xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 19/06/2010 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

19 junho 2010

Coisas da caserna – Por Carlos Eduardo Esmeraldo

O Tiro de Guerra, como todos sabem, é uma unidade do Exército Brasileiro instalada em algumas cidades do interior, com a cooperação das prefeituras. Tem como objetivo a formação de reservistas para a defesa do território nacional. Essa unidade atende à instrução militar dos nossos jovens, conciliando a formação com o estudo e o trabalho. Sobre o TG já ouvi muitos “causos” interessantes.

Havia no TG 205 do Crato um atirador conhecido por Janjão da Mata, um jovem da nossa zona rural, muito desinibido e brincalhão. Apesar de completamente analfabeto, Janjão demonstrava ser bastante vivo. Uma turma do Colégio Diocesano ao perceber a inteligência e espontaneidade desse jovem, colocava em sua boca muitas coisas engraçadas para quebrar a dureza do preparo físico e das constantes broncas do sargento. Aos dias de domingo, a jornada era maior e, os atiradores eram obrigados a percorrem em marcha uma distância mínima de vinte quilômetros. Entretanto, o sargento instrutor normalmente não observava tal requisito. Próximo do final do ano era realizada uma correição pelo comando da 10a Região Militar. Então o sargento instruiu a turma: “Se o coronel perguntar a vocês quantos quilômetros vocês marcham por semana, vocês respondam: vinte.” Alguém ao lado do nosso Janjão soprou em seu ouvido. E ele imediatamente interrompeu o instrutor: “Sargento, nós num vai dizer isso não!” “Por que, posso saber?” Perguntou-lhe o sargento. E Janjão emendou: “O senhor disse que nós num deve mentir.” A essa insinuação, o sargento não perdeu tempo: “Muito bem TG, em forma! Vamos agora marchar até a Ponta da Serra e voltar de lá correndo!” E Janjão não perdeu tempo: “Precisa não sargento: nós diz, nós diz!

Certa vez, eu li em algum lugar que, no TG de certa cidade, a mãe de um atirador sofreu um ataque cardíaco, vindo a falecer numa manhã de domingo, justamente na hora em que todos os atiradores estavam reunidos na instrução dominical. Alguém da família pediu ao capitão comandante do TG para que ele desse a notícia ao jovem atirador. Este não tendo jeito para dar esse tipo de notícia, convocou o sargento e pediu que ele desse a notícia com muito jeito. O sargento disse ao seu superior que sabia como fazer e não se fez de rogado. Imediatamente deu as ordens: “TG, sentido!” Todos ficaram de pé em posição de sentido voltados para o sargento. Então o sargentão falou: “Quem tiver a mãe viva dê um passo à frente”. Todos deram um passo à frente. “Você não, atirador 56!” “Que é isso, sargento, a minha mãe é viva!” Protestou o jovem. E o sargento emendou: “Era! Acabou de morrer!”

Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Andrea Bocelli: Minha mensagem não é apenas contra o aborto… mas a favor da vida - Postado por Océlio Teixeira

Roma, 18/Jun/10 - (ACI). Depois do êxito do vídeo no qual relata a história de como sua mãe desobedeceu aos conselhos médicos para acabar com sua vida porque detectaram uma deficiência física no ventre, o tenor Andrea Bocelli assinala que não quer que este seu testemunho seja considerado como "uma intervenção contra o aborto: com minhas convicções pessoais, de fervente católico, não somente combato contra algo, combato por algo e estou a favor da vida".
Em uma entrevista concedida ao jornalista Paolo Rodari do jornal Il Foglio da Itália, o tenor assinala que com o vídeo "quis ajudar, confortar as pessoas que se encontram em dificuldades e que em ocasiões só necessitam sentir que não estão abandonadas: a força da vida é perturbadora, mas é necessário ficar à escuta, abrir bem as orelhas" para acolhê-la.
Bocelli assinala logo, antes de contar como filmou o vídeo, que chamou muito a sua atenção o fato de que começaram a chegar ligações de todo o mundo, mais que o usual: "disse essas coisas há um ano e meio em uma vídeo-mensagem para o Padre Richard Frechette (padre Rick), um missionário que trabalha para os meninos do Haiti e mereceria, ele só, um livro inteiro: fiz um concerto, para ajudá-lo a construir a Casa dos Anjos e me pediu dizer umas palavras de esperança para as mães em dificuldades e escolhi contar a história do meu nascimento".
"Eu o fiz contando a experiência pessoal da minha mãe sem sequer pedir permissão a ela, mas ela não me censurou, e eu tampouco estava preparado para todo este clamor que foi gerado com efeito retardado", acrescenta no telefone enquanto esperava com sua família o início do primeiro jogo da seleção italiana de futebol que empatou com o Paraguai em 1 a 1.
Na entrevista, Bocelli também relata como desde pequeno e quando jovem "era muito inquieto, bastante inconsciente: amava a velocidade" e que sentiu a música desde muito pequeno: "minha mãe me conta que eu chorava assim que escutava uma melodia, inclusive através da parede do quarto do hospital, girava em direção ao som e escutava encantado".
Endereço do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=fjKZXiotlfc

A revelação de uma outra realidade

Retratos Pintados, de Titus Riedl e Martin Parr, recupera a ameaçada arte dos bonequeiros do Nordeste do País, que transformam o negativo da vida de pessoas simples em imagens que as ajudam a suportar a própria história

Família. Crianças em fotorretratos, no Ceará: relação entre vivos e mortos. Foto: reprodução

Foi preciso que um sociólogo alemão e um fotógrafo inglês cruzassem seus caminhos no sopé da chapada do Araripe - mais exatamente no município cearense de Crato - para que saíssem desse encontro com um livro curioso sobre o universo estético do sertanejo nordestino. Titus Riedl, autor de uma tese sobre fotorretratos pintados - tão populares no interior do País -, conheceu Martin Parr durante um fórum latino-americano de fotografia realizado há três anos em Crato. Sabendo da importância do fotógrafo, representado pela agência Magnum, Riedl, que há 15 anos mora na microrregião do Cariri, apresentou a Parr uma série de fotografias pintadas que deixaram o profissional esfuziante. Compreensível: Parr é um fotógrafo que acompanha com particular interesse a estética dos países emergentes - é dele o livro Luxury, que documenta o gosto duvidoso dos novos-ricos do mundo globalizado, tema de sua primeira exposição individual na Galeria de Babel, que o representa, em São Paulo, em outubro próximo.

Antes, na próxima quarta-feira, Martin Parr, atualmente peregrinando por Cingapura, abre uma exposição na Yossi Milo Gallery de Nova York e lança o livro sobre "bonequeiros" nordestinos, Retratos Pintados (Nazraeli Press, capa dura, 68 páginas e 61 fotos). Ele diz, que mesmo familiarizado com a fotografia vernacular, nunca havia sentido o que sentiu ao ver as imagens da coleção de Titus Riedl, reunidas para uma tese de mestrado defendida há 12 anos pelo sociólogo. Há, de fato, poucos estudos acadêmicos ? um deles da socióloga Cristiane de Souza ? sobre o ofício dos "bonequeiros" ou "puxadores" de telas, aqueles vendedores ambulantes que saem pelo interior do Brasil convencendo viúvas a colorizar antigas fotos do marido morto ou mães de natimortos a guardar a última imagem do anjinho no caixão (alguns retocados com olhos bem abertos para que essa lembrança fique menos mórbida).

Leia mais no Estadão:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100619/not_imp568968,0.php

Site "Cultura no Cariri" em menos de 6 meses já tem mais de 20.000 visitas e 65 seguidores

NE - O Site CULTURA NO CARIRI está "Bombando" !

cultura no cariri 2

Um novo ponto de encontro da cultura caririense se faz presente na Internet. Um site que traz a programação cultural da região, além de entrevistas e reportagens, e é formada por grandes escritores daqui do Cariri. Estou falando da Revista Eletrônica "CULTURA NO CARIRI" e o nome não poderia ser mais apropriado. Recentemente aclamado e indicado por uma importante organização cultural como sendo o local ideal para que as pessoas possam se informar sobre o espaço cultural caririense, o Blog cresce a passos largos. O sistema de seguidores em uma semana, passou de 40 e poucos para 65 seguidores. A organizadora Janinha se diz surprêsa, pois não esperava tantas adesões em tão pouco tempo. O certo é que o trabalho a muitas mãos, e com a devida competência de sua administradora, aliados ao alto nível dos participantes, criou um espaço que está literalmente "bombando", e constantemente atualizado, traz reportagens, entrevistas e eventos inusitados que outros Blogs do Cariri se "esquecem" de cobrir. Além do mais, lá se respira uma atmosfera essencialmente cultural, sem os costumeiros jogos de egos, tão comuns entre os "artistas", pois afinal, o objetivo primordial é divulgar a Cultura do Cariri. E Isso ele tem feito, e é o que faz toda a diferença.

