xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 20/06/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

20 junho 2010

PORQUE TE AMO CRATO




CRATO, nos teus 246 Anos de Emancipação Política venho homenagear-te em nome do amor que sinto por ti.

Crato Amado, Crato fértil, dos verdes canaviais e riquezas sem fim, és a maravilha de tantas belezas, inspira poesia e encanto por um povo inigualavelmente forte e cativante. Quem no teu solo pisa apaixona-se e na partida leva no peito a saudade e a vontade de retornar .

Acertadamente já dizia o poeta: “Quem já te viu, ó não te esquece mais”.

Sinto orgulho de ti, hoje mais do que nunca, porque levanta-se um gigante adormecido, que abandonando as mazelas do passado vivencia um presente de prosperidade, para brilhar no cenário mundial depois de determinadas noites de abandono. Acorda-te revigorado para vivenciar tua glória.

A ti meu Crato, todo o meu respeito e dedicação por toda minha vida, pois te sou grata também por tudo que tens me dado. Lutarei sempre para que o teu esplendor nunca deixe de luzir no firmamento.

Mônica Araripe

Circulo estrelado ou nosso mundinho de artista


Por Alexandre Lucas

O gueto é um mundo fechado com discurso de liberdade, tal qual festinha de artistas. Quanto mais os artistas se fecham nos seus círculos estrelados, mas a arte se distancia do grande público, em especial na contemporaneidade, na qual muitos artistas tentam a todo custo fazer sobressair a forma em detrimento do conteúdo, ou, muitas vezes o conteúdo é tão distante da realidade das camadas populares, que acaba criando não só o estranhamento, mas a própria aversão a muita coisa do que é produzido.

No Renascimento, os humanistas por exemplo preferiam escrever em latim do que na sua própria língua para distanciasse das massas. Na atualidade muito dos nossos artistas falam para dentro dos seus guetos e produzem para eles. A arte torna-se um entretenimento para ser mostrada aos amigos, criando uma espécie de moeda de troca entre iguais, somente os dos círculos estrelados entendem (faz de conta que entendem) e somente a eles bastam!

O povo que se lasque! O povo é um corpo estranhado neste circulo estrelado. O povo não entende de arte? (será?). Na acepção de muitos artistas, as camadas populares são alienadas e tem uma preferência estética das piores e por isso não compreendem as grandes maravilhas dos iluminados (grandes iluminações?).

Parece-me que vezes, a arte para alguns guetos é um entorpecente, um fim por si só. O contentamento (o prazer) é gerado em reunir os amigos em um só canto, num canto de afinidades e pronto, ponto final mesmo.

Pertenço a esse circulo, apesar de me ver fora dele. Cansei de fazer arte para artistas. Quero uma arte conjugada com o povo e com a dimensão da vida. Uma arte que tenha as cores verdes e amarelas, vermelha e branca, o batuque dos ancestrais e o som eletrônico, o cheiro das rosas e o suor do descarrego, o sorriso gratuito e a revolta contra a opressão, o olhar da inquietação e de inclusão, uma arte que possa ser festa pública e não festinha para artistas. Uma arte que seja sinônimo de participação ativa, de coletividade, de fraternidade e humanização.

Espero que um dia possamos ser um exército de artistas que falem, pintem, dramatizem, dancem e cantem para os excluídos da arte, ou melhor, que a arte não seja roubada da vida de cada um.

Acho que sou (somos) um corpo estranhado neste círculo estrelado.

*Coordenador do Coletivo Camaradas, pedagogo e artista/educador.


Recado para GABI

Prezada Gabi,

De alguma forma ainda desconhecida para mim, a sua postagem das famílias conseguiu impedir todas as postagens na página principal, ficando o Blog com apenas 4 postagens. Tive de movê-la para o dia 18 de Junho, quando todas as outras voltaram ao normal. Acho que o problema é que vc nao seguiu nossa regra primeira que diz que não se deve postar um texto diretamente de outro site para cá simplesmente copiando e colando.

