração, maestro da alma, e bater no peito, dizer que esta bomba de sangue sempre identificou você, Tarciso, como a um bom amigo, colega exemplar, esposo apaixonado e pai bondoso. Filho e irmão querido, homem reto, urbano, amigo disputado por todos. Somos gratos por você em nossas vidas tal e qual um sol, uma lua, as estações e as mais lindas canções já concebidas. Creia, meu caro, que Deus se ocupa agora somente de você. Afinal, é no sofrimento que atingimos a excelência e vencemos o medo. Obrigado. Vamos procurar um rio ainda sem nome e batizá-lo com o seu, e iremos identificar seus olhos nas estrelas.

Prefeito Samuel Araripe e Primeira Dama Mônica Araripe enviam mensagem de Solidariedade à família de Dr. Tarciso Pinheiro



O Prefeito do Crato, Samuel Vilar de Alencar Araripe, e a Primeira Dama Mônica Araripe, vêm de público externar toda a solidariedade à família do Doutor Tarciso Pinheiro Teles, falecido hoje, dia 10 de Julho na cidade do Crato. "A morte de um ente querido é sempre algo trágico, por mais esperado que ela se nos apresente, mas nós enquanto cristãos devotos, devemos repousar a nossa esperança nas palavras de Cristo, que assim como ressussitou dos mortos, também os que pereceram na esperança da promessa divina alcançarão a graça do reencontro no reino dos céus. É nisso que vivemos, na certeza de que embora nossos dias aqui na terra sejam breves, passageiros, possamos deixar um rastro de dignidade, de solidariedade e amor ao próximo. E temos a certeza que esse é sem dúvida alguma, o maior legado do Dr. Tarciso Pinheiro. Por suas mãos habilidosas, muitos Cratenses vieram ao mundo e hoje são o testemunho vivo de uma geração que trilha os sonhos dos nossos mais ilustres antepassados. Que o Dr. Tarciso Pinheiro possa agora repousar o sono dos justos, por seu grande merecimento, e o que nos resta, é a certeza de uma vida de plenitude e de amor que ele deixa para toda a sua posteridade."

Por: Samuel Vilar de Alencar Araripe
Por: Mônica Araripe

A Origem da Preguiça - Texto enviado por: Luis Gustavo Menezes

Seminário AIDS SUS Controle Social em Juazeiro do Norte


João Alves da Silva
Diretor Executivo

GALOSC- Grupo de Apoio a Livre Orientação Sexual do Cariri
CNPJ 07.854.682/0001-49 - Reconhecida de Utilidade Pública Municipal Lei nº 3552 de 28 de Setembro do ano de 2009. Sede Rua Leão XIII 1016 AP 202 2° Andar - Salesianos 63050-030- Juazeiro do Norte/CE Brasil - (88) 3571-1705 ou 88/ 8826-7896 e-mail: galosc@gmail.com

A cada ato um gozo ou outras controvérsias Por Alexandre Lucas


A teoria nos serve como guia para projeção dos nossos desejos, mas é na ação que materializamos o nosso prazer. Essa junção entre a idealização e o ato nos envolve de forma profunda, às vezes nem percebemos o quanto é deliciosa ( as vezes amarga) essa comunhão, mas necessária para o brilho e construção daquilo que chamamos de pessoas experientes ou no adágio popular “panela velha é que faz comida boa” e isso só pode ser conseqüência de muita idealização e muito ato. Às vezes projetamos a dança, a batida que mais parece um coração apaixonado, algo meio embriagante, a roupa que ginga e espalha cores. O sorriso que vem facilmente, como levitasse. Ah, e eu aqui escrevendo sobre o ato, como se eu pudesse tocá-lo novamente. Ah que desejo, que vontade de quero mais.

É, boas coisas a gente nunca quer esquecer e sempre quer mais, quer o ato, os finalmentes. Ora, todo ato é fruto de uma idealização e ai, só a idealização não basta, é preciso tocar, mexer, recriar, inventar, gritar. É preciso materializar mesmo. Dizem que só o amor não enche bucho, quando ele enche, não é só de amor, olha que teve abundantemente vai-e-vem nessa estrada escura, vez e outra bem clarinha. Sei que às vezes o vai-vem não compensa, já o sonho, antes dele, é envolvente, sedutor. Alimento para alma, mas o bucho só enche mesmo quando o vai-e-vem é pulsante com o sonho, ou vice-versa.