Visite e Junte-se ao Cultura no Cariri: http://culturanocariri.blogspot.com

Por: Dihelson Mendonça

Apresentação Internacional do CCBNB - Cariri

Sebastian jantos


Fonte: Centro Cultural Banco do Nordeste

Casa abrigo São josé - Por: Alessandra Bandeira





Ocorreu na tarde de ontem, na Casa Abrigo Lar São José,em Crato, a entrega das fraldas geriátricas recebidas pela campanha feita por email pela primeira dama Mônica Araripe. Parabéns a primeira dama por essa iniciativa belissima e a todos os doadores que tão prontamente atenderam esse pedido, saibam que vocês fizeram uma grande diferença na vida dessas senhoras que muito contribuíram para o Crato:

Justo Junior
Heládio Teles Duarte
Mariana Araripe
Samuel Araripe
Alfredo Alencar
Rommel Bezerra
Dr Téo
Dr Tiago Esmeraldo
Paulo Leonardo

Contribua você também , ajude as irmãs , seja com fraldas, produtos de higiene, lençóis, toalhas ou até mesmo com o seu carinho indo lá passar uma tarde com essas mulheres que muito ainda tem a nos ensinar.

Por Alessandra Bandeira
Fotos Henrique Maia

Rapadura Culturarte - Um Ato de Amor ao Crato - Por: Jorge Carvalho


NE - E continuam as declarações de amor à nossa cidade, pela passagem dos 246 anos de sua emancipação política. Faça a sua e envie para o Blog do Crato. Nosso e-mail: blogdocrato@hotmail.com

Ola, Crato, minha terra, meu berço, amanheceste mais linda, mais charmosa, mais sorridente. Uma beleza. Crato da Rua da Vala, mecânicos a trabalhar..., Rua da Laranjeira, Rabo da Gata, Beco do Padre Lauro, Rua Grande, Beco do Cachimbo, Travessa da Califórnia, Rua do Fogo, Rua Formosa, Nelson Alencar, Rua da Saudade. Infância no Alto da Penha, de onde avistava toda a cidade, naquele tempo pequenina. Adolescência na Nelson Alencar - Rua da Saudade.

Crato da pioneira: Radio Araripe - ZYH 20 - A voz do Cariri. “Campo do Esporte”, “Mercado Redondo”, Quadra Bi-Centenário - Festivais da Canção, o Votoran, a Drasa, a AABB, Crato Tênis Clube, a “Grota”: Zé Murrinha, Seu Leandro... Barro Vermelho! Oh! Igrejinha da São Francisco... Chico Viana! E o “Gesso”? Homens, mulheres, orgias, ilusões, fantasias... Maria Alice, Glorinha, Manezim... Chico Curto na bateria... Cantina 1.100, Gurilândia, Elói, Algo Mais, Pau-do-Guarda, Cilué, Igrejinha de São Miguel: Padre Frederico, João do Crato, São Pedro do SESI, a bandinha comandada pelo “maestro” Correinha, Véi do Caldo... Brejo do Brigadeiro. Grande e populoso bairro da Vila Alta. Ah! Chico “Boa Sorte” A matança: Zé de Matos, Luiz Matos, Colégio Sagrada Família, Recreio, Bairro Batateiras: Dona Edite e o coco, quanta descontração nessas bravas mulheres. Nossa Senhora Aparecida. Antigo Colégio Agrícola: Meu pai, Zé Lúcio, Carlos Alencar, Tio Osvaldo, Doutor Hermano Teles, Vicente de Maroca... Seminário. Ah! Como cresceu... Cacimbas, Misericórdia, Conjunto Novo Crato... Tu abençoas, tu velas, tu observas silenciosamente do teu alto toda a cidade na benção do teu padroeiro São José. E tuas procissões... quanta gente, quanta beleza... Ladeiras de vinda e ida de teus moradores, trabalhadores, trabalhadoras que fazem a cidade “viver” dia-a-dia com o suor do seu trabalho. Vocês desevolvem o meu Crato, Cratinho de luta.

Rua Pedro Segundo... Ah! Pedro Segundo? Não! “Pedra Lavrada”, Almir Carvalho, símbolo maior de boa gente cratense. Boêmio, carismático, desportista... Olha o rebelde aí, gente! Beco de Padre Lauro: Beco da Mijada... O simbólico e aromático pezinho de Sapoti... Cine Moderno: José Petrola, Dezim, Macário... Cine Educadora. Osvaldo, Raimundo Siebra, Antônio Berredo, Cassino: Seu Mário, Antônio Siebra, Otacílio, o Café Crato: Seu Orestes, Thomaz Osterne, Ernani Silva, Brigadeiro Macedo, Luiz Barreto, Tália Márcia, Zé Nilo, Alagoano, Doutor Leônidas, Gutemberg Sobreira, Valtim – o prefeito – Alcides – seu irmão – Zé Landim, Valdir Leite, Zé Valdevino, Antônio Luiz, Júlio Saraiva, Zé Horácio, Pedro Felício, Abidoral, Moacir Dantas, Espedito Dantas, Zeba, Zabé, Virginia, Colo, Dr. Ribamar, Zé Maia, Dedé de Zeba, Bandinha Rosa Guedes, Correinha, o jeep de Maru, Luis Sarmento, Chico Soares, a festa do Bi-Centenário, Os Extras, Musisom, Ases do Ritmo, Bar Ideal, Seu Deodoro, Mazinho, “espinhos e rosas” com eles... Juca e Jeremias, Bazar de Músicas – uma festa em cada lar caririense – Maestro Azul, Jornalista Huberto Cabral, a humanidade de Humberto Macário.

Doutor Maurício Teles, Doutor Macário, Doutor Gesteira, Casa Eurico, Farmácia Teodorico, Cloves Carvalho, Mestre Lucas, Jorge Lucas, Mercearia Beija-Flor, Waldemar Garcia, Salviano Saraiva, Anduiá, Tico de Binda, Prefeito Ariovaldo Carvalho, Prefeito Alexandre Arraes, Seu Teunas, Miguel Soares, Luis Soares, Geraldo Maia, Dr. Raimundo Bezerra, Dr. Jósio Araripe, Mons. Rocha – consultório da família – “Organic Publicidade”, Revista Região, o Circo Nerino, o Café de João Gualberto, Misael, Zé Maia – eterno carnavalesco – a 1ª Feira de Amostras, retretas da Banda de Música, as lapinhas do Natal, o GRUTAC com seus espetáculos teatrais... Coronel Filemon – tio Filé –, Menandro, Mais ou Menos, Sá Barreto, as serestas na Praça da Sé, o Bar Central de Zé Eurico, Dr. Rolim, J. de Figueiredo Filho, Dr. Nelson, do hospital, Dona Ceicinha, Enfermeira Bernadete, Salvina Lucena, Vanda Lúcia – Miss Ceará – a Casa Abraão e seu “queima”, Zé Bedeu, a Babilônia e o Artigo da Semana... Pimenta: Juarez Caçula, Crato Tênis Clube... teus carnavais, como esquecê-los? Nunca! Lameiro – Seu Nelson e os engenheiros de rapadura adoçando a cidade. Caixa d’água: Marcelo Piancó, Chave de Fenda, Casé, São Sebastião – Realmente é o Alto da Alegria: Unidos de São Sebastião. Alto da Penha: Operários do Samba; realmente és uma população operária, uma gente trabalhadora. E o Vasco? O mais antigo em atividade no nosso futebol. Luisim, Dola, Dunga, Menoca, Pedim, Ticola, Esmeraldo, Francisco Maguim: Desportista com “D” maiúsculo. Campo do Cariri: Chico Curto, Pirrol, Peba, Sibito, Pangaré, Frutapão – campo, também do Sport. Bar Social: Seu Chiquim, Praça Cristo Rei, Estação Ferroviária: quanta saudade, quanta recordação! Praça da Sé: Bar do Alagoano: sem comentário. Uma Pérola de Saudade, uma relíquia do Crato, cidade alegre, Crato boêmio, Crato moleque. Os leilões de N. Sra. da Penha, Monsenhor Rubens: carisma sem igual. Um líder. A Feira da Rapadura, Feira da Farinha... O carro de Pedro Maia, a criatividade de Elói com a “Festa da casa grande”, Rádio Educadora do Cariri. Vicelmo. Ah! Hoje é sábado, dia da besteira... é o próprio cratense boa vida, “malandro”, brincalhão, divertido... quem já não se acostumou a ouvir: “Aqui, Rádio Educadora do Cariri... e, Crato 12 horas e 30 minutos”... Doutor Gesteira, Pedro Maia, Sorriso, Chupetinha, Antoin Cornim, Capela, Joquinha, Canena, Maria Caboré, Célio Silva, Baixeirinha, Tandô, Feira da Rapadura, o Rebelde, o Penarol, o Satélite – alô Netinho – o Sport, o Palmeiras: Seu Osmar, Elói, Chapeado Noventa, Zé Gato – O poeta maior – Nascente, Grangeiro, Serrano, Itaytera, Poço da Escada, Boate Colibri, Café Crato, Praça São Vicente, Posto Crato, Posto Ceará, Chico da Cascata, Zé Pajé, Padre Ágio.