Deve-se primeiro, copiar o texto para o Bloco de Notas do Windows, eliminar as fotos, e depois copiar o texto para a janela de postagem. Depois, salve as fotos da matéria original no seu computador e vá inserindo uma por uma. O trabalho é muito ? Pois imagine você que às vezes eu faço isso em até 20 postagens todo dia. Mais tarde irei analisar isso. Sua postagem encontra-se provisoriamente no Dia 18 deste mês.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Um Adeus para Saramago*

Por José Cícero Adeus Saramago!
Poeta libertário, socialista dos sonhos.
Exímio zelador portugês do bom vernáculo.
Emissário da língua dos deuses...
A receber de nós, pobres mortais
toda honra e toda glória
como um brinde
de bom vinho em sagrado cálice.
Saramago.
Prosador comunista.
Homem do povo em bom combate.
Vate idealista enchendo a vida de sentido
e de outros significados práticos.
Poeta utópico. Ateu Convicto, magno agnóstico.
Pássaro altivo lusitano
a construir com gestos plásticos
grandes sonhos centenários.
E com idéias edificantes
toda felicidade possível
em romances adormecidos nas Canárias.
Letras de fogo e de plumas embelezando a vida.
Saramago.
Lítero-guerreiro do além-fronteira
por trás-os-montes nos vigiando.
Artesão dos sentimentos mais sentidos.
Pensador inverossímil de todo o existencial fantástico.
Travando sempre com símbolos e com palavras
o bom combate em favor do belo e dos oprimidos.
Poeta português:
Pensamento que engrandece tudo o mais que existe.
José Saramago.
Comunista libertário.
Sonhador de um mundo novo.
Prosador profundo, psicológico.
Universo cosmogônico de prosa farta
a se derramar por sobre a fauna humana.
Poética metafísica tão sem nome.
Cronista póstumo do inédito.
Profeta visionário do tempo futuro.
Acendedor de candeeiros contra o escuro
pondo fim a ignorância e o absurdo
de tudo o mais que é esdrúxulo, estúpido e ridículo.
Saramago.
Sol de Portugal a se irradiar por todo o mundo.
Jardineiro do planeta exótico.
Célere veleiro singrando os mares das nossas emoções
e sentimentos.
Pena de ouro escrevendo o inusitado.
Eterno revolucionário, Rosa de Luxemburgo.
Autoexilado nas ilhas Canárias.
Espanha de Cervantes e de Garcia.
Dom Quixote, Sancho Pança lusitano.
Poeta metafórico do belo estro.
Cantando sob os arvoredos ibéricos...
Um tango, um fado.
Pleno silêncio das montanhas
de Pessoa, de Florbela e de Camões
escrevendo no céu do velho mundo
um conto de aventura...
Pensando a vida no seu todo e em fragmentos
ante o prisma de um poema concreto
e um romance antigo sobre a cegueira em fogo.
Antevendo futuros
em antemanhãs de diálogos consigo mesmo.
Árduo ofício das letras
em que viveu nos altiplanos imperativos
num silêncio profundo e gritos solitários.
Edificando verdades
perante a tessitura cotidiana do verbo humano.
José Saramago.
Mágico protagonista dos livros.
Prêmio Nobel primeiro da nossa língua.
Guerreiro invencível.
Poeta intransigente dos justos.
Granítico evangelho, segundo a si próprio.
E assim como: o próprio Jesus Cristo.
Escritos - sinônimos do incompreensível.
Saramago.
Poeta íntegro.
Idiomático defensor do que é certo.
Estético humanista lusitano.
Flor de lótus de Lisboa, revolução dos cravos...
Literatura em carne viva
oxigenando a vida de todos;
Dando luz aos caminhos dos cegos.
José Saramago.
Eterno visionário
Escritor-poeta,
homem do tempo vindouro.
Vivendo para sempre,
com o que disse e escreveu.
José Saramago.
Cidadão do mundo.
(*) José Cícero
é Escritor, Pesquisador e Poeta
Secretário de Cultura
Aurora-CE.

A era do grunhido - "Cala a boca Veja" Por: Flavio Gomes


O Brasil tem uma revista semanal, “Veja”, que se considera a maior do país. Deve até ser mesmo, sei lá quais são os critérios, não sei quantos leitores tem, quanto fatura, não me interessa. Deixei de assinar essa porcaria anos atrás, já não me lembro se por algum motivo específico, ou se foi, apenas, porque um dia peguei na porta de casa e me espantei: eu ainda gasto dinheiro com esta merda?

Tal revista perdeu a relevância, para estabelecer um marco, depois da queda de Collor de Mello. Naqueles anos de impeachment, as semanais deram vários furos, foram importantes, descobriram coisas. Depois, sumiram. Hoje, a “Veja” é reduto de uns caras chiliquentos como Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo e Augusto Nunes. “Ah, você não lê, como sabe?”, vai perguntar alguém.

Eu de tudo sei, tudo conheço. Piadinha interna.