Creio que após cada ato, desses que vem como furacão, como um momento sublime de magia deve nascer uma poesia para registrar aquele instante, de pouca duração e preenchido por ser intenso. Aquele momento intimo, que nos faz voar e deixa as lagrimas sangrando de alegria. Poderia falar que foi como o primeiro encontro. Cheio de incertezas, tremelicas e ansiedades, mas depois do primeiro toque, é como se abrisse a porta e de porta aberta podemos entrar, tudo fica mais fácil. É, até parece um ato de amor desses de reviravoltas oculares que sempre lembramos assim “ah, como foi bom!”. Mas acredito que ali foi com esse ato de amor. Eram as camaradas, os camaradas materializando naquela noite (tão presente na minha lembrança) um desejo, um sonho coletivo.

Era a primeira, depois de muita idealização, molhadas de prazer, essas camaradas empulhavam alegria e cores, compartilhavam com os camaradas cada batida, cada toque e o sentimento de brasilidade. Era a primeiríssima vez do coletivo camaradas misturasse em cores, em batidas de tambores,em gingado descoordenado e ritmado, era maracatu, pra mim e pra tu...

*Coordenador do Coletivo Camaradas, pedagogo e artista/educador

Desatinos Residenciais - Por: Hildeberto AQUINO

DESATINOS PRESIDENCIAIS – Enquanto o megalomaníaco e delirante governo Lula investirá R$35 bilhões (afirmei BILHÕES!) em um trem-bala que só beneficiará Rio e São Paulo, sabendo precárias ferrovias e estradas brasileiras, e mais: já cerca de R$13 milhões em reformas de estádios - muitos que ficarão ociosos pós-copa 2014 e, pior, ciente da decadência do nosso futebol (apenas 3º no ranking da FIFA), indagamos: É isso que o povo quer, precisa? Além de obras não essenciais ou prioritárias, a maioria da população, em especial do Nordeste e mais especificamente do meu interior cearense, passa fome e tem o rebanho dizimado à falta de água, alimento e de uma política não assistencialista (de esmolas), mas seguradora e oportuna para os casos de catástrofes climáticas. Melhor destinação teria se para melhorar a Educação, a Saúde ou erradicar, de vez, a miséria absoluta, mas prefere fazer inversões nababescas e distribuir bolsas como engodo, de efeito paliativo enquanto geradoras do ócio, persistindo a miséria que o IPEA, politiqueiramente, estima findar em 2016. Utopia! São, portanto, das mais graves e inapropriadas canalizações do dinheiro público sem que a sociedade seja alertada e que seguirá impune. Acordemos ou permaneçamos alienados por opção!

Hildeberto AQUINO
Corretor/Articulista
Russas (CE)

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons."
(Martin Luther King)

Portanto, indigne-se por você e por todos contra as injustiças, quais forem! Clame, exija, exerça a sua cidadania ou se cale para sempre vencido.
(J. Hildeberto J. de AQUINO)

EXPOCRATO: Vamos dar um Pé na bunda da Luam Produções e seus Facilitadores - Por Wilson Bernardo.

O Crato é bem mais do que a LUAM E seus Facilitadores mercenários de Shows medíocres que aqui chegam, e emporcalham as mentes das pessoas. Salve! SALVE! O palco sonoro da URCA, que nos delicia com preciosidades da verdadeira arte e música do cariri, em que todos poderiam ver e saber que realmente o Crato é e será para sempre a eterna capital da cultura do nordeste.

Um trio de peso sonoro e harmônico, Silvino, Clevan Paiva e Jairo Starkey na percussão.

O mago das cordas e violões encantados

Cleivam Paiva, eterno e místico homem fazedor de harmonias caririenses

Jairo e seu mais novo pupilo, a percussão eletrônica e Silvino com sua gaita chapadiana.

Wilson Bernardo (Texto & Fotografia)

EXPOCRATO: RÁDIO ARARIPE, A PIONEIRA DO CARIRI - Por Wilson Bernardo.

Eis ai a resistência do rádio caririense, uma equipe de luta e tradição fazendo radio para o cariri e nos colocando de que tudo tem possibilidades. Está montado na expocrato o estúdio da rádio araripe, fazendo assim presente a importância de se fazer comunicação na cidade verde da chapada para todo universo caririense.

Ambrósio um DVD O quilometro,Marcos Silva o narrador e Luís Paulo o cara da comunicação
A família reunida recebendo a todos com alegria de cratenses hospitaleiros: Marcos Silva,Luís Paulo,Acácio Jr,Yaskara Granjeiro (Eng.da verdes mares), Ambrósio e esposa, Araújo SAT.

Wilson Bernardo (Texto & Fotografia)

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30