Crato: aqui nasci, aqui vivo. Solo em que piso dia-a-dia, água que bebo de tuas fontes serranas, ruas por onde passo em tuas noites enluaradas, boêmias, saudosas, eternas. Crato: eu te amo!

Prof. Jorge Carvalho
Foto: Wilson Bernardo

A Grande Música Popular Brasileira - Águas de Março - Tom Jobim e Elis Regina

Vale a pena rever esta maravilha da música popular Brasileira, que como todas as verdadeiras obras de arte, permanecerão para sempre assim como um Beethoven, um Chopin e um Tchaikobvsky são para os dias de hoje:



.

CULTIVAR O AMOR À VERDADE! - Por: Mário Correia Júnior


NE - Algumas pessoas aí se posicionam na contramão da história, ao empreenderem uma verdadeira guerra ao distrito de Ponta da Serra, quando este pretende por estes dias, se tornar uma cidade. Assim foi também quando Juazeiro tentou, assim foi quando o Crato procurou se emancipar. Sempre haverá esse tipo de problema. Eu inicialmente, me posicionei fervorosamente contrário a este movimento, por achar que a cidade do Crato sairia perdendo, mas o conjunto de fatores positivos, e a argumentação bem fundamentada dos que a defendem, além de uma visita e consulta ao próprio povo de Ponta da Serra, pois fui IN LOCO constatar a alegria de toda a população que anseia fervorosamente... quem sou eu para me opor à vontade de um povo que possui costumes próprios e suas tradições. Portanto, eu hoje compreendo o amor que jaz no coração das pessoas no momento em que declaram seu voto pela emancipaçao política de Ponta da Serra. Só mesmo quem estêve lá, pode compreender o que seja isso. Os outros, irão percer nas especulações. Sugiro fazer uma visita ao local. Por outro lado, o Advogado Mário Correia Júnior nos trouxe esta crônica aqui num dos comentários e eu já aproveito para torná-la "oficial", postando-a como artigo no Blog do Crato. Mário, e desde já agradeço pelas suas gentis palavras em relação ao meu ensaio fotográfico sobre a magia, o povo e a beleza de Ponta da Serra.

Dihelson Mendonça

Cultivar o Amor à Verdade

Ato de Louvor ao Dr. Dionísio e ao Hitoriador Antonio Correia Lima. "Em Quando Só Deus é a Resposta." do Escritor e Palestrista Márcio Mendes, extraimos a seguinte mensagem:

"Neste nosso mundo é difícil saber no que acreditar; as opções são tantas, os argumentos muitos, enfim há muito barulho e as pessoas ficam bastante confusas. Vemos cristãos bem-intencionados deixando-se levar pelas mais absurdas teorias, conceitos pagãos vão sendo incutidos em seu coração, principalmente pelos meios de comunicação; vai se construindo um verdadeiro exército de entorpecidos, gente anestesiada pela mentira, que já não consegue reconhecer a verdade." Portanto, Dr. Dionísio e Antonio Correia; "Resisti firmes na fé." recomenda-nos o Senhor. Se a ordem é para resistir, é porque estamos sendo atacados, estamos no meio de uma guerra; e, quando estamos em guerra, não podemos nos fazer de rogados... Não podemos ser mornos e deixar que a vida nos vá levando...É preciso tomar postura de cristão, de combatente, lutrar pelo se crê." e isto voces tem feito. A Ponta da Serra acredita no povo do Crato. O Cratense justo e que sabe está junto dos sonhos do Pontaserrenses. Enfim, é a fé que nos faz caminhar na verdade. Avante, senhores para a realização do sonho de todos nós. Dihelson, excelente cobertura fotográfia de Ponta da Serra. Voce é um autentico Cratense. Grato.

Mário Correia de Oliveira Júnior
Advogado-OAB-CE 15.948
Membro Do Movimento Emancipalista de Ponta da Serra

Música de Ótima Qualidade Pra Quê ? - Por: Arimatéa dos Santos


O que vemos a um bom tempo em termos de música é de uma pobreza só. A toda hora a televisão faz propaganda da música ruim que impera nas rádios atualmente. É tanta música ruim que muitas das vezes troco de canal para não ouvir e muito menos ver a propaganda desses cantores. Vou me ater só na área musical, pois se eu for dar minha opinião a respeito de novela e programas da televisão, a coisa está mais preta ainda.

Até os anos oitenta era possível em horário nobre, se deliciar com a música de Raul Seixas, Fágner, Tom Jobim e muitos outros. Quem não lembra do ótimo programa global Chico e Caetano? As novelas eram acompanhadas com músicas de Sá e Guarabira, Alceu Valença, Chico Buarque, Dominguinhos, Ednardo, Maria Bethânia, Gal, Belchior e muitos outros monstros sagrados da música brasileira. As rádios no Brasil inteiro refletiam toda essa qualidade. Não é como fazem hoje a maioria da rádios FMs que dedicam uma horinha só ao que rotularam MPB. Além de se ouvir música brasileira e universal ao longo de toda a programação podíamos escutar também música clássica.

Como educador fico bastante preocupado com toda essa música ruim que à moda de uma ditadura, impõe os tipos de música com rótulos: axé music, gospel music, forró? music, sertanojo e haja música ruim! Por favor não achem que sou elitista e nem saudosista. Apenas um cidadão que merece ter a opção de ouvir a música brasileira em todas as suas vertentes. E apesar de tudo isso, ainda vemos e escutamos Ana Carolina, Seu Jorge, Diogo Nogueira e muitos outros cantores da nova geração.

Cochilei e cochilei. Até que enfim começava e já passavam das duas horas da manhã(horário de Brasília), especial com Dominguinhos e vários outros artistas. Só consegui ver mesmo Dominguinhos, Zizi Possi e Waldonys. Dormi. Fazer o que? É impossível ficar até a madrugada para ver um ótimo programa musical. Acredito ser de um desrespeito e tanto com os artistas. O brasileiro merece música de qualidade!

Por: Arimatéa dos Santos

Recordando: Ruy Maurity - Por Océlio Teixeira


Um fim de semana com muita saúde, paz e Deus no coração.

Rir com animação - Por Emerson Monteiro


Outro dia, assistindo ao programa Ceará DiVerso, do poeta Vandinho Pereira, na TV Verde Vale, me deparei com o personagem Tranquilino Ripuxado narrando uma de suas histórias engraçadas, que repasso aos leitores do jeito que pude guardar: Dois compadres que se reencontravam e um deles perguntou ao outro:

- Manoel, você soube da morte de seu Joãozinho do Brejo?
- Soube, sim, compadre. Fui até no enterro dele.
- Pois é, compadre. Eu estava viajando e nem pude comparecer nas despedidas do amigo velho.

Mas, compadre, diga como foi lá. Na ocasião, tinha muita gente?

- Ora, compadre, gente, tinha um tanto de gente. Só que nunca vi povo tão sem entusiasmo.
Bom, com esta rápida introdução, quero para falar um pouco da urgência do riso franco, verdadeiro, aberto, nas pessoas dos tempos atuais. Riso mesmo, cheio desse entusiasmo que, por vezes, invade todos os lugares. A história, modelo de irreverência, demonstra que o ato de existir pede alguma participação, vibração, interesse, inclusive na hora das exéquias dos rituais comunitários. É isso que falta nestes dias de muito compromisso e pouca esportividade, gosto de viver e se animar nas celebrações da existência. Um povo frio, técnico, sisudo, dotado de grandes habilidades no volante dos automóveis, cumpridor das normas e obediências formais, no entanto exausto só de correr atrás da sobrevivência desenfreada. Numa fase de esforço e preocupação com o dia de amanhã, para si e os seus familiares, patrimônio, fama, trajes e viagens apressadas, festas reservadas, salões atapetados, conjunturas e expectativas, quase nada se nota das cenas de cumplicidade, da leveza de ânimo, do companheirismo...

O riso perdeu aquele elã vital, como que sumiu do rádio, da televisão; os ditos programas humorísticos viraram programas chatos, artificiais, num país de excepcional história de humoristas que marcaram época; em poucas décadas sumiram da cena, e fazer graças virou tarefa, a bem dizer, impossível de voltar a acontecer. Mais atrás, no calendário, havia os circos nas praças e seus felizes picadeiros, doses cavalares de gargalhas povoadas de palhaços espirituosos, algo típico de um tempo esperançado; linguagem das ruas, dos botequins, alcovas, numa festa inigualável de um Brasil de música inteligente, festas de largo preenchidas de foguetes e felicidade popular.