Mas não quero falar aqui dessas figuras ridículas que acham que escrevem bem e que se julgam parte de algum grupo de pensadores contemporâneos, já que são cheios de fazer citações by Wikipedia e com elas impressionam seus leitores babacas. O que escrevem e dizem, para não ofender demais, repercute entre eles três e seus leitores babacas, todos compartilhados. Eles detestam o Lula e o PT, e é tudo que conseguem exprimir com sua verborragia enjoativa e padronizada. Mas dali não sai, suas opiniões e ataques histéricos contra o que chamam de esquerda brasileira não têm importância alguma, não produzem eco algum.

Só que a capa da “Veja”, embora a revista seja uma droga indizível, tem importância, sim. Afinal, ela é vista por alguns milhões de pessoas, repousa amarrotada durante meses em mesinhas de consultórios médicos, dentistas e despachantes, e as pessoas a notam nas bancas de jornais, ao lado de mulheres peladas. E algumas pessoas ainda puxam assunto em mesas de bares e restaurantes dizendo “li na ‘Veja’”, e tal. São os “formadores de opinião”. Uau.

E aí aparece aqui na minha frente, no estúdio da rádio, a ”Veja” que foi hoje às bancas. Na capa, “CALA BOCA GALVÃO”, uma foto do narrador da Globo, e está dada a senha para uma pretensa reportagem séria de sete páginas, um “box” e três gráficos sobre o poder do Twitter, motivada por uma bobagem infanto-juvenil que nem os “tuiteiros” levam muito a sério, lançada no dia da abertura da Copa. Aliás, nem o Galvão levou a sério, claro, porque discutir um uma “hashtag” de Twitter é como sugerir um seminário para analisar a musicalidade de uma vuvuzela, ou um congresso sobre comunidades bizarras do Orkut.

Ontem morreu José Saramago. O maior escritor da língua portuguesa mereceu desse semanário indefensável meia página, com uma foto e uma legenda editorializada, porque ”Veja” tem opiniões formadas até sobre índice e numeração de páginas. Diz a legenda: “ESTILO E EQUÍVOCO”, reduzindo Saramago a isso, a alguém que tinha estilo e era equivocado, para atacar as posições políticas e religiosas do escritor, comunista e ateu.

Alguém ser comunista e ateu, para a “Veja”, é algo mais condenável do que estuprar a mãe no tanque. “Ao lado da criação literária, manteve-se sempre ativo, e equivocado, na política”, diz o texto pastoso, que nem assinado foi. Uma pobreza jornalística inacreditável. “Nos países cujos regimes ele defendia, nenhum escritor que ousou discordar teve o luxo de uma morte tranquila”, encerra o autor. Como é que alguém pode escrever uma merda desse tamanho? Será que essa gente não tem vergonha do que coloca no papel?

Fonte: Flávio Gomes. colunista do IG

Nota de falecimento

Faleceu ontem, em Fortaleza, Clailson Alves Paiva.  O sepultamento ocorrerá hoje, 19 de julho, às 18 horas no cemitério Nossa Senhora da Piedade, em Crato, onde o corpo será velado a partir das 15 horas.

Bom Dia, CRATO - Hoje, dia 25 de Junho de 2010


Bom Dia, amigos do Crato!

Há tempos eu batalho para fazer esse contato gostoso com a turma que visita sempre o nosso Blog, e com aqueles que residem longe do Crato. Ainda estou em Fortaleza, e devo ficar para o final de semana, mas como sempre, não posso de forma alguma deixar de preparar a edição de cada dia, aliás, isso é o que me faz não tirar férias nunca... Um grande abraço aos amigos cratenses que residem aqui em Fortaleza, e que ainda irei entrar em contato: Carlos Eduardo Esmeraldo, Magali, José Milton Arraes, José Nilton Mariano, Tavares ( grande amigo Tavares... ), Wilton Dedê, e quem mais acessar o Blog do Crato a partir de Fortaleza. Meus cumprimentos também ao professor Armando Rafael e ao Wilson Bernardo, que vejo aí, está fazendo das tripas coração a fim de manter nosso Blog com o mesmo padrão de qualidade. Meu acesso à internet aqui resume-se a um notebook e um modem da VIVO, de modo que não há a mesma velocidade com que faço a edição das notícias quando estou no estúdio em Crato. Por falar em estúdio, a Rádio Chapada do Araripe está com um problema técnico, e eu desativei até chegar ao Crato para consertar. Meu fraterno abraço também ao Toinho de Ponta da Serra, sem dúvidas, um grande batalhador por aquela cidade, e que apesar de receber pesadas crônicas, e críticas de toda espécie, nunca perdeu a postura nem a educação de responder a todas elas com a retidão que lhe é costumeira.

Previsão do Tempo

A previsão do tempo para hoje em Crato, é muito simples: Sol com algumas nuvens. Não chove.

Fonte: Climatempo

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30