Quero crer, em face das mudanças climáticas que sacodem o Planeta em bases inesperadas, nisso venha nova safra de animação pelo ar, lembrando os sonhos mágicos da tecnologia nos três séculos transcorridos da Revolução Industrial, que chegou prometendo a democracia dos frutos do trabalho deste mundo. E para conhecer mesmos os índices de desenvolvimento humano de um povo, observe-se a espontaneidade do riso e das suas comemorações nas conquistas sociais. Pois, no dizer do escritor Oswald de Andrade, a alegria é a prova dos nove.

Por: Emerson Monteiro
Na fotografia, o Escritor Emerson Monteiro - Por: Dihelson Mendonça

Bom Dia, CRATO ! - Hoje, 19 de Junho de 2010


Amigos Cratenses ( e obviamente, os não-cratenses ) que lêem o Blog do Crato todos os dias. Relatamos ontem a previsão do tempo como sendo de dia de sol, com poucas possibilidades de chuvas. Nem tanto, nem tão pouco. O dia foi muito nublado, mas infelizmente, nada de chuvas! - A temperatura caiu pela falta de sol, e hoje pela madrugada, atingiu 24 graus na Vilalta. Segundo o site Climatempo, a previsão para o dia de hoje, 19 de Junho de 2010, é de Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite. Mas isso é muito duvidoso, já que esses aumentos de núvens nada têm significado a nível de cariri. Logo mais, à tarde, traremos um novo boletim. Ontem, acordamos com a triste notícia do falecimento de um dos maiores escritores, José Saramago. O Blog do Crato traz em sua seção "Hoje na História", a Biografia deste escritor, contista, jornalista e poeta português. Muita gente só tomou recentemente conhecimento sobre Saramago, através da adaptação para o cinema do seu livro "Ensaio sobre a Cegueira". Mas Saramago também é autor de 16 romances, 5 peças de teatro, e pelo menos 3 livros de contos.

Trazemos hoje também uma singela homenagem à futura cidade de Ponta da Serra. Fonte de muita polêmica em torno da sua emancipação, o distrito atrai pessoas de diversos lugares. Ontem, o prefeito Samuel Araripe esteve lá, para o término do plantio das Palmeiras. Estive lá com a comitiva, onde desfrutei de um passeio pelas ruas, conheci algumas pessoas e com meu colega também fotógrafo Wilson Bernardo, cada um realizou a seu modo, um ensaio fotográfico. Algumas fotos pertencentes ao meu ensaio estão publicadas aqui no Blog do Crato no dia de hoje.

Bom Dia!

Dihelson Mendonça

Coluna Armando Rafael -- Notícias do Cariri


Crato, vista parcial do centro

Crato aniversariante


Nesta 2ª feira, 21 de junho, Crato chega aos 246 anos. Uma cidade de porte médio que se caracterizou, ao longo de sua história, por iniciativas pioneiras. Citemos algumas. Em 1855, aqui foi fundado o jornal “O Araripe”, o primeiro do interior cearense. Em 1914, foi criada a diocese de Crato, a primeira do interior. Em 1921, foi fundado o Banco do Cariri, a primeira instituição de crédito do Sul do Ceará. Em 1922, foi implantado o primeiro curso de ensino superior do interior do estado: o de Teologia, no Seminário São José. Em 1946, quando não se falava em ecologia ou biodiversidade foi implantada a primeira reserva florestal do Brasil, a da chapada do Araripe. Em 1959, foi criada a Faculdade de Filosofia de Crato, a primeira do interior cearense. O único desejo para Crato, no seu aniversário, é que esta cidade retorne a sua marca característica: o pioneirismo.

Novo bairro de Crato

Tudo começou com um pequeno núcleo de casas populares – construídas pela Caixa Econômica Federal – à margem da rodovia que liga Crato a Juazeiro do Norte, próximo á divisa dos dois municípios. Hoje o “Conjunto Padre Cícero” virou bairro e abriga, inclusive, o futuro Centro de Convenções do Cariri. E o novo bairro vem tendo grande crescimento. As novas construções avançam a perder de vista. Existem até casas construídas em estilo europeu, iniciativa de um engenheiro alemão que se casou com uma cratense e por aqui se fixou. Quase vizinho ao Conjunto Padre Cícero, mas já em território juazeirense, erguem-se outras centenas de casas que formam o bairro São José. A Região Metropolitana do Cariri é uma realidade.


Vista aérea da zona central de Juazeiro do Norte

Esvaziamento do centro de Juazeiro do Norte -- 1

Como aconteceu com outras cidades de rápido crescimento, também o centro de Juazeiro do Norte está esvaziado. Poucas casas residenciais teimam em resistir, em meio ao trânsito caótico e à poluição sonora durante o dia. Já a noite faz medo sair às ruas da Terra do Padre Cícero, onde são frequentes os assaltos. Segundo o professor Daniel Walker, o resultado disso tudo é que “As missas da Capela do Socorro e da Basílica de Nossa Senhora das Dores estão a cada dia com menos gente. A Escola Padre Cícero e o Ginásio Municipal Dr. Antônio Xavier de Oliveira foram desativados por falta de alunos. Já o Centro Educacional Professor Moreira de Sousa está funcionando, mas com menos salas de aula. E a Praça Padre Cícero? É pequeno o fluxo de pessoas”.

Esvaziamento do centro de Juazeiro do Norte -- 2

Daniel Walker acrescenta: “Este é um fenômeno bastante desanimador. Muitas casas de família foram transformadas em estabelecimentos comerciais, principalmente ranchos de romeiros e clínicas médicas. Na década de 60 e até mesmo na de 70 fazia gosto se andar à noite na Praça Padre Cícero. Era lá o “point” principal da cidade. Nos bancos dos velhos, cidadãos influentes da cidade ali passavam horas e horas discutindo política, economia ou até mesmo fofocando. Hoje está tudo diferente”. É o preço que se paga pelo chamado progresso! Mutatis mutandis não é o este o fenômeno que já atinge o centro de Crato?


Seminário São José de Crato


Seminário São José

135 anos depois de ser inaugurado o vetusto casarão continua sendo um dos cartões-postais da Cidade de Frei Carlos. Mais do que isso. Aquele educandário é parte viva da memória do Cariri. Ali, milhares de cidadãos que ajudaram (e ainda ajudam) a construir o Brasil real, o Brasil verdadeiro, adquiriram conhecimentos e lições de vida utilizadas em várias atividades profissionais. Pelos bancos escolares daquele edifício passaram bispos virtuosos, sacerdotes retos, homens ilustres. Dirigido hoje pelos Padres Sulpicianos da Província de Quebec (Canadá), o Seminário São José abriga – no momento – 69 seminaristas oriundos de quatro dioceses. Além de Crato, ali são formados sacerdotes provindos das dioceses de Iguatu, Cajazeiras e Petrolina. Velho Seminário São José! Existem prédios que contam o passado ao presente...

Drops

– Foi anunciada no último domingo, 13 de junho, a criação de mais uma paróquia na diocese de Crato: a de Santo Antônio da cidade de Antonina do Norte. É a 5ª paróquia da diocese que tem como padroeiro este santo nascido em Portugal. As outras são: Araripe, Barbalha, Barro e Jardim. A instalação da Paróquia de Antonina do Norte será feita no próximo 18 de julho em solenidade a ser presidida por dom Fernando Panico.
– A população cratense continua reclamando do sinal de trânsito que regula o tráfego para quem vem descendo a Avenida Maildes de Siqueira, no cruzamento com a Praça Alexandre Arraes. Apelidado de “rapidinha”, o sinal abre cerca de um minuto. Nas horas de pique o tráfego flui com a rapidez de uma tartaruga. Vai que é tua, Demutran!
– O site da diocese de Crato que está momentaneamente desativado voltará à Internet nas próximas horas. Ele foi reformulado graças ao trabalho do seminarista Francisco Weslley Barbosa Barros, criador do site da diocese de Quixadá. O site da diocese de Crato virá com uma novidade: um link dedicado à Catedral de Nossa Senhora da Penha.

Bafama-Bafama

Nestes dias de Copa do Mundo a população só pensa em futebol. Mas o “Bafama-Bafama” é coisa passageira. Depois de 11 de julho a vida voltará à rotina de sempre. Então poderemos comemorar um recorde. Qual é? Decorridos 121 anos da “proclamação” da República – que foi implantada pelo golpe militar de 15 de novembro de 1889 – o Brasil festejará 20 anos de democracia plena. Uma fase que começou em 1990, com a posse de Fernando Collor, o primeiro presidente eleito pelo voto do povo depois de 25 anos de ditadura. Tem mais: em 2010 vai ser realizada a quinta eleição consecutiva para a presidência da República sob a égide da Constituição de 1988. Daquele ano para cá tivemos como presidentes quatro civis: Fernando Collor (alvo de “impeachment” pelo Congresso Nacional e substituído pelo vice-presidente, Itamar Franco), Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. 20 anos de democracia sem interrupção! Nesta República isso é fato único e merece comemoração. Anteriormente, o período mais longo de vivência democrática constitucional republicana foi vivido entre 1946 e 1964. O recorde anterior era, pois, de 18 anos.

Por: Armando Rafael
Foto do Seminário São José: Aristides Figueiredo

Esse é o hino -- por José Roberto Guzzo


"A letra do Hino Nacional talvez nem seja pior que a média das letras dos hinos de outros países, em geral obcecadas por sangue, morte, canhões, tiranias e outros horrores"
Se quatro em quatro anos, por ocasião das Copas do Mundo de futebol, milhões de pessoas pelo planeta afora têm a oportunidade de entrar em contato com uma das melhores realizações que o Brasil já foi capaz de pôr em pé – o Hino Nacional Brasileiro, tocado e transmitido globalmente antes do começo de cada jogo. É sempre um momento de sucesso garantido junto ao público.
O time, no campo, pode ir melhor ou pior, mas o hino não falha nunca. Seus primeiros acordes já deixam claro para a plateia presente aos estádios que ela vai ouvir, nos instantes que se seguem, música de primeira qualidade no gênero; dali para a frente as coisas só melhoram. Ao se executar a última nota, todos os que prestaram atenção ao que estavam ouvindo ficam com a impressão de ter recebido um brinde inesperado antes do jogo: em vez da monotonia habitual dos hinos nacionais, em geral áridas arrumações de movimentos marciais que têm como característica mais notável o fato de parecerem todas iguais umas às outras, o que se ouve é uma das melodias mais vibrantes, calorosas e inspiradas que se podem escutar numa cerimônia oficial.
Não há um momento sequer de tédio no Hino Nacional; tudo ali é energia, emoção e vigor. Com quase 200 anos de vida, a peça composta por Francisco Manuel da Silva em 1822 mantém intactas até hoje todas as qualidades que fizeram dela uma das composições mais bem-sucedidas na história da música brasileira. Escrita originalmente em homenagem à Independência, e oficializada como Hino Nacional Brasileiro após a proclamação da República, a obra de Francisco Manuel tem um longo histórico de aplausos. Louis Gottschalk, o grande compositor americano do século XIX, que morreu no Brasil em 1869 e tinha entre seus admiradores Chopin, Liszt e Berlioz, considerava-a um dos melhores momentos da criação musical de sua época; em sua homenagem, escreveu a celebrada Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro.
É bom notar, também, que nas Copas do Mundo o Hino Nacional costuma ter competidores de primeiríssima linha, como agora – a começar, por exemplo, pelo extraordinário Deutschland Über Alles, o hino nacional da Alemanha, composto por ninguém menos que Joseph Haydn. Concorre, também, com grandes clássicos como o God Save the Queen, o hino não oficial da Inglaterra, e outros sucessos habituais como os hinos da Itália e dos Estados Unidos – isso sem falar na Marselhesa, da França, provavelmente o hino nacional mais conhecido do mundo. Não é fácil brilhar nessa companhia.
Mas e a letra? Já se falou mal o suficiente da letra do Hino Nacional para que se ganhe alguma coisa insistindo no assunto. Sua linguagem, provavelmente, já era antiquada na época em que foi escrita, 101 anos atrás; é confusa, às vezes absurda, e muito pouca gente consegue decorá-la direito, mesmo porque muito pouca gente entende o que ela está dizendo. Mas isso não afeta a melodia nem embaça o gênio de Francisco Manuel – que, por sinal, já estava morto quase meio século antes de colocarem palavras em sua música. Além do mais, a letra do Hino Nacional nunca causou prejuízo a ninguém – e, francamente, talvez nem seja pior que a média das letras presentes em hinos de outros países, em geral obcecadas por sangue, morte, canhões, tiranias e outros horrores.
O mais prático, portanto, é deixar tudo como está, antes que venha a ideia de adotar uma nova letra através de concurso público. Com certeza teríamos muita saudade, aí, do lábaro estrelado e dos raios fúlgidos.
Artigo publicado na VEJA que começa a circular hoje
Postado por Armando Lopes Rafael

Origens do cordel em mostra - Reportagem: Elizângela Santos


Numa exposição didática, os cordéis são apresentados ao público desde a sua origem até os seus destaques - ELIZÂNGELA SANTOS - Parceria entre Brasil e França viabiliza exposição que segue em cartaz até terça sobre as origens do cordel.

Juazeiro do Norte. Um passeio pelo mundo do cordel. Uma inspiração originalmente nordestina com raiz francesa, num intenso intercâmbio entre o mundo medieval europeu e os sertões do Novo Mundo. A exposição "Traga a França para os meus versos e leve meus versos para a França" estará em cartaz no Sesc deste município até a próxima terça-feira. Nas prateleiras, uma forma didática para o público entender a trajetória do cordel, que veio se aliar à xilogravura somente no Nordeste brasileiro. A forma didática como é feita a exposição permite conhecer qual é a origem do nome cordel, o maquinário utilizado para imprimir os folhetos e quando o cordel passou a ser levado para as feiras populares, pendurado em barbantes para a venda. Quadros de xilógrafos famosos, a importância da mulher no mundo dos versos populares e a própria história e seu momento mais importante também são abordados na mostra.

Mostra itinerante

Tudo isso pode ser visto de forma didática no espaço de exposição. De forma simples, como simples são os versos da poesia popular. A elaboração técnica e todo o processo de produção, desde a criação do mote, para seguir contando em rimas a história. O despertar para o público em geral, e também o envolvimento de grandes pesquisadores, a exemplo de Raymond Cantel, um dos maiores pesquisadores do cordel, chamado simplesmente de Raimundo por Patativa do Assaré, também são lembrados na mostra. O destaque para Cantel vem justamente da sua luta para o resgate e fortalecimento do cordel.

E Juazeiro, por ser um berço tradicional da poesia popular no Ceará, com a Lira Nordestina e seus inúmeros poetas, é a porta de entrada no Estado da exposição, segundo o coordenador da exposição Clóvis Arruda. O evento está sendo realizado por meio do Sesc, em parceria com Fonds Raymond Cantel e Universidade de Poitiers (instituições francesas), através do Ministério da Cultura brasileiro. No Ceará, a mostra deve passar por Juazeiro do Norte e Fortaleza. Além da exposição, serão promovidas oficinas, apresentações de música, exibição de filmes e manifestações relacionadas à literatura de cordel. "Essa exposição oferece uma ocasião especial para apresentar ao público brasileiro os diferentes aspectos das relações intensas de diálogo, intercâmbio e enriquecimento recíproco entre poetas e gravadores com a Europa", destaca Dane de Jade, gerente de Cultura do Sesc e curadora da exposição. A expografia é de Clóvis Arruda e trilha sonora foi composta por Patrícia Palumbo (Rádio Eldorado).

Elizângela Santos
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaboradora do Blog do Crato

FENÔMENO NO CARIRI - Cacimba com água quente intriga populares - Reportagem: Antonio Vicelmo


Geólogo Raimundo Romcy mediu a temperatura da cacimba no Sítio Riacho Seco e constatou que a água chega a 60°C. Populares apontam causas diversas para o aquecimento - ANTÔNIO VICELMO - Possível fonte de água térmica começou a jorrar numa cacimba na zona rural do Município de Missão Velha.

Missão Velha. Moradores do Sítio Riacho Seco, a 10 quilômetros da sede deste Município, estão apavorados com um fenômeno, até o momento, não explicado pelos geólogos. A água de uma cacimba, localizada no quintal da casa do agropecuarista Marcelo Barros Santana, aqueceu, de repente, a uma temperatura acima de 60 graus. Geólogos levantam a hipótese de um fenômeno geotérmico, provocado pelo vapor que emerge através de fissuras na crosta terrestre, ou reação química de sais minerais. O geólogo Raimundo Romcy de Oliveira, funcionário do Geopark Araripe, que esteve ontem na localidade, a convite da reportagem, informou, a princípio, que o aquecimento da água teria sido causado por um curto circuito na bomba vibra-vert instalada no cacimbão para o bombeamento da água.

A primeira interpretação do geólogo foi confirmada, em parte, pelo eletricista e vendedor de bombas José Rodrigues. "É comum o curto circuito da bomba, mas o aquecimento da água dentro de uma cacimba é raro", disse Rodrigues, acrescentando que presta assistência às bombas, há 40 anos, mas nunca presenciou um fenômeno assim, considerado inexplicável. O geólogo orientou o esvaziamento da cacimba, o que foi feito uma hora depois da saída da reportagem do local. O proprietário da casa Marcelo Barros determinou que uma pessoa descesse para verificar se a água renovada continuava quente. O funcionário da fazenda subiu confirmando a alta temperatura da reserva hídrica. Neste caso, foi afastada a possibilidade do aquecimento ter sido causado pela bomba. Com a nova informação, o geólogo mudou de opinião. Uma das hipóteses, segundo Romcy, é uma reação química provocada por algum mineral. A outra é geotérmica. O geólogo explica que, abaixo da crosta terrestre, existe um manto composto por rochas líquidas a altas temperaturas, o magma. Nestas zonas, os depósitos ou correntes de água são esquentados pelo magma até temperaturas às vezes superior a 140ºC. Este fenômeno, de acordo com Romcy, pode gerar as fontes de águas térmicas, utilizadas como medicinais.

Ao levantar estas hipóteses, Romcy esclarece que o fenômeno só será esclarecido com uma análise de laboratório da água da cacimba. Ele garantiu que a Universidade Regional do Cariri (Urca) vai mobilizar uma equipe de geólogos que ainda hoje voltará ao Sítio Riacho Seco com a finalidade de colher amostras da água para serem analisadas no laboratório do Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec). O que deixa o geólogo intrigado é o fato de o aquecimento ser registrado apenas numa cacimba. Os poços abastecidos pelo mesmo lençol freático não sofreram alteração, segundo constataram o geólogo e os moradores da comunidade.

Situação de emergência

A cacimba, com 8 metros de profundidade, foi feita há cerca de 25 anos. Como a água era salobra, estava sendo utilizada apenas em situações emergenciais de abastecimento. A casa é abastecida por uma rede de abastecimento d´água que passa em frente. Na manhã de segunda-feira faltou água. O proprietário Marcelo Barros mandou limpar o cacimbão e acionou a bomba de puxar o líquido, que funcionou normalmente. No dia seguinte, a doméstica Regilânia Sabino tentou ligar a bomba, mas não conseguiu. Estava queimada. Ao providenciar a retirada da água com uma balde amarrado numa corda, percebeu que a água estava muito quente. "Não dava nem para colocar a mão dentro", lembra ela. A partir de então se espalhou a notícia de que a cacimba estava "pegando fogo". "Uns diziam que era um vulcão, outros falavam que era poço de petróleo", conta Marcelo.

Antônio Vicelmo
Repórter do Jornal Diário do Nordeste

Colaborador do Blog do Crato

ENSAIO FOTOGRÁFICO - Ponta da Serra - Dihelson Mendonça


Dedicado a Antonio Correia Lima, grande lutador pela cidade de Ponta da Serra

Image9


Image3


Image10


Image5


Image6


Image7


Image14



Image1



Image12


Parabéns, Ponta da Serra, outrora distrito do Crato. Antevejo uma grande cidade surgir, com seu povo hospitaleiro e alegre. Essa é uma singela homenagem do Blog do Crato.

Fotos: Dihelson Mendonça
Proibida a Reprodução e Utilização sem a Autorização do Autor

CRATO - Notícias do dia 19 de Junho de 2010


Programação das comemorações dos 246 anos do Crato continua no final de semana

A programação voltada para a comemoração dos 246 anos do município do Crato continua até o final de semana. Ontem, houve o Clubinho Honda, com trânsito Amigo, trabalho desenvolvido em parceria com a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude. Às 17 horas, aconteceu a finalização do programa de arborização da sede do Distrito de Ponta da Serra. Hoje, sábado, será entregue no bairro Batateira a sede da Unidade Produtiva, importante equipamento que irá beneficiar moradores daquele bairro, com projetos de profissionalização. O bairro Seminário também receberá uma unidade. O prefeito Samuel Araripe fará uma visita a Casa Abrigo, sede que foi praticamente duplicada e termina o dia de atividades com visita às obras de abastecimento d’água, que está sendo renovada com a troca das antigas tubulações de amianto por PVC. São 15 km na sede da cidade. No domingo, dia 20, será celebrada missa de Ação de Graças, na Sé Catedral, às 9 horas.

Crato continua atuante no combate à dengue

O Crato continua com um trabalho intensivo direcionado ao controle da dengue na cidade. A Secretária de Saúde, Nizete Tavares, afirma que os agentes estão sendo mobilizados, com os ciclos de combate, e quatro carros fumacê estão percorrendo bairros da cidade. Ela ressalta a importância e a colaboração da população para o controle eficaz do Aedes aegypit, principalmente cada uma fazendo a sua parte da porta ao quintal da casa. A mobilização social continua com os calendários de palestras e oficinas no sentido de conscientizar a população.

CRAS Alto da Penha promoveu comemoração junina

A secretaria de Ação Social do Crato por meio do Centro de Referencia em Assistência Social – CRAS do Alto da Penha realizou a sua Festa Junina ontem, dia 18, às 18 horas. As festividades que contaram com quadrilhas improvisadas, forró e comidas típicas foram realizadas no Projeto ABC.

Mobilização Social do Crato realiza hoje roda de conversa sobre prevenção a dengue

O setor de Mobilização Social da Secretaria de Saúde do Crato realiza hoje, sábado, dia 19, as 18 horas no Sítio Quebra, uma roda de conversa sobre dengue cuidados e prevenção. O núcleo de mobilização social do Crato vem desenvolvendo um trabalho educativo no combate e prevenção do mosquito aedes aegypti, promovendo assim mais informação e qualidade de vida para os cratenses.

Governo Municipal do Crato

ESTRADAS INSEGURAS - Bando armado ataca três ônibus na estrada


Viagens perigosas: nas estradas da Zona Norte do Estado os ataques de bandidos viraram uma rotina. Os ladrões colocam pedras no asfalto e obrigam os motoristas a parar os veículos - Os assaltos ocorreram na rodovia que liga os municípios de Sobral e Santa Quitéria, na Zona Norte do Estado - Os motoristas que trafegam pelas rodovias que cortam os municípios de Hidrolândia, Santa Quitéria, Varjota e Sobral, na Região Norte do Estado, estão assustados com a onda de assaltos praticados por uma quadrilha formada por, pelo menos, dez homens armados. Segundo testemunhas, os bandidos agem com violência, levando pânico para os motoristas.

De acordo com a Polícia, a última ação ousada da quadrilha ocorreu na madrugada de ontem. Três ônibus que voltavam da cidade de Sobral, conduzindo estudantes universitários para Santa Quitéria, foram atacados na estrada que liga os dois Municípios. "Um ônibus foi parado primeiro e os outros não puderam voltar e também foram alvo dos bandidos", revelou um policial.

Apressados

Conforme o relato de algumas vítimas à Polícia, a ação foi rápida e nem todos os pertences das pessoas foram roubados devido a pressa dos assaltantes. Os estudantes registraram Boletim de Ocorrência (B.O.) na Delegacia Regional de Santa Quitéria. De acordo com outras pessoas que foram alvo dos assaltantes, e que preferem não se identificar, os bandidos colocam pedras na pista e obrigam os motoristas a parar. Quando isso acontece, eles atacam e fazem "arrastões". Segundo uma passageira, em algumas ações, vários veículos são atacados ao mesmo momento. "Os carros param e, como ficam em fila na pista, eles (bandidos) saem assaltando um a um, levando tudo", contou.

Conforme ainda o relato dos passageiros, os bandidos usam camisas para cobrir o rosto e evitar serem identificados. Para surpreender as vítimas, a quadrilha muda constantemente os locais dos seus ataques. Os principais pontos onde já ocorreram os crimes estão localizados na CE-257, que liga os município de Hidrolândia e Santa Quitéria; e na CE- 211, entre Varjota e Sobral. "A cada semana, eles estão em locais diferentes", disse um motorista. No momento das abordagens, nenhum veículo escapa aos assaltantes, que interceptam motocicletas, automóveis, caminhões e ônibus.

Quadrilhas

No ano passado, a Polícia Militar, através de sua Polícia Rodoviária Estadual (então denominada Companhia de Policiamento Rodoviário/CPRV), conseguiu desarticular várias quadrilhas que atuavam naquela região. Um dos chefes dos bandos foi morto em confronto com os policiais e outros membros dos grupos capturados armados. Os ladrões agem, preferencialmente, contra os ônibus que fazem linhas interestaduais, trazendo a Fortaleza sacoleiros vindos dos Estados do Piauí, Maranhão e do Pará. Sabendo que os passageiros estão com dinheiro para realizar compras na Capital cearense, os criminosos montam ciladas para parar os coletivos em trechos da estrada longe dos perímetros urbanos e onde não há policiamento ostensivo. Por conta disso, quando o fato chega ao conhecimento das delegacias de Polícia da região, os assaltantes já têm fugido há tempo. Conforme o relato das vítimas, os grupos geralmente contam com carros de apoio para empreenderem a fuga.

EMERSON RODRIGUES
Repórter do Jornal Diário do Nordeste

"Viagra feminino" é um fracasso, diz comissão dos EUA


GAITHERSBURG, Estados Unidos (Reuters) - Uma pílula cor de rosa destinada a estimular a libido feminina apresenta poucos resultados satisfatórios e expõe as usuárias a riscos inaceitáveis, disseram consultores do governo norte-americano na sexta-feira, vetando a comercialização da droga e impondo mais um revés para as pesquisas nesse campo. "A eficácia não é suficientemente robusta para justificar os riscos," disse Julia Johnson, presidente da comissão consultiva e chefe do departamento de ginecologia e obstetrícia da Escola Médica da Universidade de Massachusetts. Testes do laboratório alemão Boehringer com a droga chamada flibanserin resultaram em casos de depressão, desmaios, fadiga e outros problemas. Espécie de versão feminina do Viagra --droga contra a disfunção erétil masculina, campeã de vendas em todo o mundo, da Pfizer--, o flibanserin deveria ser tomado todas as noites, na hora de dormir. Especialistas avaliam que o "Viagra cor de rosa" teria um mercado de bilhões de dólares.

A Boehringer queria aprovação para que o remédio fosse receitado a mulheres antes da menopausa, com uma perda persistente, incômoda e inexplicável da libido. A droga, que surgiu como antidepressivo, supostamente age nos neurotransmissores envolvidos na excitação sexual, segundo o laboratório. Por unanimidade, os 11 membros da comissão (sete mulheres e quatro homens) consideraram que a relação risco/benefício era inaceitável, e 10 entenderam que não havia dados suficientes sobre a eficácia. A decisão final sobre o assunto cabe à FDA (Administração de Alimentos e Drogas), que normalmente segue os pareceres dos consultores. Segundo a Boehringer, mulheres que consumiram a droga relatavam ter em média 4,5 experiências sexuais satisfatórias por mês, contra 2,8 de antes de tomarem o remédio. Os estudos duraram seis meses. Quase 15 por cento das mulheres pararam de tomar o flibanserin antes que o estudo terminasse, por causa de possíveis efeitos colaterais. Boehringer disse que a maioria dos problemas relatados eram brandos. A comissão, porém, alegou que havia preocupação com o consumo prolongado. O nome comercial proposto para a droga é Girosa. Ela não foi aprovada em lugar nenhum do mundo.

Fonte: Yahoo Notícias

Um Adeus para Saramago - Por: José Cícero


A
deus Saramago!
Poeta libertário, socialista.
Exímio zelador do bom vernáculo português.
Emissário da língua dos deuses...
A receber de nós, pobres mortais
toda honra e toda glória.
Saramago.
Prosador comunista.
Homem do povo.
Vate idealista enchendo a vida de sentido
E de outros significados práticos.
Poeta utópico. Ateu Convicto. Agnóstico.
Pássaro lusitano a construir com gestos plásticos
Sonhos centenários.
E com idéias toda a felicidade possível.
em romances adormecidos nas Canárias.
Letras de fogo e de plumas embelezando a vida.
Saramago.
Lítero-guerreiro do além-fronteira por trás-os-montes.
Artesão dos sentimentos mais sentidos.
Pensador inverossímil de todo o existencial fantástico.
Travando sempre com símbolos e com palavras
O bom combate em favor do belo e dos oprimidos.
Pensamento que engrandece tudo o mais que existe.
José Saramago.
Comunista libertário.
Sonhador de um mundo novo.
Prosador profundo, psicológico.
Prosa farta a se derramar entre a fauna humana.
Poética metafísica que não tem mais nome.
Cronista póstumo do inédito.
Profeta visionário do tempo futuro.
Acendedor de candeeiros contra o escuro
pondo fim a ignorância e o absurdo
de tudo o mais que é esdrúxulo, estúpido e ridículo.
Saramago.
Sol de Portugal a se irradiar por todo o mundo.
Jardineiro do planeta exótico.
Pena de ouro escrevendo o inusitado.
Eterno revolucionário, Rosa de Luxemburgo.
Autoexilado nas ilhas Canárias.
Espanha de Cervantes e de Garcia.
Dom Quixote, Sancho Pança lusitano.
Poeta metafórico do belo estro.
Cantando sob os arvoredos Espanhóis
Um tango, um fado.
Escrevendo um conto...
Pensando a vida no seu todo e em fragmentos.
Ante o prisma de um poema concreto
E um romance antigo sobre a cegueira em fogo.
Antevendo futuros
em antemanhãs de diálogos consigo mesmo.
Árduo ofício das letras
em que viveu nos altiplanos imperativos
num silêncio profundo e gritos solitários.
Edificando verdades
perante a tessitura cotidiana do verbo humano.
José Saramago.
Mágico protagonista dos livros.
Prêmio Nobel primeiro da nossa língua.
Guerreiro invencível.
Poeta intransigente dos justos.
Granito evangelho,
segundo a si próprio.
E assim como: o próprio Jesus Cristo.
Escritos - sinônimos do incompreensível.
Saramago.
Poeta íntegro.
Idiomático defensor do que é certo.
Humanista lusitano.
Flor de lótus de Lisboa.
Literatura em carne viva
oxigenando a vida de todos
Dando luz aos caminhos dos cegos.
José Saramago.
Eterno visionário
Escritor-poeta, homem do tempo vindouro.
Vivendo para sempre,
com o que disse e escreveu.
José Saramago.
Cidadão do mundo.

(*) José Cíero -
Escritor, Pesquisador e Poeta
Secretário de Cultura
Aurora - CE.

BlogSAÚDE - Hipertensão é responsável por 40% dos infartos e 80% dos derrames


Se nem durante a infância dá para se ver livre da pressão alta, é melhor não brincar. Levar o risco a sério pode ser a melhor saída.

Enquanto o técnico de laboratório Ivan Cardoso dos Santos dribla a emoção de ser torcedor, a auxiliar de cozinha Ana Maria Santos assume que é preciso se cuidar, a vendedora Renata Diniz promete voltar os olhos para o coração, ao menos pela filha, e a artesã Sueli Barbosa segue soltando o corpo e a alma em um só ritmo. No silêncio do interior de Minas, a professora Solange Ferreira Monteiro vai conciliando ansiedade e o ofício de ensinar. E a pressão da jovem Thaís Monteiro Ribeiro vai sendo elevada pela saudade. Em cada um dos nossos personagens, a doença, democrática e silenciosa, corre pelas artérias e ganha formas diferentes. No sobe e desce da pressão, os mistérios da doença, que atinge 25% dos brasileiros, continuam desafiando a ciência. O que faz com que uma em cada quatro pessoas adultas seja hipertensa? E por que a idade não importa mais? Até onde é preciso se assustar com a hipertensão? De onde vem esse descontrole que faz contrair os vasos sanguíneos e aumentar a nossa pressão? O mal traiçoeiro, que invade coração, rins e cérebro, é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% das insuficiências renais terminais. São números que deveriam servir de alerta. Se nem na idade da inocência dá para se ver livre da hipertensão, é melhor não brincar, levar o risco a sério pode ser a melhor saída. É essa mensagem que o analista de sistemas Gabriel Costa da Silva carrega e passa para frente na primeira oportunidade. Reunimos o ex-adolescente obeso, com o estudante Thiago Luiz Miranda, que ainda não dá muita importância à hipertensão. E as palavras são carregadas de sabedoria.

“Até os 27 anos, eu ainda tinha pressão alta, mas você ainda tem tempo. Não precisa chegar aos 27 anos. Faz exercícios, se alimenta bem. Você vai melhorar bem a sua saúde. Você vai ver que vai melhorar 100%,”, afirma Gabriel. “A questão mais difícil para mim é quando saio com os meus amigos. Tem amigos meus que são hipertensos, mas, para falar a verdade, eles não devem saber que são”, conta Thiago. “É difícil você não fazer parte do grupo, porque, se o grupo come a mesma coisa, o grupo vai para os mesmos lugares”, explica a médica de adolescentes Maria Cristina Kuschnir, da UERJ. “Mas a vida é sua. A saúde é sua. É você que tem que tomar a iniciativa. Tomando a iniciativa, talvez seus amigos vejam que você está bem, está legal. Já é uma forma de você melhorar a vida dos outros também, de melhorar a sua e a dos outros, divulgar esse nosso trabalho também”, declara Gabriel. Um encontro desses que pode fazer a diferença.

Fonte: G1

ONU pede "responsabilidade" à Coreia do Norte; EUA avaliam sanções financeiras


O secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, pediu nesta sexta-feira "responsabilidade" ao governo da Coreia do NOrte, que ameaçou com uma resposta militar se o Conselho de Segurança da ONU condenar Pyongyang pelo ataque a um navio sul-coreano. A Coreia do Sul levou neste mês ao Conselho de Segurança da ONU sua queixa de que a Coreia do Norte teria torpedeado sua corveta Cheonan, resultando na morte de 46 militares, e pediu medidas para evitar "novas provocações." "Todos os membros das Nações Unidas têm que atuar com responsabilidade, de acordo com a letra e o espírito da Carta das Nações Unidas", disse Ban em entrevista coletiva. Antes de ocupar o atual cargo, ele era chanceler da Coreia do Sul.

Ban afirmou que Pyongyang deve "cumprir com todas as decisões e resoluções da Assembleia Geral e do Conselho Geral, assim como de todos os outros órgãos da ONU". "Essa é a responsabilidade e a obrigação básica dos membros das Nações Unidas", insistiu. Na terça-feira (15), o enviado da Coreia do Norte para a ONU, Sin Son-ho, disse que uma eventual ação do Conselho de Segurança com relação ao caso será alvo de um "acompanhamento" militar. "Se o Conselho de Segurança divulgar quaisquer documentos contra nós condenando ou nos questionando em qualquer documento, então eu, como diplomata, nada posso fazer, mas medidas de acompanhamento serão realizadas por nossas forças militares", disse Sin, em inglês, numa rara entrevista coletiva. "Se qualquer ação for tomada pelo Conselho de Segurança contra nós, eu perco meu trabalho", disse ele. "Os militares terão seu próprio trabalho, quero dizer, a continuidade." Ele disse que a situação na península da Coreia permanece tensa devido às "imprudentes manobras" do Sul. Segundo ele, a região vive "uma situação incerta, em que a guerra pode estourar a qualquer momento." Nessa hipótese, "nosso povo e nosso Exército irão esmagar nossos agressores."

Fonte: Folha.com

Homenagem a José Saramago - HOJE NA HISTÓRIA


HOJE NA HISTÓRIA
- José Saramago

José de Sousa Saramago (Azinhaga, Golegã, 16 de Novembro de 1922 — Lanzarote, 18 de Junho de 2010) foi um escritor, argumentista, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português. Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa. Saramago foi considerado o responsável pelo efectivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa.

O seu livro Ensaio Sobre a Cegueira foi adaptado para o cinema e lançado em 2008, produzido no Japão, Brasil e Canadá, dirigido por Fernando Meirelles (realizador de O Jardineiro Fiel e Cidade de Deus). Em 2010 o realizador português António Ferreira adapta um conto retirado do livro Objecto Quase, conto esse que viria dar nome ao filme Embargo, uma produção portuguesa em co-produção com o Brasil e Espanha. Nasceu na província do Ribatejo, no dia 16 de Novembro, embora o registo oficial apresente o dia 18 como o do seu nascimento. Saramago, conhecido pelo seu ateísmo e iberismo, foi membro do Partido Comunista Português e foi director do Diário de Notícias. Juntamente com Luiz Francisco Rebello, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, um dos fundadores da Frente Nacional para a Defesa da Cultura (FNDC). Casado com a espanhola Pilar del Río, Saramago viveu na ilha espanhola de Lanzarote, nas Ilhas Canárias.

Biografia

Saramago nasceu em Azinhaga, no Ribatejo, de uma família de pais e avós pobres. A vida simples, passada em grande parte em Lisboa, para onde a família se muda em 1924 – era um menino de apenas dois anos de idade – impede-o de entrar na universidade, apesar do gosto que demonstra desde cedo pelos estudos. Para garantir o seu sustento, formou-se numa escola técnica. O seu primeiro emprego foi serralheiro mecânico. Entretanto, fascinado pelos livros, à noite visitava com grande frequência a Biblioteca Municipal Central - Palácio Galveias na capital portuguesa. José Saramago no Festival Internacional de Filmes de San Sebastián segurando a tradução em língua persa do seu livro Ensaio sobre a cegueira. Autodidacta, aos 25 anos publica o primeiro romance Terra do Pecado (1947), mesmo ano de nascimento da sua filha, Violante, fruto do primeiro casamento com Ilda Reis – com quem se casou em 1944 e permaneceu até 1970 - nessa época, Saramago era funcionário público; em 1988, casar-se-ia com a jornalista e tradutora espanhola María del Pilar del Río Sánchez, que conheceu em 1986, ao lado da qual continuou a viver até sua morte. Em 1955, começou a fazer traduções para aumentar os rendimentos – Hegel, Tolstói e Baudelaire, entre outros autores aos quais se dedicou.

Depois de Terra do Pecado, Saramago apresentou ao seu editor o livro Clarabóia, que depois de rejeitado, permanece inédito até a data de hoje, sendo que depois disso, o mesmo persiste nos esforços literários e dezenove anos depois – então funcionário da Editorial Estudos Cor - troca a prosa pela poesia lançando Os Poemas Possíveis. Num espaço de cinco anos, depois, publica sem alarde mais dois livros de poesia, Provavelmente Alegria (1970) e O Ano de 1993 (1975). É quando troca também de emprego, abandonando a Estudos Cor para trabalhar no Diário de Notícias, depois no Diário de Lisboa. Em 1975, retorna ao Diário de Notícias como director-adjunto, onde permanece por dez meses, até 25 de Novembro do mesmo ano, quando os militares portugueses intervêm na publicação (reagindo ao que consideravam os excessos da Revolução dos Cravos) demitindo vários funcionários. Demitido, Saramago resolve dedicar-se apenas à literatura, substituindo de vez o jornalista pelo ficcionista: "(…) Estava à espera de que as pedras do puzzle do destino – supondo-se que haja destino, não creio que haja – se organizassem. É preciso que cada um de nós ponha a sua própria pedra, e a que eu pus foi esta: "Não vou procurar trabalho", disse Saramago em entrevista à revista Playboy, em 1988.

Da experiência vivida nos jornais, restaram quatro crónicas: Deste Mundo e do Outro, 1971, A Bagagem do Viajante, 1973, As Opiniões que o DL Teve, 1974 e Os Apontamentos, 1976. Mas não são as crónicas, nem os contos, nem o teatro os responsáveis por fazer de Saramago um dos autores portugueses de maior destaque - missão reservada a seus romances, género a que retorna em 1977. Três décadas depois de publicado Terra do Pecado, Saramago retornou ao mundo da prosa ficcional com Manual de Pintura e Caligrafia. Mas, ainda não foi aí que o autor definiu o seu estilo. As marcas características do estilo saramaguiano só apareceriam com Levantado do Chão (1980), livro no qual o autor retrata a vida de privações da população pobre do Alentejo. Dois anos depois de Levantado do Chão (1982) surge o trabalho Memorial do Convento, livro que conquista definitivamente a atenção de leitores e críticos. Nele, Saramago misturou factos reais com personagens inventados: o rei D. João V e Bartolomeu de Gusmão, com a misteriosa Blimunda e o operário Baltazar, por exemplo.

De 1980 a 1991, o autor trouxe a lume mais quatro romances que remetem a fatos da realidade material, problematizando a interpretação da "história" oficial: O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984) - sobre as andanças do heterónimo de Fernando Pessoa por Lisboa; A Jangada de Pedra (1986) - quando a Península Ibérica solta-se do resto da Europa e navega pelo Atlântico; História do Cerco de Lisboa (1989) - onde um revisor é tentado a introduzir um "não" no texto histórico que corrige, mudando-lhe o sentido; e O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991) - onde Saramago reescreve o livro sagrado sob a óptica de um Cristo humanizado (sendo esta a sua obra mais controvertida). Nos anos seguintes, entre 1995 e 2005, Saramago publicou mais seis romances, dando início a uma nova fase em que os enredos não se desenrolam mais em locais ou épocas determinados e personagens dos anais da história se ausentam: Ensaio Sobre a Cegueira (1995); Todos os Nomes (1997); A Caverna (2001); O Homem Duplicado (2002); Ensaio Sobre a Lucidez (2004); e As Intermitências da Morte (2005). Nessa fase, Saramago penetrou de maneira mais investigadora os caminhos da sociedade contemporânea. O mesmo faleceu no dia 18 de Junho de 2010, aos 87 anos de idade, na sua casa em Lanzarote onde residia com a mulher Pilar del Rio, vítima de leucemia crónica. O escritor estava doente há algum tempo e o seu estado de saúde agravou-se na sua última semana de vida.

Fonte: Wikipedia

CONEXÃO POÉTICA:CRATO REÚNE EM DOIS DIAS A NATA DA POESIA DO BRASIL-Por Wilson Bernardo.


CONEXÃO POÉTICA: Durante dois dias em Crato, reunem-se os maiores poetas de uma geração marginalizada, no sentido editorial e conceitual, no sentido estético das palavras.No dia 18, no auditório da URCA, será realizada uma mesa redonda sobre as perspectivas da poesia marginal e a condição do poeta autoral.No sábado, no cruzeiro da ladeira da integração se dará o encontro máximo dos poetas seguidos de recitais.Seremos a única região a sediar um encontro de tal envergadura poética.Nesse exato momento, são duas da madruga, quando eu encontro no Guanabara, alguns poetas vindos de São Salvador,Bahia para o encontro memorável da poesia caririrense e Cratense.Tomamos todas em Alusivas aos deuses da poesia gregoriana e lesbianas de GRETA , a ilha do eterno sonho poético das parábolas do homem submisso ao medo e a distancia da morte.



Wilson bernardo(Texto & Fotografia)
Obs:Claudio reis VC não mandou a logomarca viu...

Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30